Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

FER. BEIRA, 1- CHIBUTO FC, 2: A maldade de Barrarijo?

 

É ISSO mesmo. Parece ter sido um jogo em que Lucas Barrarijo, treinador do Chibuto, teve que se assumir como um herói perante as pessoas (quem diria?) algumas das quais o “viram a nascer” para dizer que, apesar de ser “filho da terra”, é um profissional de futebol.

 

De facto, foi do primeiro ao último minuto que Barrarijo quase não sentou no banco dando sempre indicações aos seus jogadores, porque queria sair da Beira com os três pontos.

 

Saiu o Chibuto, mas foi o Ferroviário que tomou as rédeas do jogo e procurou desde logo ser o mandante em campo, sem, contudo, ser muito objectivo nas suas incursões, enquanto os “guerreiros” de Gaza, esses, tentavam produzir o seu fio de jogo a partir de jogadas de pé para pé, mas também a faltar clarividência ofensiva.

 

Com Thomas Nyirenda a ser uma pedra influente na manobra atacante, os “locomotivas” sempre criavam calafrios no reduto do Chibuto, mas Tsepo e Nelito a não conseguirem desfeitear o guardião contrário, não obstante as oportunidades de golo criadas sobretudo a partir de jogadas feitas por Gildo, um outro grande construtor de jogadas de perigo.

 

Aos 18 minutos, Chibuto chega ao golo por intermédio de Chawa, naquele que foi contra-corrente do jogo, porque o Ferroviário da Beira era quem estava a comandar o jogo. Chicualacuala em cavalgada ofensiva pela ala esquerda entra na área e Paito trava-o em falta e o juiz Celestino Gimo assinalou prontamente o livre. Chamado a cobrar, Cedric cruza para o desvio de Chawa para o balde de água fria no caldeirão.

 

Depois disso, os treinados de Wedson Nyirenda reagiram à procura de golo de empate, tendo aparecido aos 31 minutos por intermédio de Tsepo a responder positivamente o cruzamento de Gildo. Com o empate a um golo foi-se ao intervalo.

 

Na etapa conclusiva, Chibuto entrou praticamente a marcar por intermédio de Cedric aos 54 minutos, na conclusão de um livre mesmo na entrada da grande área do Ferroviário, com largas culpas para a defensiva beirense que ficou a “ver o navio” a passar.

 

Posto isto, o Ferroviário da Beira foi mais adulto que o seu adversário procurando a todo o custo o golo da igualdade e, quiçá, o da vitória, o que não aconteceu até ao apito final do juiz, averbando desde modo a segunda derrota consecutiva.

 

Celestino Gimo, apesar de algumas falhas, esteve bem juntamente com a sua equipa.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO:Celestino Gimo, auxiliado por Osvaldo de Jesus e Manuel Nelson. Adérito do Rosário foi o quarto árbitro.

 

FER. BEIRA: Soarito; Eminem, Cufa, Edson e Moniz; Thomas Nyirenda, Paito (Belito), Fabrice e Gildo; Nelito (Dayo) e Tsepo (Mfiki).

 

CHIBUTO FC: Zacarias; Abas, Cambula, Tchocolo (Jeje), Jossefe (Micheque); Chicualacuala, Chawa, Obel, Nhabanga; Narciso e Cedric.

 

Amarelos para Fabrice e Paito (Ferroviário) e Narciso (Chibuto).

 

LAITON SIFA

 

 

Fonte:Jornal Noticias