Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Estamos em primeiro lugar por mérito próprio

 

A União Desportiva do Songo ocupa a primeira posição no Moçambola-2016 depois de decorridas as primeiras doze jornadas, com 24 pontos, mais um que o Ferroviário de Maputo, campeão em título, e mais dois que a Liga Desportiva de Maputo. O técnico Artur Semedo faz uma avaliação posição do arranque deste campeonato, que contrasta com o do ano passado.

 

No ano passado, a esta altura do campeonato, o HCB do Songo, hoje União Desportiva do Songo, ocupava a décima primeira posição, com quatro vitórias, dois empates e seis derrotas. Marcara por oito vezes, sofrendo dez golos. Totalizava catorze pontos, mais um que o Chibuto e Desportivo de Maputo e só mais cinco que o Ferroviário de Quelimane, último classificado.

 

Este ano, a situação inverteu-se. Com o mesmo número de jogos (12), a União Desportiva do Songo teve sete vitórias, empatou por três vezes e perdeu dois jogos. Apesar de ter perdido 12 pontos (de um total de 36 em disputa em doze jornadas), Artur Semedo faz uma avaliação positiva da sua equipa, ainda que lamente alguns percalços no trajecto.

 

A época está a correr de feição, ainda que numericamente estejamos abaixo das nossas previsões. Contávamos ter mais pontos, mas ninguém pode pôr em causa a nossa pretensão inicial de fazer um bom campeonato. Os nossos jogos foram observados e analisados, sendo que o mérito fica evidente do ponto de vista desportivo. Só por interferências de outras circunstâncias não conseguimos ganhar alguns dos jogos realizados, condicionando a possibilidade de sermos, hoje, totalistas. Mesmo assim, estamos no pleno direito do lugar que ocupamos, afirmou o técnico “hidroeléctrico”.

 

O nosso interlocutor estabelece uma comparação com o início turbulento do campeonato passado, em que ainda assim a equipa do Songo quase que se intrometeu na luta pelo título, numa corrida travada pelo Ferroviário de Maputo, com quem perdeu, numa boa fase da equipa “hidroeléctrica”. Recorde-se que os tetenses não eram tidos nem achados na primeira volta, mas conseguiram uma grande reviravolta na segunda e terminaram a prova como a segunda melhor equipa da segunda volta, atrás do Ferroviário, que se sagrou campeão.

 

 

Fonte:Desafio

O QUE FOI AQUILO, SNOOP!?

snoop1.jpg

 

No segundo período, os comandados por Pita Manhanga estiveram muito bem defensivamente, evitando os triplos do seu adversário, diga-se, com bons arremessadores. Naquela fase, os “alvi-negros” concretizaram mais pontos, fruto da sua posição em campo. Para galvanizar a ascensão do Desportivo Nelson “Snoop” Jossias explodiu com um electrizante afundanço, que deixou o pavilhão eufórico. Arriscamo-nos a dizer que foi o melhor afundanço da prova.

 

Pela primeira vez, o Desportivo criava uma vantagem de quatro pontos (29-25), a três minutos e 25 segundos para o intervalo. Milagre Macome viu a sua equipa a baixar de rendimento e pediu desconto de tempo. Mas o Desportivo não abrandou, Igor Matavel arremessou um triplo, ampliando a diferença para sete pontos (32-25).

 

As mãos de Macome deixaram de ficar nos bolsos, como tem sido o seu apanágio, para roçar o queixo. Preocupação natural do técnico, que fez entrar Augusto Matos. O ex-Desportivo fez três pontos, numa jogada de dois pontos e um lançamento livre, fruto da falta que sofrera. Ainda assim, a redução foi ínfima. Os pupilos de Manhanga fizeram uma fantástica recuperação. Somaram 20 pontos no segundo período, e apenas permitiram que sofressem sete, indo ao intervalo a vencer por 37-30.

 

Se os “alvi-negros” estiveram bem no nos primeiros 20 minutos, a outra metade da partida esteve para os “locomotivas”. O terceiro período iniciou com quatro triplos para cada lado. Ubisse e Baggio, pelo Ferroviário; Stélio e Igor responderam pelo Desportivo, que tinha uma vantagem de nove pontos (49-40) depois de quatro minutos.

 

A rapaziada de Macome iniciou uma recuperação que lhe permitiu estar a um ponto (51-50) do seu adversário, a três minutos do fim do penúltimo período. Luís de Barros empatou (52-52) e ganhou uma falta, que o levou a concretizar um cesto no lançamento livre. Estava o Ferroviário novamente na frente (53-52). Igor empatou, também em lançamento livre. Mas um triplo de Ermelindo deixou o Ferroviário novamente em vantagem (56-53). Os “locomotivas” foram ao intervalo a vencer por (58-53).

 

No último período, destacou-se Elton Ubisse. O atleta entrou a marcar quatro pontos consecutivos e mostrou o caminho do título. O Desportivo parecia perdido em campo. Deixara a postura dos primeiros períodos. Teve muitas falhas de marcação e os “locomotivas” embalaram-se. A partida terminaria com uma conquista de 12 pontos (73-61) do Ferroviário. Augusto Matos, com 22 pontos, foi o melhor marcador. O atleta foi campeão contra sua antiga equipa. A vitória foi bastante festejada pelos “locomotivas” não fossem os “alvi-negros” os seus principais rivais, com quem perderam o “nacional” e o campeonato da cidade de Maputo.

 

Recorde-se que na noite anterior, a contar para o jogo 3 do “Play-off”, o Ferroviário ganhara por dois pontos (78-76), após o prolongamento. A partida esteve empatada (71-71). Os parciais foram: Ferroviário-Desportivo (19-24; 37-39; 50-53; 71-71).

 

 

Fonte:Desafio

Foi preciso Milagre para Ferroviário conquistar o título

 

O Ferroviário de Maputo conquistou, no último sábado, o Campeonato de Basquetebol da cidade de Maputo, ao derrotar o Desportivo por 4-0, no primeiro “Play-off” à melhor de sete jogos. Em femininos, o Ferroviário perdeu diante do Costa do Sol (66-43) no terceiro jogo do “Play-off” à melhor de sete partidas. A decisão fica para o(s) próximo(s) jogo(s).

 

É um título inédito. Os “locomotivas” não perderam nenhum jogo na presente época. Conquistaram o campeonato e Taça Maputo, sem nenhuma derrota, em ambas as provas. Milagre Macome devolveu o sorriso ao Ferroviário. Mas o maior teste será no campeonato Nacional, a ser disputado próximo mês.

 

No último sábado, o Ferroviário venceu por 13 pontos (83-70). O primeiro período foi bastante disputado, e com muito contacto físico. A equipa de Milagre Macome apostou em lançamentos de três pontos, enquanto o Desportivo insistia em penetrações. Ao fim do primeiro período, ainda que os “alvi-negros” estivessem bem, os “locomotivas” saíram com uma vantagem de seis pontos (23-17).

 

 

Fonte:Desafio

Ferroviário de Nacala inicia defesa do título batendo Desportivo de Niassa

 

O Ferroviário de Nacala começou da melhor maneira a defesa do título de campeão da Liga BNI, ao receber  e vencer  (2-0) o Desportivo do Niassa, em jogo realizado sábado na Bela Vista, na Cidade Portuária de Nacala.

 

1ª jornada

 

Ferroviário de Nacala-Desportivo de Niassa (2-0)

Ferroviário de Nampula-Desportivo de Nacala (1-0)

Próxima Jornada (2ª), na quarta-feira

Desportivo de Niassa-Ferroviário de Nampula

Desportivo de Nacala-Ferroviário de Nacala

 

Classificação Geral            

                                           J           V            D             G          P

 

Ferroviário de Nacala        1           1            0            2-0         3

Ferroviário de Nampula     1           1            0            1-0         3

Desportivo de Nacala        1           0            1            0-1         0

Desportivo do Niassa        1           0            1            0-2         0

 

 

 

Fonte:Desafio

Três golos em 25 jogos na época de estreia

 

O extremo esquerdo moçambicano Witiness Quembo, de 19 anos, ao serviço do Nacional da Madeira, da I Liga portuguesa, aprecia positivamente a sua época de estreia na equipa, pese embora tenha falhado o objectivo da época, que era a Liga Europa, ao terminar a Liga NOS na 11.ª posição. E tem motivos para saudar os 1469 minutos que lhe foram dados pelo técnico Manuel Machado.

 

A época 2015/16 podia ter sido melhor para Witiness Chimoio João Quembo, ou simplesmente Witi no mundo do futebol. Só não foi porque o Nacional da Madeira, seu clube, não se qualificou para a Liga Europa, que era o objectivo desde o início da época. Contudo, os madeirenses mantêm-se no principal escalão do futebol português para a época 2016/17.

 

Individualmente, o número 81 dos “alvi-negros” da Choupana contabilizou 1469 minutos em toda a época, divididos em 995 minutos para a Liga portuguesa, 249 para a Taça da Liga e 225 para a Taça de Portugal. Dos vinte e cinco jogos realizados numa só época, dezoito são da Liga NOS, 4 da Taça da Liga e 3 para a Taça de Portugal.

 

O avançado, 19 anos de idade, estreou-se na equipa principal frente ao Boavista e o seu primeiro golo foi diante do Moreirense. Witi conseguiu marcar três golos na época que diz ter sido de sonho por ter entrado na equipa principal, graças à confiança que o seu treinador, o professor Manuel Machado, depositou em si.

 

desafioentrevistou o extremo, que está no país para curtas férias, tendo, contudo, viajado para o Ruanda, onde ajudou a Selecção Nacional a vencer os ruandeses, em Kigali, por 3-2.

 

RESSENTIMO-NOS DA SAÍDA DE ZAINADINE

 

– Que balanço faz da sua época no Nacional da Madeira?

 

– Falhámos o objectivo de chegar àLiga Europa, mas conseguimos manter a equipa na principal Liga portuguesa para a próxima época. A equipa passou por uma fase menos boa, em resultado da saída de alguns dos nossos principais activos, um dos quais o Zainadine. Demorámos a encontrar soluções àaltura para colmatar as saídas, e isso fez com que levássemos algum tempo para a equipa voltar a reerguer-se.

 

 

Fonte:Desafio

Chibuto abre a festa da Taça da Liga com vitória (3-1) sobre o Estrela Vermelha

 

Arrancou na tarde deste sábado, a 2ᵃ Edição da Taça da Liga BNI. O Clube de Chibuto, escolhido para acolher a festa de abertura desta terceira maior prova do calendário futebolístico nacional, recebeu e venceu o Estrela Vermelha de Maputo por 3-1.

 

O Costa do Sol e o Maxaquene que completam este Grupo B jogam entre si amanhã, no sintético dos canarinhos.

 

Destaque neste arranque e para o Grupo A zona Sul, do empate entre a Liga Desportiva e o Ferroviário de Maputo (1-1).

 

O vencedor da 1ᵃ Edição, o Ferroviário de Nacala, recebeu e venceu o Desportivo de Niassa por 2-0.

 

Nos outros jogos realizados esta tarde, os resultados foram os seguintes:

 

União Desportiva do Songo - Ferroviário Da Beira (0-1)
1º de Maio de Quelimane -  Chingale de Tete (2-1)

 

 

Fonte:Desafio

Dayo faz a história do jogo

 

O Ferroviário da Beira viajou para Songo e arrancou três preciosos pontos à União Desportiva local, com o golo solitário e madrugador a ser apontado por Dayo. Era o início com o pé direito dos “locomotivas” do Chiveve na segunda edição da Taça da Liga BNI.

 

Os espectadores ainda procuravam espaço para se posicionar melhor, para assistir ao jogo, quando Tomás Guambe deu sinal para o início da partida. Em dois toques, Mucuapel alivia a bola e, sem preparação, Dayo viu o mau posicionamento de Wilson e rematou com conta e medida para o fundo das malhas.

 

Face a esta contrariedade, a União Desportiva do Songo foi correndo atrás do prejuízo para tentar mudar o curso dos acontecimentos, mas com uma gritante ausência de ideias para fazer as coisas com perfeição.

 

Durante os primeiros quarenta cinco minutos, as duas equipas não passavam dos seus meios-campos, com o Ferroviário a entregar a iniciativa do jogo aos donos da casa.

 

Nessa toada de jogo, toda a equipa dos “hidroeléctricos” estava balanceada ao ataque. Chereque ensaiou um remate sem a pontaria necessária aos setenta e nove minutos. Frise-se que quando perdia a bola a defensiva do Songo era apanhada em contrapé, e foi nessas circunstâncias que Mucuapel salta e alivia a bola, mas Belito agride-o violentamente, acabando por cair e contorcer-se de dores, o que obrigou a equipa médica a levá-lo ao Hospital Rural do Songo, aos 85 minutos. Para o seu lugar foi chamado o jovem Bone.

 

GRUPO C

 

1.ª jornada

 

União Desportiva do Songo-Ferroviário da Beira (0-1)

1.o de Maio de Quelimane-Chingale de Tete (2-1)

 

2.ª jornada (8/6/2016)

 

Chingale de Tete-Ferroviário da Beira

1.o de Maio de Quelimane-União Desportiva do Songo

Classificação do Grupo C

 

                                             J          V         E          D         B       P

 

1.º de Maio de Quelimane    1         1         0         0         2-1     3

Ferroviário da Beira              1         1         0         0         1-0     3

Chingale de Tete                  1         0         0         1         1-2     0

União Desportiva do Songo  1         0         0         1         0-1     0

 

 

Fonte:Desafio

O sistema usa e abusa da dignidade dos técnicos

 

Em doze jornadas, cinco técnicos já foram despedidos no Moçambola, sendo que o Chingale vai no quarto (Mussá Osman) este ano. Trata-se de Abdul Omar, Nacir Armando, António Sábado, Uzaras Mahomed e, recentemente, Sérgio Faife.

 

Artur Semedo é contra a posição tomada pelas direcções em alguns casos, mas refere que, grosso modo, os treinadores permitem que lhes firam a dignidade.

 

Sou manifestamente contra as chicotadas porque o critério que está subjacente a elas não é profundamente desportivo em muitos casos. Quando um treinador é despedido à terceira jornada, não pode ser por causa dos resultados desportivos. Normalmente, os treinadores que são destituídos gravitam à volta de um sistema que usa e abusa da sua dignidade. Esse facto acontece, na maioria das vezes, porque eles são subservientes ao tal sistema, referiu, deixando, ao mesmo tempo, alguns questionamentos. Será porque há um défice de competência que os obrigue a gravitar à volta desses interesses instalados? Como é que um futebol como o nosso, com défices organizativos e organizacionais, que agrega clubes financeiramente falidos, estruturalmente mal dimensionados, com infra-estruturas também deficitárias, com uma classe dirigente pouco apetrechada sob ponto de vista desportivo, pode despedir treinadores dessa forma?, interrogou Semedo.

 

 

 

Fonte:Desafio

Perdemos uma enciclopédia

 

O Presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Alberto Simango Jr., é o homem que sempre apreciou qualidade em José Ferreira Garrincha, desde a sua passagem pela Liga Moçambicana de Futebol, onde lhe confiou a responsabilidade de chefe dos delegados.

 

Ainda na apreciação das suas qualidades, convidou-o para a FMF, atribuindo-lhe o cargo de Vice-Presidente para a Alta Competição, cargo exercido por pouco tempo, pois meses depois voltou a convidá-lo para outra missão, a de Presidente da Comissão Nacional de Árbitros de Futebol.

 

Foi  com muita tristeza e surpresa que recebi a informação, dando conta do desaparecimento físico de Garrincha, meu amigo e colega desde a Liga Moçambicana de Futebol, onde ele era chefe dos delegados. Convidei-o para a vice-presidência da Alta Competição da FMF e mais tarde para a presidência da CNAF. Em todas essas tarefas, Garrincha demonstrou zelo e dedicação e neste momento de Pesar e consternação não consigo encontrar palavras para enaltecer as qualidades deste homem, diz Simango Jr.

 

 

Fonte:Desafio

Mambas alcançam primeira vitória (3-2) frente a Ruanda

 

A Selecção Nacional de Futebol, os Mambas, alcançaram a sua primeira vitória no Grupo H de qualificação para o Campeonato Africano das Nações, CAN-2017. No jogo que abria a quinta jornada do grupo, Moçambique venceu em Kigali, a congénere Ruandesa por 3-2.

 

Dominguez, que bisou na partida, e Sonito, construíram a vitória da equipa nacional.

 

Com esta vitória, Moçambique soma 4 pontos conseguidos no empate com Gana (quarta jornada) e na vitória desta tarde frente a Ruanda (segundo classificado com 6 pontos).

 

Recorde-se que no arranque desta fase de apuramento, Moçambique perdeu em casa com Ruanda e na deslocação às Maurícias com o mesmo resultado de 1-0.

 

Desta feita, os comandados de Abel Xavier encerram a fase de Grupos recebendo em casa às Maurícias (terceiro com 6 pontos) que, nesta ronda visitam, este domingo, o líder do Grupo, Gana que soma com 10 pontos.

 

 

Fonte:Desafio