Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Moçambique já conhece adversários

 

MOÇAMBIQUEdefrontará o Zimbabwe, as Seychelles e o Madagáscar no Grupo “B” do Torneio de Futebol da COSAFA, a ter lugar de 25 de Junho a 9 de Julho na África do Sul, de acordo com o sorteio realizado ontem.

 

A Selecção Nacional fará a sua estreia no dia 26 de Junho e dois dias depois jogará com as Seychelles e por último frente a Madagáscar.

 

O objectivo dos “Mambas” é terminar o grupo no primeiro lugar, o único que dá acesso aos quartos-de-final. Esperam-se jogos renhidos, sobretudo diante dos “Guerreiros” do Zimbabwe, teoricamente o adversário mais forte. Caso o combinado nacional siga em frente terá à espera a Suazilândia, isento da fase de grupos.

 

O Grupo “A”, por seu turno, é composto por Angola, Tanzânia, Maurícias e Malawi. O vencedor jogará com a África do Sul, também isento da fase de grupos.

 

Igualmente afastados da primeira fase devido às últimas boas prestações, para os quartos-de-final, Botswana e Zâmbia medem forças, numa reedição da final de 2015, enquanto a Namíbia, vencedora da edição2015, jogará com o Lesotho.

 

África do Sul, Zâmbia e Zimbabwe já venceram o torneio por quatro vezes. Angola soma três títulos e Namíbia um. Moçambique já marcou presença em duas finais, tendo perdido diante da África do Sul (2008) e Namíbia (2015).

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Gigantes transitam

 

 

COSTA do Sol e Liga Desportiva de Maputo qualificaram-se para fase nacional da Taça de Moçambique ao vencerem o Desportivo (3-2) e Matchedje (2-0), respectivamente,  confirmando o rótulo de favoritos.

 

Vulcano também seguiu em frente ao vencer o Nacional, por 1-0. Recorde-se que na terça-feira, na partida que abriu a eliminatória, o Maxaquene bateu o Estrela Vermelha, por 3-1. Fica adiado para uma data a anunciar o Ferroviário-Águias Especiais.

 

O Costa do Sol sofreu a bem sofrer para levar de vencida o Desportivo. A equipa “alvi-negra” surpreendeu ao entrar ao ataque e aos dois minutos já ganhava. Eugénio, na sequência de um desentendimento entre o defesa Chico e Txando, aproveitou para gelar as bancadas do Costa do Sol. Mas a festa dos “alvi-negros” durou pouco tempo, já que os “canarinhos” chegaram ao empate através de um livre. Kito cruzou e Chico, livre de marcação, cabeceou certeiro, perante o desespero do treinador Erasmo Ceifane, que tanto apelou para a marcação.

 

Que início de jogo electrizante. Em quatro minutos, dois golos. Nas bancadas o público estava animado. Queria ver mais golos e Malate fez  a vontade dos adeptos do Desportivo. Com um cabeceamento imparável voltou a balançar as redes de Txando. Com um esquema de jogo arrojado, estavam lá os “alvi-negros” dispostos a contrariarem o favoritismo “canarinho”. Feridos na alma e no orgulho, os treinados de Nelson Santos puxaram dos galões e por pouco restabeleciam a igualdade. O gigante ganês Idrissu quis colocar a bola junto ao poste, mas acabou tirando mal as medidas da baliza de Stefane. Idrissu não desistia. Estava motivado após o golo apontado diante da UD Songo no último domingo para o Moçambola.

 

Há um penalte a favor dos “alvi-negros” a castigar falta de Aguiar sobre Malate. O árbitro não hesitou em apontar para a marca da grande penalte. A responsabilidade da marcação estava do lado de Eugénio, autor do primeiro golo, mas que desta vez perdeu no duelo com Txando, que bem adivinhou para o lado onde ia a bola. O Desportivo perdia uma soberana oportunidade de aumentar a vantagem. Pela forma como a equipa “alvi-negra” se exibia, parecia ser a de primeira linha e não ao contrário como se previa. A verdade é que o Costa do Sol se pode dar por satisfeito por não ter saído a perder por mais, já que fazia muito pouco para empatar enquanto os visitantes ficaram mais perto do 3-1, quando Milton atirou à trave.

 

Na segunda parte,  a turma “alvi-negra” baixou as linhas, oferecendo a iniciativa de jogo ao Costa do Sol que não encontrava argumentos para esboçar uma jogada com princípio, meio e fim. Só de bola parada, na marcação de um livre é que criou apuros. Isac obrigou Stefane a uma defesa para canto. Apesar de não encontrar o caminho para gizar a baliza adversária, o Costa do Sol continuava a acreditar que era possível chegar ao golo e foi numa situação de bola parada, desta feita, na marcação de um pontapé de canto que os “canarinhos” chegaram ao empate. Chico elevou-se mais alto e cabeceou certeiro, fazendo o seu segundo golo e acima de tudo evitando uma eliminação da sua equipa, pelo menos no período regulamentar.

 

Logo no início do prolongamento, o Desportivo poderia ter marcado. Dinis, isolado, chutou para a defesa da tarde de Txando, na jogada relevante dos primeiros 15 minutos. O último quatro de hora foi de sonho para o Costa do Sol, visto que no primeiro minuto passou para a frente no marcador com um golo outra vez de cabeça de Mbulu, com Kito a fazer um cruzamento com conta, peso e medida.

 

O Desportivo ainda tentou correr atrás do prejuízo, mas já não tinha discernimento para evitar a eliminação.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Paulo Jones, auxiliado por Ivo Muiambo e Chadeque Cumbe. Quarto árbitro: Jorge Chavane.

 

C. SOL:  Txando; Aguiar (Manucho), Gerson e Chico; Lolo, Dito, Kito,  Artur (Ruben) e Isac; Lineker e Idrissu (Mbulu).

 

DESPORTIVO: Stefane; Beto, Luís, Alexandre e Marcoa; Malate, Milton, Dário e Arsénio (Dinis); Eugénio (Dinho) e Stélio (Milagre).

 

DISCIPLINA: Cartões amarelos para Dito, Eugénio e Marcoa.

 

IVO TAVARES

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Ferroviário “assalta” segundo lugar

 

O FERROVIÁRIO de Maputo foi à Beira, na tarde de ontem, bater o seu homónimo desta cidade, por uma bola sem resposta, em partida do acerto de calendário da 12ª jornada do Moçambola-2017, isolando-se no segundo lugar, agora com 24 pontos, menos dois que o líder UD Songo.

 

Vitória importantíssima para a turma da capital do país que tirou a Liga Desportiva do segundo posto e relegou o Costa do Sol do terceiro para o quarto lugar. Entretanto, em Tete, o Chingale não foi para além de um nulo na recepção ao Ferroviário de Nampula, enquanto em Lichinga a UP ficou-se pelo mesmo resultado no duelo com o Chibuto.

 

Estes desafios são referentes à 10ª jornada. Com efeito, o Ferroviário de Nampula saiu do sexto para o quinto lugar (em troca com o derrotado Ferroviário da Beira), com 18 pontos; o Chingale mantém-se no 15º com nove, o Chibuto permanece no sétimo, agora com 17 e a UP Lichinga fica no 10º posto, com 14 pontos.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Chanaya Pinto: o presente do futuro

 

Do outro lado do atlântico, precisamente em Portugal, há talentos do país a firmarem-se e a colocarem as suas equipas nos lugares de pódio. Um destes talentos, presente do futuro no basquetebol moçambicano, é Chanaya Pinto (na fotografia acima, no meio). No alto dos seus 1.80 metros, aos 17 anos, Chanaya Pinto tem arrancado excelentes exibições e ajudado o Quinta do Lombos, clube que representa, a lutar pela conquista de títulos.

 

Recuando no tempo e estacionando no mês de Fevereiro, Chanaya foi preponderante (com 18 pontos) na vitória do Quinta do Lombos diante do Algés da compatriota Carla Budane (59-42) e consequente conquista do Campeonato Distrital de Lisboa. O seu potencial extravasa a fronteira de clube porquanto, ano passado, foi umas as pedras de toque da selecção nacional de basquetebol sub-16 que conquistou a medalha de ouro nos Jogos da CPLP, na cidade da Praia, em Cabo Verde.Um percurso nas selecções de formação no qual constam presenças nos Jogos do SCASA, em 2014, no Zimbabwe, e Afrobasket sub-16, em Antananarivo, Madagáscar, em 2016.

 

Formada no Costa do Sol, Chanaya Pinto rumou depois para o Ferroviário de Maputo, onde começou a fazer estragos ainda muito nova.

 

Em Agosto de 2016, destacou-se no campo de treinos da NBA em África ao ser considerada melhor jogadora (MVP). Qualidades que, em Fevereiro último, valeram a sua chamada para o campo de treinos da NBA, nos EUA. Um sonho, de resto, realizado até porque teve a oportunidade de estar ao lado de grande de grandes referências do basquetebol mundial. “Foi uma experiência muito fantástica da qual nunca irei esquecer. Aprendi muita coisa e conheci muitas pessoas maravilhosas, e tive a oportunidade de ver as estrelas do basquetebol americano”, manifestou Chanaya Pinto, visivelmente emocionada.

 

Falando da sua integração no basquetebol português, concretamente no Quinta do Lombos, onde joga ao lado da sua compatriota Carla Covane, a promissora atleta notou que, gradualmente, familiarizou-se com a realidade que encontrou naquele país europeu. “Pressuponho que fiz uma boa integração, sendo que este é o meu segundo ano no clube. Já estou muito mais adaptada ao modelo de jogo do basquetebol português”, observou Chanaya Pinto. Quanto as diferenças entre o basquetebol moçambicano e português, Chanaya Pinto referiu que há uma diferença muito grande. “Não existe comparação possível. O basquetebol português tem mais rodagem em termos de equipas e condições em relação a Moçambique”, disse a poste, para depois falar da “evolução” que o basquetebol moçambicano “está a ter”. A medalha de ouro nos Jogos da CPLP, em 2016, frisou: “salientar que o basquetebol moçambicano tem evoluído imenso e isso deixa-me feliz. Porque já posso acompanhar alguns jogos que decorrem em Moçambique em minha casa em Portugal”.

 

Sobre a conquista do Campeonato Distrital de Lisboa, em Fevereiro, a atleta diz: “Acho que não houve segredo, para mim o maior segredo é que trabalho individual ganha jogos mas o trabalho em equipa ganha campeonatos e a minha equipa é muito unida”, destacou.

 

Outrossim, abordou a conquista do trofeu de melhor marcadora, bem como a indicação para o cinco ideal do Campeonato Distrital de Lisboa. “Bem, estou feliz sendo que é o meu primeiro ano no escalão sub-19, a jogar com pessoas mais velhas que eu e ganhar estes troféus. Isto é uma prova de que o trabalho compensa”.

 

 

Fonte:Opais

Ferroviário da Beira recebe o de Maputo

 

 

 

O FERROVIÁRIO da Beira recebe, esta tarde, às 15.00 horas, o seu homónimo de Maputo em partida de acerto da 12.ª jornada do Moçambola-2017.

 

O encontro devia ter se realizado no fim-de-semana passado, mas, porque o Ferroviário da Beira tinha compromissos na Liga dos Campeões Africanos, acabou adiado para esta tarde e tudo indica que será bastante renhido, uma vez que os “locomotivas” do Chiveve, jogando no seu “ninho”, tentarão recuperar o terreno perdido. Neste momento, o Ferroviário de Maputo ocupa a terceira posição com 21 pontos, menos um que o segundo classificado, a Liga, e em caso de vitória troca de posição com este. O Ferroviário da Beira, por sua vez, está em quinto com 17 pontos e mesmo que vença manter-se-á na mesma posição, uma vez que o quarto, o Costa do Sol, tem 21.

 

Ainda hoje, o Chibuto e o Ferroviário de Nampula medem forças com a UP Lichinga e o Chingale, respectivamente, em jogos de acerto da 10.ª jornada, com os olhos apontados para o quito lugar.

 

Mas a tarefa do Chibuto e do Ferroviário de Nampula não se adivinha fácil visto que ambos jogam fora. Os “guerreiros” ocupam o sétimo lugar com 16 pontos, enquanto os “locomotivas” estão na sexta posição com 17. Na mira de ambos está o Ferroviário da Beira, o campeão em título, que soma também 17 pontos e pode cair dois lugares, caso os gazenses e nampulenses vençam.

 

Por outro lado, a UP Lichinga, no 11.º lugar, precisa de vencer para sair de perto da zona de despromoção, enquanto o Chingale, no 15.º, está mesmo na zona de descida e precisa de somar os três pontos para recuperar o terreno. 

  

O Moçambola é liderado pela UD Songo com 26 pontos.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Alice Mabota responde aos pais da atleta: Só largo Edmilsa por decisão judicial

 

ALICE Mabota, presidente da Liga dos Direitos Humanos (LDM) e advogada que acolhe e assiste Edmilsa Governo no diferendo com os seus progenitores, afirma que não está preocupada com as acusações dos pais da atleta e que só irá a largar depois da decisão judicial definitiva dos processos que já correm seus trâmites no tribunal.

 

Fonte:Jornal Noticias

Município lança concurso para requalificação: Luz no fundo de túnel ilumina “Repinga”

 

 

 

FINALMENTE, o Circuito de Manutenção Física António Repinga, na capital do país, pode voltar a ser um verdadeiro espaço ao serviço do desporto e exercícios físicos, muitos anos depois de total abandono.

 

O circuito vai à requalificação a ser levada a cabo pelo Conselho Municipal, proprietária do espaço, tendo já lançado concurso público de selecção de empreiteiro para a execução das obras através do Pelouro das Actividades Económicas.

 

 O concurso sob o número 05/PPP/VAE/CMM/17, foi lançado na quarta-feira e surge no âmbito da parceria público-privada implementada de há alguns anos para cá pelo município da capital do país tendo em vista a construção e reabilitação de empreendimentos públicos e interesse social.

 

Este pode ser o prenúncio do fim da anarquia no “Repinga” e um balão de oxigénio para muitos utentes daquele circuito de manutenção física que nos últimos anos tem apresentado uma imagem desgastada e, acima de tudo, arrepiante, com capim, água estagnada, répteis, marginais e criminalidade a caracterizar o recinto.

 

Esta é igualmente uma vitória para o desporto nacional, pois para além de cidadãos anónimos o circuito tem sido palco de preparação física de muitas equipas e selecções nacionais de diversas modalidades. Na fase de pré-época futebolística no país, é comum alguns clubes, da cidade de Maputo darem os primeiros passos no “Repinga”, hábito que vinha desaparecendo nos últimos anos devido à inospitalidade do recinto.

 

Entretanto, não é conhecida a data prevista para o arranque das obras do melhoramento, mas tudo leva a crer que vão acontecer ainda este ano, portanto pode-se dizer que já há uma luz no fundo de túnel.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Edmilsa acusa família de gestão danosa do seu dinheiro

 

A ATLETA paralímpica Edmilsa Governo, medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro-2016, acusa a sua família, nomeadamente os pais, de maus-tratos e de gestão danosa do seu dinheiro ganho na sequência do sucesso nas competições internacionais em que tem vindo a participar

 

Fonte:Jornal Noticias

Costa do Sol quebra invencibilidade do Ferroviário "A"

 

Pela primeira vez o Ferroviário "A" perde uma partida no Campeonato de basquetebol sénior feminino da Cidade de Maputo (2017) e não foi por pouco: 66-55! O Costa do Sol, que na última semana derrotou o Ferroviário "B" (52-46), obrigou mais uma "locomotiva" a descarrilar.

 

A derrota não coloca em causa a liderança da prova, mas  aproximou ainda mais o Costa do Sol e o Ferroviário "B" do topo. Em segundo lugar, as "canarinhas" têm 19 pontos, menos um que o Ferroviário "A", líder da prova. O Ferroviário "B", em terceiro lugar, tem 16 pontos, mas com menos um jogo.

 

Já em masculinos, há que destacar a enorme dificuldades que o invicto  Ferroviário teve para bater o Costa do Sol, na terça-feira. Os líderes só suspiraram de alívio nos últimos segundos, vencendo por três pontos (68-65), após estarem em desvantagem até quase ao fim da partida. Confira os resultados da semana e as respectivas classificações.

 

Deanof Potompuanha

 

 

Fonte:Desafio

Marrocos e Ruanda campeões africanos

 

Com Moçambique fora da rota do título, a discussão do título ficou entre Marrocos (ambos os sexos) África do Sul(masculinos) e Ruanda (femininos).

 

Marrocos (em masculinos) sem qualquer dificuldade a suplantou sem dificuldades a África do Sul por dois a zero e garantirem a medalha de ouro. O mesmo apontava que seriam, igualmente, as marroquinas, depois duma entrada cintilante, a conquistarem o ceptro, mas as ruandesas contrariam este favoritismo e levaram o ouro para o país de Paul Kagame. A Ruanda venceu a partida por dois a um.

 

Gilberto Guibunda

 

Fonte:Desafio