Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Moçambola 2018 decorre entre 24/2 a 4 de Novembro

 

O executivo de Ananias Couane apresentou a sua proposta de calendarização indicando que realmente o Moçambola arranca dia 24 de Fevereiro em Chibuto com término previsto para 4 de Novembro.

 

Entretanto, durante a assembleia na qual o debate praticamente circunscrevia-se a cinco clubes com destaque para o Clube do Chibuto, Costa do Sol, Ferroviários de Maputo e de Nampula, Maxaquene, este último questionou, por exemplo, como estava sendo pensado o arranque do Moçambola tendo em conta que a final do Top-8 estava previsto para dia 25 o que surpreendeu Couane até porque “antes do arranque desta prova (Top 8) falei com dirigentes da associação de Maputo e informei qual era a proposta do arranque do campeonato e agora estamos a ter a informação de que a final é dia 25. Penso que vamos encontrar uma saída para evitar choques e vamos reunir com esta”, explicou o dirigente.

Atanásio Zandamela

 

Fonte:Desafio

O mais importante é saber que o Moçambola está garantido

 

O vice-presidente do Clube do Chibuto, Juneid Lalgy, foi um dos que mais interveio na assembleia e no final da mesma era um homem feliz porque “o campeonato tem a sua realização garantida e é o que nos preocupava. 

 

Há que elogiar o facto de a LMF ter melhorado no relacionamento com os clubes e estar cada dia que passa a pautar pela gestão transparente”, disse o dirigente antes de sublinhar que “mais uma vez os clubes contribuirão para a viabilização do Moçambola, tal como fizeram ano passado abdicando daquilo que são as suas receitas, os valores dos direitos de transmissão. É preciso assinalar-se isso embora reconheçamos que são nossas despesas”,explicou.

 

Sobre as transferências de responsabilidades que a Liga quer ensaiar em 2019 o dirigente do Chibuto pensa que para tal “haverá igualmente transferência de receitas, sobretudo na questão dos direitos de transmissão e isso vai permitir um certo encaixe aos clubes e por essa via vamos ter como contribuir, mas é um assunto por ser analisado como deve ser”, disse Lalgy antes de lembrar que “o valor que a Liga gere é dos clubes e é pedido em nosso nome. E o fundamental nisso tudo é manter o Moçambola nos moldes actuais. 

 

Atanásio Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

Ganhámos com todo mérito

 

– Estou satisfeito porque fui bem acolhido desde que aqui cheguei. Esta conquista é uma prenda para mim. Ganhámos a  Taça com todo o mérito. 

 

Vim ao Costa do Sol para ajudar a ganhar títulos e não só. Espero puder continuar a marcar golos, claro com a ajuda dos meus colegas e desta maravilhosa equipa técnica que tem sabido nos conduzir”. - Terrence, jogador do Costa do Sol.

 

Raimundo Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

Costa do Sol foi superior

 

– O Costa do Sol soube aproveitar-se da melhor maneira os erros cometidos pela nossa defensiva. 

 

Eles foram superiores, embora tenham recorrido ao “cai cai”, penso que isso não dignificou em parte o espectáculo… contudo eles estão de parabéns. Na segunda parte tentamos rectificar a nossa maneira de jogar, fomos um pouco mais agressivos, tentamos capitalizar encostar o nosso adversário às cordas. Neste momento a nossa atenção estará virada para as Afrotaças” - Chiquinho Conde, treinador da UDS.

 

Raimundo Zandamela

 

Fonte:Desafio

Inãk Garcia impõe primeira derrota ao Benfica

 

O TÉCNICO espanhol Inâk Garcia, bem conhecido nobasquetebol nacional, conduziu o seu novo clube, Lusitânia dos Açores, a uma vitória brilhante sobre o Benfica, por 100-97, na 18.ª jornada da Liga portuguesa de seniores masculinos.

 

Inãk Garcia, que em Dezembro levou o Ferroviário de Maputo a vice-campeão de África em seniores femininos, cometeu a proeza de bater o pé ao grandioso Benfica.

 

O certo é que a vitória da turma dos Açores causou enorme espanto, na medida em que o Benfica era de todo favorito e, além disso, jogava em casa, no pavilhão da Fidelidade.

 

A meio do primeiro período, jogo morno, com o Benfica a descolar, a pouco e pouco, do adversário, que se adiantou no marcador (14-11). No final do período, a formação de José Ricardo vencia por quatro pontos de vantagem (24-20).

 

No segundo período, o Lusitânia descolou novamente e estava já à vista um jogo intenso e disputado até ao final. E assim foi… Ao intervalo, as “águias” recolheram ao balneário a perder por 36-45.

 

O Benfica entrou no terceiro período disposto a virar o jogo e a reduzir as distâncias, mas a tarefa não foi fácil (57-63). No quarto período, a história parecia ter mudado. O Benfica passou para a frente do marcador (64-63), depois de ter estado a perder por 9 pontos.

 

Equilíbrio, disputa e incerteza até ao fim… Nuno Oliveira forçou o prolongamento com um cesto a 19 segundos do fim do tempo regulamentar (81-81).

 

Nos derradeiros cinco minutos, a formação da Luz ainda passou para a frente em duas oportunidades pela mão de José Silva (89-87 e 91-90), mas os insulares responderam e acabaram por levar a melhor (97-100).

 

Esta foi a terceira derrota das “águias” na Liga Placard em 2017/18 e a primeira na Luz.

 

Os campeões em título mantêm, no entanto, a liderança da prova.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Começámos o ano com o pé direito

 

– É importante dizer aqui que iniciamos o ano com o pé direito. Esta conquista tem um toque especial também do técnico Nélson Santos, o meu antecessor.

 

A ele também dedico este troféu. Ele fez parte deste projecto. O que posso dizer agora é que continuaremos a trabalhar com humildade e muito sacrifício, porque este é apenas o começo de um longo trabalho. Este foi um bom ensaio para preparar os jogos das Afrotaças. Obrigado a direcção e em particular aos adeptos que nos têm acompanhado em todo momento”- Leonardo Costas, técnico do Costa do Sol.  

 

Raimundo Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

Moçambola 2018 sorteado esta sexta-feira

 

 

As 16 equipas que disputam o campeonato nacional de futebol, Moçambola 2018, vão conhecer seus adversários, jornada a jornada, até ao final da época, no sorteio que será realizado à margem da gala dos melhores de 2017.

 

Trata-se das equipas da União Desportiva de Songo, campeão nacional, Costa do Sol, vice-campeão nacional, Ferroviário de Maputo, Liga Desportiva, Maxaquene, Incomáti de Xinavane, Clube de Chibuto e ENH, pela zona sul, Textáfrica do Chimoio, UP de Manica, Ferroviário da Beira e 1º de Maio de Quelimane, representantes da zona centro, Ferroviário de Nampula, Sporting de Nampula, Desportivo de Nacala e Ferroviário de Nacala, esta últimas quatro equipas de Nampula, representando a zona norte, que noite de amanhã, a partir das 18h00, no hotel Polana, vão conhecer os jogos das 30 jornadas do Moçambola 2018, no sorteio dirigido pela Liga Moçambicana de Futebol.

 

Da primeira à trigésima jornada, as equipas ficarão a saber com que equipa jogarão, do início até ao final do campeonato nacional, nos quais serão 15 jogos em casa e outros tantos fora de portas, até se conhecer o substituto da União Desportiva de Songo como o rei do futebol moçambicano, ou então a renovação do título dos “hidroeléctricos” de Songo.

 

Será uma ocasião para as equipas, principalmente, conhecerem os seus adversários para as jornadas mais importantes da prova, a primeira e a última, uma vez que podem determinar o mau ou bom início e até a forma como as equipas fecham a época.

 

Destas 16 equipas, três delas são primodivionárias, ou seja, ascenderam ano passado para o principal campeonato nacional de futebol, depois de vencerem as respectivas zonas da divisão de honra. Mas uma delas fará a estreia absoluta na prova-mor do futebol moçambicano: a UP de Manica. As outras duas marcam o regresso depois de anos fora do convívio dos grandes.

 

O Sporting de Nampula regressa à festa do nacional doze anos depois de ter sido despromovido, enquanto o Incomáti de Xinavane marca o seu regresso cinco anos depois de ter descido de divisão.

 

Estas equipas seguem no Moçambola para ocupar os lugares deixados vagos pelos despromovidos Chingale de Tete, UP de Niassa e Associação Desportiva de Macuácua. As restantes 13 equipas mantiveram-se na prova disputada ano passado.

 

Sorteio será realizado à margem da Gala de Premiação

 

O sorteio do Moçambola 2018 vai acontecer na cerimónia de premiação dos melhores do ano passado, nos prémios colectivos e individuais. Na gala, serão premiados os grandes vencedores, com destaque para a União Desportiva de Songo, campeão nacional, que vai receber um prémio de 650 mil meticais pela conquista. Na mesma, em termos de prémios colectivos, o Ferroviário de Nampula é a equipa Fair-play, ao contabilizar 40 pontos na conjugação dos 34 cartões amarelos que viu e apenas dois vermelhos, em 30 jornadas.

 

Em termos individuais, Telinho, jogador da Liga Desportiva de Maputo, será coroado o melhor marcador da prova, ao apontar 17 golos em 26 partidas realizadas, relegando ao segundo posto o jogador do Clube de Chibuto, Johane, que marcou 14 golos em 28 jogos realizados. O guarda-redes menos batido da época passada chama-se Victor, do Ferroviário de Nacala, que leva o prémio pelo segundo ano consecutivo, após sofrer 16 golos em 29 jogos, ou seja, contabilizou 0,0063 pontos, deixando para trás Gervásio, do Desportivo de Nacala, que sofreu 15 golos em 27 jogos, tendo terminando com uma média de 0,0067 pontos.

 

O melhor árbitro do Moçambola 2017 ficou para Filimão Correia ao terminar a época com uma média de 25.60 pontos ao cabo de 15 jornadas em campo, contra 25.53 pontos de Arlindo Novunga, que também fez o mesmo número de jogos.

 

A gala de premiação dos melhores de 2017 terá a transmissão televisiva em directo na Stv e Stv Notícias, quando forem 18h00, e vai contemplar ainda actividades culturais.

 

Fonte:Opais

Ferroviário de Maputo vs Maxaquene é o clássico da segunda jornada

 

A segunda jornada do torneio de futebol Top 8 Mavila Boy começa a ser jogada este domingo, com jogos a contar para a série B. E a partida de fundo é a que vai colocar frente a frente o Ferroviário de Maputo e o Costa do Sol.

 

Estas são duas equipas que vêm de resultados diferentes na primeira jornada, onde os “locomotivas” da capital perderam na estreia diante do Desportivo de Maputo por uma bola sem resposta, enquanto os “tricolores” golearam a Académica, por 4-1, com Tobias a ser o homem do jogo ao facturar dois golos.

 

É, do resto, uma partida que vai levar muitos adeptos ao campo do Costa do Sol, visto que são muitos osapoiantes das duas equipas. Aliás, sempre que se encontram, o espactáculo é de primeira e o resultado é sempre uma incógnita.

 

Embora seja uma partida de controlo, com as duas equipas ainda na pré-época, certamente que o mesmo será a feijões, uma vez que a rivalidade entre ambos é enorme e a disputa pelo título vai espevitar os jogadores dentro das quatro linhas. Uma derrota do Ferroviário de Maputo coloca a equipa fora da próxima fase e uma vitória do Maxaquene qualifica a equipa às meias-finais da prova. Um aditivo para um bom espactáculo de futebol na tarde de domingo. Este jogo inicia às 16h00.

 

Mas antes, o Desportivo de Maputo vai procurar garantir a passagem à fase seguinte, quando defrontar a Académica. Uma vitória dos “alvi-negros” ou mesmo empate é um passo grande para a passagem a fase seguinte da prova.

 

 

Fonte:Opais

Pág. 6/6