Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

AT de Nampula campeã nacional

 

A AUTORIDADE Tributária (AT) de Nampula arrebatou o seu segundo título consecutivo no Campeonato Nacional de Voleibol de Seniores Masculinos com a vitória sobre a Académica, por 3-2 – parciais de 22-25, 25-19, 31-33, 25-22 e 15-10 - na final disputada na noite de ontem no Pavilhão do Maxaquene.

 

Para o apuramento do terceiro classificado, a Universidade Pedagógica de Nampula bateu a Universidade São Tomás “B”, por 3-2, parciais de 23-25, 25-19, 18-25, 25-20 e 15-13.

 

Num jogo disputado sob o signo de equilíbrio, com alternância constante no marcador, a AT acabou superando os “estudantes” depois de mais de duas horas de luta renhida pelo título. 

 

A AT até teve um arranque sombrio. Apesar de se ter dado ao luxo de assumir a dianteira no marcador, viu o seu começo triunfal a ser posto em causa por uma Académica que foi gradualmente ganhando a confiança e deu uma reviravolta vencendo, mesmo no fim, o primeiro “set”, por 25-22. 

 

Com atletas com uma condição física bem apurada e altura muito acima da média, a AT resistiu perante o tecnicismo dos “estudantes” e foi acreditando e acertando no seu jogo, daí que não surpreendeu a ninguém que igualasse o jogo ao fim do segundo “set”, vencendo por 25-19. 

 

Mas porque se tratava de um encontro entre duas equipas poderosas, com a AT a procura de mais um título, sendo a equipa mais vitoriosa dos últimos tempos, o jogo continuou num tom de equilíbrio até ao fim do terceiro “set”. E, com todo mérito, os “estudantes”, face a persistente luta e muita concentração, venceram o terceiro “set” (33-31), mas depois de uma longa disputa para fixar a diferença mínima de dois pontos, com o marcador a registar sucessivamente 25-24, 25-25, 26-25, 26-26, 27-26, 27-27, 28-27, 28-28, 28-29, 29-29, 30-29, 30-30, 31-30, 31-31, 32-31 e 33-31. Foi o “set” mais longo da partida.

 

Mas a AT redimiu-se na série seguinte, a quarta, vencendo por 25-22, forçando o jogo para o “set” de desempate. Aliás, este “set” assumiu outros contornos, pois os nampulenses estiveram sempre em vantagem do princípio até ao fim, apesar da forte perseguição e que vaticinava um golpe triunfal dos “estudante”, mas que acabou não acontecendo.

 

 Foi necessária muita astúcia por parte da AT para vencer este embate que se arrastou até às últimas circunstâncias na sequência das forte réplica da equipa da capital do país. 

 

As duas equipas já acusavam algum cansaço e quinto “set” (último), a melhor de 15 pontos, acabou sendo disputado ao ritmo diferente de todos. A AT soube explorar a desconcentração e ansiedade que já dominavam as hostes “estudantis”, estes que vinham para este embate decisivo apostados em quebrar o “jejum” que dura há muitos anos. Os nampulenses dominaram a última série ganhando por 15-10, fixando o resultado final em 3-2 para o gáudio dos seus apoiantes que, mesmo em número ínfimo, apoiaram a equipa do princípio até ao fim.    

 

FICHA TÉCNICA

 

ACADÉMICA – S. Gove, Y. Massitela, N. João, A. Tembe, J. Tonela, C. Jaime, S. Twane, P. Cossa, C. Acácio, A. Novunga, H. Tembe, L. Muando, T. Sigaúque.

 

AT NAMPULA – M. Victorino, A. Martinho, V. Deve, L. Carriere, S. Chinai, J. Mpanda, S. Jackson, A. Juma, O. Sozinho, D. Armando e J. Alido. 

 

Camilo Antão homenageado

 

 

O JOGO da final teve um momento especial, designadamente a homenagem a Camilo Antão, ex-presidente da Federação Moçambicana de Voleibol, uma iniciativa da actual direcção liderada por Khalid Cassamo visando engrandecer os feitos daquele que foi um grande desportista e figura incontornável na história da modalidade.   

  

Discursando no acto, que culminou com o corte de bolo oferecido ao homenageado, a vice-ministra da Juventude e Desportos, Ana Flávia Azinheira, disse que homenagear desportistas de craveira como o professor Camilo Antão traz sempre o sentimento de cidadãos privilegiados.

 

Pois não é em todas gerações que alguém pode orgulhar-se por tomar parte de um acto no qual se tem a oportunidade de dirigir uma palavra de apreço e privar com um dos impulsionadores da prática de uma modalidade desportiva da dimensão a que cabe o voleibol em Moçambique. O Desporto, no sentido mais lato do termo, e o voleibol em particular, têm os seus actores de proa bem definidos e não nos deixa desta feita com dúvidas de quem foi e é Camilo Antão no panorama desportivo nacional e internacional. Desde os primeiros passos da prática da modalidade em Moçambique, Camilo Antão pertenceu ao grupo de vanguarda, de entusiastas do voleibol, que viria a tornar o voleibol mais abrangente, movimentando jovens de ambos sexos desde os escalões de iniciação, facto que levaria à criação, em 1980, da Federação Moçambicana da modalidade, instituição onde exerceu o cargo de presidente”, disse a governante.

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

 

Fonte:Jornal No

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.