Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Garra e espectáculo na vitória do Estrela

dve.jpg

 

ESTRELA Vermelha venceu o Desportivo, por 4-3, em jogo da quarta jornada do Torneio de Abertura de hóquei em patins.

Tratou-se de uma grande propaganda de hóquei em patins, como há muito tempo não se via no pavilhão do Estrela. As duas equipas impuseram um ritmo intenso ao jogo do primeiro ao último minuto. Preocuparam-se mais em atacar do que defender, e com isso o público que esteve a assistir a partida saiu a ganhar, pois não terá dado o seu tempo por perdido.

 

Começaram melhor os “alvi-negros”, com um golo de Pedro Pinheiro, ele que anda de stick “quente”. Ivan Esculudes (Maninho) não quis ficar para trás e minutos depois repôs o empate. O desafio estava interessante, aberto, as jogadas de perigo sucediam-se às catadupas, mas foi de novo Pedro Pinheiro a dar nova vantagem ao Desportivo.

 

Ao intervalo os comandados de João Esteves venciam por 2-1. O intervalo fez bem aos alaranjados, já que regressaram para o segundo tempo bem mais aguerridos e a demonstrarem uma maior frescura física. Maninho, com dois golos de rajada, tratou de dar a cambalhota no marcador. Pela primeira vez os “alaranjados” estavam em vantagem (3-2).

 

Mas o vencedor estava longe de ficar definido, pois os “alvi-negros” nunca atiraram a toalha ao chão. Foi através de livre, a castigar a décima falta do Estrela, que o Desportivo empatou o jogo. Bruno Pimentel demonstrou frieza e técnica na execução.

 

Mas o golo da noite estava por vir e saiu do “stick” de Mercy Mungói, ele que tinha ficado perto de marcar por diversas vezes, atirou um autêntico míssil. Arnaldo Queiroz, que fez um punhado de boas defesas, não pôde fazer nada para impedir que a bola violasse as suas redes.

 

Até ao apito final houve lances numa e noutra baliza que poderiam ter resultado em mais golos. Tirando o momento de desentendimento entre Bruno Pimentel e Ivan Esculudes (Maninho), que fez com que os dois vissem o cartão azul (expulsão por dois minutos), tudo correu às mil maravilhas.

 

REFLEXOS DE AFONSINHO NÃO IMPEDEM DERROTA

 

Uma grande exibição do guarda-redes da Académica, Afonso Quinze (Afonsinho) não foi suficiente para impedir a derrota da sua equipa diante do Ferroviário, por 2-1. Os (estudantes) bateram-se bem, mas tiveram dois momentos de desatenção e os “locomotivas” aproveitaram para fazer dois golos por intermédio de Dário Mascarenhas e Samuel António (Mitó).

 

O único tento da Académica foi marcado por Eduardo Costa.

CLASSIFICAÇÃO: Estrela Vermelha (9); Desportivo (6); Ferroviário (6) e Académica (3).

 

 

Fonte:Jornal Noticias