Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Taça para Beira

PELO segundo ano consecutivo, a Taça Moçambique/Mcel vai para a capital provincial de Sofala. O Ferroviário da Beira é, coincidentemente, a equipa que oferece a taça aos seus fãs, principalmente do centro do país, pelo segundo ano consecutivo, depois de derrotar, na tarde de sábado, o seu homónimo de Maputo, por uma bola sem resposta.

 

 

 

O Ferroviário da Beira conquista, portanto, a sua terceira Taça de Moçambique, depois de o ter feito pela primeira vez em 2005, derrotando na final o Costa do Sol, por 1-0, no prolongamento. No ano passado bateu o Chibuto, por 2-0, por sinal no mesmo palco, Estádio Nacional do Zimpeto, a catedral do desporto moçambicano.

 

 

Com este feito, o Ferroviário da Beira junta-se à Liga Desportiva de Maputo na representação do país nas competições africanas. Enquanto os “locomotivas” vão à Taça CAF, os “muçulmanos” estarão na Liga dos Campeões.

 

 

A avaliar pelo desempenho das duas equipas ao longo da temporada, era previsível que o segundo troféu mais importante do país fosse para Beira. Aliás, os “locomotivas” daquela região centro do país tiveram uma excelente trajectória no Moçambola, lutando inclusivamente pelo título até à penúltima jornada, enquanto os de Maputo, que têm sido tradicionais candidatos ao “canecão”, estiveram muito abaixo do normal e só se salvaram da despromoção no fim da prova.

 

 

Com o Estádio Nacional do Zimpeto a registar uma boa assistência, com destaque para a presença do Primeiro-ministro, Alberto Vaquina, a quem coube a nobre missão de entregar a gigantesca taça, o Ferroviário da Beira tomou, desde o princípio, conta do jogo, perante um Ferroviário de Maputo tímido, a defender e a atacar em bloco.A justificar o domínio que vinham exercendo ao longo de todo o encontro, coube a Maninho sentenciar o jogo com um golo magnífico, porque não deu nenhuma hipótese de defesa ao guardião contrário.

 

 

Portanto, viveu-se um momento de “loucura” no Zimpeto, tal como acontecera no ano passado quando este mesmo Ferroviário da Beira fez vibrar os seus adeptos e simpatizantes ao bater, de forma convincente, o Clube de Chibuto.Se o Ferroviário da Beira conquista a sua terceira Taça de Moçambique, o de Maputo continua com quatro.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias