Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

“Locomotivas” querem conquistar a 24ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos

Ferroviario f

 

O Ferroviário de Maputo quer conquistar a 24ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol em seniores femininos depois de ter perdido nas finais de 2006, no Gabão, 2016, em Maputo, e 2017, em Angola.

 

Dois anos depois, o pavilhão do Maxaquene irá testemunhar o desfile das estrelas do basquetebol continental e outras vindas dos EUA e outros cantos do mundo.

 

À procura do primeiro título, o Ferroviário de Maputo vai contrariar os seus adversários e colocar-se no olimpo de África.

 

De resto, as campeãs nacionais perseguem este trofeu há muito tempo, tendo perdido em três finais, a última das quais em 2017, em Luanda, Angola, diante do 1º de Agosto, por 65-51.

 

Como prova do seu poderio e força em África, o Ferroviário de Maputo esteve no pódio nas três últimas edições da Taça dos Clubes Campeões Africanos. Mas a caminhada começou em 2006. Nesse ano, no Gabão, o Ferroviário de Maputo, orientado por Carlos Aik, perdeu na final com o 1º de Agosto de Angola, por 86-74.

 

Em 2015, em Luanda, o Ferroviário de Maputo ocupou o terceiro lugar ao perder nas meias-finais com o First Bank da Nigéria, por 71-54. Em 2016, fez novamente uma excelente campanha, tendo falhado o título ao perder na final com o Interclube de Luanda, por 67-49. Nova campanha brilhante em 2017, em Luanda, Angola, com um registo de seis vitórias e apenas uma derrota.

 

Nas meias-finais, uma recuperação fantástica frente ao Interclube e uma vitória por 71-62, gelou no pavilhão multiuso de Luanda. Mas, na final, as “locomotivas” perderam com o 1º de Agosto de Angola, por 65-51. Este ano, a jogar em casa, o Ferroviário de Maputo quer finalmente conquistar o título continental de clubes.

 

Para o efeito, conta na sua estrutura com duas norte-americanas e um leque de jogadoras que já conquistaram a Taça dos Clubes Campeões Africanos no Desportivo e na Liga Muçulmana.

 

Fonte:Opais

UP “curva-se” aos tricampeões da corda

salto

 

Três vezes campeões do mundo, nomeadamente em 2015, na França, 2016 em Portugal e 2017 nos Estados Unidos, a selecção nacional de salto a corda foi homenageado pela Universidade Pedagógica (UP) perante algumas figuras do desporto nacional.

 

O presidente da federação moçambicana da modalidade, Mussa Tembe, um dos percursores do salto a corda, enalteceu o feito, mas destacou a resistência e persistência dos praticantes e pediu melhores condições para potencializar-se o talento já existente.

 

Os homenageados também louvaram a iniciativa e não deixaram de mencionar as dificuldades para a prática da modalidade diariamente. Muito recentemente, a mesma selecção decidiu não participar em competições internacionais por falta de condições.

 

Fonte:Opais

“Mambas” assumem importância da vitória

treino2

 

Jogadores da Selecção Nacional de Futebol “Mambas” estão interiorizados de que apenas a vitória interessa no jogo do próximo domingo, frente à Zâmbia, a ter lugar no Estádio Nacional do Zimpeto a partir das 15.30 horas, a contar para a quinta jornada do Grupo “K” de qualificação ao CAN-2019 agendado para os Camarões.

 

Efectivamente, a turma moçambicana já não tem qualquer margem de erro, sabido que ocupa a última posição, com quatro pontos, os mesmos dos “Chipolopolo”, enquanto a Guiné-Bissau e a Namíbia estão embaladas, com sete pontos cada, e jogam entre si amanhã, sábado, a partir das 16.00 horas, em Windloek.

 

Já com todos os jogadores integrados, a equipa moçambicana realizou na tarde de ontem mais uma sessão de treino no palco do jogo, onde a Zâmbia vai realizar o de reconhecimento amanhã.

 

Quer os atletas, quer os treinadores manifestam vontade de vencer e o resultado positivo de Ndola, na jornada inaugural, transmite confiança, pois serviu de prova de que a Zâmbia está mesmo ao alcance dos “Mambas”, apesar de a história ser favorável aos forasteiros.

 

Desta vez, Abel Xavier não vai contar com Ratifo, autor do golo vitorioso na partida de Ndola. Figuram também na lista de indisponíveis Mexer, Nené e Lau King, pelo que foram convocados Amadou (UD Songo) e Victor (Maxaquene). 

 

A partir de hoje, os bilhetes para o jogo custam 200 e 300 meticais, respectivamente, para as bancadas sol e central sombra.

 

Mr. Bow interagiu com os jogadores

 

MÚSICOS da Bawito Music, liderados por MR. Bow, interagiram na tarde de ontem com os “Mambas”, aos quais transmitiram confiança e apoio moral para o confronto de domingo no Estádio Nacional do Zimpeto.

 

O músico disse aos jogadores que o momento actual é difícil e precisa de muita união entre eles para superá-lo, e que todos os músicos do país estão com a Selecção Nacional e desejam vitória frente à Zâmbia.

 

Estarei com outros músicos no estádio para prestarmos o nosso apoio. Queremos que prossigam na certeza de que tudo vai dar certo. Acredito que podemos alcançar os nossos objectivos porque não somos pessoas fracas. Nós, músicos, estaremos no campo para incentivá-los”, referiu o ícone da marrabenta.

 

DOMINGUEZ: Queremos um resultado positivo

 

FALANDO aos músicos da Bawito Music na qualidade de capitão da Selecção Nacional, Dominguez agradeceu o gesto dos músicos e sublinhou que a equipa está focada em conquistar um resultado positivo para continuar a alimentar o objectivo de marcar presença no CAN dos Camarões.

 

Sabemos que o momento não é bom por causa dos últimos resultados, mas acreditamos que vamos conseguir superar e estamos a trabalhar nesse sentido. Queremos um resultado positivo no domingo para alegrar a todo povo moçambicano”, referiu Dominguez.

 

MILTON NHABOMBE “MAMBUCHO”: A nossa obrigação é vencer

 

Moralmente a equipa atravessa um ambiente estável e por conta disso acredito que vamos vencer a Zâmbia ainda que seja um adversário difícil e respeitável, mas o nosso objectivo e a nossa decisão é ganhar, para pensarmos melhor no último embate. A Zâmbia é uma grande equipa, mas não é um bicho-de-sete-cabeças. Peço ao público que venha ao campo porque vai sair feliz pelo resultado positivo que vamos conseguir. No seio da equipa, a palavra de ordem é vencer. Há muita confiança e determinação”.

 

AMADE ISSUFO “AMADOU”: Vamos superar esta Zâmbia

 

CHAMADO das Sub-23 para a selecção principal, como uma das opções para o lugar de Mexer, o médio da UD Songo “Amadou” disse que o grupo está preparado e feliz para vencer o jogo com a Zâmbia. “Vou dar o meu melhor assim que o treinador entender colocar-me em campo. O nosso objectivo é vencer e gostaria que o público viesse em massa porque os jogadores estão 95% preparados para o jogo. Sabemos que todos os simpatizantes do futebol moçambicano estão tristes por causa dos últimos resultados, mas tenho a certeza de que vamos superar e seguir em frente”.

 

Fonte:Jornal Noticias