Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

12.Dez.17

Há outros pressupostos extra-jogo que ditam os campeões nacionais

 

O presidente do Maxaquene, Ernesto Júnior, veio a terreiro para falar da temporada passada e, ao mesmo tempo, perspectivar o futuro da sua equipa de futebol, referindo que os objectivos futuros do Maxaquene são supremos, mas que não basta ter uma boa equipa para vencer, sublinhando que há outros pressupostos extra-jogo que definem os campeões em Moçambique.

 

No início da temporada passada, recorde-se, o Maxaquene assumiu publicamente que não iria lutar pelo título, abdicando de jogadores considerados onerosos para o orçamento do clube e contratando anónimos, colando a Antoninho Muchanga o desafio de formar uma equipa para, num futuro breve, lutar pelo título.

 

Este ano, o Maxaquene até começou bem a época, impondo-se à equipas com melhor valores individuais e com melhores estímulos, desde salários, prémios de jogo, entre outros, mas a meio do campeonato observaram-se momentos menos bons, oscilando entre o bom e o medíocre.

 

Foi desta forma que o final do campeonato dos tricolores tenha sido sofrível, acabando por respirar após as vitórias frente ao Chibuto e 1º de Maio de Quelimane, no Zimpeto, terminado como décimo segundo classificado, com 34 pontos, menos 30 que os campeões nacionais (a União Desportiva do Songo).

 

Em declarações ao desafio, o presidente do Maxaquene, Ernesto Júnior (Madoda) reconheceu que o Maxaquene enfrentou algumas dificuldades para alcançar o seu principal objectivo da época, que passava por chegar ao fim a meio da tabela.

 

O Maxaquene sofreu esta temporada para manter-se no lugar em que terminamos. Mas se estiverem mais atentos aos resultados que tivemos (de 1-0, 2-0), quase sempre sofrendo na parte final dos jogos, demonstraram que não estávamos em grande inferioridade em relação aos adversários. Tínhamos uma equipa bem competitiva e, em minha opinião, podíamos ter feito um pouco mais. Jogámos sempre de igual para igual e perdemos, às vezes, no detalhe, pela imaturidade dos nossos jogadores, disse Ernesto Júnior.

 

Joca Estêvão

 

 

Fonte:Desafio