Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

A Politécnica não resiste frente à campeã africana

 

A UNIVERSIDADE Politécnica não resistiu à supremacia da campeã africana, as angolanas do 1º de Agosto, perdendo, ontem, por 78-33, em jogo da terceira jornada (penúltima) do Grupo B da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol Feminino. 

 

Com a derrota, A Politécnica soma quatro pontos, os mesmos que a United States Internacional University (USIU) do Quénia, que ontem bateu a “lanterna vermelha” GSP da Argélia, com três, por 74-38. Enquanto isso, 1º de Agosto, que ontem concluiu os jogos correspondentes à fase preliminar, tem oito pontos, ou seja, fechou invicto a primeira etapa.

 

As angolanas esperam conhecer hoje, dia do encerramento da fase de grupos, o seu acompanhante à fase seguinte (meias-finais) e quem está próximo de cometer tal proeza é o First Bank, com cinco pontos, e que ontem ficou de fora.

 

Entretanto, tudo ficará esclarecido hoje quando os três concorrentes à segunda vaga entrarem em acção. A A Politecnica defronta GSP, a partir das 20:15 horas, enquanto First Bank mede forças com USIU, no período da tarde..

 

ASSALTO TOTAL

 

A resistência d’A Politécnica durou apenas o primeiro período, altura em que as “universitárias” tentaram, a todo custo impor-se, mas encontraram uma rápida reacção das angolanas e a sua hegemonia foi imediatamente instalada. A vantagem de oito pontos com que as angolanas entraram para o segundo período parecia superável, mas os seus créditos vieram logo ao de cima. Nas fileiras angolanas estava um nome sonante de basquetebol nacional, portanto a servir aos interesses alheios à luz do contrato com 1º de Agosto. Leia Dongue, que tinha um duplo papel, tanto impediu para que as suas compatriotas chegassem à zona de finalização com tranquilidade, enquanto dinamizava, por outro lado, a ofensiva angolana obrigando as “universitárias” a cometerem muita faltas que valeram a lançamentos livres.

 

As angolanas já venciam ao fim da primeira parte com uma diferença insuportável (34 pontos). Aliás, as “universitárias” não conseguiram transpor a margem dos nove pontos conseguidos até ao fecho do primeiro período, sendo que as angolanas foram ao intervalo a vencer por 43-9. Nessa fase, a A Politécnica não teve argumentos nos aspectos defensivos e muito menos ofensivos, abrindo espaço para que as angolanas passeassem a sua classe ante o olhar impávido das “universitárias”.

 

Quase com todo o seu cinco base fora do rectângulo do jogo, uma estratégia de gestão da equipa para a próxima batalha pelo técnico do 1º de Agosto, Jaime Covilha, isto no último período, permitiu que a A Politécnica subisse de rendimento e melhorasse no capítulo de finalização, mas a vantagem estabelecida pelas angolanas até à entrada para da última metade do quarto (último) período era tão gorda, daí não ter servido de nada o esforço das “universitárias”. Vitória das angolanas por 78-33.  

   

FICHA TÉCNICA

 

A POLITÉCNICA – Joaquina Rabia, Laky da Graça, Benezita Argentina, Yara António e Yolanda Cecília.

1º DE AGOSTO – Leia Dongue, Cristina Matiquite, LeDanielle Cray, Sónia Guadalupe e Rosa Gala.

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.