Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

12.Mar.18

Desportivo empurrou-me para o abismo

 

O técnico Uzaras Mahomed é o actual treinador do Mahafil, que regressa a disputar provas de seniores três anos depois. Declara que tem a grande missão de colocar o Mahafil num lugar de destaque no panorama futebolistico nacional. 

 

Uzaras não disfarça a mágoa que carrega consigo, motivado pelo seu afastamento do comando técnico do Desportivo em 2016.

 

Três anos depois de extinguir a equipa sénior, o Mahafil regressa às competições da primeira categoria e escolheu o timoneiro Uzaras Mahomed para fazer um trabalho que consiste num regresso a breve trecho às grandes competições. Na conversa com o desafio, Uzaras dá a conhecer as suas ideias para o novo projecto.

 

– O que o cativou a regressar ao Mahafil?

 

– É um clube querido por mim e à família a que pertenço. Abracei este projecto para criar mecanismos que possam levar o clube a subir de divisão. Os três anos fora das competições de sénior conferiam mais arcaboiço ao clube. Serviram essencialmente para a reorganização do clube, que hoje tem uma infra-estrutura bem melhorada.

 

– Podemos esperar o Mahafil campeão já no primeiro ano?

 

– Sou um treinador ambicioso e estou a trabalhar com um jovem igualmente ambicioso, o Sílvio Cardoso, e juntos queremos fazer coisas maravilhosas neste clube, indo ao encontro dos desejos da família do Mahafil.

 

Joca Estêvão

 

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

Do calvário à vontade de ser bom treinador!

 

Os verdadeiros campeões são aqueles que não desistem depois de um percalço da vida. Rodrigo, antigo guarda-redes que se notabilizou ao serviço do Ferroviário de Maputo, é um exemplo de persistência e resiliência após o grande dilema da lesão no joelho esquerdo.

 

Hoje, treinador de formação dos locomotivas, diz que pretende ser o melhor no trabalho que faz. 

 

O ano 2006 foi um verdadeiro martírio para Rodrigo Alexandre Gulabe. Na tarde de 3 de Fevereiro daquele ano, o Ferroviário de Maputo discutia, em Acra, o derradeiro jogo de acesso à fase de grupos da então Liga dos Campeões Africanos, com o poderoso ganês Asante Kotoko, no estádio Baba Yara,  depois do nulo registado na Machava – acabou perdendo 2-1 – acabando por ficar em terra. Duplo desaire para Rodrigo, antigo guarda-redes hoje com 38 anos e a treinar os miúdos da formação do Ferroviário de Maputo.

 

 

Aos três minutos da partida, em choque frontal com um adversário, o antigo internacional não podia receber a triste notícia da sua vida: tinha fracturado a canela no seu joelho esquerdo e o prognóstico reservado, foi-lhe comunicado pelos médicos na África do Sul, onde permaneceu para os exames, que não era o fim da carreira e que podia regressar a fazer o que mais gostava: evitar que os golos entrassem na sua baliza. A verdade é que mesmo de debelada a lesão, Rodrigo nunca mais voltou a ser o mesmo.

 

Para trás ficava uma carreira promissora, até ao momento saldada em três campeonatos, uma Taça de Moçambique e uma Supertaça – todos ao serviço doslocomotivas -; ainda conserva o recorde de 2005, de guarda-redes menos batido, com três golos sofridos em 22 jornadas. Tinha o esteio duma equipa cotada com Simão Mate, Kito, Fred, Secanhe, Matofe, Momed Hagi, Danito Parruque, Cantoná, Maurício, Luís, Chinwa, Chano; a presença mais que regular nas selecções de inferiores e a presença, pela primeira vez em 2003, com 22 anos, nas escolhas do ucraniano Viktor Bondarenko para a Selecção Nacional – integrou como mais novo dos guarda-redes, com Kampango e Victor Magaia como concorrentes, a comitiva que foi estagiar um mês na Itália.

 

Gilberto Guibunda

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

UD Songo poderá disputar Taça CAF

 

 

A CAF prevê que as equipas que falharem o acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões de África possam disputar uma eliminatória para entrar na Taça CAF, entrando na fase de grupos da prova após uma “poule” apuramento.

 

A União Desportiva do Songo também poderá estar nessa situação de prosseguir nas competições africanas caso não consiga passar na eliminatória com o TP Mazembe. O sorteio dessa disputa de acesso à Taça CAF será feito após a realização dos jogos da segunda mão da Liga dos Campeões.

 

Joca Estêvão

 

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

Kamo-Kamo é primeiro vencedor

 

O “Prémio Desafio Melhor Jogador do Moçambola 2018” tem o seu primeiro vencedor. Trata-se do jovem Kamo Kamo, do Ferroviário de Maputo, que recebeu 339 dos 400 votos contabilizados até sexta-feira pela empresa contratada para gerir o processo de votação.

 

O jovem internacional pelos Sub-20, que se estreia este ano na equipa principal “locomotiva”, mereceu a maioria dos votos pela grande actuação na jornada inaugural, em que marcou e ajudou na vitória tranquila da sua equipa sobre o 1º. de Maio de Quelimane, por 3-1. Com os 339 votos, Kamo Kamo superou a concorrência de Cadri, do Clube do Chibuto, que ficou na segunda posição, com 61 votos contabilizados até ao fecho da votação. 

 

Com os 339 votos, Kamo Kamo superou a concorrência de Cadri, do Clube do Chibuto, que ficou na segunda posição, com 61 votos contabilizados até ao fecho da votação.

 

Atanásio Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

Uma legião estrangeira alimenta a utopia do basket

 

Leia “Tanucha” Dongue e Tamara Seda lideran a lista de mais de 20 atletas de basquetebol evoluindo nos EUA, Espanha e Portugal. Esta legião faz acreditar que as Selecções Nacionais podem conhecer dias melhores. Todavia, grande parte dos atletas tem compromissos académicos, o que pode dificultar a sua cedência.

 

Tanucha, que há poucos meses assinou pelo Gernika Bizkaia, da I Liga espanhola, é, sem dúvidas, a principla referência do basquetebol nacional na actualidade. A sua transferência ao campeonato espanhol não constitui novidade.Já em 2016, aproveitando o defeso angolano – estava ao serviço do 1.º de Agosto – Leia Dongue assinou um contrarto de três meses com o Al-Qázeres Estremadura, da II Liga espanhola. A duas vezes MVP (jogadora mais valiosa) de África assinalou 12 pontos nos 13 minutos erm que esteve em campo na sua estreia, numa partida em que a sua então equipa perdeu por 64-66, na deslocação a Araski AES.

 

No jogo que decidiu a ascensão de Al-Qázeres à I Liga espanhola diante do Fundal Alcobendas (73-65), a internacional moçambicana foi a “cestinha” do encontro, ao somar 25 pontos – nos primeiros cinco minutos já havia amealhado 12 pontos –, terminando o primeiro período com 15 dos 20 pontos da sua formação. Tanucha ainda conseguiu oito ressaltos e dois triplos. Estes números, ajuntados com as suas inequívocas prestações em provas nacionais e internacionais, foram decisivos para que Gernika contratasse a poste moçambicana ao 1.º de Agosto de Angola, depois de lá estar por cinco épocas.Leia foi igualmente desejada na Turquia, Sérvia e França.

 

A nova equipa de Leia Dongue, que geralmente participa da EuroLiga – agora se encontra no grupo G, juntamente com Basket Landes (França), Spar Citylift Girona (Espanha) e VBW CEKK Cegled (Hungria) – na última temporada(2016/17), terminou a fase regular em 3.º lugar, tendo, por isso, o acesso aos quartos-de-final da prova, onde foi eliminado pelo Lacturale Arask.Na época 2015/16 ocupou o sexto lugar, a mesma posição conquistada na época 2014/15, período em que ascendeu à Liga.

 

Com 22 anos de existência, Gernika Bizkaia está localizada na cidade de Bilbao. Acatualmente com 22 jogos disputados, com 11 vitórias e igual número de derrotas, contabiliza 33 pontos, numa prova composta por 14 equipas.

 

Fisicamente muito forte e com 1,86m, Tanucha possui um forte jogo interior, é rápida e com bons complexos ofensivos, para além de apresentar uma boa capacidade de marcar cestos à média e longa distâncias.

 

Dongue foi formada no Grupo Desportivo de Maputo, onde teve como mentor o treinador Nasir “Nelito” Salé, com o qual conquistou dois troféus da Taça dos Clubes Campeões Africanos (2007 e 2008) e juntos voltaram a conquistar a mesma prova em 2012, pela Liga Desportiva de Maputo.

 

Deanof Potompuanha

 

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

Pagámos caro pelos erros

 

– Foi um dia não para nós! Cometemos muitos erros que acabámos pagando caro. A minha equipa rematou muito pouco à baliza contrária e o nosso adversário soube tirar proveito das brechas que a nossa defensiva acabou deixando. 

 

Tivemos uma abordagem negativa deste jogo e o espelho disso foi esta derrota. Perdemos bem! - Nélson Santos, técnico do Fer. Maputo.

 

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

Vitória saborosa

 

-Jogámos diante de um adversário difícil, mas os nossos jogadores souberam dignificar a camisola do Maxaquene e brindaram-nos com esta vitória saborosa. 

 

Estamos felizes porque o trabalho que temos vindo a desenvolver com estes jogadores jovens está a surtir o efeito desejado, - Amide, técnico-adjunto do Maxaquene.

 

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

As novas ideias vão ser imersas gradualmente

 

A equipa do ENH, à semelhança do ano passado, volta a ter contacto com o treinador principal à porta das competições. 

 

O presidente hidrocarboneto, Daúto Rugnate, acredita que, apesar da situação, o desempenho da sua equipa irá de encontro às suas ambições para a presente temporada, afirmando que as novas ideias do treinador vão ser absorvidas gradualmente pelos jogadores.

 

No ano passado, com a equipa completamente formada, João Chissano juntou-se ao ENH quando esta ia disputar o primeiro jogo do Moçambola, o que levou o técnico a recear um arranque de prova periclitante. A formação iniciou de forma titubeante, mas conseguiu melhorar em termos de resultados no decorrer da época. Este ano, após a saída inesperada de Chissano para o Ferroviário da Beira (segundo declarações do presidente dos hidrocarbonetos), a Direcção do ENH levou muito tempo para fechar os processos para a contratação no novo treinador (Alcides Chambal). O novo técnico tomou contacto com a equipa quando esteve a estagiar em Maputo, sob comando de Eurico da Conceição, coadjuvado por Artur Romão, mas acabou por não viajar com a equipa quando esta regressou. O novo contacto entre o treinador e a sua nova equipa só ocorreu na última semana de preparação para o arranque do Moçambola.

 

O presidente do ENH, Daúto Rugnate, não quis desdobrar-se em justificações para esclarecer as razões da demora para encontrar o substituto de João Chissano, mas mostrou-se optimista quanto ao alcance dos objectivos para a presente temporada.

 

Apesar de se ter verificado essa situação, acredito que vamos ter um bom desempenho no Moçambola, sobretudo por ser uma prova de regularidade, disse o dirigente máximo do ENH, que ao mesmo tempo diferenciou as situações de 2017 e de 2018 no que concerne à contratação dos treinadores, referindo queAlcides Chambal ainda teve a oportunidade de apreciar a equipa em Maputo e esteve directamente em contacto com Eurico da Conceição e Artur Romão, que iniciaram os trabalhos. Ele passou algumas das suas ideias no processo de treinamento nessa altura. Estamos cientes que as novas ideias do treinador vão ser absorvidas gradualmente, afirmou Rugnate, não deixando de parte a possibilidade de alguns tropeços da equipa no início da prova.

 

Joca Estêvão

 

 

Fonte:Desafio

12.Mar.18

Resultados nivelados prometem jogos renhidos pela qualificação

 

Dos 16 jogos que compõem esta eliminatória, apenas seis resultados nos parecem tranquilizadores, equivalendo isso a dizer que a eliminatória registou uma primeira mão com resultados equilibrados, pelo que se prevê uma segunda mão bastante renhida pela qualificação à próxima eliminatória, a última de acesso à fase de grupos.

Éjusto, pois, dizer que alguns jogos podem ser vistos como favas contadas, mas não é menos verdade que não vai surpreender a ninguém que se assista a algumas ou várias cambalhotas nos resultados da segunda mão, que se disputa entre sexta-feira e domingo.

Eis os resultados marcação completa dos jogos da segunda mão:

 

JOGO                                                                                                  RES. 1ª  MÃO     2ª MÃO

 

Superport United (RAS)-Petro (ANG)                                    0-0                         Sexta-feira

AhliShendi (SUD)-La Mancha (CON)                                     0-3                         Sexta-feira

APR (RUA)-Djoliba (Mal)                                                     0-1                         Sábado

El Masry (EGI)-Simba (TAN)                                                2-2                         Sábado

Hilal El Obied (SUD)-Olympique Star (BUR)                           0-0                         Sábado

Nouadhibou (MAU)-RAJA Casablanca (MAR)                          1-1                         Sábado

Club Africain (TUN)-Berkane (MAR)                                      1-3                         Sábado

Nkana (ZAM)-Belouizdad (ARG)                                            0-3                         Sábado

CAPE TOWN CITY-COSTA DO SOL                                    1-0                         DOMINGO

Ben Guerdane (TUN)-CARA Brazzaville (CON)                        0-3                         Domingo

USM Alger (ARG)-AS Maniema (RDC)                                    2-2                         Domingo

Akwa United (NIG)-Al Ithiad (LIB)                                         0-1                         Domingo

Enyimba (NIG)-Energie Sports (BEN)                                     2-0                         Domingo

Zamalek (EGI)-Welayta Dicha (ETI)                                      1-2                         Domingo

Fosa Juniors (MAD)-Port Louis (MAU)                                    2-0                         Domingo

Deportivo Niefang (GNQ)-Motema Pembe (RDC)                     1-1                         Domingo

 

Reginaldo Cumbana

 

Fonte:Desafio