Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

22.Nov.17

Um capitão livre e sem mágoas!

 

Estêvão Gerson Massango, ou simplesmente Gerson nos meandros desportivos, vai abrir uma nova página na sua carreira futebolística, depois de um final de época apoteótico com o Costa do Sol, conquistando a Taça de Moçambique. Deixa o Matchiki Tchiki, é verdade, mas leva consigo o inabalável sentimento de… dever cumprido! E não guarda mágoas com quem quer que seja. O tempo é de olhar para frente e procurar novos horizontes, que lhe permitam continuar a fazer o que sempre fez por paixão, dedicação e prazer: jogar futebol.

 

A notícia do fim da relação entre o Costa do Sol e o seu carismático capitão, Gerson, caiu que nem uma bomba sobre os amantes do futebol nacional, em geral, e sobre os adeptos canarinhos, em particular. É que depois do inolvidável sucesso, que culminou com a conquista da Taça de Moçambique, foi deveras surpreendente a não renovação do contrato com o respeitado capitão (e não só), visto que pelas bandas do Matchiki Tchiki chegaram-nos outras notícias de rompimento, que incluem o treinador Nélson Santos, Rúben e outros jogadores preponderantes da histórica equipa canarinha, que devolveu uma importante conquista ao cabo de 10 sofridos anos.

 

Mas porque a Direcção do Costa do Sol é autónoma e tem a liberdade e legitimidade de fazer as mexidas que entende que deve fazer, as reformas no plantel devem ser encaradas com naturalidade, embora, por vezes, isso custe. E é com naturalidade que Gerson também recebeu a notícia de que não iria renovar com o clube, por sinal o único que representou desde que decidiu trocar Portugal pela sua terra natal, à busca de reencontros com as raízes, novos desafios profissionais, que passavam, inclusive, por representar a selecção nacional.

 

No rescaldo dos três anos em que está em Moçambique, e tendo em conta os sonhos que trazia de terras lusas, pode-se dizer que o valioso defesa central chegou, viu e venceu! E por tudo quanto o internacional moçambicano fez até agora, seguramente que outra porta se abrirá dentre em breve.

 

Boa sorte!!!

 

Texto de Reginaldo Cumbana

 

Fonte:Desafio