Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Campões regionais já preparam próximo combate

REGIONAL

 

A selecção nacional de boxe arrancou esta quarta-feira com a preparação com vista a participação no regional da zona IV agendado para Abril próximo no Botwsana.

Em 2018 Moçambique sagrou-se pela primeira vez, no período pós-independência, campeão regional de Boxe ao conquistar 14 medalhas seis das quais de ouro.

 

Helena Bagao, Benilde Macaringue, Rady Gramane e Alcinda Panguane em femininos e Alfredo Muzimba e Augusto Mathule, em masculinos, são os pugilistas que conseguiram ouro na última edição.


Um ano depois, o país quer repetir o feito e já prepara o evento agendado para 23 a 27 de Abril no Botswana.

Na semana passada lançamos a convocatória e hoje a selecção começou a trabalhar com vista ao regional da zona IV do próximo mês de Abril no Botswana. Aparentemente falta muito tempo mas, como deve saber, nos terminamos o campeonato nacional em Janeiro e logo depois da prova os atletas saíram em defeso. Não podemos deixar e nem permitir que o defeso seja muito longo. Aliás, em princípio tinha que ser de apenas um mês por isso tentamos evitar que levassem muito tempo” disse o secretário-geral da Federação Moçambicana de Boxe, António Hélio.

A federação entende que esta é uma das formas de manter os pugilistas no ritmo e rodados para o evento. Ainda assim, decorre uma verdadeira maratona de procura por parceiros para financiarem a ida a Botswana e todo o processo que está em volta da participação de Moçambique no regional.

Estamos a procura de patrocinadores para esta fase e a outra que se segue. Na última edição, conquistamos o vento e por isso temos responsabilidades para a próxima. É um desafio, mas temos que lutar. A África do Sul teve sempre hegemonia mas conseguimos inverter o cenário quando acolhemos o evento” disse.   

No arranque das actividades da selecção, estiveram apenas pugilistas sedeados na cidade de Maputo. A FMB diz que vai criar mecanismos de monitoria para os que estão fora da capital.

Moçambique prevê levar 15 pugilistas, cinco em femininos e 10 masculinos. Os trabalhos arrancaram esta quarta-feira, na cidade de Maputo com apenas atletas sedeados na capital moçambicana.

 

Fonte:Opais