Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Costa do Sol com deslocação difícil à Beira

 

 

cds.gif

 

O embate entre o Ferroviário da Beira e o Costa do Sol é o mais esperado da 13.ª jornada do Moçambola-2018, que tem a particularidade de movimentar todos os jogos amanhã.

 

Os “canarinhos” jogam no terreno dos “locomotivas” beirenses, sob risco de se afundar em caso de derrota, já que perfilam sobre a linha de água com Incomáti e UP Manica.

 

Vindos de um empate e uma derrota nas últimas duas jornadas, têm a espinhosa missão de recuperar o espaço perdido se quiserem continuar a alimentar as esperanças na luta pelo título, mas terão pela frente um outro acérrimo candidato, que também procura posicionar-se melhor na tabela classificativa.

 

Com difícil missão está igualmente o líder Ferroviário de Maputo, que parte para o terreno escorregadio do Textáfrica, depois da vitória caseira sobre o seu homónimo de Nacala. Os “fabris” do planalto estão também muito motivados com a preciosa vitória frente ao Costa do Sol e inspirados com o salto da quarta para a segunda posição, à frente da campeã União Desportiva do Songo, em terceiro lugar. A UD Songo joga em Vilankulo com a ENH, também animada com o regresso às vitórias com o recente triunfo caseiro sobre o Ferroviário da Beira. A ENH tem uma palavra a dizer, já que espreita os lugares cimeiros da tabela após bater, na anterior ronda, a UP Manica.

 

Não menos importante é o duelo entre o Chibuto, “órfão” de Artur Semedo, e Ferroviário de Nampula. Na quarta e quinta posições, respectivamente, os “guerreiros” e “locomotivas” querem chegar aos lugares cimeiros.

 

Já a Liga Desportiva, que arrancou uma vitória importante diante dos “locomotivas” nampulenses, joga na Bela Vista com o Ferroviário de Nacala, que procura sair dos “escombros”.

 

O Maxaquene, travado na última ronda pelo Incomáti, em Xinavane, recebe o Desportivo de Nacala com a ambição de se aproximar dos lugares de pódio. Mas deve precaver-se ao máximo, porque os nacalenses não facilitam a ninguém e vêm duma vitória que os inspira na busca de um lugar mais confortável. 

 

Por último, os encontros entre aflitos. A começar, o Incomáti desloca-se ao reduto do Sporting de Nampula, “lanterna vermelha” da prova, enquanto a UP Manica joga com o 1.º de Quelimane no terreno deste. 

  

Mbulu regressa aos “canarinhos”

 

MBULU-in.gif

 

O extremo malawiano Richard Mbulu está de volta ao Costa do Sol, que representou na temporada passada, tendo sido um dos maiores destaques do futebol nacional.

 

Mbulu regressa para reforçar o ataque do Costa do Sol, neste momento um dos piores do Moçambola, tendo apenas marcado seis golos em 12 jornadas.

 

O malawiano foi resgatado à Associação Desportiva Sanjoanense, clube que milita na terceira divisão do futebol português, que o contratara no início do presente ano.

 

A saída de Mbulu para o futebol português foi severamente criticada pela massa associativa do Costa do Sol, dado o desempenho que este teve na última temporada, na qual os “canarinhos” foram vice-campeões nacionais, além de ter vencido a Taça de Moçambique. Em face disso, a direcção ainda comandada por Amosse Chicualacuala enviou Artur Faria, director desportivo do clube, a Portugal, para tentar resgatar o malawiano, bem como encontrar outros possíveis reforços. Faria apenas conseguiu voltar com Mbulu, que não era opção regular no Sanjoanense.

 

Neste momento, refira-se, o Costa do Sol é o 11.º classificado do Moçambola, com apenas 13 pontos.

 

Fonte:Jornal Noticias

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.