Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Remarcado início da final masculina

BASKET (1).gif

 

FERROVIÁRIO e A Politécnica iniciam sexta-feira a disputa do título de campeão da cidade de Maputo em seniores masculinos, num “play-off” à melhor de cinco jogos. A disputa final fora adiada devido à participação da Selecção Nacional nas eliminatórias da Zona VI de qualificação para o AfroCAN-2019, a ter lugar no Mali.

 

Fonte:Jornal Noticias

Hora da verdade para licenciamento de clubes!

CLUBES LICENCIAMENTO .jpg

 

Os clubes nacionais continuam a saga de licenciamento, depois que a Federação Moçambicana de Futebol deliberou que os não licenciados serão impedidos de disputar provas nacionais. A Comissão de Licenciamento de Clubes analisa hoje, quarta-feira, os processos que já deram entrada.

Chegou a hora da verdade! O processo de licenciamento de clubes continua a ser a principal “dor de cabeça” dos gestores do futebol moçambicano, que ainda não conseguem cumprir com as decisões aprovadas em relação ao assunto. É que desde que iniciou a obrigatoriedade dos clubes se licenciarem para disputarem provas nacionais e internacionais, com a alegação de que os não licenciados não serão autorizados a competir internamente, nada de concreto ainda foi feito.

Para esta temporada futebolística, a Federação Moçambicana de Futebol reiterou, durante a Assembleia Geral extraordinária da Liga Moçambicana de Futebol, em Abril último, que só iriam participar do Moçambola 2019 apenas os clubes licenciados. Na ocasião, apenas cinco clubes estavam devidamente licenciados, nomeadamente os Ferroviários de Maputo e da Beira, o Costa do Sol, a União Desportiva de Songo e a Liga Desportiva de Maputo, sem que no entanto fossem somente esses a disputar a competição da primeira divisão.

Novo prazo já terminou

Entretanto, e porque não havia condições para impedir que 11 equipas não disputassem o Moçambola 2019, a Liga Moçambicana de Futebol deixou seguir a prova com clubes que ainda não haviam concluído o processo e, inclusive, com aqueles que nem haviam iniciado. Mas havia que se disciplinar os clubes, para que o Moçambola seja uma competição de clubes legalizados e licenciados.

Assim, a Comissão de Licenciamento de Clubes, reunida em Maio último, deliberou que devia dar um tempo para os clubes avançarem com o processo de licenciamento, por forma a estarem legalizados, uma prorrogação que terminou a 5 de Junho passado, devendo esta quarta-feira serem analisados os processos todos para uma tomada de decisão de quais clubes devem seguir com a disputa do Moçambola e quais estarão excluídos.

De acordo com o cronograma de trabalhos da Comissão de Licenciamento de Clubes, após o término da apresentação de candidaturas de clubes, liquidação de taxas de licenciamento e entrega de formulários pelos candidatos à licença, hoje, quarta-feira, o dia está reservado para análise de processos e decisão do Órgão de Primeira Instância em relação aos processos recebidos. Assim, na próxima sexta-feira serão notificados e comunicados os clubes das decisões do Órgão da Primeira Instância, que deverão, caso ainda tenham pontos por concluir, interpor recurso da decisão até ao dia 19 do mesmo mês, junto do Órgão de Apelo.

Cinco depois do Órgão de Apelo receber os recursos dos clubes, vai tomar a sua decisão, que será comunicada aos clubes visados no dia 26 de Junho, quatro dias antes da Comissão de Licenciamento de Clubes enviar o relatório a Confederação Africana de Futebol, dando as conhecer os clubes licenciados e que estão permitidos a disputar, não só as provas internas, mas também para as competições africanas de clubes, nomeadamente a Taça CAF e a Liga dos Campeões, na sua edição 2019/20, que inicia em finais do mês de Julho com as pré-eliminatórias.

Recorde-se que Moçambique vai inscrever quatro clubes nas competições africanas, nomeadamente duas na Liga dos Campeões e outras Taça CAF. Para já há a possibilidade das duas primeiras classificadas do Moçambola 2019, União Desportiva de Songo e Ferroviário de Maputo, disputarem a Liga dos Campeões africanos e os finalistas da Taça de Moçambique, edição 2019, Costa do Sol e Ferroviário da Beira, disputarem a Taça CAF.

Clubes ainda organizam documentação para o licenciamento

Entretanto, contactados pelo País”, alguns clubes que disputam o Moçambola reconheceram a sua fragilidade em juntar toda documentação para o licenciamento de clubes, mas garantiram estarem em fase de organização da mesma para a sua submissão à Comissão de Licenciamento de Clubes. É o caso do Desportivo de Nacala, do Baía de Pemba e do Têxtil de Púnguè que estão na fase de submissão, pese embora os prazos tenham já expirados.

Os clubes colocam como principal obstáculo a questão do relatório financeiro do clube e a área infraestrutural que ainda não estava terminado para que pudessem fazer a submissão.

O Desportivo de Nacala, por exemplo, já avançou com o pagamento da taxa de licenciamento e outros requisitos, mas porque ainda estava numa fase de mudança do relvado do campo da Bela Vista, ainda não tinha terminado o relatório referente a parte infraestrutural, tal como terá acontecido com o Ferroviário de Nacala, que também utiliza o mesmo campo da Bela Vista, ora já com um novo piso sintéctico. Aliás, a questão do campo também foi apresentado pelo Baía de Pemba, que sofreu com a passagem do ciclone Kenneth, tal como aconteceu com o campo do Ferroviário da Manga, utilizado pelos “fabris” da capital de Sofala.

Os clubes assumiram a intenção de submeter a restante parte do processo nos próximos dias, de modo que não sejam sancionados com a não participação em provas nacionais.

De acordo com a Comissão de Licenciamento de Clubes, as taxas a serem pagas variam de escalão da disputa das provas, sendo que para as equipas que estão no Moçambola o valor de 60 mil meticais, enquanto os da divisão de honra são 30 mil meticais. As equipas que disputam os campeonatos provinciais deverão pagar uma taxa de 15 mil meticais para o pedido do certificado de licenciamento de clubes.

 

Fonte:Opais

 

 

 

Sindicato de Jogadores intervém para fim da greve do Incomáti

REUNIAO (2).jpg

 

É o fim da greve que vinha acontecendo há já algum tempo em Xinavane, pelos jogadores, mas que só há uma semana explodiu, devido aos atrasos de pagamentos de salários. E foi preciso a intervenção do Sindicato Nacional de Jogadores de Futebol, através do respectivo presidente, António Gravata, mais conhecido por Tony Gravata, que se deslocou a Xinavane para se reunir com os jogadores e encontrar uma solução para a crise.

De acordo com Lance mz, a decisão de acabar com a greve foi tomada após um encontro entre o Sindicato dos Jogadores e a direcção do clube, que contou ainda com a participação de membros do governo provincial e distrital da Manhiça.

Em entrevista ao jornal electrónico Lance, o presidente do Sindicato de Jogadores, António Gravata, garantiu que os jogadores voltarão aos trabalhos, mediante o pagamento de um mês de salário em dívida nas próximas semanas, devendo a direcção procurar mais parceiros que garantam a liquidação da dívida por completo, por forma a que os trabalhos decorram sem sobressaltos nos próximos dias. “A direção do Incomáti acordou com os jogadores que dentro da próxima semana vai se efectuar o pagamento de um salário e como se está em conversações com parceiros, o que está praticamente fechado, a breve trecho vai-se pagar o valor remanescente, incluindo os prémios de jogos”, disse António Gravata ao Lance.

Paralelamente a possíveis sanções que pudessem ocorrer internamente após o registo da greve, há indicações de que nenhum jogador vai sofrer represálias ou sanções, após acordo para efeito. Quem deu essa garantia foi Tony Gravata, ao Lance mz, que respondia a alega informação que dava conta de que Orlando e Luís, dois jogadores do Incomáti e que supostamente seriam os mentores da greve, seriam dispensados.

Todos jogadores estão integrados no plantel. Sanamos qualquer tipo de mal-entendido que pudesse existir, quer da parte da Direcção quer da parte dos jogadores. Não há nenhum jogador que será sancionado por conta da greve, este é um dos pontos que por nós foi vincado, até porque foi o Sindicato que foi o interlocutor nesta conversa justamente para garantir que não houvesse qualquer tipo de retaliação futura, até porque a Direcção assegurou que essa não era sua intenção ou postura”, vincou o Presidente do Sindicato de Jogadores.

Segundo o Lance, há ainda possibilidade das empresas produtoras de açúcar no país poderem se juntar para apoiar o Incomáti de Xinavane no Moçambola 2019, num acordo que poderá estender-se por duas épocas, ou seja 2019 e 2020.

Os “açucareiros” viram-se averbados uma falta de comparência no passado final de semana, em vistude de não se ter deslocado a Nacala, onde iria disputar o jogo da sexta jornada do Moçambola 2019, diante do Desportivo de Nacala. Ainda assim, incorre a uma multa pela ausência, que pode chegar aos 200 mil meticais, uma vez que o caso foi remetido ao Conselho de Disciplina da Liga Moçambicana de Futebol.

Recorde-se que o Incomáti de Xinavane tem um jogo marcado para esta tarde, diante do Desportivo da Matola, referente a final da Taça de Moçambique, fase provincial, marcado para o seu campo. O vencedor desta partida vai cruzar caminho do Desportivo de Maputo na fase regional da segunda maior competição futebolística do país.

 

Fonte:Opais

Mexer foi o mais utilizado na diáspora

jogadores na diaspora.png

 

Mexer, que acaba de trocar o Rennes pelo Bordeaux, foi o jogador moçambicano mais utilizado dos que actuam na diáspora analisados pelo desafio. O defesa moçambicano foi quem teve mais motivos para sorrir durante a época 2018-2019, porque para além de ter mudado de clube foi determinante na conquista da Taça da França pelo seu anterior “team”.

 

Durante a temporada que terminou, para muitos, Mexer fez um total de 43 jogos (3754 minutos) divididos entre a Ligue 1, em que disputou 29 encontros, Taça da França, com cinco, Taça da Liga, com dois e, o mais importante, a Liga Europa, com sete, sendo o moçambicano com mais jogos nesta competição numa só época.

 

O internacional moçambicano marcou ainda dois golos na época, sendo um mais importante, por ter asse gurado o empate que valeu depois a conquista da Taça da França frente ao poderoso PSG. Reginaldo Faife, que também conquistou a Taça na Albânia numa final em que marcou o golo da vitória, surge em segundo com 3162 minutos de utilização, numa temporada em que fez 15 golos.

 

O outro destaque da época é Zainadine Jr., terceiro mais utilizado (2970 minutos) dos moçambicanos na diáspora, eleito futebolista da época do Marítimo na edição de 2019 da gala dos “verde rubros” da I Liga Portuguesa. O central, que chegou ao Marítimo em Janeiro de 2017, realizou 33 jogos em 2018- 2019 e apontou um golo, tendo sido ainda o vencedor da categoria de melhor defesa.

 

Fonte:Desafio

Matolenses mantêm liderança

matolenses.gif

 

O DESPORTIVO da Matola permanece firme na liderança da prova da Zona Sul do Campeonato Nacional de Futebol da Divisão de Honra, após a disputa da quinta jornada. Os matolenses regressaram às vitórias depois do empate na ronda anterior, tendo batido o Estrela Vermelha fora de portas, por 1-0, resultado que lhes mantém com a vantagem de um ponto sobre a Black Bulls (13-12), que derrotou o Ferroviário de Gaza, também por 1-0.

 

 

fonte:Jornal Noticias

Moçambique disputa “Afrobasket” 2019 em Dakar

dakar 2019.jpg

 

Automaticamente qualificada para fase final após ocupar a quarta posição, em 2017, em Bamako, Mali, a selecção nacional de basquetebol sénior feminina disputa, de 9 a 18 de Agosto, em Dakar, Senegal, a fase final do Campeonato Africano da categoria.

A FIBA-África confirmou o palco da prova depois da reunião entre a delegação da agremiação, liderada pelo director regional, Alphonse Bilé, e o ministro dos Desportos do Senegal, Matar Mba, e o presidente da federação de basquetebol, Babacar Ndiaye.

De acordo com o sítio FIBA-África, as autoridades senegalesas asseguraram a construção da Arena Dakar, nos arredores da capital.

Na última edição, Moçambique terminou a sua participação no “Afrobasket” com uma derrota diante do Mali (75-52) no jogo de atribuição do terceiro lugar.

As “Samurais” estrearam-se na prova a 18 de Agosto de 2017 com uma derrota diante da Nigéria por 80-69, num jogo em que Leia “Tanucha” Dongue foi melhor cestinha de “Moz” com 19 pontos.

No dia seguinte, a selecção nacional averbou nova derrota desta feita diante do Mali por 76-67, sendo que Anabela Cossa esteve em bom plano ao contabilizar 16 pontos.

A primeira vitória veio no dia 20 de Agosto diante da Guiné, quando as treinadas de Nasir “Nelito” Salé venceram por 88-47 com Leia “Tanucha” Dongue e Tamara Seda a terminarem o jogo com 18 e 12 pontos, respectivamente.

No último jogo da fase de grupos, Moçambique perdeu com o Egipto por 91-70. Nos quartos-de-final, numa espécie de vingança, a selecção nacional derrotou a sua similar de Angola por 61-47 com Tanucha a ser determinante com 27 pontos.

Já nas meias-finais, Moçambique caiu aos pés do Senegal com quem perdeu por 72-57.

Este ano, partem para o “Afrobasket” com o mesmo objectivo de ocupar os lugares de pódio, até porque apresentam um leque de jogadoras com qualidade que estiveram muito bem na Europa e EUA, que se juntam ao grupo que evolui internamente.

Para além de Moçambique, estão automaticamente qualificados Nigéria (campeã em título), Senegal (vice-campeã em título) e Mali (terceiro classificado).
 
O Senegal volta a acolher a prova  doze anos depois. A última organização da prova pelo país foi em 2007, quando a selecção local terminou na segunda posição, onde estiveram presentes 12 nações.

 

 

Fonte:Opais

MOÇAMBOLA 2019

  • Classificação
  • Resultados
  • Próximos Jogos
PosEquipeJDPPtsVEDGMGC
1. C. do Sol5+711320103
2. Fer. Beira5+4930295
3. Fer. Maputo5+2930264
4. UD Songo5+2930275
5. Textafrica5-3930258
6. Incomáti5+3823074
7. Nacala5+2822164
8. LD Maputo5+1822154
9. Maxaquene5+1721243
10. Fer. Nacala5-2721279
11. Chibuto50620366
12. Fer. Nampula5-2512268
13. B. de Pemba5-5411338
14. Des. Maputo5+1311365
15. ENH5-6303239
16. Têx. Púnguè5-520235

10

 

 

 

 

Selecção masculina de basquetebol garante apuramento para AfroCan-2019

Seleccao basquetebol 2019.jpg

 

A selecção nacional de basquetebol sénior masculina garantiu a presença no AfroCan do Mali após uma valorosa vitória diante da Zâmbia por 71-60, na noite da última sexta-feira. Ademais contou a vitória diante do Zimbabwe, na passada quinta-feira, por 80-65, redimindo-se da derrota na jornada inaugural diante do mesmo adversário.

Mesmo a meio de dificuldades, entre falta de treinos, péssimas condições de viagens e acomodação, para além de ausência de alguns jogadores que se recusaram em representar a selecção devido a falta de compromisso e seriedade da própria Federação Moçambicana de Basquetebol, a selecção nacional conseguiu a qualificação à fase final do AfroCan da modalidade, que terá lugar no Mali, em Julho próximo.

Uma participação que que até iniciou de forma desastrosa, com uma derrota, diante do anfitrião Zimbabwe, por seis pontos de diferença, ou seja 67-61, naquele que foi o primeiro grande resultado da falta das condições exigidas para uma boa prestação. Aliás, o conjunto de Milagre Macome, que basicamente contou somente com jogadores do Ferroviário de Maputo e mais dois do Ferroviário da Beira, chegou praticamente na noite que antecedia o primeiro jogo, depois de cansativa viagem via terrestre, que teve escala em Manica. O cansaço não ajudou os jogadores, que assim perderam o primeiro jogo.

Na segunda partida, frente a Zâmbia, o combinado moçambicano não se fez de rogado e com uma boa prestação de Pio Matos, quase chegada a chapa 100, tendo terminando mesmo na casa dos 90 pontos. Uma Zâmbia que voltou a ser o bombom da festa, depois de mais uma vitória, na sexta-feira, desta feita por 71-60, resultado que garantiu o primeiro lugar no regional de qualificação, ainda que com os mesmos números de pontos do Zimbabwe, que também estava a disputar o apuramento.

Zimbabwe, o grande “abusado”

A selecção do Zimbabwe, anfitrião desta fase de qualificação, foi uma pedra no sapato dos treinados de Milagre Macome, uma vez que com a vitória na primeira jornada, por 67-61, ganhava asas para ombrear com o combinado nacional a disputa por um lugar no AfroCan. Mas mau grado para os zimbabweanos, que já na segunda volta não tiveram a mesma postura e nem pernas para ombrear com Pio Matos e companhia, que já mais descansados levaram à quadra a sua experiência, para anular a vantagem de seis pontos dos donos da casa, vencendo assim por 80-65.

Foram 15 pontos de diferença que traduziram a grandeza e confirmaram a superioridade do conjunto moçambicano, perante um Zimbabwe e uma Zâmbia, que foram apenas sombras de uma preparação bem feita por parte de Milagre Macome, rumo à fase final do AfroCan, que terá lugar em Bamako, no Mali, de 18 a 28 de Julho.

O Torneio regional de qualificação que contou apenas com as três selecções, uma vez que Angola e África do Sul desistiram a última hora, vai ainda conhecer o derradeiro jogo este sábado, quando Zimbabwe e Zâmbia jogarem entre si, para o cumprimento da prova.

Assim, os rapazes de Milagre Macome regressam este domingo a Maputo, para prepararem a final da Engen Maputo Basket, onde o Ferroviário de Maputo terá pela frente a A Politécnica, num play-off a melhor de cinco jogos. O jogo 1 poderá ser já na sexta-feira.

 

Fonte:Opais

Fer. Maputo vs Costa do Sol no derby do regional da Taça de Moçambique

fer maputo vs cs.jpg

 

Costa do Sol vs Ferroviário de Maputo, Maxaquene vs Chibuto e Ferroviário de Nampula vs Ferroviário de Nacala são os cruzamentos do sorteio da fase regional da Taça de Moçambique, realizado esta quinta-feira, ma sede da Federação Moçambicana de Futebol.

Foi assim que ditou o sorteio da segunda maior competição futebolística do país, que o Costa do Sol e o Ferroviário de Maputo se cruzassem nos oitavos-de-final, naquela que é uma espécie de final antecipada. Trata-se de um jogo entre equipas de maior gabarito do futebol moçambicano e que são candidatos a conquista da prova. Ou seja, um dos principais candidatos a levantar o troféu vai cair por terra ainda nesta fase regional. Costa do Sol, detentor do troféu e com mais títulos, e Ferroviário de Maputo, equipa do top, uma delas dirá adeus próxima semana, quando se defrontarem.

O histórico entre estas duas equipas é bastante interessante, com um equilíbrio a ser a nota dominantes quando se fala de confrontos directos. Aliás, quase sempre que se defrontam estas duas equipas, quem vence acaba conquistando a prova, numa clara demostração de que tem potencial e argumentos para chegar mais longe. Pena mesmo é que somente uma delas vai poder lutar por chegar mais além.

O embate terá lugar no campo do Costa do Sol, domingo do dia 16 de Junho, dia da criança africana, do massacre da moeda e do metical, a moeda nacional.

Mais jogos escaldantes

Ainda na zona sul, o sorteio ditou que mais um jogo entre equipas do Moçambola vai caracterizar esta fase. Maxaquene e Clube de Chibuto enfrentam-se pela segunda vez esta temporada e uma delas vai ter que se despedir da Taça de Moçambique. Novamente o jogo terá lugar na capital do país, tal como aconteceu no Moçambola, em que os "tricolores" vencerem por uma bola sem resposta. Desta vez os "guerreiros" estarão mais precavidos e preparados, já que contam com dez novos jogadores e trocaram de equipa técnica. Aliás, o Maxaquene, quando venceu o Chibuto, já contava com Amide Turmamade como seu treinador principal.

Para além desses embates, o quase centenário Desportivo Maputo vai esperar pelo vencedor do jogo entre o Incomáti de Xinavane e o Desportivo da Matola, para saber quem será seu oponente na luta por um lugar na fase nacional. Com mais argumentos, os "açucareiros" estariam em melhores condições de serem os adversários dos "alvi-negros", mas a crise com a qual se abala a colectividade de Xinavane deixa algumas dúvidas.

Para encerrar a zona sul do país, a Black Bulls vai ter pela frente o Ferroviário de Inhambane, naquele que o único jogo entre equipas do escalão secundário. Mas certamente para a Black Bulls será uma ocasião flagrante de vingar a derrota sofrida recentemente na deslocação a Inhambane, diante do mesmo Ferroviário, para a segunda divisão. Vale isto dizer que estas duas equipas também já se cruzaram para a prova que dá acesso ao Moçambola 2020, com os " locomotivas" a se saírem bem.

Derby do centro entre Textáfrica e Ferroviário da Beira no centro das atenções

Pela zona centro do país há, também, um embate entre equipas do Moçambola e protagonistas do sensacional derby da região: Textáfrica do Chimoio e Ferroviário da Beira. Para a segunda jornada do presente Moçambola, no caldeirão, os "locomotivas" venceram por duas bolas sem resposta, com golos de Maninho e Dayo, e desta vez pode haver revanche em Chimoio.

Os "fabris" do Planalto sempre impuseram dificuldades aos "locomotivas" e desta vez não será excepção. Um embate que promete por várias razões, sendo uma delas a troca de treinadores no início da presente temporada futebolística. Até porque o Ferroviário da Beira quer repetir a proeza do ano passado e chegar a final da prova, desta vez para vencer, tal como aconteceu em 2014 e 2015.

Já o campeão nacional e derrotado na supertaça Mário Coluna, tem uma tarefa não tão facilitada, quando cruzar caminho do Ferroviário de Quelimane. É, do resto, a repetição dos oitavos-de-final de 2017, numa eliminatória que não foi fácil para os "hidroeléctricos", que passaram, ainda assim, aos quartos-de-final, chegando a final com Costa do Sol nessa temporada. Já no outro embate entre equipas da segunda divisão, o Ferroviário de Bagamoio de Moatize recebe no seu terreno a Liga Desportiva de Sofala. Um embate entre equipas que tem uma oportunidade de chegar mais longe nesta competição, nomeadamente, a fase nacional, nunca antes atingida.

Ferroviários da província de Nampula embatem-se no norte
No norte há mais um jogo entre equipas do Moçambola... (Ufffaaaa, há muitos jogos entre os grandes...)

Ferroviário de Nampula e seu homónimo de Nacala jogam entre si na luta por um lugar na fase nacional, os quartos-de-final da Taça de Moçambique. Ainda que bem posicionados na tabela classificativa, os "locomotivas" de Nacala terão muitas dificuldades perante um Ferroviário de Nampula candidato a passagem à fase seguinte. Duas equipas separadas por dois pontos na tabela classificativa do Moçambola, a maior para a turma da vila portuária de Nacala, que soma sete, contra cinco do seu adversário. Mas, certamente uma partia que vai movimentar muitos amantes do futebol da província para esse embate.

Para encerrar esta fase dos oitavos-de-final da Taça de Moçambique, o Baia de pemba recebe no seu reduto o Ferroviário de Lichinga. O representante de Cabo Delgado no Moçambola é claro favorito a passagem à fase seguinte, tendo em conta que joga diante do seu público, mas terá que provar em campo que os resultados pouco conseguidos na prova mor não vão afectar a sua participação na segunda maior competição futebolística do país.

Os jogos desta fase regional terão lugar no próximo final de semana, nomeadamente entre os dias 15 e 16 de junho corrente. Pela zona sul qualificam-se  os quatro vencedores dos jogos, enquanto no centro passam três equipas e no norte apenas uma.

Sorteio da fase regional

Zona sul
Fer. Maputo    vs    Costa do Sol
Maxaquene    vs    Chibuto
Incomáti/Desp. Matola    vs    Desp. Maputo
Black Bulls    vs    Fer. Inhambane

Zona centro
Textáfrica    vs    Fer. Beira
UD Songo    vs    Fer. Quelimane
Fer. Moatize    vs    LD Sofala

Zona norte
Baía de Pemba    vs    Fer. Lichinga
Fer. Nampula        vs    Fer. Nacala

 

Fonte:Opais