Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Equipas do Moçambola abrem “oficinas”

logo mocambola.jpg

 

Terminadas as férias de pouco mais de um mês, as equipas do Moçambola voltam ao trabalho tendo em vista a preparação para as competições que se avizinham na presente época. No caso do Costa do Sol, campeão, e União Desportiva do Songo, vencedor da Taça de Moçambique, além das habituais provas internas (Moçambola e Taça) terão que disputar a Supertaça e as Afrotaças. Outras equipas que abrem hoje as “oficinas” são o Ferroviário da Beira, ENH, Textáfrica e Ferroviário de Nacala. Ferroviário e Desportivo, ambos de Maputo, começam a trabalhar na quarta, 15 de Janeiro . Já o Black Bulls e Liga Desportiva de Maputo serão as últimas a fazerem-se aos relvados no dia 20, enquanto o primo-divisionário Matchedje de Mocuba, arrancou bem mais cedo, no dia 8 Janeiro, quarta-feira passada.

COSTA DO SOL: Chelito: a mais nova cara

O CAMPEÃO  nacional, Costa do Sol, regressa aos trabalhos com a grande responsabilidade de defender o estatuto alcançado na época passada. Para a presente época os “canarinhos” mantêm grande parte da sua espinha dorsal e ainda contarão com os préstimos do médio moçambicano Chelito, que actuava no Berkane do Marrocos.

Os “canarinhos” ganham um reforço de peso, que virá de certa forma colmatar a lacuna deixada pelo criativo Chawa, que se transferiu para o futebol sul-africano. Além de Chawa, o campeão nacional tem que ir ao mercado para encontrar o substituo do seu goleador-mor, o avançado camaronês Eva Nga, transferido para o Bidvest Wits da África do Sul, clube onde alinha o capitão da Selecção Nacional Dominguez.

Além de Chelito, os “canarinhos” garantiram mais três reforços: Mário, avançado (ex-Ferroviário de Maputo), Danilo, defesa esquerdo e Bernardo, defesa central (ambos ex-Maxaquene).

UD SONGO: Bem arrumados

A UNIÃO Desportiva do Songo, que abre as “oficinas” também hoje, está muito activa no mercado, com vários jogadores a entrarem no plantel, sendo que o mais sonante é o defesa direito dos “Mambas” Sidique (ex-Desportivo de Maputo). Eis os outros jogadores contratados para esta época: Laque (ex-ENH); Kwali (ex- Ferroviário de Nampula); Dário (ex-Textáfrica do Chimoio) e Uche (ex-Ferroviário de Maputo).

Em relação às saídas estão confirmadas as de Mário Sinamunda e de Charles Swini, por se encontrarem no fim dos respectivos contratos, enquanto Zequito regressa ao Costa do Sol, após um ano de empréstimo.

Na equipa técnica houve uma mudança. Carlos Manuel (Caló) passa a assumir o papel de adjunto, em substituição de Chaquir Bemat, que aceitou o convite do Ferroviário de Nampula para ser o treinador principal. 

FERROVIÁRIO DE MAPUTO: Pedras basilares saem e estrangeiros em vista

TERCEIRO classificado na época passada, o Ferroviário de Maputo começa a trabalhar na quarta-feira ainda sem reforços. Todavia, sabe-se que estes devem vir do estrangeiro para colmatar as saídas de jogadores importantes, como o defesa central Chico (Sporting TS) e os avançados Uche (UD Songo) e Mário (Costa do Sol). Daúde Razaque terá assim de montar uma nova equipa competitiva com capacidade para disputar o título, face à pressão dos fervorosos e exigentes adeptos, que durante a época passada contestaram por diversas vezes o seu trabalho. 

FERROVIÁRIO DA BEIRA: Apostados no título

APÓS ter ficado em quarto lugar na temporada-2019, o Ferroviário da Beira quer atacar o título e para tal reforçou-se em grande medida. Além de Akil Marcelino, o eleito para assumir o comando técnico, chegaram reforços de vários pontos do país, apresentados na semana passada.

Akil vai liderar o primeiro treino hoje, sob forte presença dos adeptos do “Chiveve”, que esperam por uma época melhor sucedida.

Eis os reforços dos “locomotivas” da Beira: Dallas (guarda-redes, ex-Ferroviário de Nacala) Milagre (guarda-redes, ex-Incomáti de Xinavane) Cristo (defesa, ex-Textáfrica), Tawanda (defesa, ex-Ferroviário de Nacala), Eric (defesa, ex-Textáfrica), Celso (defesa, ex-Textáfrica), David (médio, ex-Textáfrica), Maré (médio, ex-Textáfrica), e Mário Sinamunda (avançado, ex-União Desportiva).

Os beirenses seguraram ainda a sua maior pérola, Dayo, pretendida por muitos “colossos” do futebol nacional.

DESPORTIVO DE MAPUTO: Reforços do Centro

O DESPORTIVO de Maputo arranca a época na quarta-feira com a realização das habituais inspecções, actividade que se prolonga até quinta. Já na sexta-feira os “alvi-negros” realizam o primeiro treino, com as baterias apontadas em melhorar a oitava posição alcançada em 2019. Para dar maior qualidade ao plantel as “águias” reforçaram-se com o avançado Tico e o médio Amisse, ambos ex-Têxtil do Púnguè, e ainda com o guarda-redes Agnaldo, ex-Textáfrica. Foram ainda promovidos nove jovens repartidos entre a equipa B e juniores.

Embora não tenha sido confirmado pela Direcção, sabe-se que os “alvi-negros” perdem duas importantes “pedras”. Trata-se do médio Gervásio Mafaite, que vai ao Costa do Sol, e o médio Hammed, dado como certo na Black Bulls. 

TEXTÁFRICA: Parruque assume interinamente

O TEXTÁFRICA começa hoje sob a batuta do treinador interino Custódio Parruquee com o plantel ainda longe de estar formado devido à grande razia que sofreu com a saída dos defesas Cristo, Tawanda, Eric e Celso, dos médios David, Márcio e Maré, e dos avançados Djongwe e Dário.

Da temporada passada permanecem Buda e Thoco (defesas laterais direito), Samito e Omar (defesas centrais). A estes juntam-se os regressados defesa central Tentinho e o  avançado Joseph, que estavam emprestados ao Desportivo de Maputo e Chibuto,  respectivamente, e ainda três zimbabweanos que chegam à experiência.

Neste momento os “fabris” do Planalto estão a estudar a possibilidade de se reforçarem com três brasileiros, sendo um avançado, um trinco e um extremo direito e ainda quatro reforços que devem vir de equipas da cidade de Maputo.

De referir que no dia 18 de Janeiro a Comissão de Gestão encabeçada por Zacarias Mavile vai reunir com os sócios, simpatizantes e adeptos do clube e o público em geral para lançar um olhar relativo à preparação do clube para o Moçambola-2020, sendo que outros aspectos relacionados ao clube estão a ser geridos pelo Governo local em coordenação com a Comissão de Gestão.

LIGA DESPORTIVA DE MAPUTO: Aly Hassan pega na equipa

ALY Hassan é o técnico escolhido para liderar a Liga Desportiva de Maputo na próxima temporada, tendo como adjunto Adérito Comé. Aly volta a pegar numa equipa que vai enfrentar as provas internas com o mesmo espírito da época passada. Sem avançar com nomes, a Direcção da Liga disse estar próximo de selar acordo com jovens jogadores e que virão dar sangue novo ao plantel, que se pretende que a média seja de 23 anos. Estes juntam-se aos que transitam da época passada, nomeadamente Simplex, Gervásio, Caldino, Cigano, Momed Hagi, Stélio, Ambalilo, Mapangane, Artur, Modema, Nonó, Turras, Dainho, Yudi, Mabote e Cabine.  

Na porta de saída estão Sonito, Gerson, Aguiar, Pinto e Mokas, todos eles dispensados. 

A Liga vai apresentar o plantel no próximo dia 20, data em que se iniciam os trabalhos.

FERROVIÁRIO DE NAMPULA: Dois regressados à casa

O FERROVIÁRIO de Nampula, que este ano será comandado pelo jovem técnico Chaquir Bemat (era adjunto de Nacir Armando na UD Songo), que fará a sua estreia como treinador principal numa equipa do Moçambola, arranca com os trabalhos na quarta-feira, dia 15 de Janeiro. Chaquir Bemat terá como adjuntos Turito Macassar e Faza João, treinador de guarda-redes.

Os “locomotivas” de Nampula, que foram campeões em 2014, conseguiram a manutenção na última jornada, uma situação que quererão certamente evitar. Para atacar o novo ano a Direcção decidiu fazer uma limpeza de balneário, não renovando contrato com 17 atletas, nomeadamente Acácio, Gervásio, Zabula, Payó, Dito, James, Kalanga, Osvaldo Sunde, Imo, Jumisse, Josimar, Lanito, Nando, Emmanuel, Vivaldo, Belito e Hélder Pelembe, uma “vassourada” que faz antever que os nampulenses terão um plantel praticamente renovado. Para já, em relação aos reforços, o Ferroviário de Nampula assegurou os regressos de Salas Malico e Taymo Brito (estavam emprestados ao Desportivo de Nacala), ambos formados na capital do Norte.

BLACK BULLS: Jogos de controlo na África do Sul

A ASSOCIAÇÃO Black Bulls chega ao Moçambola rotulada como uma das boas colectividades emergentes do futebol nacional. Comandados pelo técnico português Hélder Duarte, os “touros”, como são conhecidos, começam os trabalhos a 20 de Janeiro, tendo traçado como meta a manutenção, mas pela forma como têm estado activos no mercado pode-se esperar mais. Até agora estão confirmados sete reforços, a saber: Hammed (ex-Desportivo de Maputo), Heldinho (ex-Chibuto), Dalito (ex-ENH), Mateus (ex-ENH), Gibril (ex-Chibuto), Xirasse (ex-Maxaquene) e Sunday (ex-Chibuto).

Por empréstimo e todos com destino ao Matchedje de Maputo saem Ermildo,   Dilton e Evaldo.

A Black Bulls vai efectuar grande parte da preparação em Maputo, mas tem previsto um estágio na África do Sul, onde tenciona fazer dois jogos de preparação.

MATCHEDJE DE MOCUBA: O primeiro a arrancar

MATCHEDJE de Mocuba é das formações que vai fazer a sua estreia no Moçambola, a par da Black Bulls e do Ferroviário de Lichinga. Contrariamente a muitas outras equipas, a turma de Mocuba iniciou a preparação mais cedo, 8 de Janeiro, última quarta-feira, sob comando de Mussa Muliata, técnico responsável pela ascensão da colectividade à prova-mor do futebol nacional. Com parcos recursos financeiros, quando comparado a muitos dos outros adversários que terá pela frente no Moçambola, o único representante da província da Zambézia não tem nomes sonantes no seu plantel, tendo apostado na prata da casa no ataque àquele que é o seu objectivo, que passa pela manutenção.

FERROVIÁRIO DE LICHINGA: Faife em triagem

SÉRGIO Faife, que na época passada treinava o Ferroviário de Nacala, é para já o grande reforço do primo-divisionário Ferroviário de Lichinga, que vai participar pela primeira vez no Moçambola. De acordo com o técnico, a preparação deve arrancar esta semana e a primeira fase será uma espécie de triagem, visto que não conhece a equipa e quer observar todos os jogadores para posteriormente ver que sectores será preciso reforçar, pelo que disse ser prematuro avançar com entradas e saídas de jogadores.

 

Fonte:Jornal Noticias