Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

29.Mar.17

Costa do Sol iguala piores arranques de 2011 e 2013

 

À semelhança dos anos 2011 e 2013, o Costa do Sol regista na presente temporada o pior arranque do campeonato nos últimos 10 anos, somando duas derrotas e um empate. Um outro dado curioso é que de 2007 a esta parte, não há registo dos “canarinhos” terem somado por vitórias as primeiras três jornadas do Moçambola.

 

Há 10 anos que o Costa do Sol não ganha um campeonato sequer, ainda que de ano para ano se multipliquem os discursos encorajadores, consubstanciados na necessidade de devolver a mística ao clube que outrora ostentara. Aliás, a última vez que os “canarinhos” lograram vencer um campeonato foi em 2007 sob comando técnico do João Chissano, ainda na era do glorioso José Neves, coadjuvado pelo laborioso Rui Tadeu.

 

Depois seguiu-se a uma fase nebulosa, em que o Costa do Sol se mostra impotente para repetir a façanha de 2007, ano em que para além de conquistar o campeonato nacional, João Chissano ainda viu-se bafejado pela sorte ao conquistar a Taça de Moçambique. Era o último resquício da famosa “dobradinha”.

 

O eterno José Neves sentindo-se com dever de missão cumprida decidiu pôr termo aos muitos e longos anos de reinado e de muitas glórias. Seguiu-se a era Manuel Cuambe, marcada por algumas remodelações a vários níveis, porém os resultados teimavam em não aparecer. Antes pelo contrário o cenário foi se agudizando cada vez mais.

 

Veio a era Augusto de Sousa, também com uma disposição de conquistar títulos e, por via disso, deixar a sua marca como presidente do emblema “canarinho”, mas a verdade é que viria a não conseguir quebrar o enguiço, não tendo terminado o mandato, muito por força da incompatibilidade de tempo, considerando que foi nomeado ministro da Indústria e Comércio, o que chocava igualmente com Lei Probidade Pública.

 

Face à saída do Eng.º Augusto de Sousa seria eleito Amosse Chicualacuala. Conhecido pela sua versatilidade e fácil trato, o actual presidente do Costa do Sol prometera fazer uma subversão no clube, o que implicaria mexer alguns sectores nevrálgicos, mesmo com intenção de incutir uma mentalidade ganhadora.

 

A verdade, porém, é que o cenário torna-se cada vez mais negro à medida que o tempo vai passando, criando, por isso, uma pilha de nervos no seio da massa associativa.

 

Ibraimo Assamo/Luís Muianga

 

 

Fonte:Desafio