Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Equipas nacionais redimem-se

 

O FERROVIÁRIO de Maputo e a Apolitécnica, representantes moçambicanos na Taça dos Clubes Campeões Africanos em Basquetebol Feminino, redimiram-se ontem perante os seus adversários na sua segunda aparição na prova, depois de uma estreia inglória na sexta-feira e sábado, respectivamente.

 

A campeã Ferroviário derrotou o Kenya Ports Authority, por 84-58, depois da derrota no jogo inaugural com o Interclube de Luanda, por 42-57, isto no Grupo A. Por seu turno, a Politécnica venceu United States Internacional University, também do Quénia, por 53-41, após quedar-se frente ao First Bank da Nigéria, por 59-65, no Grupo B.

 

O Ferroviário volta a entrar em cena esta noite, a partir as 18.00 horas, diante da FAP dos Camarões, enquanto a Apolitécnica fica hoje de fora.

 

 

LOCOMOTIVAS” PASSEIAM CLASSE

 

 

As “locomotivas” não deram trela à equipa adversária, assumindo uma postura ofensiva bastante forte logo à partida, o que facilitou bastante as suas manobras dentro do rectângulo do jogo. Entrando de início com o mesmo cinco do jogo da estreia, tendo outra vez Anabela Adriana como esteio no ataque, isto pelo corredor direito, o Ferroviário surpreendeu pela positiva pela velocidade com que abordava o seu jogo. Aliás, foi muito feliz nas alternâncias que foi experimentando ao longo do prélio, com as jogadoras a corresponderem às expectativas do técnico Leonel Manhique.

 

Assistiu-se ontem a uma equipa “locomotiva” técnica e tacticamente apurada e com uma forte mobilidade. Aliado a isso, estava a vontade de vencer e com essa postura o Ferroviário acabou tendo a missão bem facilitada diante de um adversário que deu réplica, mas sem no entanto poder quebrar a velocidade e o ritmo com que as “locomotivas” se desdobravam no terreno.

 

Pela eficácia ofensiva e excelente capacidade de finalização colectiva, valendo-se da excelente prestação das norte-americanas Rachel Mitchell e Brea Morgan, para além das grandes contribuições de Ingvild Mucauro, Elizabeth Adelino e Ana Suzana, a campeã nacional teve os caminhos abertos para a concretização dos seus objectivos e foi pontuando ao ritmo do cronómetro perante umas quenianas que denotaram muitas fraquezas, sobretudo no seu sector defensivo.

 

As quenianas foram muitas vezes surpreendidas em contra-ataque, para além da dificuldade de segurarem o seu jogo quando partissem para o ataque, mas arrancaram algumas faltas que lhes ajudaram a elevar a fasquia no marcador, mas sem contudo poder estancar o poderio ofensivo das “locomotivas”, que chegaram ao fim da primeira parte vencendo com a diferença de 21 (48-27), com a extremo poste Anabela Adriana em destaque no marcador, com um total de 11 pontos frutos de três triplos e dois lançamentos livres.

 

Com esta vantagem, as “locomotivas” entraram para a segunda parte mais relaxadas e já contavam com 50 por cento de vantagem sobre as quenianas (60-30) ao fim da primeira metade do terceiro período, numa altura em que as quenianas acusavam incapacidade de resistência perante a grandeza da campeã nacional. Não espantou a ninguém que ampliassem a vantagem para 66-34 ao fim deste período. Mais uma vez, Anabela Adriana chamou a si a responsabilidade nas manobras ofensivas, rasgando o meio-campo adversário pela direita para fazer bem o que sabe. Fez mais três triplos ampliando a sua contagem individual para 22 pontos. Nessa altura, o Ferroviário estava bem embalado no ataque e a contagem foi engordando enquanto o jogo caminhava para o fim. Portanto, encerrou o terceiro período com 32 pontos de vantagem (66-34) e não precisou de muito esforço para fazer mais 18 pontos, fixando o resultado final em 84-58. 

 

FICHA TÉCNICA

 

FERROVIÁRIO: Ingvild Mucauro, Odélia Eusébia, Rachel Mitchell, Anabela Adriana e Ornélia Pérola.

 

KPA: Mercy Ayitso, Natalie Akinyl, Indasi Luvandwa, Belinda Aluoch e Selina Adongo.

 

UNIVERSITÁRIAS” PERSISTENTES 

 

 

A Apolitécnica arrancou ontem uma vitória preciosa sobre a United States Internacional University do Quénia (53-41), deixando a impressão que não está apenas para participar, mas sim corresponder positivamente ao convite da FIBA-África para colmatar a vaga deixada em aberto pelo INSS da RDCongo.

 

Este resultado abriu espaço para uma nova abordagem desta competição pelas “universitárias”, terceiras classificadas no último “Nacional”, que estão num grupo onde está a campeã africana 1º de Agosto. A turma moçambicana teve um início fulminante pela excelente eficácia com que se exibiu durante toda a primeira parte até à entrada do terceiro período.

 

Porém, começou a afrouxar perante o despertar da equipa queniana que, até ao intervalo, perdia por 31-19. Foi nesse ritmo algo apático que se debateu com alguma crise, sobretudo no seu sector defensivo, permitindo que as quenianas lograssem os seus intentos na sequência da pressão que já exerciam no reduto das universitárias, arrancando faltas que lhes permitiram amealhar mais pontos e reduzindo desse modo a desvantagem para sete pontos ao fim do terceiro período (39-32).

 

Foi necessário paciência e muita determinação no último período, altura em que as quenianas já acreditavam numa reviravolta para o golpe já na recta final. Chegaram a reduzir a vantagem das “universitárias” para oito pontos, a dois minutos do fim da contenda, mas o triplo de Isabel Carlos, a jogadora mais ousada no ataque da Apolitécnica, relançou a confiança na turma moçambicana, que foi obrigada a rever já na etapa final e de minuto a minuto o seu estilo de jogo para fazer face às adversidades que lhes eram impostas pelas quenianas.

 

O técnico da Apolitécnica, Hélio Sousa, foi monitorando o jogo com pedido de descontos de tempo para acertar na estratégia da actuação da sua equipa. Foi assim que conseguiu estabelecer vantagem de 10 pontos (51-41) a 40 segundos do término da partida. A partir daqui, a Apolitécnica começou a fazer contenção do tempo, com mais circulação de bola e saiu-se bem neste aspecto até que Benezita Argentina furou a zona do garrafão para arrancar mais dois pontos a cinco segundos do fim da contenda, fixando o resultado final em 53-41 para o gáudio dos moçambicanos que apoiavam e aplaudiam com muita emoção a actuação da equipa da casa.

 

FICHA TÉCNICA

 

APOLITÉCNICA: Benezita Argentina, Isabel Carlos, Yolanda Cecília, Carmen Rosária e Nilza Valente.                                                                                                                                                                       

UNITED STATES UNIVERSITY DO QUÉNIA: Cynthia Irankunda, Diane Nikuze, Melissa Otieno, Georgia Otieno e Maureen Afwance.

 

JOGOS E RESULTADOS

 

HOJE

Grupo A

 

13:30 h – Etoile Filante Togo-KPA Quénia

18:00 h – FAP Camarões-Ferroviário

Grupo B

 

15:45 h – USIU Quénia-1º Agosto

20:15 h – GSP Argélia-First Bank Nigéria

 

SEXTA-FEIRA

 

Grupo A

 

KPA Quénia-FAP Camarões (42-57)

Ferroviário-Interclube Angola (43-57)

Sábado

 

Grupo B

 

1º de Agosto Angola-GSP Argélia (74-57)

First Bank Nigéria-Apolitécnica (65-59)

 

 Ontem

 

Grupo A

 

Etoile Filante Togo-Interclube (30-94)

KPA Quénia-Ferroviário (58-84)

Grupo B

USIU Quénia-Apolitécnica (41-53)

1º de Agosto Angola-First Bank Nigéria (76-62)

 

Fonte:Jornal Noticias

É preciso implementar o plano de acção nacional

 

CAIU sexta-feira o pano sobre o 1.º Seminário de Consulta das Partes Interessadas: “Anti-doping com Valor Chave no Desporto Moçambicano”, e o Ministro da Juventude e Desporto (MJD), Alberto Nkutumula, deixou como ponto essencial a implementação do documento esboçado durante os três dias de encontro (23, 24 e 25 de Novembro).

 

Paralelamente aos resultados advindos deste histórico I Seminário de Consulta de Partes Interessadas: Anti-Doping Como Valor-Chave no Desporto Moçambicano, deixamos manifesta a nossa maior recomendação de ver, a breve trecho, elaborado e implementado o plano de acção a nível nacional, evitando todo e qualquer acto de procrastinação”, afirmou.

 

Alberto Nkutumula afirmou que o balanço é positivo. “Depois de três dias de trabalho árduo, chegamos a estes derradeiros momentos do nosso seminário, reconfortados e motivados pelos resultados dos debates aqui havidos, em torno de temas de capital importância para a vida dos nossos atletas e do desporto nacional em geral”, comentou.

 

Acrescentou que a protecção do atleta, o principal objecto do desporto, ficou aqui salvaguardada. “Já no primeiro dia dos nossos trabalhos, destacávamos o facto de o nosso país estar preocupado, acima de tudo, em proteger o maior valor que o desporto possui, o atleta. É justamente nesse objectivo onde reside o nosso sentimento de reconforto, pois agora, através das ideias aqui afloradas, está aberto um caminho viável para o alcance de um ambiente desportivo são, capaz de garantir um bem-estar físico e psicológico nas competições”, frisou.

 

Refira-se que foram abordados diferentes temas sobre “doping” (Doping No Desporto E Seus Efeitos Nocivos: Definição de Doping, Substâncias Proibidas e Métodos de Controlo E Prevenção), “Anti-Doping Em Moçambique: História, Desafios e Oportunidades”, tendo cada um deles sido alvo de uma profunda reflexão.

 

O evento foi promovido pelo MJD em parceria com a Agência Nacional de Anti-Dopagem (AMOCAD) e UNESCO.

 

DEOLINDA NGULELA NOMEADA EMBAIXADORA

 

A BASQUETISTA moçambicana Deolinda Ngulela foi nomeada embaixadora no combate “anti-doping” em Moçambique. O anúncio foi feito pelo Ministro da Juventude e Desporto, Alberto Nkutumula, que argumentou a escolha da atleta por esta ser um exemplo de desportista disciplinada, competente e que muitas alegrias deu ao país a nível nacional e internacional nas suas passagens pela selecção e pelos clubes, onde foi campeã africana.

 

Deolinda Ngulela é um bom exemplo para o nosso desporto. Ela será a imagem nessa luta de combate ao “doping”. Tem qualidade para incutir valores de ética, disciplina e de empenho no desporto às crianças e capitalizar a sua influência à causa do desporto sem “doping”, disse.

 

Por sua vez, Deolinda Ngulela manifestou-se surpreendida e ao mesmo tempo honrada por tamanha nomeação. 

 

É uma grande responsabilidade ter sido nomeada embaixadora de um problema que abrange o desporto em todo o mundo. Estou ciente de que tenho de fazer um trabalho de educação dos atletas. Instrui-los para que não caiam em situações de “doping”, pois este tem sido o calcanhar de Aquiles e está na hora de inverter o cenário para termos um desporto mais saudável”, disse.

 

Refira-se que Deolinda Ngulela é actualmente treinadora e jogadora da equipa feminina do Costa do Sol e durante a sua carreira tem destaques de proa o facto de ter sido tricampeã africana de clubes pela Académica, Desportivo de Maputo e Liga Desportiva de Maputo. Na selecção foi vice-campeã no Afrobasket-2013, o que lhe valeu a participação no Mundial da Turquia-2014. 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Karl Pizer exibe talento numa competição de luxo

 

 

 

O PILOTO moçambicano Karl Pitzer deixou o seu charme na pré-final do Campeonato Mundial de Karting de Juniores da CIK-FIA, envolvendo perto de 100 melhores pilotos dos sub-16 em Bahrein, no Qatar.

 

Esta foi a sua primeira experiência ao alto nível e ao volante de um kart especial de tipo OK, que arranca através de um empurrão. 

 

Apesar de não ter transitado para a final, o campeão africano de juniores exibiu o seu talento perante a “elite” deste tipo de desporto motorizado, terminando em 56.º lugar, portanto no meio da tabela, isto na classificação geral.

 

Este resultado marcou a projecção internacional do também campeão da cidade de Maputo na Classe Max Júnior, depois de conquistar, em Setembro último, o Campeonato Africano da Rotax na vizinha África do Sul, superando alguns dos melhores pilotos daquele país vizinho.

 

Valeu-lhe também a experiência adquirida na Final Internacional Júnior Rok, no mês passado, na Itália, na qual participou depois de se destacar nas classificativas havidas entre Agosto (27 e 28) e Setembro (3 e 4) no kartódromo do Automóvel & Touring Clube de Moçambique. Karl Pitzer conquistou o Campeonato Rok dominando as quatro provas (classificativas) correspondentes.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Desportivo e Estrela disputam final da taça

 

DESPORTIVO e Estrela Vermelha disputam esta noite, a partir das 20.00 horas, a final da Taça Maputo em Hóquei em Patins.

 

O pavilhão do Estrela Vermelha vai certamente acolher um desafio bem disputado, pois trata-se de duas das melhores colectividades. O leque de hoquistas que cada um dos conjuntos possui pode marcar a diferença em qualquer momento.

 

 

Do ponto de vista anímico, os “alaranjados” estão na mó de cima, visto que vêem demonstrando superioridade nos jogos diante dos “alvi-negros” e mais do que isso conquistaram, recentemente, o campeonato e estão ávidos por fazerem a “dobradinha”. Todavia, os comandados de Jojó Pimentel já deixaram claro, em ocasiões anteriores, que também vinham de resultados negativos, que são capazes de se agigantarem e provocarem moça aos treinados de Pedro Pimentel, que por estas alturas estão a praticar o melhor hóquei, por forças de um conjunto mais entrosado.


Para se qualificarem à final, o Estrela goleou o Desportivo “B” por 12-2, enquanto o Desportivo bateu o Ferroviário por 5-4.

 

O encontro entre “alvi-negros” e “locomotivas” foi muito disputado até ao último minuto, com o golo da vitória a ser marcado por Pedro Pinheiro quando o encontro estava empatado a quatro bolas. Mercy Mungoi esteve em grande ao apontar três golos para os “verde-e-brancos”, enquanto Wilson Sigalete (Siga) foi a unidade em destaque nos “alvi-negros” ao anotar dois golos.

 

A anteceder este jogo, jogam, a partir das 19.00 horas, o Ferroviário e o Desportivo “B” pelo terceiro lugar.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Moçambique cai 13 lugares na FIFA

 

A SELECÇÃO Nacional de Futebol caiu 13 lugares no “ranking” da FIFA (saiu do top 100, de 95.º para 108.º) que foi actualizado ontem. A Argentina continua a liderar, mas agora a pressão maior é do Brasil, que ultrapassou a Alemanha e subiu ao segundo posto.

 

O top 10 sofreu algumas mudanças, de resto. O Chile subiu de sexto para quarto, com a Bélgica, que ocupava esse lugar, a cair uma posição, tal como a Colômbia, que passou de quinto para sexto.

 

Em sétimo está a França, vice-campeã da Europa, à frente, então, de Portugal, seu carrasco na final. Uruguai e Espanha encerram o leque dos dez primeiros.

 

Entre os países lusófonos, Guiné-Bissau subiu de 69.ª para 68.ª posição, Cabo Verde desceu de 71.ª para 80.ª, Angola caiu dez posições, para o 144.º posto, São Tomé e Príncipe manteve-se em 153.º e Timor-Leste (186.º) perdeu cinco lugares, para 191.º.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

GDI-Liga com cheiro a título Publica

 

OS adeptos do futsal serão esta noite (20.30 horas) brindados com um empolgante Grupo Desportivo Iqueba (GDI) e Liga Desportiva de Maputo, um desafio que tem o condão de poder decidir o novo campeão de futsal, visto que à entrada para esta jornada (20.ª) estão empatados com 48 pontos.

 

Realmente, quem vencer sairá do pavilhão do GDI com o título praticamente na mão, na medida em que na próxima ronda o adversário será bem mais acessível.

 

Mas a luta pelo campeonato não se cinge apenas ao GDI e Liga, visto que a Petromoc (45 pontos), hora e meia antes joga com o Estrela Vermelha, ainda está na corrida e poderá ficar a um ponto da liderança caso se verifique um empate no embate da jornada.

 

Amanhã, a ronda prossegue com a CCT a bater-se com a PNS, às 16.00 horas, no campo da Liga. A seguir e a fechar a jornada, MCN e ADDEEC medem forças a partir das 17.30 horas, na luta  pelo quinto lugar.

 

HOJE

 

Pavilhão do GDI

 

18.45 horas: Petromoc-Estrela

20.30 horas: GDI-Liga Desportiva

 

AMANHÃ

 

Pavilhão da Liga

 

16.00 horas: CCT-PNS Vitórias

17.30 horas: MCN-ADDEEC

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Maputo acolhe corrida de estrada

 

MAPUTO vai acolher, mais uma vez, amanhã a Corrida Millennium-bim de 13km. O evento, que corre na sua XI edição, faz parte do calendário desportivo do atletismo nacional e internacional.

 

Para este ano, são esperados perto de 1300 participantes, entre atletas nacionais e estrangeiros, bem como simpatizantes do desporto. As inscrições são grátis e podem ser feitas até hoje na Associação de Atletismo da Cidade de Maputo, sita no Parque dos Continuadores

 

Esta edição tem como novidade a introdução da caminhada com um percurso de 5km,  que decorrerá em paralelo com a prova principal. A marcha é destinada aos interessados, em participar neste movimento desportivo, que preferem caminhar ou sem capacidade para fazer face à maratona.

 

A caminhada não apura vencedores, mas os interessados devem inscrever-se para questões de organização. O seu percurso se inicia no mesmo ponto de partida da corrida, na Av. Mártires da Machava, tendo como meta a Praça da Independência.

 

Salientar que a corrida, organizada pela associação de atletismo na capital, em parceria com o Millennium-bim, visa promover, através da prática do desporto, estilos de vida saudáveis e assim contribuir para o bem-estar de todos os participantes.

 

ITINERÁRIO DA CORRIDA

 

Av. Mártires da Machava-Av. Mao-Tse-Tung-Av. Julius Nyerere-Escola Portuguesa-Av. Marginal-Clube Naval-Caracol-Jardim dos Namorados-Viaduto-Praça Robert Mugabe-Av. 25 de Setembro-Praça de Independência.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Algumas equipas já estão em Maputo

 

KPA e USIU Flames, ambas do Quénia, 1.º de Agosto, de Angola, e First Bank, da Nigéria, foram as primeiras equipas a desembarcarem no Aeroporto Internacional de Maputo para, a partir de sábado, participarem na Taça dos Campeões Africanos de basquetebol em seniores femininos-2016.

 

O KPA foi o primeiro a pisar o território nacional, juntamente com os oficiais da FIBA-África, tendo chegado na terça-feira, enquanto USIU Flames, o 1.º de Agosto, o First Bank, estas duas últimas equipas, por sinal, das mais sérias candidatas ao título, chegaram ontem.

 

A capital do país começa a ganhar o “fervor” de um palco que durante uma semana vai receber a mais prestigiada competição de África a nível de clubes. O ambiente deve nos próximos dias ficar ainda mais “quente”, na medida em que são esperadas hoje e amanhã as restantes sete equipas que confirmaram presença na prova.

 

A POLITÉCNICA CONHECE DECISÃO AMANHÃ

 

Enquanto isso, amanhã, no final do dia, durante a reunião técnica, ficar-se-á a saber se A Politécnica participará na Taça dos Campeões. Neste momento as universitárias aguardam por uma eventual desistência de uma equipa ou então que uma manifeste interesse em participar, porque, ao que se sabe, a FIBA-África, organizadora do evento, pretende que a prova seja composta por um número par, sendo que neste momento estão confirmadas 10 equipas.

 

Entretanto, o Ferroviário de Maputo, campeão nacional, e único representante nacional confirmado, vai treinando de forma intensa e se adaptando ao renovado piso do pavilhão do Maxaquene. Leonel Manhique e Inãk Garcia vão ensaiando vários processos de jogo, bem como aperfeiçoando a técnica das suas comandadas.

 

SORTEIO É HOJE

 

Hoje realiza-se o sorteio para o emparelhamento das equipas, que estarão divididas em dois grupos de cinco cada. O 1.º de Agosto e o Interclube, ambas de Angola, campeã e vice-campeã, devem assumir o papel de cabeças-de-série, não podendo, por isso, defrontarem-se na fase de grupos.

 

Eis as equipas participantes no sorteio: Ferroviário de Maputo, anfitrião, Inter Clube de Luanda (Angola), 1.º de Agosto (Angola), GS Petroliers (Algéria), KPA (Kenya), First Bank (Nigéria), USIU Flames (Kenya), Etoile Filante (Togo), MB2ALL (Madagáscar), Etoile Filante de Togo e INSS da República Democrática do Congo.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

É preciso proteger o atleta o maior valor do desporto

 

O MINISTRO da Juventude e Desporto (MJD), Alberto Nkutumula, enalteceu para a importância de zelar pelo combate do “dopoing” para protecção do atleta, considerando ser este o interveniente-mor na actividade desportiva.

 

O dirigente proferiu estas palavras ontem na abertura do 1.º Seminário de Consulta das Partes Interessadas: “Anti-doping com Valor Chave no Desporto Moçambicano”, um evento promovido pelo MJD em parceria com a Agência Nacional de Anti-dopagem (AMOCAD) e UNESCO e que juntará até amanhã vários desportistas, entre dirigentes, técnicos e atletas.

 

Tomando esta posição de luta contra o “doping”, o nosso país pretende, acima de tudo, proteger o maior valor que o desporto possui, o atleta. Sem a devida preocupação pela saúde do atleta a este plano jamais garantiremos o seu bem-estar físico e psicológico nas competições, onde deve evoluir no espírito de “fair-play”, da honestidade desportiva a todos níveis”, afirmou.

 

 Enaltecendo ainda o papel do atleta, disse que este encontro, que tem como objectivo promover um debate abrangente sobre o estado real dos valores “anti-doping”, frisou que esta classe não pode ser vista como propriedade. “Os atletas não devem ser encarados como propriedade do clube, da associação, federação, Comité Olímpico ou Paralímpico, pois quando são seleccionados, configuram a plêiade dos filhos da nação em representação do desporto nacional, o melhor que temos”, disse, ajuntado que “eles são os guardiões da bandeira que defendem, de Moçambique, independentemente de a competição ser nos Jogos Olímpicos, da Commonwealth, Lusofonia, da região ou diversos campeonatos continentais e internacionais”.

 

Em relação às perspectivas neste seminário, Alberto Nkutumula disse esperar que a intervenção dos diferentes actores sirva para conduzir a uma plataforma de estratégias comuns sobre a melhor forma de implementação de políticas e acções de educação, prevenção e combate ao “doping”.  

 

Esperamos que no fim deste exercício a AMOCAD seja, realmente, capaz de fazer das contribuições de todos os intervenientes a alquimia que tornará dourado o nosso plano de actividades e as devidas estratégias de acção, ao que recomendamos que continuem a ser forjados como resultado da interdisciplinaridade que se pretende nas acções de orientação e de práctica do nosso desporto quer a nível nacional ou internacional”, afirmou.

 

A terminar a sua intervenção, o titular da pasta da Juventude e Desporto felicitou a UNESCO pela contribuição no combate ao “doping”. “Importa reconhecer a prestigiosa contribuição da UNESCO, nosso principal parceiro na realização deste evento. Com efeito, através do seu Fundo para a Eliminação do “Doping” em Moçambique, a UNESCO não poupou esforços para que todos nós pudéssemos estar aqui reunidos, reflectindo e exercitando para o bem do desporto e dos desportistas nacionais”, arrematou.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Sai Figueiredo entra Barrarijo?

 

O TÉCNICO João Figueiredo não aceitou renovar com o Maxaquene, alegando motivos profissionais, e tudo indica que o novo timoneiro “tricolor” será Lucas Barrarijo, ex-Clube do Chibuto.

 

Apesar de estar afastado do comando técnico, João Figueiredo deve continuar a exercer outras funções no clube, segundo avançou Samuel Maibasse, vice-presidente da colectividade “tricolor”.

 

O lugar em aberto para o treinador principal deverá ser ocupado por Lucas Barrarijo, que na época passada conduziu o Clube do Chibuto a um surpreendente quarto lugar. Embora não haja informações oficiais da direcção, é forte a possibilidade de Barrarijo ser anunciado nos próximos dias como novo treinador dos Maxaquene.

 

O Maxaquene realizou uma época de 2016 para esquecer, tendo deixado escapar dois troféus na final da Taça de Moçambique e Liga/BNI, para além do total fracasso no Moçambola, onde ocupou o sétimo lugar.

 

Os “tricolores” procuram refazer o plantel não só a nível do corpo técnico, mas no grupo todo, visto que perderam dois jogadores importantes, Isac (Costa do Sol) e Lukman (União Desportiva do Songo).

 

 

Fonte:Jornal Noticias