Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

06.Fev.18

Moçambola 2018 decorre entre 24/2 a 4 de Novembro

 

O executivo de Ananias Couane apresentou a sua proposta de calendarização indicando que realmente o Moçambola arranca dia 24 de Fevereiro em Chibuto com término previsto para 4 de Novembro.

 

Entretanto, durante a assembleia na qual o debate praticamente circunscrevia-se a cinco clubes com destaque para o Clube do Chibuto, Costa do Sol, Ferroviários de Maputo e de Nampula, Maxaquene, este último questionou, por exemplo, como estava sendo pensado o arranque do Moçambola tendo em conta que a final do Top-8 estava previsto para dia 25 o que surpreendeu Couane até porque “antes do arranque desta prova (Top 8) falei com dirigentes da associação de Maputo e informei qual era a proposta do arranque do campeonato e agora estamos a ter a informação de que a final é dia 25. Penso que vamos encontrar uma saída para evitar choques e vamos reunir com esta”, explicou o dirigente.

Atanásio Zandamela

 

Fonte:Desafio

06.Fev.18

O mais importante é saber que o Moçambola está garantido

 

O vice-presidente do Clube do Chibuto, Juneid Lalgy, foi um dos que mais interveio na assembleia e no final da mesma era um homem feliz porque “o campeonato tem a sua realização garantida e é o que nos preocupava. 

 

Há que elogiar o facto de a LMF ter melhorado no relacionamento com os clubes e estar cada dia que passa a pautar pela gestão transparente”, disse o dirigente antes de sublinhar que “mais uma vez os clubes contribuirão para a viabilização do Moçambola, tal como fizeram ano passado abdicando daquilo que são as suas receitas, os valores dos direitos de transmissão. É preciso assinalar-se isso embora reconheçamos que são nossas despesas”,explicou.

 

Sobre as transferências de responsabilidades que a Liga quer ensaiar em 2019 o dirigente do Chibuto pensa que para tal “haverá igualmente transferência de receitas, sobretudo na questão dos direitos de transmissão e isso vai permitir um certo encaixe aos clubes e por essa via vamos ter como contribuir, mas é um assunto por ser analisado como deve ser”, disse Lalgy antes de lembrar que “o valor que a Liga gere é dos clubes e é pedido em nosso nome. E o fundamental nisso tudo é manter o Moçambola nos moldes actuais. 

 

Atanásio Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

06.Fev.18

Ganhámos com todo mérito

 

– Estou satisfeito porque fui bem acolhido desde que aqui cheguei. Esta conquista é uma prenda para mim. Ganhámos a  Taça com todo o mérito. 

 

Vim ao Costa do Sol para ajudar a ganhar títulos e não só. Espero puder continuar a marcar golos, claro com a ajuda dos meus colegas e desta maravilhosa equipa técnica que tem sabido nos conduzir”. - Terrence, jogador do Costa do Sol.

 

Raimundo Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

06.Fev.18

Costa do Sol foi superior

 

– O Costa do Sol soube aproveitar-se da melhor maneira os erros cometidos pela nossa defensiva. 

 

Eles foram superiores, embora tenham recorrido ao “cai cai”, penso que isso não dignificou em parte o espectáculo… contudo eles estão de parabéns. Na segunda parte tentamos rectificar a nossa maneira de jogar, fomos um pouco mais agressivos, tentamos capitalizar encostar o nosso adversário às cordas. Neste momento a nossa atenção estará virada para as Afrotaças” - Chiquinho Conde, treinador da UDS.

 

Raimundo Zandamela

 

Fonte:Desafio

06.Fev.18

Inãk Garcia impõe primeira derrota ao Benfica

 

O TÉCNICO espanhol Inâk Garcia, bem conhecido nobasquetebol nacional, conduziu o seu novo clube, Lusitânia dos Açores, a uma vitória brilhante sobre o Benfica, por 100-97, na 18.ª jornada da Liga portuguesa de seniores masculinos.

 

Inãk Garcia, que em Dezembro levou o Ferroviário de Maputo a vice-campeão de África em seniores femininos, cometeu a proeza de bater o pé ao grandioso Benfica.

 

O certo é que a vitória da turma dos Açores causou enorme espanto, na medida em que o Benfica era de todo favorito e, além disso, jogava em casa, no pavilhão da Fidelidade.

 

A meio do primeiro período, jogo morno, com o Benfica a descolar, a pouco e pouco, do adversário, que se adiantou no marcador (14-11). No final do período, a formação de José Ricardo vencia por quatro pontos de vantagem (24-20).

 

No segundo período, o Lusitânia descolou novamente e estava já à vista um jogo intenso e disputado até ao final. E assim foi… Ao intervalo, as “águias” recolheram ao balneário a perder por 36-45.

 

O Benfica entrou no terceiro período disposto a virar o jogo e a reduzir as distâncias, mas a tarefa não foi fácil (57-63). No quarto período, a história parecia ter mudado. O Benfica passou para a frente do marcador (64-63), depois de ter estado a perder por 9 pontos.

 

Equilíbrio, disputa e incerteza até ao fim… Nuno Oliveira forçou o prolongamento com um cesto a 19 segundos do fim do tempo regulamentar (81-81).

 

Nos derradeiros cinco minutos, a formação da Luz ainda passou para a frente em duas oportunidades pela mão de José Silva (89-87 e 91-90), mas os insulares responderam e acabaram por levar a melhor (97-100).

 

Esta foi a terceira derrota das “águias” na Liga Placard em 2017/18 e a primeira na Luz.

 

Os campeões em título mantêm, no entanto, a liderança da prova.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

06.Fev.18

Começámos o ano com o pé direito

 

– É importante dizer aqui que iniciamos o ano com o pé direito. Esta conquista tem um toque especial também do técnico Nélson Santos, o meu antecessor.

 

A ele também dedico este troféu. Ele fez parte deste projecto. O que posso dizer agora é que continuaremos a trabalhar com humildade e muito sacrifício, porque este é apenas o começo de um longo trabalho. Este foi um bom ensaio para preparar os jogos das Afrotaças. Obrigado a direcção e em particular aos adeptos que nos têm acompanhado em todo momento”- Leonardo Costas, técnico do Costa do Sol.  

 

Raimundo Zandamela

 

 

Fonte:Desafio