Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Doze pré-seleccionados em Chibuto

 

DOZE atletas foram pré-seleccioandos na triagem que teve lugar na segunda-feira e ontem em Chibuto no torneio de observação “Caça Talentos” levado a cabo pelo clube gazense em parceria com o FC Porto.

 

Os doze pré-seleccionados juntar-se-ão aos 24 que serão escolhidos no torneio similar que terá lugar hoje e amanhã em Maputo, mais concretamente no campo do Afrin, envolvendo mais de 500 potenciais jogadores.

 

Com efeito, na sexta-feira será feita uma triagem final envolvendo 36 atletas (24 de Maputo mais 12 captados em Chibuto) que culminará com a selecção de três ou quatro para o FC Porto, onde vão fazer um estágio de duas semanas na academia daquele clube do norte de Portugal (Dragon Force), podendo serem contratados caso agradem aos “dragões”.

 

Em Chibuto, o torneio envolveu cerca de 300 atletas, número que quase duplica no evento que esta manhã se inicia no campo do Afrin.

 

A escolha é feita por quatro técnicos enviados pelo FC Porto. Entretanto, o Porto e Chibuto fazem uma avaliação positiva do torneio que ontem terminou em Gaza e, pois segundo eles, provou a existência de muitos talentos no país.

 

EIS A LISTA DOS PRÉ-SELECCIONADOS

 

Sean Miguel (17 anos); Armando Chunguane (17) e Manuel Pelembe (17), todos do Clube do Chibuto. Orlando Mondlane (15) e Dicidério Manguene (15), ambos da Gaby Futescola. Orlando Dlamine (17), sem clube. Gerónimo Buene (18), do Vilankulo FC, Narciso Cuinica (18) e Pedro Ubisse (18), do Chókwé. Higino Caetano (17), da Academia Mário Coluna, Dilton Matusse (17), do Desportivo de Tavene, e Nayeer Canal (15), sem clube.

 

RICARDO RAMOS, GESTOR DO PROJECTO DRAGON FORCE - A AVALIAÇÃO É POSITIVA

 

 

A AVALIAÇÃO que fazemos dos dois dias de triagem em Chibuto é positiva. Penso que aquilo que prevíamos foi concretizado, mas devo estender a mão ao Clube do Chibuto, seus dirigentes e staff pelo trabalho abnegado prestado para o evento. Tivemos jogadores com características que nos podem interessar na academia do clube, por isso que seleccionámos os 12 jovens que vão a Maputo para a última etapa da triagem.

 

Os que nos comprovarem as capacidades e potencialidades demonstradas em termos do talento poderão ficar connosco (no FC Porto) nas equipas sub-17 e sub-19. Podem ser dois, três, ou quatro, isso vai depender do que havemos de ver em Maputo. Nós trabalhámos com três critérios, nomeadamente a técnica, que consiste em ter a bola no pé e bem dominada sem “picos”. Em segundo lugar temos a capacidade de entender o jogo e, em último lugar as questões tácticas, que incluem o posicionamento.

 

Aqui encontrámos alguns que preenchem esses requisitos, mas todos sabemos que o futebol português é mais rápido, por isso eles deverão pensar de forma flexível em campo”, explicou Ricardo Ramos, para de seguida acrescentar que “alguns atletas chegaram em Chibuto integradas em equipas, mas dispersámo-las porque estariam em vantagem em relação aos que se inscreveram isoladamente, porque aqui não precisámos do colectivo, queremos o individual. Equipas já temos lá no Porto, aqui estamos á procura do indivíduo, ou seja, alguém que possa chegar lá e destacar-se”, concluiu.

 

JUNEID LALGY, VICE-PRESIDENTE DO CHIBUTO: EXPECTATIVAS FORAM SUPERADAS

 

 

PARTIMOS com algum receio porque nunca tínhamos organizado um evento similar, para além de ser o primeiro do género no nosso país. Mas, felizmente, superámos o nosso receio com o nível de organização que tivemos, com tudo no ponto certo e no momento exacto. Ostaff foi muito prestativo, o que deixou os técnicos mais aliviados e completamente concentrados na observação dos atletas, o que era o essencial.

 

Acreditamos que os 12 jogadores aqui seleccionados são realmente os melhores. Aliás, os técnicos reconhecem o talento dos nossos jogadores, por isso não temos dúvidas. Depois deste evento que está a ser uma demonstração da nossa capacidade organizativa, cremos que os caminhos para a cooperação e parcerias com clube da dimensão do FC Porto vão se abrir, sobretudo no seu projecto da criação de uma academia de futebol em Maputo, numa iniciativa que consideramos louvável, pois é consensual que em Moçambique há talentos e na capital há condições para aglutinar-se jogadores oriundos de diferentes partes do país”, disse o vice-presidente do Chibuto, Juneid Lalgy, que reconhece o desejo de ser o principal parceiro do FC Porto da futura academia acima referida.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.