Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Morreu José Ferreira Garrincha o primeiro árbitro-FIFA do país

 

Morreu, na noite de sábado, José Ferreira Garrincha, vítima de doença, na sua residência, na Cidade de Maputo. O primeiro árbitro-FIFA de Moçambique começou a sentir-se mal Há três meses, mas a operação a que foi submetido não foi bem sucedida, dado o avançado estado da enfermidade.

 

Eram 23.40 horas de sábado, quando o Presidente da Comissão Nacional de Árbitros de Futebol (CNAF)), José Ferreira, conhecido nos meandros futebolísticos por Garrincha, perdeu a vida.

 

Há três meses, o estado de saúde de Garrincha começou a degradar-se, de acordo com seu filho, Júlio Ferreira, e dirigiu-se a uma unidade hospitalar, da Cidade de Maputo. Fetos os exames médicos, detectou-se a existência de um tumor no esófago, que implicava uma intervenção cirúrgica.

 

Foram feitas diligências para a realização da operação, mas, quando chegou a vez da cirurgia, apurou-se que o tumor se havia alastrado para vários órgãos e por isso impossível de prosseguir com o tratamento. Perante esta dura realidade, o antigo árbitro-FIFA viu o seu estado de saúde degradar-se de forma acentuar-se, em razão de não ter tido forças suficientes para fazer face à notícia. É que a alternativa, segundo o relatório médico, seria a submissão a sessões de quimioterapia, mas o estado débil do seu organismo não dava garantias de resistência a este tratamento.

 

Não podendo prosseguir com o tratamento, mesmo depois de se ter aberto e fechado o local da operação, Garrincha teve alta e voltou para casa, tendo lhe sido colocada uma sonda para poder alimentar. Mesmo assim, o seu estado de saúde não mais melhorou e acabou perdendo a vida quando era 23.40 horas da noite de sábado, dia 04 de Junho de 2016 corrente.

 

Garrincha, nascido a 24 de Março de 1941, em Portugal, veio a Moçambique ainda jovem, em cumprimento do serviço militar, tendo continuado a praticar futebol nos quartéis por onde andou e, curiosamente, onde começou a sua carreira como árbitro de futebol. Terminada a missão, Garrincha não mais voltou a Portugal, identificado que estava com a vida e cultura moçambicanas.

 

Da geração de Freitas Branco, Gil Milando, Arnaldo Salvado (pai), já falecidos, José Ferreira teve o mérito de ter sido o primeiro árbitro da República se Moçambique a ostentar as insígnias da FIFA, que lhe conferiam a categoria de árbitro internacional.

 

Os restos mortais de Garrincha, que morre aos 75 anos, deixando viúva, dois filhos e nove netos, vão amanhã a tarde a enterrar no cemitério de Lhanguene, numa cerimónia a ser antecedida de uma missa de corpo presente na capela do Hospital Central de Maputo.

 

 

Fonte:Desafio

Mambas defrontam Ruanda no sábado

 

A selecção nacional de futebol, os Mambas, defronta próximo sábado a formação do Ruanda, em jogo inserido para a quinta jornada do grupo “G” para a qualificação ao CAN do Gabão 2017.

 

Os Mambas já estão eliminados, estando apenas a jogar para cumprir o calendário.

 

A equipa nacional depois de defrontar o Ruanda vem fechar o ciclo de jogos em casa diante das Maurícias.

 

O treinador dos moçambicanos, Abel Xavier, conta com o regresso dos internacionais Mexer, do Rennes da França, e Ronny Marcos, a evoluir na Alemanha.

 

Em declarações à imprensa, disse no mês passado que “o objectivo  dos Mambas passa por terminar a fase de grupos com vitórias”.

 

Xavier disse também que este mês pretende assumir protagonismo com boa prestação na COSAFA, sendo que a intenção é ter uma equipa que evolua de forma progressiva, lançando novos talentos, como forma de prosseguir com os interesses da seleccção.

 

 

Fonte:Opais

Vencedor inicia defesa do título frente ao Desportivo de Niassa

 

Os jogos da Taça da Liga BNI regressam aos relvados nacionais a partir do dia 04 de Junho. No sorteio da 2ᵃEdição, sexta-feira última, o campo do Clube de Chibuto, em Gaza, foi o indicado para acolher o jogo de abertura desta que ­­é a terceira maior prova do calendário futebolístico nacional.

 

O momento mais aguardado foi, sem dúvida, o escalonamento das equipas em grupos, saídos a partir do sorteio. Desta feita, o Ferroviário de Nacala, que no ano passado escreveu o seu nome em letras douradas na história da embrionária prova nacional, ao se tornar no primeiro vencedor da prova, inicia a defesa do título em casa, recebendo, no Campo da Bela Vista, o novato Desportivo de Niassa.

 

Entretanto, depois de a Cidade portuária de Nacala ter abrilhantado a abertura da 1ᵃ Edição, odistrito de Chibuto acolher­á a cerimónia central de abertura desta nesta segunda edição, com os imperadores de Gaza a receberem, na tarde do sábado do dia 4 de Junho, o outro estreante da prova, o Estrela Vermelha de Maputo.

 

 

Fonte:Desafio

Eleição na FMP será a 9 de Julho

 

A eleição dos novos corpos gerentes da Federação Moçambicana de Patinagem (FMP) para o quadriénio 2016/20 terá lugar, em princípio, no próximo dia 9 de Julho, de acordo com a decisão tomada sábado pelos oito membros fundadores.

 

Em Assembleia Geral Extraordinária, realizada sábado nas instalações do Complexo Desportivo do Zimpeto, ficou aprovada a alteração dos estatutos abrindo de espaço para as associações e núcleos terem voz, tal como explicou ao desafio Lucas Chachine presidente da Mesa da Assembleia Geral da FMP.

 

Foi num processo demorado – cerca de quatro horas – e à porta fechada que se decidiu igualmente pela alteração para que o voto passe a ser secreto e não aberto como vinha acontecendo.

 

Associações e núcleos ganham poder de voto

 

Mas a principal decisão foi mesmo a abertura para atribuição de poder de votos aos núcleos provinciais (Nampula e Quelimane) e a Associação de Patinagem da Cidade de Maputo.

 

Esta decisão vai ao encontro da lei do desporto que não permite que as federações sejam eleitas por votos individuais, no entanto não será ainda nesta fase que os oito membros fundadores (Nicolau Manjate, Sidique Aly, António Laice, Santos dos Santos, Gilberto Fruzamo, Pedro Tivane, Hugo de Sousa (filho do candidato Carlos de Sousa) e Maria José – já foram 10 antes das mortes de Cândido Coelho e Haridas Kuchalds – que até esta altura tem poder de voto.

 

Com a eleição dos novos corpos gerentes ainda por se fazer o mandato de três meses da comissão de gestão liderada por Carlos Laice – integra ainda Abel Mondlane, Maria José, Nicolau Manjate e Carlos de Sousa – prolonga-se para cerca de cinco meses, pois mesmo após a eleição há um período para a tomada de posse.

 

 

Fonte:Desafio

Vamos ao Ruanda com a ambição de ganhar

 

O seleccionador nacional de futebol, Abel Xavier, assinala que mau grado os Mambas já não poderem qualificar-se ao CAN do Gabão-2017, vão ao Ruanda com a ambição de ganhar o jogo do próximo sábado e fortificar as mudanças em curso no grupo de trabalho. A equipa chega à quinta jornada na cauda da classificação do Grupo-H com apenas um ponto, menos cinco que o anfitrião que partilha o segundo lugar com as Maurícias que recebem o Gana, líder isolado com 10 pontos.

 

Nunca os objectivos perseguidos pelos Mambas na campanha de qualificação ao CAN do Gabão-2017 foram tão claros quanto neste momento.

 

É que, segundo afirma o seleccionador nacional, Abel Xavier, com as contas de qualificação ao evento continental serem matematicamente impossíveis de continuar a fazê-las, o que resta do jogo de sábado e do próximo de Setembro, com o Ruanda e as Maurícias, respectivamente, é fortificar as mudanças que está a implementar na equipa nacional de modo a que, num futuro próximo, estejas cada vez mais próximo das vitórias.

 

Uma mudança com os olhos postos no futuro que, mesmo assim, precisam de vitórias para que o processo decorra com alguma tranquilidade.

 

É esta a visão que Abel Xavier quando se depara com a necessidade de justificar não apenas o que os Mambas ainda perseguem no que falta jogar na campanha para o CAN do Gabão-2017 como, também, para dar razão às suas próprias escolhas para o jogo com o Ruanda.

 

Uma escolha que incidiu em 20 jogadores, liderados em termos de destaque, pelo regresso, dos defesas Mexer Sitoe e Ronnes Marcos.

 

Os dois estão fora da equipa desde o passado mês de Junho de 2015, precisamente quando do arranque da campanha que precipita-se para o seu final.

 

Queremos crescer dentro das vitórias

 

- Existe uma coisa que é clara para nós. Essa coisa tem a ver com o que todos nós queremos, que são os resultados. Mas os resultados são um processo. Não aparecem de um dia para o outro. Também é verdade que pode acontecer porque o próprio jogo dá esse espaço, mas quando falamos de resultados sustentados em trabalho, então esses surgirão depois de um processo - advertiu o treinador que, no sábado, fará o terceiro jogo à frente da Selecção Nacional.

 

 

Fonte:Desafio

Pág. 3/3