Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Benfica de Monapo virtual campeão

O FERROVIÁRIO de Xai-Xai, obteve no pretérito final de semana, naquilo que foi a décima sexta jornada do Campeonato provincial de Futebol de Gaza, a vitória mais expressiva, ao cilindrar o Patrice Lumumba, por 5 bolas a zero e manter -se firme na liderança do certame.

 

Nas outras partidas desta competição, a formação do Ferroviário de Mabalane, não teve dificuldades de vencer no seu reduto, a turma do 3 de Fevereiro de Xai-Xai, por duas bolas sem resposta.

 

A Associação Desportiva do Chókwè, "ADC", por sua vez, este que é o segundo classificado nesta prova, derrotou o vizinho Bilene, por dois tentos sem concorrência, num embate em que os jovens das terras do arroz, se bateram numa perspectiva de manter intactas as suas aspirações de participação na "poule" de apuramento regional sul para o Moçambola da próxima temporada.

 

O Estrela Vermelha de Gaza, que na presente temporada conheceu momentos meio turbulentos, depois de ter conquistado o referido certame, obteve no seu ambiente uma vitória tangencial de duas bolas a uma.

 

Na outra partida ainda referente a esta jornada o Clube de Chidenguele recebeu e derrotou a Associação Desportiva de Macuacua, por uma bola a zero.

 

Quando faltam  apenas  duas jornadas para o términos da competição, o Ferroviário de Xai -Xai vai à frente com 39 pontos, tendo a  Associação Desportiva de Chókwè na segunda posição com 36, seguido da turma de Macuacua com 32, Bilene com 23, e na última posição e com como lanterna vermelha o 3 de Fevereiro com apenas 8 pontos. 

 

Eis os jogos da próxima jornada:

 

 

  

 

Associação Desportiva do Chókwe

Clube Ferroviário de Mabalane

 

Clube Desportivo 3 de Fevereiro

Futebol Clube Patrice Lumumba

 

Clube Ferroviário de Gaza

Clube de Desportos de Chidenguele

 

Associação Desportiva de Macuacua

Clube Estrela Vermelha de Gaza

 

Clube do Bilene

 Clube de Desportos TekaMahala

Benfica de Monapo virtual campeão

O Benfica de Monapo, viu a sua vantagem na tabela classificativa do campeonato provincial de futebol de Nampula, o “Nampulense”2015, alargada para 27 pontos, depois que o Conselho de disciplina da Associação provincial ter deliberado e reunião ordinária ter homologado a seu favor o resultado do jogo que a equipa realizou com a Liga Desportiva da mesma vila e que não chegou ao fim devido aos distúrbios protagonizados pelos adeptos da segunda formação em partida que contava para a segunda jornada da segunda volta da prova.

 

Entrando para os resultados registados na quinta jornada da segunda volta, importa referir que duas partidas terminaram empatadas sem abertura de contagem, nomeadamente os embates entre a Transalte de Nacala-a-Velha e Clube de Desportos de Onhipitti e no confronto entre Liga Desportiva de Monapo e Associação Desportiva de Nacala.

 

Outra partida que também contava para a mesma ronda, registou igualmente um empate mas desta feita a dois golos, entre o Angoche Clube de Desportos e o Benfica de Nampula.

 

A jornada ficou incompleta por ainda faltar realizar o jogo entre o Benfica do Monapo, o líder destacado da prova e a Casa Issufo FC, último na tabela classificativa, partida marcada para esta terça-feira.

 

Com estes resultados, o Benfica do Monapo mantém-se no comando com 27 pontos, seguido da Liga Desportiva também do Monapo com 22, Angoche Clube de Desportos tem 17 os mesmos que a Associação Desportiva de Nacala que segue na quarta posição. Benfica de Nampula soma 14 mais um ponto que a Transalte de Nacala-a-Velha que tem 13 e depois segue-lhe o Clube de Desportos de Onhipitti com 11 pontos e Casa Issufo FC é último com apenas sete na tabela classificativa

 

Já com as posições aparentemente definidas no que diz respeito quais serão as equipas da província de Nampula irão representar na poule de apuramento da região norte, faltando apenas disputar duas jornadas, arriscamo-nos a apontar as formações do Benfica e da Liga Desportiva, ambos da vila autárquica do Monapo.

 

A próxima jornada, a sexta e penúltima, o Benfica de Monapo recebe a Associação Desportiva de Nacala, a Liga Desportiva de Monapo, desloca-se a vila de Nacala-a-Velha para defrontar a Transalte local, o Angoche Clube de Desportos tem pela frente a Casa Issufo e por último Clube de Desportos de Onhipitti mede forças com o Benfica de Nampula.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Quarteto no sufoco!

desportivo22.png

 

FERROVIÁRIO de Quelimane, Desportivo de Maputo, Desportivo de Nacala e Ferroviário da Beira não foram além de empates na 15.ª jornada do Moçambola e continuam em situação crítica no que toca à manutenção.

 

Curiosamente, quis o destino que nesta ronda este quarteto jogasse entre si, ou seja, o Ferroviário de Quelimane recebeu o Ferroviário da Beira (1-1) e o Desportivo de Nacala acolheu o homónimo de Maputo (0-0). É certo que cada uma das colectividades amealhou um ponto, mas pela força das circunstâncias, diga-se, tratou-se de dois pontos perdidos do que propriamente um ponto ganho.

 

Basta olhar para a classificação para se perceber o quão é dramática a situação das quatro formações.

 

O Ferroviário de Quelimane ocupa o último lugar (11 pontos); Desportivo de Maputo é penúltimo com 15 pontos (estes dois estão mesmo na zona de despromoção); Desportivo de Nacala e Ferroviário da Beira, ambos com 18 pontos, estão na décima e nona posições. Portanto, apesar de estarem acima da linha “vermelha” bastam três pontos perdidos na próxima jornada para que caiam na zona de descida.

 

O perigo continua iminente e a luta é animada na zona debaixo da tabela, enquanto no topo Maxaquene e Costa do Sol estão colados com 28 pontos.

 

A próxima jornada promete ser fogosa, eis os jogos: Ferroviário de Maputo-Ferroviário de Nacala; Ferroviário da Beira-Maxaquene; Costa do Sol-Ferroviário de Quelimane; 1.º de Maio-Ferroviário de Nampula; HCB-Liga; Desportivo de Maputo-Chibuto; e Desportivo de Nacala-ENH. 

 

Fonte:Jornal Noticias

Quarteto “ataca” FMF

1234.png

 

ALBERTO Simango Jr., Teodoro Waty, Manuel Chang e Enoque João são os candidatos a presidente da Federação Moçambicana de Futebol (FMF), cujas eleições terão lugar a 13 de Agosto, na sede da instituição, em Maputo.

 

O quarteto submeteu as candidaturas na passada sexta-feira. Simango e Chang têm todos os documentos em dia, enquanto os restantes dois concorrentes foram aconselhados pela Mesa da Assembleia-Geral da FMF a fazer algumas emendas nos seus expedientes, depois de observadas algumas irregularidades.

 

Entretanto, à excepção de Alberto Simango, actual presidente da Liga Moçambicana de Futebol, os restantes concorrentes aparecem como “estranhos” à modalidade, atendendo que não têm sido vistos com alguma frequência nos campos de futebol e muito menos nos locais onde se discute o futuro da modalidade.

 

Porém, todos juram tudo fazer para que o futebol saia da letargia em que se encontra neste momento.

 

Simango, por exemplo, aposta na “verdade desportiva” e no sucesso das selecções nacionais, com incidência para os “Mambas”, nas provas internacionais. Vai mais longe ao afirmar que o clube deve ser o ponto de partida e de chegada do futebol.

 

Teodoro Waty, por sua vez, quer que durante o seu mandato o vício das crianças e jovens seja o futebol.

 

Manuel Chang quer apostar na revitalização da modalidade a partir dos bairros, apostando igualmente na reabilitação de infra-estruturas.

 

Enoque João, cuja candidatura surpreendeu a muitos, uma vez que passa maior parte do tempo fora do país, ainda não disse com firmeza o que pretende fazer deste futebol moçambicano.

 

Alexandre Rosa (Xandó), jornalista da Televisão Independente de Moçambique, (TIM), que chegou a dar a cara para esta campanha, acabou por não formalizar a sua candidatura, segundo soube o nosso Jornal junto da FMF.

 

Portanto, fica claro que nas próximas eleições teremos quatro candidatos à Federação Moçambicana de Futebol, a não ser que pelo caminho haja desistências ou coligações.

 

Fonte:Jornal Noticias

Moçambique termina em quarto

NOT07212015P18-4.png

 

A SELECÇÃO Nacional de Basquetebol de Sub-16 terminou em quarto lugar no Afrobasket, Madagáscar-2015, após perder com Angola, por 52-48, no jogo de atribuição de terceiro.

 

A equipa moçambicana jogou com Angola já algo desmotivada depois do grande jogo que realizou com a Nigéria nas meias-finais, tendo perdido nos últimos segundos, por 54-51, e consequentemente falhado o apuramento para o Mundial.

 

As treinadas de Lucília Caetano “morreram na praia” como se sói dizer. Estando com o jogo empatado (51-51) sofreram um triplo quando faltavam seis segundos para o final do encontro e não mais conseguiram reerguer-se.

 

Para chegar às meias-finais, as Sub-16, uma formação repleta de talentos (Chanaya Pinto fez parte do cinco ideal), eliminou o Egipto, vice-campeão (48-46).

 

O Mali conquistou o tetra e apurou-se para o Mundial, a par da Nigéria, finalista derrotada.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

MAXAQUENE, 1 - FERROVIÁRIO DE MAPUTO, 1: Da tremedeira de Sozinho ao “frango”de Leonel

ISAC55.png

 

NO clássico entre dois candidatos ao título entrou melhor o Ferroviário, que pela frente tinha um adversário desfalcado de duas pedras basilares que se juntam ao castigo do treinador Chiquinho Conde, todos devido aos incidentes de há uma semana em Nacala.

 

Os “locomotivas” assumiram desta forma as rédeas da partida na primeira parte, etapa na qual o Maxaquene tinha como elo mais fraco o sector mais recuado, com o agravante de Sozinho, guardião resgatado do banco devido ao castigo de Simplex, ter acusado a titularidade, fazendo um jogo bastante intranquilo e inseguro.

 

O Ferroviário dominava, mas não conseguia encontrar os caminhos para a baliza “tricolor”, apesar de Diogo, Barrigana, nas alas, tudo fazerem para abrir espaços, mas faltava a qualidade do último passe.

 

Entretanto, foi numa jogada aparentemente inofensiva, aos 14 minutos, que surgiu o golo do Ferroviário. Sassi, à entrada da área, descaído para a direita, faz um remate cruzado que é interceptado de forma defeituosa pela defesa “tricolor”, tendo a bola sobrado para a zona de penalte, onde apareceu Maurício de cabeça a rematar com mestria, enganando o inseguro Sozinho.

 

Era a explosão de alegria num campo do Afrin praticamente com lotação esgotada. O Ferroviário continuou a carregar e volvidos dois minutos Diogo atirou forte ao lado. O Maxaquene respondeu aos 23 minutos, quando Luckyman livrou-se duma oposição para fazer um tiro de cá do meio da rua, por cima. Aos 34 foi a vez de Imo tentar a sua sorte, mas não acertou na baliza de Leonel.

 

À beira do intervalo Diogo, de livre, obriga Sozinho a aplicar-se a fundo para evitar o 2-0.

 

Foi-se ao descanso com a vantagem “locomotiva”. No segundo tempo o Maxaquene voltou transfigurado, determinado a sair com pelo menos um empate. Isso fez com que o jogo ganhasse mais emotividade, pois o Ferroviário não baixou os braços, tentou forçar o 2-0, mas os “tricolores” é que foram felizes.

 

Aos 61 minutos surge um canto para o Maxaquene. Na tentativa de se antecipar aos avançados “tricolores” Leonel sai aos papéis, deixando escapar o esférico nos pés de Luckyman, que aproveitou a oferta para empatar.

 

Depois da igualdade o jogo ganhou outro ímpeto, tornando-se num verdadeiro clássico, com as duas equipas a disporem de oportunidades para resolver a partida. Apesar de pouca posse de bola, o Ferroviário é que beneficiou de mais oportunidades de golo, como foram os casos dos remates de Sassi para uma boa defesa de Sozinho, ao 79, e de Chiza, dois minutos volvidos, por cima.

 

O resultado não mais se alterou, o empate encaixa-se perfeitamente. Sérgio Lopes esteve à altura dos acontecimentos.

 

FICHA TÉCNICA:

 

ÁRBITRO: Sérgio Lopes, auxiliado por Juma Patrício e Nelson Jeque. O quarto foi Paulo Buque.

 

MAXAQUENE: Sozinho; Moniz, Nito, Butana e Nelson; Okhan, Wisky (Rachid), Mayunda e Imo (Fachi), Luckyman (Michael) e Isac.

 

FERROVIÁRIO: Leonel; Chiza, Jeitoso, Chico e Edmilson; Barrigana (Jair); Timbe (David), Sassi e Lewis; Diogo e Maurício (Manucho).

 

DISCIPLINA: Amarelo para Sassi (Ferroviário)

 

Golos: Maurício (Ferroviário) e Luckyman (Maxaquene)

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

Fonte:Jornal Noticias

LIGA DESPORTIVA DE MAPUTO, 0 - 1.º DE MAIO DE QUELIMANE, 0: Favoritismo do campeão não passou de propaganda

LIGA-DESPORTIVA-X-1-MAIO-5.png

 

O 1.º DE MAIO de Quelimane soube dar a volta ao favoritismo da campeã Liga Desportiva, travando-lhe com um empate bem conseguido, tirando proveito das melhores circunstâncias do jogo, portanto atacando e defendendo-se quando necessário. Até que chegou a partilhar o jogo, com uma alternância ofensiva que lhe conferiu algumas e boas oportunidades de golo.

 

A Liga Desportiva quis resolver o jogo logo no início e, imprimindo maior velocidade no ataque, sufocou o último reduto dos quelimanenses durante os primeiros 15 minutos da contenda, com Sonito a tentar a todo custo chegar ao golo, valendo a atenção da defensiva e do guarda-redes Agnaldo.

 

O 1.º de Maio ficou encurralado na sua zona, defendendo em bloco, mas conseguiu travar a pressão e, fruto de muito esforço, começou a sair a jogar, em virtude da sua rápida organização no meio-campo, onde a batalha passou a ser travada com frequência, isto no decurso do segundo quarto. E foi desta forma que os quelimanenses ganharam paulatinamente espaços para articular as suas jogadas, ameaçando, embora com fraca intensidade, a defensiva caseira. E foi a partir deste período que o jogo passou a ser partilhado, mas a Liga continuou a ser a equipa mais ofensiva. Porém, encontrou a devida resposta da defensiva quelimanense. 

 

A partida ganhou maior ritmo ao longo do último quarto da etapa inicial. E numa tabelinha com Júnior, Nelson arrancou um remate para a atenção de Joaquim, aos 35 minutos. A Liga respondeu de imediato na sequência de livre batido por Kito, tendo o “capitão” Momed Hagy desviado defeituosamente na boca da baliza. A alternância ofensiva passou a ser dominante e, prova disso, Mário chamou novamente a atenção ao guarda-redes Joaquim. A Liga foi explorando com alguma frequência os flancos, com Kito muito activo pela direita, enquanto Andro, pela esquerda, teve ainda o auxílio de Liberty, mas a defensiva visitante estava muita atenta.

 

A Liga esteve próxima do golo, com duas intervenções de Momed Hagy e Nando. Primeiro foi o “capitão” que viu o seu remate a ser desviado por Agnaldo para canto, aos 43 minutos. O maior perdulário foi Nando, que a escassos metros da baliza atirou por cima.

 

Com o nulo foi-se ao intervalo, com indícios de uma segunda parte mais produtiva e foi exactamente o que aconteceu. A Liga manteve os índices ofensivos, mas sem atinar com a baliza, porque a defensiva e o guarda-redes Agnaldo mantiveram-se também implacáveis. Para além de que as tentativas de remate não saíam com perfeição. O 1.º de Maio explorou, nesta etapa, o contra-ataque. Na sequência disso Júnior foi chamado a uma intervenção nas alturas, forçando Joaquim a uma palmada para canto aos 62 minutos.

 

Depois foi Nelson que viu o seu ligeiro remate, mas bem colocado, a ser desviado quase a atravessar a linha de golo por Gildo, aos 75 minutos. Na resposta Washington não acertou por pouco a baliza de Agnaldo, com a bola a sair ligeiramente ao lado. Feito isto, viu-se um 1.º de Quelimane mais defensivo, mas muito perigoso em contra-ataques. Apesar de paragens, os sete minutos de compensação foram de algum modo exagerados, o que acaba manchando aquele que seria o bom trabalho da equipa de arbitragem.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Celso Alvação, auxiliado por Arsénio Marrengula e Osvaldo de Jesus. O quarto árbitro foi Filimão Filipe.

 

LIGA DESPORTIVA – Joaquim; Kito, Gildo, Chico e Eusébio; Momed Hagy, Nando (Washington), Liberty (Zicco) e Andro; Neymar (Telinho) e Sonito.

 

1.º DE MAIO DE QUELIMANE – Agnaldo; Marcos, Agenor, Friday e Beto; Eurico, Muassano, Rodrigues (Sabir) e Mário; Nelson (Tchitcho) e Júnior.

 

DISCIPLINA: Cartões amarelos para Agenor, Marcos e Júnior.

 

LEGENDA

Sonito entrou com tudo, mas não foi suficiente para evitar um empate frente aos quelimanenses (C. bernardo).

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

ENH FC, 0 - FER. NACALA, 0: Castigo para os anfitriões

enh fc.jpg

 

O NULO que se verificou sábado passado em Vilankulo castiga os donos da casa, que estiveram melhor que os visitantes.

 

Sem jogar por aí além, bastante recuados e com mais medo de actuarem do que propriamente humildade ou respeito, os pupilos de Sérgio Faife estiveram longe de dignos merecedores da terceira posição, pois não conseguiram exibir na capital turística de Inhambane algo merecedor de uma equipa-sensação nesta prova.

 

Entretanto, mesmo com total domínio do jogo, sobretudo na primeira parte, onde a equipa da casa teve tudo para marcar mais de um golo, mercê do maior pendor ofensivo que produziu, muito por culpa de medo e grande responsabilidade de jogo demonstrado pelos visitantes, não conseguiu traduzir em golos as inúmeras oportunidades criadas.

 

Eurico, por duas vezes, aos 27, 29, 39, 41 e 41 minutos, Paninga, Mathlombe e Sergito, todos servidos de bandeja pelo jovem Nigeriano Etim, não tiveram arte nem engenho para baterem o guardião Jonas, que durante os primeiros 45 minutos esteve inseguro na baliza, chegando mesmo a ameaçar os seus colegas, que não conseguiam parar esta nova aquisição dos energéticos que está a dar de fazer aos adversários.

 

Na segunda parte a equipa da casa foi obrigada a fazer uma alteração, por conta do facto de Eurico se ter ressentido da antiga lesão, tendo sido substituído pelo médio ofensivo Gonçalves, numa altura em que o intervalo fez bem aos nacalenses, que tinham outra disposição e algum atrevimento, com Marrufo e Arnaldo a tentavam incomodar Campira e Kadri, dois centrais que controlavam as operações na retaguarda da ENH.

 

Boris Pucic, inconformado com o nulo, fez entrar o congolês Kingongo, muito aplaudido, tendo já dentro das quatro linhas justificado as palmas, ao despertar uma equipa algo adormecida, ante o agigantamento, embora sem perigo, da equipa da casa.

 

Com a entrada deste extremo, bastante criativo, os energéticos retomaram o seu futebol fluído, com boas combinações, mas tudo morria na frente do ataque, onde Sande não conseguiu fazer aquilo que tinha feito contra o Desportivo de Maputo, o que fez com que o jogo terminasse sem abertura do marcador, numa partida muito fácil de ajuizar para o trio escalado.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Afonso Xavier, auxiliado por Amisse Juma e Dias Sigaúque. Salvador Cumbe foi o quarto.

 

ENH FC –Guirugo; Cândido, Campira, Kadri e Sergito; Hilário, Mathlombe, Moses (Sande) e Paninga; Etim (Kingongo) e Eurico (Gonçalves).

 

FER. NACALA– Jonas, Norberto, Silva, Bhéu, Micas, Ozias, Megas (Naftal), Abu, Arnaldo (Jocas) Marufo e Elias (Stélio).

 

ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Stélio, do Ferroviário de Nacala.

 

VICTORIMNO XAVIER

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Costa do Sol alcança Maxaquene no topo

costasol_ferro.jpg

 

A VITÓRIA na deslocação a Nampula diante do Ferroviário local por 2-0 e o empate do Maxaquene frente ao Ferroviário de Maputo permitiram ao Costa do Sol alcançar os “tricolores”’ na liderança do Campeonato Nacional de Futebol, o Moçambola-2015.

 

Mais do que alcançar o Maxaquene na liderança, ambos com 28 pontos, os “canarinhos” podem se gabar de terem sido a única equipa a conseguir vencer na 15.ª jornada. Numa ronda marcada por quatro nulos e dois empates a uma bola, o Costa do Sol é que conseguiu a melhor produção, ou seja, marcou dois golos e não sofreu nenhum.

 

Preocupante, mas deveras preocupante, é a situação do Desportivo de Maputo, que empatou sem golos em Nacala frente ao seu homónimo local. Os “alvi-negros” ocupam agora o 13.º lugar, com 15 pontos, apenas melhores que o Ferroviário de Quelimane, que soma 11, após empate a uma bola na recepção ao seu homónimo da Beira.

 

Uma das surpresas da ronda foi protagonizada pelo 1.º de Maio, que veio a Maputo empatar sem golos diante da campeã Liga Desportiva. O Chibuto e o HCB também continuam numa situação complicada, sendo que no confronto directo não foram para além de um nulo. Empate a zero verificou-se também na recepção ao Ferroviário de Nacala pelo ENH.

 

Na próxima jornada, a 16.ª, teremos os seguintes desafios: Ferroviário de Maputo-Ferroviário de Nacala, Ferroviário da Beira-Maxaquene, Costa do Sol-Ferroviário de Quelimane, 1.º de Maio-Ferroviário de Nampula, HCB-Liga, Desportivo-Chibuto, Desportivo de Nacala-ENH.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Classificação Moçambola 2015

Equipas J V E D P
1 Costa do Sol 15 8 4 3 28
2 Maxaquene 15 8 4 3 28
3 F. de Nacala 15 7 4 4 25
4 F. de Maputo 15 6 5 4 23
5 Liga Desportiva 15 6 5 4 23
6 1º de  Maio 15 4 8 3 20
7 ENH de Vilankulo 15 5 5 5 20
8 F. de Nampula 15 5 4 6 19
9 F. da Beira 15 5 3 7 18
10 D. Nacala 15 4 6 5 18
11 HCB Songo 15 4 5 6 17
12 Clube de Chibuto 15 3 6 6 15
13 D. Maputo 15 3 6 6 15
14 F. de Quelimane 15 2 5 8 11