Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

17.Set.18

Moses Kibet e Margareth Agai dominam meia-maratona de Maputo

1MEIAMARATOINA

 

Há muito aguardada e, por isso, muita concorrência. Uganda, Eritreia, Etiópia, Tanzânia, Africa do Sul, Burundi, Bahrein e, como não podia deixar de ser Moçambique, são os países que marcaram presença na Meia-Maratona Internacional de Maputo.

 

A praça da independia foi o ponto de partida, já as 8 horas estavam criadas as condições para se percorrer os 21 km.

 

Palco montado, todas as condições logísticas criadas. Uma transmissão da Stv e Stv Notícias em parceria com a ZAP. Uma transmissão inédita por se tratar da primeira desta  prova de  dimensão internacional que já escalou Angola e outros países.

 

Flávio Siholhe e Alberto Mamba em masculinos encabeçavam os favoritos do lado dos moçambicanos, destaque também para o regresso da Leonor Piuza.

 

O percurso foi o mesmo para todos mas, os estrangeiros destacaram-se ao longo da corrida, abrindo uma distância em relação aos seus adversários.


Quem são os vencedores?

 

O ugandês Moses Kibet foi o grande vencedor da Meia-Maratona Internacional de Maputo, categoria de masculinos. O atleta percorreu os 21 km em uma hora, dois minutos e quarenta e oito segundos. O primeiro colocado para a categoria de masculinos, mostrou-se satisfeito com a conquista, mas disse ter encontrado dificuldades durante o percurso.

 

 “Foi uma boa prova, apesar de ter encarado alguns obstáculos durante o troço, o que fez com que eu não superasse os meus tempos, mas cortasse a meta em primeiro lugar”.

 

Margareth Agai, primeira colocada em femininos, cortou a meta em uma hora, onze minutos e vinte e sete segundos. Saudou a organização da prova e falou também ter encontrado um percurso que exigiu que a atleta queniana desse um bocado mais de si.

 

Preparei-me para esta prova, mas um percurso destes exigiu que eu imprimisse um bocado mais de esforço. Contudo, sinto-me satisfeita pela conquista alcançada”.

 

O eritreu Yohanes Ghegebregeorgis foi segundo com o tempo de uma hora, dois minutos e 49 segundos. Para completar o pódio, outro ugandês. Solomon Mutai cortou a meta com o tempo de uma hora, dois minutos e cinquenta e dois segundos.

 

Em segundo e terceiro dos femininos ficaram Damarius Mutua, do Barein e Berha Afera, etíope, com uma hora, onze minutos e cinquenta e um segundos e uma hora, doze minutos e vinte e um segundos.

 

O pódio não inclui nenhuma nacional. Contudo, os atletas acreditam que a prova serviu para partilhar experiências com atletas de outros países.

 

No entanto, para a categoria de nacionais, Flávio Seotle, chegou à meta cinco minutos depois do vencedor, ou seja uma hora, sete segundos e cinquenta e um segundos.

 

O atleta, que reside na África do Sul, disse que apesar de ter alguma experiência em provas nacionais, a Meia-Maratona Internacional de Maputo o obrigou que que puxasse um pouco mais do seu esforço.

 

 “ Foi um percurso de dificuldades, mas valeu pela superação. Dedico esta conquista a todos os moçambicanos e a todos aqueles que sempre me deram o seu apoio”, disse.

 

Leonor Piúza liderou o esquadrão feminino nacional. A veterana corredora nacional foi a primeira entre as moçambicanas a cortar a meta em 1:23:27. Piúza destaca o facto de ter tido pouco tempo para se preparar para a prova.

 

Fazendo uma avaliação da prova, dirigentes consideraram que a Meia-Maratona Internacional de Maputo é uma prova de que o país está em condições de organizar eventos de grande dimensão.  

 

Coube a vice- ministra da Juventude e Desportos, Ana Flávia Azinheira, o  Presidente do Conselho Municipal de Maputo, David Simango, e a PCA  do Barclays, Luísa Diogo, procederem a entrega dos prémios aos vencedores.

 

Luísa Digo, em representação do Barclays, patrocinador principal da prova, disse que um dos maiores ganhos do desporto é unir as pessoas de vários quadrantes, numa prova que foi um sucesso.

 

Tanto a organização  quanto os patrocinadores saúdam a união de esforços que houve entre os intervenientes, para que a Meia-Maratona Internacional fosse um sucesso e garantiram estar prontos para a próxima edição da prova, que poderá se realizar em Junho em 2019.

 

 

Fonte:Opais