Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Songo na primeira das três “finais”

 

TRÊS jogos, três finais. Título inédito tão perto, mas também tão longe, enfim bastante difícil de alcançar. Este é o cenário que caracteriza a União Desportiva do Songo a estas alturas de malas aviadas para Maputo, onde domingo defronta o Costa do Sol.

 

Jogo complicado para os “hidroeléctricos”, sem margem de erro, num campo que não trás boas recordações na memória recente. Esta é, sem dúvidas, uma das partidas mais aguardada da 28.ª jornada.

 

A UD Songo é obrigada a vencer, pois, caso não consiga, complica as contas do título. Para o Costa do Sol este é mais um jogo para cumprir o calendário. A manutenção está garantida e as hipóteses do título esfumaram-se há muito tempo.

 

Sem nada a perder, aos “canarinhos” restam apenas a vingança da recente goleada, por 0-3, sofrida no Songo na segunda “mão” das meias-finais da Taça de Moçambique/mCel, depois de uma vitória em casa, na primeira “mão”, por 1-0.

 

As atenções estão igualmente viradas para Chiveve, onde o actual líder, Ferroviário da Beira, recebe o seu homónimo de Nacala, outra equipa que não tem muito a perder. Os beirenses estão motivados pelo ciclo de bons resultados acompanhados dos desaires do seu mais directo adversário, UD Songo, pelo que frente à turma de Nacala são claros favoritos aos três pontos que podem valer a liderança isolada.

 

Aliás, para os “locomotivas” do Chiveve, a recepção ao Ferroviário de Nacala é, igualmente, a primeira das três batalhas finais rumo ao inédito título.

 

No Zimpeto, os já arredados da luta pelo “canecão”, Maxaquene e Liga Desportiva, voltam a defrontar-se depois de, na semana passada, os “muçulmanos” terem imposto uma goleada aos “tricolores” na final da Taça da Liga/BNI. O Maxaquene tem o dever de se vingar da humilhante derrota, enquanto a Liga procura ganhar para melhorar a classificação.

 

No campo do Afrin, na Machava, o Estrela Vermelha, que luta pela permanência, recebe o já despromovido Desportivo do Niassa, numa partida em que os “alaranjados” são obrigados a encaixar os três pontos, sob pena de caírem no abismo.

 

No Estádio 25 de Junho, o Ferroviário de Nampula mede forças com o 1.º de Maio de Quelimane que batalha pela manutenção. No Estádio da Machava há um “clássico” entre o Ferroviário de Maputo e o já despromovido Desportivo, também da capital do país. Com as contas de manutenção já acertadas, o Chingale recebe o ENH de Vilankulo. Em Nacala, o Desportivo terá a visita do Chibuto.

 

Todos os jogos têm lugar no domingo, a partir das 15.00 horas.

 

 

Fonte:Jornal Noticias