Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

NÃO ME CONVENÇO DE QUE ESTÁ TUDO TERMINADO

alvaro

 

Encontrámo-lo na sua residência, no calmo e aconchegado bairro da Ponta-Gêa, na cidade da Beira. A nossa visita já tinha sido anunciada – o seu irmão Mário Manaca já havia avisado ao “jovem” – daí que a nossa aparição não causou nenhuma estranheza, ainda que a diferença de gerações seja evidente.

 

Junto ao seu fisioterapeuta, Álvaro Agostinho João, e da sua filha, Rosemary Manaca Dias, estava lá com as suas canadianas em mais um exercício fitoterapêutico. Sem certeza da sua residência, não nos foi difícil concluir que aquele era o seu abrigo e muito menos que se tratava de Belmiro Manaca, o homem conhecido por ter levado Moçambique pela primeira vez ao Campeonato Africano das Nações (CAN), em 1986.

 

Como um pai reconhece os seus, Manaca acenou-nos para que entrássemos, mesmo não nos conhecendo como tal, mas o seu tacto de olheiro ainda prevalece. Rosemary foi quem nos foi buscar ao portão do quintal. Manaca, o Belmiro, convida-nos para que nos amainássemos nos bancos do seu aprazível jardim, ao que correspondemos, enquanto acompanhávamos atentamente a sua caminhada firme, suportada nas canadianas, sob olhar atento do seu fisioterapeuta.

 

 

Fonte:Desafio

Prazo dado aos clubes pela FMF expirou há 20 dias

Ferroviario

 

A Federação Moçambicana de Futebol (FMF) deu dez dias aos clubes melhor posicionados no Moçambola 2017 para exporem a sua disponibilidade em participar nas competições africanas de 2018/2019, que iniciam em Dezembro próximo. Mas até agora, nem água vai e nem água vem.

 

Ao todo foram já 20 dias passados desde o encontro entre a FMF e os clubes que militam no Moçambola, para que se encontre uma saída para a escolha das equipas nacionais que vão disputar a época transitória das competições africanas, nomeadamente a Liga dos Campeões e a Taça da Confederação, também conhecida como Taça CAF.

 

Porque o tempo urge para que os clubes nacionais se inscrevam, num ano em que pela primeira vez pode enviar quatro representantes, a FMF propôs aos clubes que os quatro melhores posicionados da época passada, nomeadamente a União Desportiva de Songo, campeão nacional, o Costa do Sol, vice-campeão nacional, os Ferroviários de Nacala e da Beira, terceiro e quarto classificados, fossem os representantes, tendo em conta que até ao prazo limite de inscrição das equipas junto à CAF, não terão terminado ainda as competições internas.

 

Porque no dia do encontro nenhuma das equipas propostas deu o seu “sim” à proposta da FMF, estas foram dadas dez dias para pensar e dar uma resposta, bem como às outras equipas para pensarem numa melhor proposta viável, em caso de não haver disponibilidades das equipas referenciadas.

 

O facto é que os dez dias passaram, mais dez dias após o término do prazo também passaram, sem que houvesse um pronunciamento público dos clubes visados. Ou seja, 20 dias passaram, e nem um “tossir” dos clubes.

 

Este silêncio acabou sendo motivo de debate no programa “Ao Ataque”, que vai ao ar todas as segundas-feiras, nos canais televisivos da Soico, nomeadamente a Stv e Stv Notícias.

 

Os comentadores do programa, nomeadamente Palma Pinto, Samuel Maibasse, Alexandre Zandamela e João Figueiredo, consideram que os clubes foram encontrados de surpresa para darem resposta da sua participação na edição 2018/2019 das Afrotaças, uma vez que a notícia caiu quase que “de paraquedas”. Os mesmos dizem que os clubes tiveram pouco tempo para pensar, tendo em conta vários factores em causa, nomeadamente a crise financeira e a competitividade do nosso campeonato nacional. Ou seja, numa altura em que o país vive mergulhada numa crise financeira (ainda) sem precedentes e, por via disso, as empresas patrocinadoras também se ressentirem da mesma crise, tendo em conta os elevados custos que acarreta uma participação nas competições africanas, nomeadamente por causa das viagens, alojamentos e despesas de inscrição, era necessário dar-se tempo para os clubes poderem sentar com os seus parceiros financeiros de modo a encontrar melhores soluções.

 

Outro factor pende-se com a questão competitividade. Isto é, a competição africana inicia em Dezembro deste ano e vai até Maio de 2019. Na altura em que vai iniciar a competição africana, os clubes moçambicanos estarão em período de defeso, já que o Moçambola 2018 só termina em Outubro e a final da Taça de Moçambique está prevista para Novembro. Aqui entra também a questão financeira, uma vez que os quatro clubes teriam que manter as suas equipas em movimento, privando os jogadores do seu descanso e procurando rodar, de modo a iniciar a competição com alguma rodagem. Haveria necessidade de contratar mais jogadores e procurar jogos amigáveis para dar ritmo à equipa. A questão que se levanta tem que ver com a melhor forma possível das equipas moçambicanas nessa competição.

 

 

Fonte:Opais

Conselho Municipal da Matola garante apoio aos “Mambas”

Manbas e CMM

 

Com vista a “operação” Guiné-Bissau (08 de Setembro) e Namíbia, em Outubro, jogos a contar para a segunda e terceira jornadas do grupo K de acesso ao CAN 2019, o Conselho Municipal da Cidade da Matola (CMM) e a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) assinaram um acordo para que a Selecção Moçambicana de Futebol tenha hospedagem no Matola Hotel durante a fase de preparação dos jogos.

 

O Presidente do Conselho Municipal da Cidade da Matola, Calisto Cossa, prometeu esta terça-feira, na Matola garantir a Selecção Moçambicana de Futebol hospedagem durante o estágio pré-competitivo para os jogos decisivos de 08 de Setembro e 09 de Outubro, a decorrer em Maputo.

 

Para o edil da Matola torna-se fundamental e importantíssimo o apoio para o futebol e o desporto moçambicano, pelo que a ajuda desta vez vai ser na área do alojamento.

 

Respondemos em função das circunstâncias do momento. Olhamos para aquilo que podia ser o nosso apoio de modo que a selecção produza resultados positivos. Neste momento os “Mambas” tem na Matola a hospedagem garantida, que os matolenses oferecem de coração. Estamos numa cidade que tem infra-estruturas não só de hotelaria, mas também espaços para a prática do desporto e é isto que nós oferecemos, portanto é de moçambicano para moçambicano”, referiu o dirigente.

 

Alberto Simango Júnior, Presidente da Federação Moçambicana de Futebol agradeceu pelas condições de alojamento criadas pela edilidade da Matola para os dois jogos de qualificação ao CAN que se avizinham e disse que os “Mambas” tudo farão, em campo para qualificar ao Campeonato Africano das Nações.

 

Esta atitude nos enche de muito orgulho e satisfação e queremos que gestos iguais se multipliquem um pouco por todo o país em apoio a nossa Selecção Nacional. Com isto dizer que do nosso lado tudo vai se fazer para que o gesto que acabamos de testemunhar possa engrandecer o nosso empenho e a nossa dedicação rumo à qualificação”, reconheceu o presidente da FMF.

 

Por sua vez, Abel Xavier, seleccionador nacional referiu que os apoios a vários níveis quando se trata de jogos como estes que se aproximam são importantes porque moralizam os jogadores na medida em que se sentem acarinhados.

 

Estamos a trabalhar a várias áreas e este contributo é extremamente válido, importante e obviamente queremos ganhar, queremos consolidar, queremos nos afirmar. Por parte dos jogadores a estabilidade é extremamente importante e com este não tenho dúvida que vamos trabalhar esta semana com condições para dar uma grande alegria a todos os moçambicanos”, afiançou o técnico moçambicano.

 

A partida referente à segunda e terceira jornadas de qualificação para o CAN 2019, a ser disputado nos Camarões, realiza-se a 08 de Setembro e 09 de Outubro no Estádio Nacional do Zimpeto, em Maputo.

 

Moçambique lidera o grupo com 3 pontos, alcançados no jogo da primeira jornada, diante da Zâmbia, numa partida disputada a 10 de Junho de 2017 na cidade zambiana de Ndola.

 

 

Fonte:Opais

Arrancam meias-finais

TACA

 

A CORRIDA à final da Taça de Moçambique/Mcel inicia-se esta tarde (15.00 horas) com a disputa da primeira “mão” das meias-finais: Ferroviário da Beira-Liga Desportiva de Maputo e Costa do Sol-Maxaquene.

 

Fonte:Jornal Noticias