Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

12.Jul.16

94 dias de jejum alvi-negro

 

Terminou ontem a primeira volta do Moçambola-2016 com um registo negro para o histórico Desportivo de Maputo, que ocupa a última posição, com nove pontos em quarenta e cinco possíveis. Os alvi-negros, que empataram com o Estrela Vermelha (1-1), com um total de oito derrotas na prova, têm seis empates e apenas uma vitória conseguida a 9 de Abril passado.

 

O Desportivo de Maputo caminha para o centésimo dia sem conhecer o sabor de uma vitória. A última vez que a celebrou foi a 9 de Abril último, frente a União Desportiva do Songo, no Estádio do Zimpeto, por duas bolas sem resposta, referente à quarta jornada. Antes desse jogo, o Desportivo, recorde-se, vinha de três jogos em igual número de derrotas.

 

O ano tenebroso alvi-negro iniciou-se com o regresso de Uzaras Mahomed, que prometeu dar volta ao cenário dos anos anteriores, onde há registo de uma descida de divisão, entre ameaças constantes de abandonar o convívio dos grandes do futebol nacional. A projecção de Uzaras não foi feliz. Acabou por deixar a equipa numa situação de desconforto, a décima primeira jornada, quando perdeu, em casa, frente ao Desportivo de Nacala (2-0), vindo a ser substituído por João Chissano, ex-seleccionador nacional, que não tem conseguido mudar o curso dos acontecimentos. Na última jornada da primeira volta, recebeu o Estrela Vermelha no Estádio do Zimpeto e não foi além de um empate a um golo, depois de ter estado a perder, com um auto-golo de Fanuel, sendo que Joca, de grande penalidade, empatou, devolvendo a esperança aos pupilos de Chissano.

 

Na primeira etapa da prova, os alvi-negros, que dos 45 possíveis perderam 36 pontos (somam apenas 9), marcaram 10 golos, uma média de 0,6/ jogo, sofrendo 19, ou seja, 1,2 golos sofridos por cada partida disputa disputada este ano. A disputa da segunda volta da equipa da águia começa com o Maxaquene, com quem perdeu por 3-1 na primeira volta.

 

 

Fonte:Desafio