Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Sou espelho de mim mesma e quero triunfar aqui no Highland!

 

Há duas semanas nos Estados Unidos da América, mais concretamente no Estado Federal de Kansas City, Stefânia Chiziane, 21 anos, ou Papelão para quem o basquetebol assim a apelidou, vive os primeiros dias dos tantos que terá para a concretização dos seus sonhos: formar-se numa das áreas em Administração e o jogar basquetebol ao mais alto nível. Uma auto-inspiradora, a atleta não se coíbe de afirmar que quer triunfar para um dia voltar a ajudar o seu Ferroviário de Maputo, a Selecção Nacional. Só dessa forma é que poderá retribuir os que a ajudaram a chegar onde está!

 

É das últimas atletas a ganhar uma bolsa para estudar e jogar basquetebol nos Estados Unidos da América, EUA, onde também evoluem Tamara Seda (Utep Miners), Clitan de Sousa (Oklahoma City), Neyd Ocuane (Utep Miners), Sílvia Veloso (Seward County), Noémia Massingue (Masters School), as irmãs Carla e Vilma Covane (Seward County Saints).

 

Papelão, como que a responder à sua massa fina, e a quem Ernesto Nhalungo ou simplesmente Coach Doggy assim a apelidou, ou Stefânia Chiziane do nome do BI, junta-se à lista da nova geração de basquetebolistas nacionais a acturem nos diversos colégios dos EUA, alguns deles onde tambem passam Ana Flávia, Deolinda Ngulela, Júlia Machaieie, Amélia Gune, Ilda Chambe, Vaneza Júnior, Nádia do Rosário, entre outras, que voltaram astutas e formadas, dando grande contributo à Selecção Nacional e, actualmente, servindo o país em outras áreas de saber. No entanto, Clarisse Machanguana foi e continua a ter o recorde, indubitavelmente, deporta-bandeira de basquetebolistamoçambicana a chegar na tão prestigiosa e difícil liga americana de basquetebol feminino, a WNBA.

 

– Há praticamente duas semanas no HighlandCommunity College, em Kansas City, já se sente adaptada à nova realidade?

 

– Felizmente está correr tudo muito bem, fui bem recebida e inclusive já estou integrada na equipa. Até ao momento já realizei três jogos e pude provar que posso ser uma mais-valia para o grupo. As minhas novas colegas são excepcionais, sabem que estou numa fase de adaptação e têm dado todo o apoio possível para que eu não sinta muitas dificuldades. A língua tem sido o grande obstáculo mas estou em aulas intensivas, com a ajuda do meu treinador mas principalmente no meu colégio.

 

Gilberto Guibunda

 

 

Fonte:Desafio

Patinagem projecta “Nacional”

 

Nicolau Manjate, presidente da Federação Moçambicana de Patinagem (FMP), considera que já há condições mínimas para que dentro de pouco tempo o país possa testemunhar a sua primeira competição de âmbito nacional em cerca de 43 anos de independência.

 

O dirigente, que falava há dias ao desafio, explicou que numa primeira fase a primeira competição de âmbito nacional será a nível da formação, porque já existem condições mínimas para o efeito, tendo em conta que para além de Maputo a modalidade é disputada com alguma regularidade em Quelimane, província de Zambézia, e já há bons sinais em Nampula, por isso podemos sonhar com esta competição de âmbito nacional primeiro nos juvenis, revela o presidente.

 

Para já a cidade da Beira é projectada para sediar esta primeira competição nacional, até porque, segundo Manjate, Sofala pode-se dar por feliz por ter neste momento um pavilhão (Ferroviário da Beira) em condições de movimentar a modalidade. Por isso estamos a pensar que seja o melhor sítio para acolher esta prova, até porque está no centro. Numa primeira fase não podemos considerar como sendo um “Nacional”, mas um intercâmbio que abriria espaço para um “Nacional”, porque a nossa prioridade é levar o hóquei para fora de Maputo, tendo Zambézia e Nampula como pontos estratégicos para atacar as zonas centro e norte do país, explica.

 

Atanásio Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

Chissano quer mais reforços

 

O técnico do Ferroviário da Beira, João Chissano, quer mais reforços para o “seu” Ferroviário da Beira.

 

O técnico refere que fazem parte do plantel jovens muito talentosos, mas a sua lapidação levaria tempo demais, e em função dos objectivos e da grandeza do Ferroviário da Beira precisa-se ter jogadores talentosos e experientes para responder de imediato à intenção de vencer.

 

Há previsão da chegada de alguns jogadores para o Ferroviário da Beira que vão tentar convencê-lo de que podem ser a aposta certa para os objectivos traçados para a presente temporada, que passam por vencer todas as competições em que os locomotivas do Chiveve estejam inseridos, mas o técnico escusou-se a referir os nomes. Recorde-se que para a presente temporada foram anunciados como reforços para o Ferroviário da Beira o avançado Lineker (ex-Costa do Sol), os defesas Stélio (ex-UD Songo), Barnabas (ex-Ferroviário de Maputo), além de Joaquim (ex-1º de Maio de Quelimane) em maior destaque, depois das saídas de Amorim e Chelito para a União Desportiva do Songo.

 

 

Fonte:Desafio

Nacir tem a missão de qualificar o Chingale ao Moçambola-2019

 

O Chingale acaba de contratar Nacir Armando, com a missão clara de devolver os tetenses ao Moçambola-2019. O técnico, segundo Zito Pires, director desportivo, já se encontra em Tete desde a semana passada para montar a estrutura do plantel para 2018 e dar início aos trabalhos de preparação da época.

 

Este ano o Chingale volta a encetar a luta para o regresso ao Moçambola e escolheu para o arquitecto dessa intenção o técnico Nacir Armando, que no ano passado não conseguiu levar a Associação Desportiva de Macuácua a bom porto, depois de ter sido Sebastião Sitoe a iniciar os trabalhos. Para o director desportivo do Chingale de Tete, Zito Pires, Nacir tem a tarefa de devolver a mística à equipa tetense.

 

Nacir tem a missão de devolver o Chingale ao Moçambola, de onde nunca devia ter saído. Temos estrutura de uma equipa do Moçambola e só descemos de divisão por causa do que já foi referido anteriormente. Temos plena confiança em Nacir Armando e acreditamos que o Chingale vai regressar ao Moçambola em 2019, disse, confiante, o director desportivo do Chingale, que acrescentou que Nacir é bom trabalhador e gosta de ganhar. Espero que se mantenha até ao fim da época e que juntos possamos transitar ao Moçambola.

 

Joca Estêvão

 

 

Fonte:Desafio

A médio prazo o ENH vai entrar na luta pelo título!

 

O presidente do ENH, Daúto Rugnate, prometeu que o ENH vai lutar pelo título, um objectivo que se pretende seja a médio prazo.

 

Para 2018, segundo o dirigente dos hidrocarbonetos, vão fazer de tudo para melhorar a classificação, depois do nono lugar no ano passado. Entretanto, garantidos estão já onze reforços.

 


A não continuidade de João Chissano no ENH de Vilankulo trouxe alguns constrangimentos no início da preparação da presente temporada. Mas, segundo Daúto Rugnate, presidente da colectividade, é uma situação entendível, tendo em conta a dinâmica das matérias da vida, e do futebol, em particular.

 

A saída do técnico colheu-nos de surpresa, uma vez que o contrato que o ligava ao ENH terminaria em finais de Fevereiro. Contávamos com ele para esta temporada, mas acabámos entendendo que tinha outros desafios e aceitámos a sua vontade. São coisas da vida, do futebol, em particular, lamentou Rugnate.

 

O dirigente dos hidrocarbonetos não se quis abrir no jogo sobre o nome do próximo treinador que vai substituir João Chissano no comando técnico, referindo que no momento certo a Direcção do clube iria comunicar a escolha do elemento que vai conduzir a sua equipa este ano.

 

Estamos a trabalhar no assunto. No momento certo iremos informar que será o treinador. Neste momento a equipa trabalha com Eurico da Conceição e Artur Romão, que foram os adjuntos na temporada passada. Eles é que estão a assegurar o trabalho neste momento, disse Daúto Rugnate.

 

Joca Estêvão

 

Fonte:Desafio

Vamos construir uma equipa do futuro

 

Depois de a Liga Desportiva de Maputo ter terminado a época passada na 6ª posição na tabela classificativa, com 44 pontos, os mesmos que o Desportivo de Nacala, mas em desvantagem no confronto directo, Akil Marcelino conseguiu garantir a manutenção… e este ano não promete títulos.

 

Longe daquela ambição que nos habitou desde que entrou para o Moçambola, a Liga Desportiva de Maputo, que conta com 10 títulos na sua prateleira, entre campeonatos, Supertaças e Taça de Moçambique, este ano a Direcção do clube decidiu mudar de plano e abraçou novos projectos, colocando as suas prioridades na formação, mas sem com isso descurar das vitórias.

 

Cerca de dois anos depois, o técnico Akil Marcelino retorna ao Moçambola para abraçar o projecto da Liga Desportiva de Maputo, na sequência da demissão de Daúde Razaque do cargo de treinador principal

por maus resultados tidos no Moçambola passado e do afastamento da Taça de Moçambique.

 

– Não vale a pena estar a nos enganar a nós mesmos se pensarmos que com esta equipa poderemos conquistar títulos! Se a Liga pudesse comprar jogadores à altura as suas ambições iriam para além de uma manutenção. Temos que ser realistas, não temos matéria-prima e estamos cientes disso. Vamos lutar para construir uma equipa competitiva que possa ombrear com os grandes clubes do país. É natural que iremos também jogar para ganhar jogos, mas o nosso objectivo não passa pela conquista do título este ano, assume o treinador da formação da Liga.

 

REFORÇOS

 

Defesas: Pinto e António, Gerson (ex-Costa do Sol) e Gervásio

(ex-UP Lichinga)

Médios: Caldino, Ambino e Nonó (ex-1º de Maio de Quelimane),

Mapanguene (ex-Maxaquene) e Blessing (ex-Têxtil)

Avançados: Amilton (ex-UP Lichinga)

 

Raimundo Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

Danilo regressa aos tricolores

 

O Maxaquene ainda não conseguiu apresentar caras novas atractivas na presente temporada, mantendo os 19 jogadores que transitaram do ano passado e mais alguns juniores que ascendem à equipa principal.

 

Na defesa, lembre-se, o Maxaquene perdeu o concurso de Nélson para o Ferroviário e contratou Anselmo (ex-Estrela Vermelha), mas ainda não consegue convencer aos apaniguados que amiúde acompanham os trabalhos da sua equipa, que consideram ser necessária a contratação urgente de unidades que confiram consistência àquele sector.

 

O defesa Silva (ex-ENH)  é um dos elementos que corre no Maxaquene com intenção de impressionar a equipa técnica, concorrendo para posições onde Antoninho deposita mais confiança em Campira e Manuelito I.

 

Dos vários jogadores que chegaram este ano ao Maxaquene, Danilo parece ser o elemento de maior peso.

 

O jogador, recorde-se, não conseguiu ter espaço para jogar no Songo, quando foi levado por Chiquinho Conde, porque o plantel dos campeões nacionais tinha outras alternativas consideradas melhores, e não podendo continuar ao serviço dos hidroeléctricos devido ao aumentou da concorrência em 2018, decidiu regressar ao Maxaquene, onde se fez jogador nas camadas de formação, juntamente com Candinho, Bruno, entre outros, esperando-se que venha a ter mais oportunidades para jogar.

 

Joca Estêvão

 

 

Fonte:Desafio

Canário “desintoxica” com vitórias em Nelspruit

 

Duas vitórias e um empate, foi o que até aqui a equipa do Costa do Sol conseguiu produzir no estágio de pré-época que efectua desde semana passada em Nelspruit, na vizinha África do Sul com vista a entrar na presente época na máxima força.

 

Hoje, a turma canarinha realiza o último jogo diante do TS Sporting, o desafio está agendado para as 15:00 horas.

 

O técnico argentino Leonardo Costas, que agora segura o leme do clube canário em substituição do português, Nélson Santos tem privilegiado a recuperação física dos jogadores, sendo que os treinos tem sido repartidos entre jogos e ginásio.

 

Os aspectos técnicos e tácticos são também observados ao rigor por forma a garantir que a equipa apresente-se da melhor forma. Para os técnicos, os jogadores tem reagido positivamente face a filosofia do jogo e o modelo que se pretende que seja incutido na equipa. “ A nossa maior preocupação é garantir com que a os jogadores estejam em condições físicas para ganhar ritmo desejado, para enfrentar da melhor forma os compromissos em que estaremos envolvidos”, disse Artur Faria, director desportivo em conversa telefónica mantida com a nossa Reportagem.

 

Raimundo Zandamela

 

 

Fonte:Desafio

Chiquinho acerta esqueleto mesmo com derrotas na RAS

 

A União Desportiva do Songo somou uma vitória e três derrotas nos jogos até aqui disputados no estágio da África do Sul.

 

A UDS vai defrontar amanhã (terça-feira) a formação do Wits, de Dominguez, no seu quinto jogo de preparação da presente temporada. Depois deste jogo está agendada uma partida frente ao Black Aces. Ontem (domingo), na sua única vitória nestes jogos na terra do rand, a equipa de Chiquinho Conde derrotou o Nedbank Eleven por 3-0, com golos de Mamudu, Lau King e Mário Sinamunda. Os três confrontos anteriores saldaram-se em derrotas. Recorde-se que na primeira partida os campeões nacionais defrontaram o Jomo Cosmos, tendo perdido por 3-2. No segundo jogo a derrota dos hidroeléctricos foi frente ao Orlando Pirates, por 2-0, voltando a perder diante do Highland Park por 2-1.

 

Além das partidas frente ao Wits e Black Aces, a União Desportiva do Songo poderá realizar mais dois jogos antes do regresso a Moçambique, onde irá defrontar o Costa do Sol a 3 de Fevereiro. Recorde-se que o Songo vai jogar com o Ngaya Club, das Comores, na pré-eliminatória da Liga dos Campeões de África.

 

Joca Estêvão

 

 

Fonte:Desafio

LURDES MUTOLA VAI TRABALHAR COM O MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS

Maria Mutola.jpg

 

A ex-atleta moçambicana Lurdes Mutola, medalha de ouro dos 800 metros nos Jogos Olímpicos de Sidney-2000, vai trabalhar em coordenação com o Ministério da Juventude e Desportos no apoio ao desenvolvimento do desporto no país.

 

De acordo com a Bola-Moçambique, Lurdes Mutola respondeu positivamente ao convite da Ministra da Juventude e Desportos, Nyeleti Mondlane, que vê na campeã olímpica e tricampeã do Mundo dos 800 metros, uma referência para o nascimento de outros atletas que possam brilhar além-fronteiras.

 

Lurdes Mutola manifestou abertura e disponibilidade em colaborar com o Ministério da Juventude e Desportos, para o desenvolvimento do desporto escolar e empoderamento da juventude.

 

Fonte:RM-RMD