Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

28.Jun.18

C. Sol, 1 - ENH, 1: Erros de finalização agudizam crise

enh vs costa do sol

 

INTRANQUILO e com lacunas graves na finalização. Foi assim, de uma maneira geral, como se apresentou o Costa do Sol, em mais uma tarde para esquecer, não tendo ido além de um empate a um golo frente à ENH.

 

A tarde desinspirada dos avançados do Costa do Sol começou a ficar patente aos 10 minutos, quando Isac dispôs da primeira situação para fazer golo, mas não conseguiu dar o toque final.

 

O golo de Sibale, apontado aos 16 minutos, acabou por ser um momento insólito, já que daí para frente se assistiu a um festival de golos falhados.

 

Mas, diga-se de passagem, a equipa “canarinha” merecia outro resultado, pois manteve-se firme no controlo do jogo. Nada correu bem à equipa da casa. Além de não marcar, sofreu o golo no único período em que tirou o pé do acelerador (os últimos 10 minutos da primeira parte).

 

A ENH subiu as suas linhas e jogou mais perto da área contrária. Foi numa dessas investidas que os visitantes ganharam uma falta já no enfiamento da grande área. Chamado a marcar, Jorge fê-lo com conta, peso e medida. Desferiu um remate fortíssimo, parecia que a bola levava fogo. Espectacular momento de futebol no campo do Costa do Sol, numa altura em que o árbitro já se preparava para apitar para o intervalo.

 

Os segundos 45 minutos voltaram a ser jogados mais na área da ENH, com o Costa do Sol ao ataque e a criar inúmeras situações para se adiantar no marcador. Até Isac, que normalmente tem como sua principal arma a finalização, desperdiçou duas soberanas oportunidades de golo, uma das quais escandalosa. Sibale esteve também de pontaria desafinada. De cabeça, o avançado malawiano não conseguiu bater Joaquim (com muito trabalho). Até ao fim, os pupilos de Horácio Gonçalves bombeavam as bolas para a grande área, contudo sem efeitos práticos.

 

O árbitro Sérgio Rumbane esteve bem.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Sérgio Rumbane, auxiliado por Ivo Muiambo e Elina da Silva. Quarto árbitro: Ema Novo.

 

C.SOL: 125 Guirrugo; 144 Cláudio (151 Kino), 128 Djallo, 140 Manucho e 133 Salomão; 141 Nené (137 Hilário), Seameh, 150 Chawa (145 Rául) e Mbulu; 146 Isac e 149 Sibale.

 

ENH: 379 Joaquim; Moniz, 384 Calima, 389 Obed e Kikito;  Balack (397 Milton), 393 Paíto, 395 Jorge e Danny (Sande); Nhama e 401 Eurico.

 

DISCIPLINA: Amarelo para Nené (Costa do Sol) e Moniz e Nhama (ENH).

 

Fonte:Jornal Noticias

27.Jun.18

A Politécnica vs Maxaquene centraliza atenções dos “quartos”

ferroviario vs a politecnica

 

Vice-campeã da cidade, a A Politécnica joga com uma equipa que terminou a fase regular do campeonato da cidade em 5º lugar com um saldo de 10 vitórias e 14 derrotas.

 

Com uma equipa composta por jogadores experientes e outros novatos, Rui Rafael, treinador do Maxaquene, procura (re)colocar os “tricolores” nos lugares de pódio.

 

Samora Mucavel, base, e Bruno Dias, extremo, são os jogadores mais experientes e que já conquistaram vários títulos no Desportivo e Ferroviário de Maputo. Por isso, reservas morais.

 

Há, ainda na estrutura, Ronaldo e Marco Geneto e Joaquim Chuma, que fazem a posição um, para além de Enoque Alage, Milton “Gato Preto” Cumbane e Issufo Aniquila que constituem opções de Rui Rafael. Os “tricolores” têm variado as suas defesas, metendo uma zona e também homem a homem.

 

Do lado d’ A Politécnica há a destacar defesas pressionantes a campo inteiro.

 

Na armação do jogo, José Macuácua, treinador da A Politécnica, conta com Mirlon Parruque, Edilson Tivane e Tomás Ussene, este último que há bem pouco tempo foi seccionista do clube.

 

Yuran Biosse e Virgílio Wachene são os lançadores da equipa. Nas tabelas quatro e cinco, dois jogadores com boa capacidade de salto: Asmilton Ribeiro e Perdigo Matola. Mas há um atleta que se tem evidenciado com forte meia distância e penetrações: Klaus Bunguele.

 

Aliás, depois de ter feito uma excelente campanha ano passado, há enorme expectativa em relação ao desempenho dos “universitários” na prova que antecede ao campeonato nacional.

 

Por este e outros motivos, este é um jogo a ser seguido com muita atenção. Segundo classificado da fase regular, o Costa do Sol bate-se com um adversário, diga-se, acessível.

 

Bem reforçado com Jonas “Maninho” Faduco e Francisco Braga, ex-jogadores da A Politécnica, os “canarinhos” ganharam maior consistência na posição um onde Nilton Seifane ganhou forte concorrência.

 

Nas tabelas, há Egídio Zandamela que dá muita luta e ganha as segundas bolas assim como o combativo Carlos Chirindza, dominador na tabela defensiva. Ofensivamente, ainda tem que melhor mais. Mas há mais: Isac Almoço, experiente extremo, que aparece também a lançar. E Milton Caifaz e Miguel Bata, bons penetradores e algumas vezes aparecem a lançar.

 

Daniel Maveure, Milton Caifaz e Miguel Bata são outras opções de Miguel Guambe para atacar o título. O Atlético quer, pois, contrariar uma equipa com melhor estrutura e pressionado neste jogo.

 

O Desportivo, esse, bate-se com o Matolinhas. Horácio Joaquim Martins tem na sua equipa Amarildo Matos que, a estas alturas, vai transmitido a sua experiencia aos mais novos.

 

Com alguma estrada, Hugo Martins, Gregório Langa e Jorge Tomé (ex- Universidade Pedagógica) alimentam uma equipa que anda arredada dos lugares de pódio há já algum tempo. Detentor do trofeu, o Ferroviário de Maputo somente entra em cena nas meias-finais diante do vencedor do jogo entre a A Politécnica e Maxaquene.

 

 

Fonte:Opais

26.Jun.18

Chibuto vence e assalta o pódio

O CHIBUTO recebeu e venceu, na tarde de ontem, o Incomáti, por 1-0, em partida da 14ª jornada do Moçambola-2018, ocupando provisoriamente o terceiro lugar com 22 pontos, os mesmos do Textáfrica, mas com vantagem para os “guerreiros” no número de golos marcados.

chibuto vs costa do sol

 

O Chibuto está neste momento a quatro pontos do líder Ferroviário de Maputo e a apenas um do segundo classificado, UD Songo.

 

O Incomáti mantém-se no 10º lugar, mas pode cair alguns degraus, dependendo do que vai acontecer nos restantes jogos, dado que a pressão é maior.

 

Entretanto, a ronda prossegue hoje com mais quatro jogos. No Estádio 25 de Junho em Nampula, o Ferroviário local recebe o seu homónimo de Nacala, em mais um “clássico” local. Ainda na capital do norte, mas desta feita em Nacala, haverá um “derby” local entre o Desportivo e o Sporting. No Songo, a União Desportiva mede forças com o 1º Maio de Quelimane, com os campeões nacionais claramente favoritos aos três pontos. O Costa do Sol recebe a ENH de Vilankulo, duas formações que têm vindo a fazer um campeonato com muitos altos e baixos.

 

Fonte:Jornal Noticias

26.Jun.18

JÁ NÃO SE FALA DA VENDA DO CAMPO

mavale.png

 

Dois meses – desde 25 de Abril – depois de assumir a presidência da Comissão de Gestão do Maxaquene, Hermenegildo Mavale aponta como principal triunfo o facto de, em conjunto com os sócios, ter conseguido espantar para sempre o desassossego que se vive há mais de 15 anos, altura em que se começou a falar/ negociar a venda do campo da Baixa, afirmando que “ninguém vai vender o campo porque não é intenção de nenhum sócio, como ficou claro nos diferentes encontros que fomos tendo. Aliás, ficou a intenção de que a próxima Direcção deverá trabalhar para materializar a intenção do regresso ao nosso campo”.

 

Numa entrevista sexta-feira passada, Mavale revelou que a Assembleia-Geral Extraordinária, que culminará com a eleição dos novos corpos directivos, foi remarcada para dia 14 de Julho por questões de agenda do presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Sérgio Pantie, e lamentou, por outro lado, o facto de não ter conseguido promover lista única para o escrutínio que se avizinha, do qual reafirma que não é candidato.

 

Fonte:Desafio

26.Jun.18

Duelo “locomotiva” na Machava

costa do sol vs cf.gif

 

FERROVIÁRIO de Maputo-Ferroviário da Beira é o duelo mais esperado da 14ª jornada do Moçambola, um encontro marcado para esta tarde no Estádio da Machava, importante para as aspirações das duas formações na prova.

 

Na Machava espera-se um grande jogo, numa altura em que as duas formações atravessam uma boa fase. A equipa da casa até é líder destacado da prova, com 26 pontos e vem de um empato em Chimoio, arrancado ao Textáfrica. Enquanto isso, a turma da Beira recebeu e venceu o desnorteado Costa do Sol no fim-de-semana, pelo que hoje vai tentar manter a senda vitoriosa, numa temporada que tem sido periclitante.

 

Neste momento, os beirenses estão no sexto lugar, com 19 pontos, portanto, ainda vivos na luta pelo título. Ainda hoje, o Chibuto recebe o Incomáti, numa altura em que a equipa de Gaza passa por dias menos bons. Depois da saída do técnico Artur Semedo, o Chibuto perdeu dois jogos consecutivos, um deles em casa no sábado frente ao Ferroviário de Nampula. Enquanto isso, a situação do Incomáti é inversa, ou seja, os “açucareiros” ganharam os últimos dois embates efectuados, portanto, chegam às terras de Ngungunhane psicologicamente em cima.

 

Em Nacala, o ferido Desportivo recebe o Sporting de Nampula, no campo da Bela Vista, naquele que será um dos jogos com maior assistência da ronda. Afinal, é um “derby” da província de Nampula, entre dois velhos e conhecidos rivais.

 

A ronda continua amanhã, com mais cinco jogos. A União Desportiva do Songo, campeã em título, bate-se com 1º de Maio de Quelimane, no Estádio 27 de Novembro. O Costa do Sol recebe a ENH de Vilankulo. Na Matola C, a Liga Desportiva de Maputo mede forças com a aguerrida equipa do Textáfrica.

 

O Maxaquene desloca-se a Gondola para defrontar a UP Manica, em mais um teste à resiliência “tricolor”. O jogo acontece numa altura em que os “pedagogos” passam por período de menor fulgor, depois daquele excelente início.

 

No norte, há um outro duelo de “locomotivas”. O Ferroviário de Nampula mede forças como seu homónimo de Nacala, em mais um “clássico”. Jogo que se augura muito renhido e difícil para as duas formações com cada vez menos margem de erro. Um deslize da equipa da casa seria um duro golpe nas suas aspirações de chegar ao pelotão da frente, da mesma forma que uma derrota para os nacalenses significaria complicar ainda mais as contas da manutenção. O Ferroviário de Nacala é apenas o penúltimo classificado, com 11 pontos, mais um que o “lanterna vermelha”, Sporting de Nampula.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

22.Jun.18

Moçambique e Cuba reforçam cooperação na área de desporto

CUBAMOZ.jpg

 

Com vista a reforçar a cooperação entre Moçambique e Cuba na área do desporto, o Director Geral do Instituto Nacional de Desporto (INADE), Francisco da Conceição, recebe, esta terça-feira, uma delegação de oficias da Cuba Deportes, responsáveis pela gestão de contratos rubricados nos acordos de cooperação entre Moçambique e Cuba na área do desporto.

 

Para além do encontro de trabalho com o INADE, a comitiva irá efectuar uma visita ao Complexo Desportivo do Zimpeto.

 

Fonte:Opais

22.Jun.18

Simango Jr. expõe futebol moçambicano na Rússia

Moçambique não está no mundial da Rússia a disputar a prova, tal como as outras 32 selecções, mas está representado ao mais alto nível futebolístico, pelo respectivo presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Alberto Simango Jr., que é, também, membro da Comissão de Ética da FIFA, órgão que intervêm em reclamações das selecções sobre vários aspectos que acontecem ao longo da prova.

 

E foi neste âmbito que Alberto Simango Jr. elevou a bandeira e o futebol moçambicano através de contactos, em privado, com algumas figuras ligadas ao futebol internacional e a política, para colocar o país nos corredores do futebol mundial.

 

simango jr.jpg

 

Numa primeira fase, Simango Jr. encontrou-se com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, com quem falaram sobre vários assuntos, incluindo a possibilidade de apoios portugueses ao futebol moçambicano, mesmo tema que teve com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, isso após o jogo entre Portugal e Marrocos, que terminou com a vitória da selecção das quinas, diante dos africanos, por uma bola sem resposta, resultado que eliminou os marroquinos da fase seguinte da prova.

 

Marcelo Rebelo de Sousa viveu muito na sua juventude em Moçambique, país que considera sua segunda casa, tendo visitado a pátria amada por duas vezes nos últimos três anos, sendo uma enquanto candidato presidencial e outra já na qualidade de presidente da República portuguesa.

 

Ainda em privado, Alberto Simango Jr. manteve encontro com o Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, o também português, António Guterres, no qual falaram sobre a situação dos jogadores estrangeiros em Moçambique, para além de outros assuntos de interesse das Nações Unidas.

 

Outra das figuras que mereceu um encontro com o presidente da Federação Moçambicana de Futebol é antigo candidato a presidência da Federação Internacional de Futebol, FIFA, o Sheik Salman, que se inteirou do estágio actual do futebol moçambicano.

 

Alberto Simango Jr. deslocou-se à Moscovo na companhia de Filipe Johane, Secretário-geral da FMF, e Namoto Chipande, vice-presidente para alta competição, para participar também do Congresso da FIFA, que dentre várias discussões, discutiu e aprovou a sede do mundial de 2026, que ficou com a co-organização dos EUA, México e Canadá, que venceu a concorrência do Marrocos, país africano.

 

Assim, o presidente da Federação Moçambicana de Futebol permanece em terras russas, onde integra a comissão de Ética da FIFA que dirime casos de última instância remetidos pelas selecções presentes no campeonato do mundo. Aliás, Simango Jr. foi eleito em princípios do mês de Maio para este órgão, tendo tomado posse em finais do mesmo mês, durante um Congresso extraordinário do organismo que tutela o futebol mundial.

 

Fonte:Opais

22.Jun.18

João Chissano nega que os locomotivas estejam em crise

CHISSANO.jpg

 

A equipa técnica e jogadores do clube Ferroviário da Beira negaram ontem que a equipa esteja a passar por uma crise, mas admitem que está a enfrentar dificuldades, que consideram sanáveis, para continuarem a lutar pelo título na presente edição do Moçambola.

 

Volvidos 12 jornadas, em 36 pontos possíveis, os locomotivas amealharam apenas 16 pontos, como fruto de 3 vitórias, sete empates e duas derrotas, contra 25 do líder, o homónimo de Maputo.  

 

João Chissano, treinador principal do Ferroviário da Beira, em contacto com este jornal, negou que face aos resultados alcançados até agora, a sua equipa esteja em crise. "Nós não aceitamos que estamos em crise, porque a produção que temos até aqui é muito boa. Aliás é a produção esperada e almejada. Nesta altura a equipa esta a produzir e estamos a falhar apenas no capítulo de concretização e também algumas distrações. Nós estamos a consentir golos do que propriamente golos construídos pelos nossos adversários".

 

Esta foi a desculpa apresentada pelo treinador principal do Ferroviário, João Chissano para explicar que a sua equipa não esta em crise. Chissano acrescentou que a equipa sente-se acarinhada pela sua massa associativa e que a manifestação registada na tarde da passada terça-feira, junto a sede do clube, foi a favor da equipa.

 

"Eram manifestações que mostravam solidariedade para connosco. Agradecemos a todas as pessoas que tem nos apoiado neste momento, em especial a direcção do clube, face a nossa posição na tabela classificativa, uma posição que quanto a nós é passageira. Neste momento exortamos a uma maior união entre a família"- explicou Chissano.

 

 

Fonte:Opais

22.Jun.18

Costa do Sol com deslocação difícil à Beira

 

 

cds.gif

 

O embate entre o Ferroviário da Beira e o Costa do Sol é o mais esperado da 13.ª jornada do Moçambola-2018, que tem a particularidade de movimentar todos os jogos amanhã.

 

Os “canarinhos” jogam no terreno dos “locomotivas” beirenses, sob risco de se afundar em caso de derrota, já que perfilam sobre a linha de água com Incomáti e UP Manica.

 

Vindos de um empate e uma derrota nas últimas duas jornadas, têm a espinhosa missão de recuperar o espaço perdido se quiserem continuar a alimentar as esperanças na luta pelo título, mas terão pela frente um outro acérrimo candidato, que também procura posicionar-se melhor na tabela classificativa.

 

Com difícil missão está igualmente o líder Ferroviário de Maputo, que parte para o terreno escorregadio do Textáfrica, depois da vitória caseira sobre o seu homónimo de Nacala. Os “fabris” do planalto estão também muito motivados com a preciosa vitória frente ao Costa do Sol e inspirados com o salto da quarta para a segunda posição, à frente da campeã União Desportiva do Songo, em terceiro lugar. A UD Songo joga em Vilankulo com a ENH, também animada com o regresso às vitórias com o recente triunfo caseiro sobre o Ferroviário da Beira. A ENH tem uma palavra a dizer, já que espreita os lugares cimeiros da tabela após bater, na anterior ronda, a UP Manica.

 

Não menos importante é o duelo entre o Chibuto, “órfão” de Artur Semedo, e Ferroviário de Nampula. Na quarta e quinta posições, respectivamente, os “guerreiros” e “locomotivas” querem chegar aos lugares cimeiros.

 

Já a Liga Desportiva, que arrancou uma vitória importante diante dos “locomotivas” nampulenses, joga na Bela Vista com o Ferroviário de Nacala, que procura sair dos “escombros”.

 

O Maxaquene, travado na última ronda pelo Incomáti, em Xinavane, recebe o Desportivo de Nacala com a ambição de se aproximar dos lugares de pódio. Mas deve precaver-se ao máximo, porque os nacalenses não facilitam a ninguém e vêm duma vitória que os inspira na busca de um lugar mais confortável. 

 

Por último, os encontros entre aflitos. A começar, o Incomáti desloca-se ao reduto do Sporting de Nampula, “lanterna vermelha” da prova, enquanto a UP Manica joga com o 1.º de Quelimane no terreno deste. 

  

Mbulu regressa aos “canarinhos”

 

MBULU-in.gif

 

O extremo malawiano Richard Mbulu está de volta ao Costa do Sol, que representou na temporada passada, tendo sido um dos maiores destaques do futebol nacional.

 

Mbulu regressa para reforçar o ataque do Costa do Sol, neste momento um dos piores do Moçambola, tendo apenas marcado seis golos em 12 jornadas.

 

O malawiano foi resgatado à Associação Desportiva Sanjoanense, clube que milita na terceira divisão do futebol português, que o contratara no início do presente ano.

 

A saída de Mbulu para o futebol português foi severamente criticada pela massa associativa do Costa do Sol, dado o desempenho que este teve na última temporada, na qual os “canarinhos” foram vice-campeões nacionais, além de ter vencido a Taça de Moçambique. Em face disso, a direcção ainda comandada por Amosse Chicualacuala enviou Artur Faria, director desportivo do clube, a Portugal, para tentar resgatar o malawiano, bem como encontrar outros possíveis reforços. Faria apenas conseguiu voltar com Mbulu, que não era opção regular no Sanjoanense.

 

Neste momento, refira-se, o Costa do Sol é o 11.º classificado do Moçambola, com apenas 13 pontos.

 

Fonte:Jornal Noticias

21.Jun.18

Betuel Saveca diz estarem criadas condições para Razaque conquistar o título

razak (1).gif

 

O presidente do Clube de Chibuto, Betuel Saveca, diz que estão criadas todas condições para Daúde Razaque trabalhar com a equipa e atingir os objectivos traçados que passam pelos lugares cimeiros do Moçambola 2018. Saveca diz que optou por Razaque pela sua ambição vencedora.

 

Seis meses é a duração do contrato assinado pelo técnico português, que já passou pelo Maxaquene e Liga Desportiva de Maputo.

 

Daúde Razaque conta com cinco novos jogadores contratados na janela de transferência e terá sua estreia marcada para este sábado, diante do Ferroviário de Nampula, na trincheira de Chibuto.

 

Fonte:Opais

Pág. 1/6