Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Kamo-Kamo: dos pelados do Ka mucoreana à rampa da ascensão

famila kamo.png

 

A sua relação com a bola na verdade é algo que já havia sido desenhado no seu ADN, muito por culpa do seu pai, o responsável pela transmissão do “vírus do desporto-rei”. Coube à sua progenitora, Sara Suzana Javane, esperar 12 meses para dar à luz ao menino que veio a dar-se o nome de Kamo-Kamo Kevin Cumbane, no Natal Sprint Hospital Katlehong, África do Sul, no dia 19 de Julho de 1999.

 

É lá onde o seu cordão umbilical ficou, longe da terra dos seus progenitores e dos seus ancestrais. Como forma de mostrar gratidão e honrar a memória do seu pai, António Kamo-Kamo Cumbane, pai do recém-nascido, atribui o nome Kamo-Kamo ao seu filho, neste caso o menino Kevin, eternizando, assim, àquele que para si foi a sua maior fonte de inspiração.

 

– “Ele não conheceu o seu avô e a única forma de manter viva a imagem do meu pai passava por atribuir o seu nome ao meu filho. Amo o meu filho tanto quanto ao meu pai”, conta Christhopher Chabalala ou DJ Malola, como é tratado pelos mais achegados. Com o desejo de regressar ao seu país de origem, o casal Cumbane viu-se obrigado a ter que permanecer em KwaZulu Natal por dois anos, segundo recomendações médicas, uma vez que o recém-nascido tinha de cumprir com a medicação completa, tal como preconiza a lei sul-africana.

 

Contra a sua vontade, os pais nada mais fizeram senão acatar as ordens médicas, afinal a saúde do menino Kamo-Kamo estava em jogo. Mas é na terra do saudoso Madiba que Kamo-Kamo manifesta os primeiros sinais da paixão pelo futebol. Afinal quando é que acontece o primeiro contacto com a bola? Já lá vamos.

 

Antes disso importa dizer que António Kamo-Kamo Cumbane, seu pai, tal como já havíamos referenciado anteriormente, embora não tivesse jogado ao mais alto nível ocupava o seu tempo nas peladinhas nas horas vagas.

 

Aliás, o mesmo teve uma curta passagem pelo Clube de Minkadjuíne (ex-Atlético Maometano), onde foi treinado por Nacir Armando, Tonecas, Mussá “e tantos outros que já não me vêm à memória”. De lá para cá apenas a paixão pelo futebol ficou habitando em si.

 

Por: Raimundo Zandamela

 

Fonte:Desafio

Daúde Razak: o homem que se segue no Chibuto

daude Razako.jpg

 

Está confirmado. Daúde Razak é o novo treinador do Chibuto FC, em substituição Artur Semedo, técnico que colocou o seu lugar à disposição no final do encontro com a Liga Desportiva de Maputo, inserido na décima primeira jornada do Moçambola 2018.

 

O treinador e a direcção do Chibuto chegaram esta segunda-feira a um acordo, sendo que a apresentação de Daúde Razak teve lugar há momentos.

 

Razak encontra o Chibuto FC na quarta posição com 19 pontos, disputadas que estão doze jornadas, resultantes de cinco vitorias, três derrotas e quatro empates.

 

Razak volta ao activo depois de, em Junho de 2017, haver colocado o lugar à disposição na Liga Desportiva de Maputo após, curiosamente, ter perdido diante do Chibuto, por 2-0.

 

Na altura, a Liga Desportiva de Maputo ocupava a sétima posição no Moçambola com 25 pontos em dezoito jornadas.

 

Fonte:Opais

Selecção inicia “Operação” Dakar

pio matos.gif

 

A SELECÇÃO Nacional de Basquetebol Sénior masculina começa hoje a trabalhar tendo em vista a sua participação na segunda fase das eliminatórias de acesso ao “Mundial”-2019, que terão lugar de 29 deste mês a 1 de Julho, em Dakar, capital do Senegal.

 

Para o efeito, o grupo dos convocados irá apresentar-se esta manhã na Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB) para concertação dos últimos aspectos inerentes à presença do nosso país naquele evento, juntamente com os dirigentes federativos. Nestas eliminatórias, Moçambique está inserido no Grupo “D”, juntamente com as selecções do Senegal, Costa do Marfim e República Centro Africana.

 

A principal novidade na convocatória é o extremo Kendal Manuel, atleta que representa o Oregon State Beavers dos EUA. Da lista, que é liderada por atletas do Ferroviário de Maputo, constam também novas entradas, como as de Hugo Martins, contrariamente à primeira eliminatória, onde constavam apenas atletas do Ferroviário de Maputo e da Beira.

 

Moçambique ocupa o segundo lugar do seu grupo, atrás do Senegal. O nosso país obteve os seguintes resultados na primeira eliminatória, disputada em Maputo: Moçambique-República Centro Africana (59-52), Moçambique-Costa do Marfim (66-53) e Moçambique-Senegal (60-52).

 

EIS A LISTA DOS CONVOCADOS:

 

Pio Matos, Orlando Novela, Baggio Chimondzo, Manuel Uamusse, Francisco Macaringue, Ermelindo Novela,  Augusto Matos,   Octávio Magoliço, Edson Monjane, Dércio Mula, Inélcio Chire, Ivan Cossa, Ismael Nurmamade (Ferroviário de Maputo); Ayad Marques, David Canivete, Elvis Houana, Custódio Muchate, Helton Ubisse (Fer. Beira); Hugo Martins (Desp. Maputo) e Kendal Manuel (Oregon State).

 

Fonte:Jornal Noticias