Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

LDM motivada para enfrentar Ferroviário de Nacala

LDM (1).jpg

 

Depois da vitória por 3-1 frente ao Ferroviário de Nampula, na jornada passada, os jogadores da Liga Desportiva de Maputo (LDM) sentem-se motivados para defrontar, este fim-de-semana, o Ferroviário de Nacala. Entretanto, reconhecem que Nacala é um terreno difícil para qualquer adversário.

 

A equipa técnica garante que o plantel está motivado para conseguir um bom resultado, no jogo da 13ª jornada do Moçambola 2018, no terreno dos nacalenses.

 

O jogo entre o Ferroviário de Nacala e a Liga Desportiva de Maputo terá lugar, sábado, às 15 horas, no campo da Bela Vista.

 

 

Fonte:Opais

“Quanto mais nível tem um estágio mais pronto estás para vencer”

inake garcia.jpg

 

O seleccionador nacional de basquetebol, Iñaki Garcia, deu a conhecer ao “O País” os 13 atletas pré-convocados  para o estágio de uma semana no Ruanda, onde a selecção irá preparar a segunda volta das eliminatórias do grupo “D” para o Mundial  2019 na China


Com efeito, o espanhol escolheu Kendal Manuel, extremo que joga no Oregon State Beavers dos EUA; Pio Matos Jr., Orlando e Ermelindo Novela, Inélcio Chire, Augusto Matos, Octávio Magoliço e Dércio Mula (Ferroviário de Maputo), Ubisse, David Canivete, Ismael Nurmamade e Custódio Muchate (Ferroviário da Beira).

 

Entretanto, destes, três serão dispensados e não vão integrar o leque dos 12 que disputarão a segunda volta, a realizar-se de 28 de Junho a 1 de Julho, em Dakar, Senegal. O seleccionador nacional disse, antes da viagem, que o ideal seria estagiar na Europa, até pelo nível competitivo que os jogadores encontrariam no velho continente. Garcia espera, no entanto, que a diferença entre estagiar em África e na Europa seja mínima.

 

Quais são os objectivos definidos para a segunda volta das eliminatórias para o Mundial?

 

Sabendo que vamos a um país como Senegal, sabemos que vão estar ao melhor nível, se comparado com o que exibiram em Fevereiro. Isto porque, desta vez, vão ter jogadores que evoluem nas ligas profissionais, mas logicamente que queremos nos qualificar. Vamos confrontar todos os adversários e procurar ganhar todos os jogos. Portanto, o nosso principal objectivo é qualificar a equipa à outra fase e daí ficarmos fortes para o que vier depois. De resto, mostrámos na primeira volta que podemos fazer muito, mesmo estando no início da época.

 

Contrariamente ao que estava previsto, o estágio já não terá lugar na Europa, mas sim no Ruanda. O que isto implica?

 

Vamos tentar fazer com que isto não afecte a nossa moral. Logicamente que quanto mais nível tem um estágio, mais pronto estás para atingir patamares mais altos.

 

Contudo, estamos satisfeitos com o esforço que a Federação Moçambicana de Basquetebol está a fazer, porque vamos estagiar durante uma semana no Ruanda, onde vamos fazer dois jogos contra a selecção local, por sinal uma equipa de qualidade e que está noutro grupo de qualificação para o Mundial. Esperamos que, independentemente de ser na Europa ou em África, a diferença seja mínima possível, para que possamos atingir os nossos objectivos.

 

O grupo de que dispõe dá-lhe garantias de uma boa prestação na segunda volta da fase de apuramento para o Mundial 2019 na China?

 

Os que estão na selecção são os que realmente merecem. Na minha opinião, há jogadores que ficaram de fora, apesar de serem uma mais-valia. Infelizmente, a decisão foi outra. Mas estes são os representantes moçambicanos, vão fazer o melhor e eu tenho muitíssima confiança em cada jogador que levo, senão, teria feito outras escolhas. Enfim, eu confio em cada um deles e acho que vão dar o seu máximo para uma boa prestação de Moçambique.

 

Kendal Manuel, Augusto Matos e Octávio Magoliço são jogadores que não fizeram parte da convocatória para a primeira volta das eliminatórias do grupo “D” para o Mundial. Que mais-valia trazem estes jogadores à selecção nacional?

 

Alguns jogadores, como Edson Monjane, que estava lesionado em Fevereiro, convocámos agora. Infelizmente, Monjane não estará disponível por questões profissionais. Mas teremos Octávio Magoliço de volta, jogador que também esteve lesionado em Fevereiro. Ademais, contamos também com a prestação de Kendal Manuel, que joga numa universidade americana de alto nível.

 

Acho que pode ser uma mais-valia para todos nós. Logicamente que este tipo de convocatória não é muito justo e serve para este tipo de competição, porque se trabalha um ou dois meses e leva-se o jogador que melhor está em forma. De referir que a recuperação de Octávio Magoliço e a presença de Augusto Matos, além de Kendal Manuel, que está a evoluir nos Estados Unidos, vão dar mais força ao grupo.

 

Quais são os  jogadores que leva ao estágio no Ruanda?


Nós agora temos 13 jogadores na lista. Depois do estágio no Ruanda é que vamos identificar os 12 atletas. Para a fase do estágio, contamos com os seguintes atletas: Pio Matos, Orlando Novela, Ismael Nurmamade, Augusto Matos, Kendal Manuel, Ermelindo Novela, David Canivete, Elvis Houana, Custódio Muchate, Octávio Magoliço, Inélcio Chire, Dércio Mula e Helton Ubisse.

 

 

Fonte:Opais

Todos juntos no encerramento da época

festival de estafetas.gif

 

OS nadadores da cidade de Maputo despiram as camisolas dos seus clubes e competiram, no sábado, em conjunto e pela mesma causa, nomeadamente o encerramento da época no torneio com a mesma designação.

 

Também conhecido por Festival de Estafetas, o torneio foi igualmente em homenagem a Tânia Anacleto, esta que foi uma das grandes atletas ao serviço do Desportivo e da selecção nacional e que perdeu a vida há 15 anos num acidente de viação.

 

Num evento que todos vestiram a camisola da Associação de Natação da Cidade de Maputo, entidade que organiza e movimenta a modalidade ao nível da capital, o grande mérito coube ao misto do Clube Tubarões, constituído por Ivan Loonato, Danilo Marcelino, Domingas Munhameze e Neide Bucuane, que bateu o Recorde Nacional de Categoria (RNC) de estafetas 4x50 metros livres juniores masculinos com o tempo de 1.55,56 minuto, contra o anterior 1.57,43 fixado em Novembro de 2016 pelo Golfinhos.

 

Num ambiente sem adversários, o evento acabou se transformando num momento de intercâmbio e entretenimento durante o qual os nadadores mostraram quão o desporto, em particular a natação, une as pessoas.

 

Fonte:Jornal Noticias

Daúdo substitui Semedo no Chibuto

razak.gif

 

DAÚDO Razak é o novo treinador do Chibuto, em substituição de Artur Semedo, que se demitiu na semana passada, alegando indecência no clube, logo após a vitória sobre a Liga Desportiva de Maputo, por 2-0.

 

É a sétima mudança de treinador no Moçambola que se junta a outras seis que se haviam registado até à 10ª jornada, algo considerado anormal para a crítica, atendendo e considerando que o campeonato nacional tem 30 rondas.

 

Daúdo Razak sai do desemprego cerca de um ano depois, quando foi despedido da Liga Desportiva de Maputo, por maus resultados. Segundo o presidente do Chibuto, Betuel Saveca, Daúdo vai comandar os “guerreiros” até final da presente temporada, tendo como desafio terminar num dos três primeiros lugares, ou seja, garantir a presença do Chibuto nas afrotaças na próxima época.

 

 O novo técnico foi apresentado na manhã de ontem ao plantel na presença dos dirigentes, sócios e simpatizantes do clube. Daúdo encontra a equipa no quarto lugar, com 19 pontos, menos seis que o líder Ferroviário de Maputo.

 

Entretanto, as chicotadas começaram em Abril, quando, contra todas as expectativas, a direcção do Costa do Sol decidiu colocar o ponto final ao vínculo contratual com a dupla argentina Fabio Costas e Dardo Valenzuela.

 

Seguiu-se Rogério Balate “Zulu”, despedido do Ferroviário de Nacala por alegados maus resultados. Depois de Zulu, foi a vez de Sérgio Faife deixar Nacala, no caso concreto o Desportivo daquela cidade portuária, alegando falta de ambiente de trabalho e problemas salariais que afectavam jogadores e a equipa técnica. Depois foi a vez de Danito Nhampossa deixar o Sporting de Nampula.

 

Mais recentemente foi Chiquinho Conde a ser despedido da UD Songo que, entretanto, já contratou Nacir Armando para o substituir. A saída de Chiquinho forçou, por outro lado, a queda da direcção encabeçada por José Costa, sendo que o clube “hidroeléctrico” está neste momento sob batuta do jovem Lucas Gune.

 

 Pelo meio, há um caso especial: Victor Matine deixou a UP Manica, mas por motivos nobres, foi contratado pela Federação Moçambicana de Futebol (FMF) para dirigir a Selecção Sub-20.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Bandeira apita jogos da fase de apuramento ao Mundial de basquetebol

artur bandeira.jpg

 

O moçambicano Artur César de Castro Bandeira é um dos juízes designados pela FIBA-África para apitar jogos da fase do grupo "C" de apuramento para o Mundial de basquetebol, prova a ter lugar em 2019, na China.  

 

Esta etapa de apuramento realiza-se de 28 de Junho a 1 de Julho, no Cairo, Egipto, e conta com a participação da equipa da casa, Angola e República Democrática do Congo e Marrocos.

 

Único árbitro internacional, neste momento, Bandeira apitou jogos nos "Afrobasket" de Antananarivo, no Madagáscar (2009), Bamako, Mali (2011), Maputo, Moçambique (2013), Yaoundé, nos Camarões (2015) e Bamako, Mali (2017).

 

Conta, igualmente, com várias aparições nas fases finais da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol em seniores femininos.

 

ANGOLA LIDERA


O grupo C da fase de apuramento ao Mundial, no qual Bandeira vai dirigir jogos, é liderado por Angola com seis pontos, resultantes de três vitórias na primeira fase realizada no pavilhão multiusos do Quilamba.

 

Os angolanos venceram, na jornada inaugural, a sua congénere de Marrocos, por 62-56.

 

Na segunda jornada, a selecção nacional de basquetebol de Angola venceu o Egipto, por 68-64.

 

A fechar, Angola bateu a República Democrática do Congo (65-61).  

 

Lembre-se que, depois desta fase, os três primeiros classificados de cada grupo africano apuram-se para etapa seguinte, onde formam dois grupos de seis, de onde se qualificam para o Mundial agendado para 2019 os dois melhores classificados de cada série e o melhor terceiro.

 

 

Fonte:Opais

Jomo Cosmos abrilhanta comemorações dos 50 anos do Estádio da Machava

ESTADIO DA MACHAVA.jpg

 

Já lá vão 50 anos desde que o Estádio da Machava foi construído e inaugurado, com objectivo de desenvolver o desporto da colónia portuguesa.

 

Passados estes anos todos, e com pretexto de celebrar as bodas de ouro do mítico Estádio da Machava, a direcção do Clube Ferroviário de Maputo programou uma série de actividades que iniciam na sexta-feira, 29 de Junho, terminando no sábado, dia 30.

 

Por isso, “como todos sabemos, queremos fazer festa grande e temos estado a programar este evento desde Junho do ano passado a pensar na melhor forma de organizar o evento e este feito dos 50 anos”, tal como disse Sancho Quipisso, presidente do Ferroviário de Maputo.

 

Da inauguração do Centro de Estágios ao jogo de veteranos

 

Uma das actividades que terá lugar na tarde de sexta-feira, dia 29 de Junho, primeiro dia destas celebrações, é o lançamento da primeira pedra da construção de um centro comercial no espaço do Estádio da Machava, o Novare Machava Mall, “como uma medida de rentabilizar os espaços com vista[M1]  a ver se conseguimos ganhar mais algum apoio financeiro que possa ajudar a fazer face as despesas e necessidades do clube”, de acordo com Quipisso.

 

O Centro de Estágio do Ferroviário de Maputo já está a ser usado pela equipa sénior para a preparação dos seus jogos, mas a sua inauguração oficial só vai acontecer nestas festividades, devendo ser dirigida pelo Presidente do Conselho de Administração dos Caminhos de Ferro de Moçambique, presidente do clube Ferroviário de Maputo e um dirigente do Governo de Moçambique, que será convidado para a cerimónia.

 

As exposições e o jantar de gala, onde haverá espaço para homenagem a algumas figuras que deram vida ao Clube Ferroviário de Maputo, serão outras actividades que terão lugar na sexta-feira.

 

Para o sábado, mais actividades se esperam a iniciarem logo de manhã, com uma corrida de estrada que vai iniciar na cidade da Matola e desaguar no Estádio da Machava, onde já estarão a decorrer duas feiras, sendo uma de saúde e outra gastronómica desde as primeiras horas do dia.

 

Ao longo do dia, mais actividades terão lugar no espaço do Estádio da Machava, dentre elas a ginástica, karate, futebol dos mais novos e mais tarde dos veteranos do Ferroviário de Maputo e do Maxaquene, para além do futebol feminino.

 

Jomo Cosmos para testar o líder do Moçambola

 

Quando forem 15H00 de sábado, haverá então a parte central das festividades, com a partida entre a equipa principal do Ferroviário de Maputo e o Jomo Cosmos da África do Sul, equipa onde alinhou, durante muito tempo, o antigo capitão e jogador dos Mambas, Tico-Tico.

 

Este jogo vai servir para testar, internacionalmente, a capacidade do líder do Moçambola em defrontar equipas de fora, bem como dotar a equipa de mais esforços para enfrentar o que resta do campeonato nacional. Em paralelo ao jogo, o paraquedismo e o lançamento de 50 pombos que simbolizam os 50 anos do Estádio da Machava, serão outras das actividades a decorrerem no Estádio da Machava.

 

Para encerrar o dia e as festividades, haverá o lançamento de fogos de artifícios a antecederem o espectáculo musical com vários artistas nacionais para fazer a parte de entretimento, depois das actividades desportivas.

 

Porque é dia de festa, as entradas serão livres para todos, uma vez que as actividades começam mais cedo e todos são convidados a participar das mesmas.

 

Curiosidades do Estádio da Machava

 

No início da década de 60, nascia na então colónia de Moçambique o sonho de erguer o primeiro Estádio de Futebol.

 

Um sonho carregado por trabalhadores dos Caminhos-de-ferro, que em 1961 veem aprovada, no Boletim Oficial de 11 de Novembro, a concessão de um espaço no Vale do Infulene para a construção do Estádio.

 

Em 1968, o Estádio Salazar estava pronto. Com um campo de futebol, uma pista de atletismo, de ciclismo e ainda capacidade para cerca de 45 mil pessoas.

 

É o primeiro estádio construído em solo moçambicano.

 

Numa cerimónia, com a presença de altos representantes do Estado Português, cerca de 90 mil pessoas vindas de todos os pontos de Moçambique lotaram o então Estádio Salazar, numa encruzilhada de todos os caminhos.

 

Após o acto de inauguração, seguiram-se várias expressões culturais, como o desfile de majoretes e votos de que a infraestrutura contribuísse para o crescimento do desporto na colónia.

 

António Salazar, então primeiro-ministro de Portugal tinha sido convidado e não tendo comparecido enviou um áudio.

 

A parte oficial terminava com o homem mais veloz do então espaço português, o atleta do Ferroviário, José Magalhães a dar a volta de honra e acender a pira olímpica.

 

O emocionante jogo Brasil-Portugal foi o primeiro a se disputar no então Estádio Salazar, a 30 de Junho de 1968 e terminou com vitória do Brasil por 2-0.

 

Os primeiros jogos escolares decorreram no estádio de culto do futebol moçambicano.

 

Registo importante é o facto da Selecção Nacional ter jogado no Estádio da Machava durante seis anos consecutivos sem conhecer o sabor amargo de uma derrota, pelo que o público considerava Machava “o Cemitério dos visitantes”.

 

E naqueles tempos, só o facto de jogar no Estádio da Machava servia de motivação para os jogadores. E a motivação também existia do lado de milhares de adeptos que lotavam as bancadas em tardes de muita emoção e euforia.

 

O Estádio da Machava acolheu igualmente alguns momentos altos de qualificação de Moçambique a três Campeonatos Africanos das Nações, nomeadamente os CAN’S do Egipto, da África do Sul e do Burkina Fasso.

 

A relva natural, que durante maior parte das cinco décadas, revestia o campo foi substituída por um tapete sintético, facto que tem sido um das queixas dos jogadores.

 

O projecto inicial do Estádio previa mais um anel de bancadas, dois campos anexos, parque de estacionamento e um Centro de Estágios, este último que foi o único até agora executado e que deverá ser inaugurado no âmbito das comemorações destes 50 anos.

 

 

Fonte:Opais

Ferroviário faz 2-0 nos play-off’s da final

ferroviario vs costa do sol.jpg

 

As equipas seniores femininas do Ferroviário de Maputo e Costa do Sol voltaram à quadra do Desportivo, esta terça-feira, para disputarem o segundo jogo dos" plays-offs da final, a melhor de cinco.

 

No primeiro período, viu-se um equilíbrio, em termos de resultado, sendo que esta etapa terminou com empate: 11-11.

 

No segundo e terceiro períodos, o Costa do Sol controlou, vencendo por 21-19 e 32-31, respectivamente.

 

Já no último período, o Ferroviário de Maputo esteve melhor e venceu a partida por 49-39.

 

Com este resultado, o Ferroviário de Maputo fez o 2-0 na série dos "play-offs" a melhor de cinco jogos da final da Engen Maputo Basket.

 

No sábado, as duas equipas voltam a medir forças, no pavilhão do Desportivo. Em caso de vitória, o Ferroviário de Maputo revalida o título de campeão da cidade.

 

Fonte:Opais

Kamo-Kamo: dos pelados do Ka mucoreana à rampa da ascensão

famila kamo.png

 

A sua relação com a bola na verdade é algo que já havia sido desenhado no seu ADN, muito por culpa do seu pai, o responsável pela transmissão do “vírus do desporto-rei”. Coube à sua progenitora, Sara Suzana Javane, esperar 12 meses para dar à luz ao menino que veio a dar-se o nome de Kamo-Kamo Kevin Cumbane, no Natal Sprint Hospital Katlehong, África do Sul, no dia 19 de Julho de 1999.

 

É lá onde o seu cordão umbilical ficou, longe da terra dos seus progenitores e dos seus ancestrais. Como forma de mostrar gratidão e honrar a memória do seu pai, António Kamo-Kamo Cumbane, pai do recém-nascido, atribui o nome Kamo-Kamo ao seu filho, neste caso o menino Kevin, eternizando, assim, àquele que para si foi a sua maior fonte de inspiração.

 

– “Ele não conheceu o seu avô e a única forma de manter viva a imagem do meu pai passava por atribuir o seu nome ao meu filho. Amo o meu filho tanto quanto ao meu pai”, conta Christhopher Chabalala ou DJ Malola, como é tratado pelos mais achegados. Com o desejo de regressar ao seu país de origem, o casal Cumbane viu-se obrigado a ter que permanecer em KwaZulu Natal por dois anos, segundo recomendações médicas, uma vez que o recém-nascido tinha de cumprir com a medicação completa, tal como preconiza a lei sul-africana.

 

Contra a sua vontade, os pais nada mais fizeram senão acatar as ordens médicas, afinal a saúde do menino Kamo-Kamo estava em jogo. Mas é na terra do saudoso Madiba que Kamo-Kamo manifesta os primeiros sinais da paixão pelo futebol. Afinal quando é que acontece o primeiro contacto com a bola? Já lá vamos.

 

Antes disso importa dizer que António Kamo-Kamo Cumbane, seu pai, tal como já havíamos referenciado anteriormente, embora não tivesse jogado ao mais alto nível ocupava o seu tempo nas peladinhas nas horas vagas.

 

Aliás, o mesmo teve uma curta passagem pelo Clube de Minkadjuíne (ex-Atlético Maometano), onde foi treinado por Nacir Armando, Tonecas, Mussá “e tantos outros que já não me vêm à memória”. De lá para cá apenas a paixão pelo futebol ficou habitando em si.

 

Por: Raimundo Zandamela

 

Fonte:Desafio

Daúde Razak: o homem que se segue no Chibuto

daude Razako.jpg

 

Está confirmado. Daúde Razak é o novo treinador do Chibuto FC, em substituição Artur Semedo, técnico que colocou o seu lugar à disposição no final do encontro com a Liga Desportiva de Maputo, inserido na décima primeira jornada do Moçambola 2018.

 

O treinador e a direcção do Chibuto chegaram esta segunda-feira a um acordo, sendo que a apresentação de Daúde Razak teve lugar há momentos.

 

Razak encontra o Chibuto FC na quarta posição com 19 pontos, disputadas que estão doze jornadas, resultantes de cinco vitorias, três derrotas e quatro empates.

 

Razak volta ao activo depois de, em Junho de 2017, haver colocado o lugar à disposição na Liga Desportiva de Maputo após, curiosamente, ter perdido diante do Chibuto, por 2-0.

 

Na altura, a Liga Desportiva de Maputo ocupava a sétima posição no Moçambola com 25 pontos em dezoito jornadas.

 

Fonte:Opais

Selecção inicia “Operação” Dakar

pio matos.gif

 

A SELECÇÃO Nacional de Basquetebol Sénior masculina começa hoje a trabalhar tendo em vista a sua participação na segunda fase das eliminatórias de acesso ao “Mundial”-2019, que terão lugar de 29 deste mês a 1 de Julho, em Dakar, capital do Senegal.

 

Para o efeito, o grupo dos convocados irá apresentar-se esta manhã na Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB) para concertação dos últimos aspectos inerentes à presença do nosso país naquele evento, juntamente com os dirigentes federativos. Nestas eliminatórias, Moçambique está inserido no Grupo “D”, juntamente com as selecções do Senegal, Costa do Marfim e República Centro Africana.

 

A principal novidade na convocatória é o extremo Kendal Manuel, atleta que representa o Oregon State Beavers dos EUA. Da lista, que é liderada por atletas do Ferroviário de Maputo, constam também novas entradas, como as de Hugo Martins, contrariamente à primeira eliminatória, onde constavam apenas atletas do Ferroviário de Maputo e da Beira.

 

Moçambique ocupa o segundo lugar do seu grupo, atrás do Senegal. O nosso país obteve os seguintes resultados na primeira eliminatória, disputada em Maputo: Moçambique-República Centro Africana (59-52), Moçambique-Costa do Marfim (66-53) e Moçambique-Senegal (60-52).

 

EIS A LISTA DOS CONVOCADOS:

 

Pio Matos, Orlando Novela, Baggio Chimondzo, Manuel Uamusse, Francisco Macaringue, Ermelindo Novela,  Augusto Matos,   Octávio Magoliço, Edson Monjane, Dércio Mula, Inélcio Chire, Ivan Cossa, Ismael Nurmamade (Ferroviário de Maputo); Ayad Marques, David Canivete, Elvis Houana, Custódio Muchate, Helton Ubisse (Fer. Beira); Hugo Martins (Desp. Maputo) e Kendal Manuel (Oregon State).

 

Fonte:Jornal Noticias