Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

COSTA DO SOL, 1-UD SONGO, 0: DESPERDÍCIOS QUE PODEM CUSTAR CARO AO “CANÁRIO”

 

O COSTA do Sol teve tudo para sair deste embate com uma vantagem bem gorda, mas não soube aproveitar as inúmeras oportunidades que criou, sobretudo na etapa complementar, período durante o qual jogou em superioridade numérica face à expulsão de Tony, por acumulação de amarelos.

 

O tento de Pai, apontado aos 40 minutos, na conversão de um livre, acabou aliviando o “canário” perante a crise de soluções com que se deparou, ao não transformar em golos os lances que criou junto à grande área adversária.

 

Os melhores episódios da história deste jogo aconteceram na segunda parte, durante a qual as duas equipas procuraram dar o melhor de si, mas sendo o Costa do Sol a equipa mais atrevida. A União Desportiva do Songo jogou ao ritmo que lhe convinha, portanto, sem muita pressa, procurando explorar os momentos mais oportunos do jogo. Fazia circular mais a bola, mas sem muita ousadia no ataque.

 

O mesmo não aconteceu na primeira parte, durante a qual o Costa do Sol, embora com maior posse de bola, foi menos ofensivo, enquanto a União Desportiva jogava de forma desinteressada.

 

Já na segunda parte, o Costa do Sol descia com muita velocidade, sobretudo pelo corredor direito, de onde Parkim e Rúben se desdobravam com alguma avidez. Mas Rúben, que jogava muito próximo da grande área, não soube corresponder às solicitações que lhes eram feitas por Parkim. Do lado contrário, Josimar também procurou servir Rúben, ora desarmado ou sem melhor colocação para fazer chegar a bola à baliza defendida por Swin.

 

Neste período, o árbitro da partida, Alindo Silvano Nuvunga, evitou uma grade penalidade bem clara, visto que Parkim foi empurrado pelas costas dentro da grande área por Tony, que, pela infracção, viu o segundo amarelo. O juiz da partida entendeu que foi junto à linha limite da grande área. Chamado a cobrar, Pai chutou para as alturas.

 

Feito isso, Rúben, em contra-ataque rápido, isolado e livre de qualquer adversário, viu Josimar a acompanhar a jogada, mas não chegou a tempo de corresponder à solicitação do esquerdino.  

 

Mesmo em desvantagem numérica, a equipa do Songo lutou e procurou os caminhos para chegar ao último reduto do adversário. Luís Miquissone, apoiado por Kambala, estava muito vigiado. Mas acabou sendo Kambala a dar início a uma jogada que quase culminava com o golo do empate, mas Jorge não acertou com a baliza, rematando ao lado.

 

Depois se assistiu aos desperdícios do Costa do Sol até ao apito final.

 

Fora ao lance do penálti não assinalado a favor do Costa do Sol, o árbitro da partida fez um bom trabalho.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Arlindo Nunvunga, auxiliado por Téofilo Mungoi e Adão Tsucane. O quarto árbitro foi Simões Guambe.

 

COSTA DO SOL – Tchando; Pai, Aguiar, Manuelito e Dito; Chimango, Parkim, Paíto (Artur) e Josimar; Rúben (Graig) e Avelino (Lalá).

 

UD SONGO – Swin (Gugú); Sataca Jr. (Jorge), Mano, Mucuapel e Banda; Zé Luís, Tony, Cremildo e Kambal; Luís Miquissone e Chereque (Jacob).

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

Fonte:Jornal Noticias