Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

28.Fev.18

Nyeleti destaca prestação da selecção de basquetebol

 

A MINISTRA da Juventude e Desporto, Nyeleti Mondlane, destacou o desempenho da Selecção Nacional masculina de basquetebol na primeira etapa de qualificação ao “Mundial” China-2019, decorrida semana finda em Maputo.

 

Durante a recepção de despedida concedida ao presidente da FIBA-África, o maliano Hamane Niang, a governante elogiou o combinado nacional pelos resultados conseguidos, congratulando toda a equipa que esteve envolvida na organização do evento pelo também bom desempenho.

 

É preciso dizer que a nossa Selecção nos representou muito bem. Ganhámos dois jogos, o terceiro com Senegal foi difícil, mas os nossos atletas foram estrelas. Sentimo-nos orgulhosos e estamos ansiosos para que a segunda fase no Senegal corra bem, torcemos para que ganhemos pelo menos dois jogos, e se ganharmos três ainda melhor. Sentimos que a Selecção Nacional está absolutamente dinamizada e cheia de energias positivas para a fase que se segue e nós queremos agradecer o presidente da FIBA-África por ter vindo acompanhar de perto o que foi a nossa festa de basquetebol”, frisou

 

O presidente da FIBA-África também ficou impressionado, para além da prestação da Selecção Nacional, pelo grau de organização e excelente comportamento do público moçambicano, encorajando o Governo a apostar na melhoria de infra-estruturas desportivas para continuar a merecer a confiança de organização de mais eventos pela FIBA.

 

Hamane Niang desejou uma boa prestação na segunda fase, em Dakar, Senegal, e manifestou a vontade de ver a selecção moçambicana no “Mundial” da China, o que passa por manter os níveis de desempenho registados em Maputo.

 

Em resposta a este apelo e encorajamento, Nyeleti Mondlane começou por prestar igualmente reconhecimento à Federação de Basquetebol e todas pessoas envolvidas na organização pelo trabalho excelente no meio de várias adversidades.

 

Reconhecemos que precisamos de fazer mais para melhorar as infra-estruturas e temos que trabalhar. O presidente da FIBA-África abriu-nos uma janela no sentido de cooperarmos com a FIBA para melhorarmos as nossas infra-estruturas e essa é uma oportunidade para vermos internamente o que é preciso fazer para que essa janela esteja aberta de facto e que oportunidades existem para melhorarmos as nossas infra-estruturas”, realçou.

 

Fonte:Jornal Noticias

28.Fev.18

Sérgio Macuácua melhor jornalista do Top 8

 

O jornalista Sérgio Macuácua, nosso colega de Redacção, foi eleito melhor jornalista do evento, na categoria de imprensa escrita para jornais diários. Durante o Top-8, Macuácua produziu cerca de 20 artigos à volta do certame, entre lançamento dos jogos, crónicas e rescaldos, suplantando a concorrência de Elísio Uamusse, do jornal o “País”. O nosso “escriba” recebeu, com efeito, um cheque no valor de oito mil meticais.

 

Noutras categorias, o destaque vai para Idalina Nhaúle, nossa colega do seminário “Desafio”, que venceu o prémio para a imprensa de publicação semanal. Na categoria de rádio, o vencedor foi Carlos Calisto, da RM-Desporto, sendo que na televisão o vencedor foi Nelson Ernesto, da TVM.

 

O guarda-redes menos batido foi Guirrugo (C. Sol), tendo arrecadado 50 mil.  Nacional foi a equipa “fair-play”, enquanto a claque do Ferroviário foi considerada a melhor do torneio.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

27.Fev.18

Moçambique reina na zona IV

 

O cepticismo, que chegou pairar sobretudo quando cinco dos nove pugilistas seleccionados falharam a final, deu lugar a maior explosão de alegria vivida na história recente do boxe com a conquista do Campeonato da Zona IV do boxe, evento que juntou na capital do país sete países.  

 

Os 14 campeões da zona 

 

Masculinos

 

46-49kg: Sivabulela Mpungoshe, África do Sul

52kg: Otukile Rajab, Botswana

56kg: Moroke Mokhotho, Lesotho

60kg: Asanda Gingqi, África do Sul

64kg: Brendon Denes, Zimbabwe

69kg: Future Maziya, Zimbabwe

75kg: Augusto Mathule, Moçambique

91kg: Alfredo Muzimba, Moçambique

+91kg: Keddy Agnes, Seychelles 

 

Femininos

 

48-51kg: Helena Bagão, Moçambique

54kg: Benilde Macaringue, Moçambique

60kg: Sadie Kenosi, Botswana

64kg: Alcinda Panguana, Moçambique

75kg: Rady Gramane, Moçambique

 

Outros melhores

 

Melhor Pugilista Benilde Macaringue e  Asanda Gingqi

 

Melhores combates: Carlos António e Sivabulela em masculinos e Helena Bagão e Bongwe Colani.

 

Classificação final

 

País                 Ouro    Prata    Bronze  Total

Moçambique    6          2           6          14

África do Sul     2          6           2          10

Zimbabwe        2          3          3           8

Botswana        2          1           1           4

Lesotho           1          1           2           4

Seychelles       1          0          1           2

Swazilândia     0          1          3           4 

 

Atanásio Zandamela&Jaime Machel

 

Fonte:Desafio

27.Fev.18

O caminho da China passa por Dakar

 

Duas vitórias e uma derrota é o rescaldo da primeira eliminatória da resiliente Selecção Nacional, que só se preparou a 10 dias do evento que qualifica ao Mundial de Basquetebol China-2019. 

 

GRUPO “D”

 

RESULTADOS DA 1.ª ELIMINATÓRIA

 

Sexta-feira

Senegal-RCA (70-65)

Moçambique-Costa do Marfim (66-53)

 

Sábado

Costa do Marfim-Senegal (67-60)

RCA-Moçambique (52-59)

 

Domingo

Costa do Marfim-RCA (62-63)

Senegal-Moçambique (60-52)

 

PRÓXIMA ELIMINATÓRIA

 

29 de Junho

RCA-Senegal

Costa do Marfim-Moçambique

 

30 de Junho

Moçambique-RCA

Senegal-Costa do Marfim

 

1 de Julho

Moçambique-Senegal

RCA-Costa do Marfim

 

CLASSIFICAÇÃO ACTUAL

 

                               J          V         D         CM-CS           P

Senegal                03        02        01        190-184          05

Moçambique        03        02        01        177-138          05       

RCA                       03        01        02        180-191          04       

Costa do Marfim    03        01        02        182-189          04

 

Deanof Potompuanha&Luís Muianga

 

Fonte:Desafio

27.Fev.18

Moçambola vai ter árbitros de qualidade

 

O presidente da Comissão Nacional de Árbitros de Futebol (CNAF) garantiu ao desafio que a presente edição do Moçambola estará bem servida com uma nata de árbitros que irão conferir qualidade à prova-mãe do futebol moçambicano. O mesmo referiu que será apertado o cerco aos que aliciam e exercem pressão externa aos árbitros. 

 

O Moçambola irá conhecer novos árbitros para a presente época. São no total 119, dos quais 52 são centrais e 67 assistentes. Segundo Acácio Victor, presidente da Comissão Nacional de Árbitros de Futebol (CNAF), os números que se apresentam são proporcionais à qualidade do trabalho que os juízes apresentarão em campo.

 

– Os árbitros já estão preparados. Iniciámos com a preparação na época passada, onde os árbitros receberam os programas de treinamento e as leituras individuais, como tem sido de costume. Abrimos a época a 13 de Janeiro e a primeira acção serviu para preparar tecnicamente os juízes, com maior incidência nos aspectos físicos. Naturalmente que foram seleccionados os melhores, isto é, aqueles que responderam positivamente às exigências por nós colocadas. Mas é também importante dizer que há árbitros que foram promovidos e outros que se mantiveram. O que posso dizer é que este ano podemos esperar uma arbitragem de boa qualidade e prometo que o nosso futebol estará muito bem servido. Os árbitros estão devidamente preparados e com alguma ansiedade de entrar no activo, garantiu o presidente da CNAF. 

 

Raimundo Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

27.Fev.18

Moçambola arranca sábado com défice no orçamento

 

O Moçambola-2018 arranca este sábado, mas a Direcção da Liga Moçambicana de Futebol (LMF) ainda está aflita porque as contas estão difíceis.

 

Dos cerca de 80 milhões necessários para assegurar o transporte aéreo o executivo de Ananias Couana tem assegurado cerca de 15 milhões, resultantes do acordo para as transmissões televisivas, daí que haja um grande défice no orçamento.

 

De acordo com Ananias Couana, a grande preocupação de momento é assegurar a disponibilidade de 80.634.800Mt que podem garantir o transporte aéreo das equipas durante as 30 jornadas, mas o défice existentes é maior na medida em que praticamente tem assegurado os cerca de 15 milhões resultantes do acordo para as transmissões televisivas que os 16 clubes abdicaram de receber com vista a assegurar o pagamento à LAM, ficando um défice de perto de 65milhões de meticais só para o transporte aéreo.

 

Segundo Ananias Couana a instituição que dirige tem vindo a negociar com a LAM e o Governo no sentido de se conseguir no mínimo isenção da taxa sobre combustível, que no caso concreto é de 33.471.000Mt.

 

– “Começámos já faz tempo a negociação com a LAM e o Governo no sentido de conseguirmos a isenção do pagamento da taxa sobre combustível o que significaria um grande alívio para nós porque sem isso será difícil assegurar a continuidade do Moçambola nos actuais moldes”, afirma para depois acrescentar que a outra via para se ultrapassar essa crise seria “o Governo assumir, se possível, as despesas do transporte aéreo ou mobilizar o empresariado a juntar-se a nós na promoção desta festa assegurando esta que é a maior despesa que temos ou ainda termos isenção que seria de grande ajuda”, explica. 

 

Atanásio Zandamela

 

Fonte:Desafio

26.Fev.18

Eis o sorteio dos jogos da próxima eliminatória da Liga dos Campeões africanos

 

 

 

TP Mazembe (RDC)-UD Songo (Moçambique)

Aduana (Gana)-Setif (Argélia)

 Al Anly (Egipto)-Mounana (Gabão)

 As Togo-Port-Al Hilal (Sudão)

Difaa El Jadidi (Marrocos)-AS Vita Club (RDC)

Etoile Sahel (Túnisia)-Plateau (Nigéria)

Gor Mahia (Quénia)-Esperance de Tunis (Tunísia)

Horoya (Quénia)-Generation (Senegal)

 MFM FC (Nigéria)-MC Argel (Argélia)

1º de Agosto (Angola)-Bidvest (RSA)

Rayon Sport (Ruanda)-Mamelodi Sundowns (RSA)

St. George (Etiópia)-Kampala City (Uganda)

Wydad (Marrocos)-Wac (Costa do Marfim)

Young Africans (Tanzânia)-Township Rollers (Botswana),

Zesco United (Zâmbia)-ASEC Mimosas (Costa do Marfim).

 

 

Fonte:Desafio

26.Fev.18

Os dezasseis concorrentes aos seus lugares

As dezasseis equipas do Moçambola-2018 já estão aos seus lugares, compostos, para dar o início ao sprinter que vai ter como meta a trigésima jornada.

Todas as equipas vão iniciar com zero pontos e teoricamente têm as mesmas possibilidades na candidatura ao título, como no esforço que devem empreender para não descerem de divisão, embora, pela composição faça a balança entre aqueles que estão em melhores condições de disputar os lugares cimeiros.

A capacidade financeira habilita a contratação daqueles que são considerados os melhores intérpretes da bola, facto que, à partida desequilibra a balança, podendo referir-se que dificilmente uma colectividade com menor capacidade financeira estará em igualdade de circunstâncias para disputar os ditos melhores jogadores com um oponente com maior robustez nesse capítulo, embora se possa colocar fé no trabalho técnico para a obtenção de melhores resultados. Regra geral, é menos provável que se faça um campeão com recursos ínfimos. É a partir desses pressupostos que os dezasseis clubes do Moçambola definem as suas metas.

Basicamente por isso, pode-se considerar os planteis da União Desportiva do Songo e Costa do Sol, em primeiro lugar, como os mais bem constituídos, até porque além dos seus “poderes” que possibilitaram a contratação de unidades de grande relevo no panorama futebolistico nacional e internacional, estando na disputa das Afrotaças.

A equipa do Songo foi buscar jogadores como Chelito, Amorim, na Beira, Hélder Pelembe (ex-Baroka), Eusébio (ex-Liga), Nhaminga (ex-Sporting da Beira), só para citar alguns exemplos, juntando-as a outras unidades que transitaram do ano passado de qualidade reconhecida como são os casos de Kambala, Cremildo, Mano, Mucuapel, Tony, Mário Sinamunda, Parkim. O Songo ainda se deu ao luxo de ceder Norberto e Osvaldo, por exemplo, ao Ferroviário da Beira. O Costa do Sol, por seu turno, surpreendeu-nos com a contratação do jovem liberiano Terrence, bem acima da média, mas também conseguiu “roubar” Nené, formado no Textáfrica, Sarmento, Chris, que com Isac, Nilton, Guirrugo, Salomão, entre outros podem formar um conjunto bastante forte.

Joca Estêvão



Fonte:Desafio
26.Fev.18

Chibuto esmera-se para uma festa colorida

betuel.jpg

 

Para já está garantido um “casamento” entre o futebol e a cultura, esperando-se actuações de músicos locais para além de Mr. Bow, que será a figura de cartaz da festa que está sendo preparada ao pormenor.

 

Betuel Saveca, presidente do Clube do Chibuto, disse que “estamos a trabalhar para mostrar o nosso melhor porque sentimo-nos honrados pelo facto de o nosso distrito, nossa província, ter sido escolhido para este momento único. Posso dizer que até este momento os preparativos decorrem sem sobressaltos”, garante.

 

Quando questionado sobre o que iremos encontrar sábado no Chibuto o dirigente disse que “a crise não permite muito mais, contudo pode esperar nosso esmero, um Chibuto a dar o seu máximo para que a festa seja a melhor possível.

 

Na essência teremos actividades culturais através de um grupo local, actuação de músicos como Mr.Bow, para além de um almoço porque onde há festa há comida”, esclareceu.

 

Atanásio Zandamela

 

Fonte:Desafio

26.Fev.18

Mandantes devem ser punidos em caso de prova de corrupção

arbitros.jpg

 

Comentando ainda a respeito da corrupção na arbitragem no país, Acácio Victor disse que o problema está do lado dos que aliciam os árbitros.

 

– O problema não está só nos árbitros, mas também naqueles que os aliciam. Fala-se muito da corrupção no meio da arbitragem, mas por vezes os árbitros erram mesmo devido a lacunas técnicas. Precisamos de combater essas falhas através de acções de formação e actualizações constantes.

 

 

Quanto aos casos de corrupção entendemos que em caso de se comprovar existência de fraude devia ser a instituição (clube) a ser penalizada em primeira instância. Dizer também que existindo indícios de corrupção procuramos também aferir a verdade. Não agimos em função de emoções. Agimos apenas com existência de provas, explicou Victor.

 

Raimundo Zandamela

 

Fonte:Desafio

Pág. 1/6