Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Mabote impugna eleições

A LISTA B concorrente às últimas eleições da Federação Moçambicana de Natação (FMN) decidiu impugnar o escrutínio realizado na última sexta-feira, no Comité Olímpico de Moçambique, no decurso da Assembleia-Geral Ordinária da instituição.

 

A líder da lista, Deolinda Mabote, acabou cumprindo com a promessa feita pouco tempo depois do anúncio dos resultados que deram vitória à lista A, comandada por Fernando Miguel. Mabote alegava, na altura, o facto de o nome do presidente da mesa da Assembleia-Geral, do elenco cessante, Carlos Comé, constar de duas listas concorrentes, nomeadamente A e C.

 

Deolinda Mabote aponta ainda como um dos motivos de impugnação o facto do Conselho Nacional do Desporto (CND), órgão que foi delegado para desfazer o empate registado na primeira fase de votação entre as listas A e B, estar fora de mandato. Não se sabe até que ponto este argumento pode pesar para a anulação do escrutínio, tendo em conta que, perante o empate, cabia ao presidente da mesa da assembleia-geral decidir sobre o futuro presidente da FMN através do voto de qualidade previsto no Regulamento. Não podendo o fazer, alegadamente por constar de uma das listas, e gozando da prerrogativa de delegar alguém com competência para tal, Carlos Comé indicou o CND, entanto que entidade neutra. O CND escrutinou a lista A, dando vitória a Fernando Miguel, sustentado pela Associação de Natação da Cidade de Maputo.

     

Contactado pela nossa Reportagem, Carlos Comé disse estar surpreendido com os últimos desenvolvimentos, depois de um processo considerado transparente e democrático. Carlos Comé admitiu ter sido verbalmente confrontado por algumas das listas concorrentes. Mas afiançou que não assumiu compromisso com nenhuma delas.

 

“Podia até ter sido proposto em três ou quatro listas. Os concorrentes aos cargos de direcção é que não podem aparecer em mais de uma lista, porque isso pressupõe que estão em duas equipas”, anotou, ajuntando que a lista C lhe teria contactado antecipadamente propondo a recondução de toda mesa da assembleia-geral. Enquanto isto, a lista A sugeriu-lhe no mesmo dia do escrutínio, o cargo de presidente da mesa da assembleia-geral.

 

Carlos Comé esclareceu, adiante, que o Regulamento eleitoral é omisso quanto ao procedimento ao cargo do presidente da mesa da assembleia-geral, tanto em termos de presença nas listas em concorrência, bem como em relação aos termos de compromisso.liás, mencionou, como exemplo, o facto de terem sido apenas os concorrentes aos cargos de presidente de direcção que assinaram os termos de compromisso entre os componentes das três listas.

 

Não vejo nenhuma irregularidade nisso, até que, por questões éticas não decidi pela eleição de nenhuma lista, dai que deleguei ao CND para votar pelo desempate”, ajuntou Comé. Aliás, Carlos Comé recordou que ficou acordado pela assembleia que, em caso de desempate, delegaria alguém, porque sabia que fazia parte de uma das listas.

Fonte:Jornal Noticias