Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Chingale empata nas vésperas da recepção ao Ferroviário

 

O CHINGALE recebe amanhã, em Tete, o Ferroviário de Maputo, em partida para acerto de calendário e referente à segunda jornada do Moçambola-2016, depois do empate, no domingo, em casa, frente ao Estrela Vermelha de Maputo (2-2), cujo jogo, foi muito bem disputado, e estava inserido na quarta ronda, na qual se destaca a ascensão da Liga Desportiva de Maputo à liderança, após vitória, em Quelimane, sobre o 1º de Maio local, por 2-1.

 

O Chingale parte para o encontro de amanhã apostado em sair da cauda, enquanto os “locomotivas” da capital querem tomar de assalto o comando e só a vitória pode tornar possível o sonho de cada uma das partes.

 

DEIXAR O PÁSSARO FUGIR

 

O Chingale perdeu a oportunidade de somar os primeiros três pontos ao consentir, na tarde de domingo, um empate a duas bolas com o Estrela de Vermelha de Maputo, já ao apagar das luzes.

 

Perante o seu público, que lotou por completo o campo do Desportivo de Tete, tratando-se do primeiro jogo em casa, a formação “canarinha” era favorita no confronto.

 

A partida começou com o Chingale a esticar o seu caudal ofensivo e, logo aos cinco minutos, apareceu o primeiro sinal de perigo na baliza de António, quando Hadji, do meio da rua, atirou por cima do travessão já com o público a gritar golo.

 

Enquanto o Estrela estudava o seu adversário, o Chingale não teve meias-medidas na perspectiva de resolver o problema o mais cedo possível e marcou à passagem do primeiro quarto de hora, por Charles, na transformação de uma grande penalidade. Foi num dos cruzamentos de Henry, pelo flanco esquerdo, que Klev travou a bola com a mão e o árbitro, próximo da jogada, sancionou com o castigo máximo. Chamado a cobrar a falta, Charles fê-lo com êxito.

 

Animado pelo seu público, o Chingale pisou mais no acelerador, encostando o Estrela no seu reduto. Para se safarem, os “alaranjados” defenderam em bloco, ensaiando contra -ataques que quase resultariam no golo de empate, quando Gregório, junto à linha de entrada da grande área, chutou certeiro, obrigando Daúda a uma defesa espectacular.

 

O Chingale esteve outra vez próximo do golo, quando Zuneid, aproveitando-se da desatenção da defensiva do Estrela, e frente-a-frente com António, brincou com serviço e foi desarmado.

 

Com o Estrela ainda a jogar sem norte e perturbado pelo barulho dos adeptos da equipa da casa, o Chingale procurou dilatar o “score”, sem sucesso, até ao fim da primeira parte. 

 

Veio a segunda parte e, tal como aconteceu na primeira parte, o Chingale pressionou e não tardou a acontecer o segundo golo dos “canarinhos”, aos 50 minutos, por Inocêncio, que, à entrada da grande área, atirou com força e direcção. 

 

Minutos depois, estava o terceiro à vista, se não fosse a atenção e flexibilidade de António, que fez uma defesa apertada.

 

Quando faltavam 15 minutos, o Chingale baixou as linhas e efectuou algumas alterações no seu xadrez. A produção da equipa baixou consideravelmente, o que permitiu a abertura de brechas no seu meio-campo, deixando espaços para o adversário explorar o seu jogo. O Estrela tratou de tirar do banco alguns dos seus jogadores talentosos e foi assim que entrou o experiente David, que veio dinamizar o meio-campo. A equipa começou a produzir um pouco mais, empurrando o Chingale para a sua zona de rigor.

 

Foi assim que aos 75 minutos, o recém-entrado David, do meio-campo, rematou rasteiro traindo Daúda, que não conseguiu segurar o esférico.

 

Depois de reduzir a desvantagem, e apercebendo-se de que o seu adversário já não tinha gás, o Estrela acreditou que poderia, pelo menos, igualar a partida. E foi assim que, cinco minutos depois, aos 80 minutos, David agiu novamente e, vendo o guarda-redes de Chingale um pouco deslocado da baliza, rematou em arco e o esférico bateu no poste direito antes de ultrapassar a linha do golo. Estava feita a igualdade. Depois deste tento, o Estrela começou a controlar o tempo e o Chingale a rumar seriamente atrás do prejuízo, mas o Estrela Vermelha defendeu-se bem até ao apito final.

 

A arbitragem, liderava por Paiva Dias, fez um excelente trabalho.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Paiva Dias, auxiliado por José Mhula e Cláudio Macamo. O quarto árbitro é César Colar.

 

CHINGALE – Daúda; Supa, Júnior, Mohamed, Ernesto, Hadji, Henry, Inocêncio, Osvaldo, Zuneid e Charles. Alinharam ainda Chana, Nuro e Nuno.

 

ESTRELA VERMELHA- António; Anselmo, Gabito, Obede, Kley, Mandinho, Debrah,

Lóló, Gregório, Dany e Rachide. Jogaram ainda Allane e David.

 

ACÇÃO DISCIPLINAR: cartão amarelo para Gabito por antijogo.

 

BERNARDO CARLOS

 

 

Fonte:Jornal Noticias