Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

“NACIONAIS” DE VERÃO DE PISCINA CURTA: Arranque com despiques electrizantes

 

DESPIQUES electrizantes marcaram o arranque dos Campeonatos Nacionais de Verão de 25 metros, na Piscina Raimundo Franisse, junto à Associação de Natação da Cidade de Maputo.

 

A jornada inaugural deixou indícios de que os presentes “Nacionais” poderão ser os mais competitivos a contar também pela presença massiva de atletas e equipas, algumas das quais aparecem pela primeira vez em competições nacionais.

 

São elas HCB de Songo e o Clube de Nataçãode Tete, que se juntam, ao nível da zona centro, ao Ferroviário e Náutico da Beira. Destaca-se ainda o regresso do Ferroviário de Nampula, que representa a zona norte.

 

A hegemonia continua a pertencer à cidade de Maputo, que continua a ser a única região que movimenta a natação na zona sul e continua a dominar a modalidade aonível nacional, sobretudo pelo número de equipas que detém. A cidade de Maputo participa com seis equipas, designadamente Ferroviário, Desportivo, Tubarões, Golfinhos, Naval e Nguenhas.

 

As primeiras impressões que ficaram no primeiro dia de competições dão conta de que a disputa do título poderá se cingir ao Tubarões e Golfinhos, respectivamente campeão e vice-campeão em título. Tubarões esteve à frente de maior parte das provas disputadas - 400 metros estilos, 50 costas e 200 livres - e dos diversos escalões.

 

A mais evidente prova disso foi a sua melhor aparição do Tubarões na prova dos 400 metros estilos femininos, para maiores de 15 anos, ao fim da qual três nadadores seus ocuparam os lugares de pódio. São elas Jannat Bique, Géssica Cossa e Gisela Francisco, estas duas últimas novas aquisições do clube. Porém, não escapou à forte oposição do Golfinhos, curiosamente o clube com mais títulos nacionais nos últimos tempos, que deixou marcas de que a disputa do título poderá ser renhido.

 

Contudo, não se pode ignorar a presença do Ferroviário da Beira, que tem vido a deixar, nos últimos anos, fortes créditos e aparecido nos lugares de topo.

 

Enquanto isso, o Ferroviário de Maputo e Desportivo, para além de se apresentarem com menor número de atletas, deram pouco nas vistas.

 

O dia de hoje está reservado para mais duas jornadas (de manhã e à tarde). A segunda ronda movimentará as provas de 100 metros bruços, 200 costas e estilos, em todos escalões. A terceira compreende as provas de 200 metros bruços e mariposa, também nas diversas categorias.

 

Entretanto, a jornada de arranque foi marcada por desfiles e discursos de praxe proferidos pelos presidentes em exercício e honorário da Federação Moçambicana de Natação, respectivamente Fernando Miguel e Manuel Tomé.

 

Fernando Miguel destacou o facto de nos presentes “Nacionais” estarem representadas as três regiões do país, ajuntando que vença o melhor e que se unam esforços para que os objectivos da modalidade sejam alcançados. Destacou ainda que 2015 é um ano especial pelo facto de a natação ter sido considerado pela Unesco um mecanismo imprescindível de adaptação e defesa do homem a par da realização dos últimos Mundiais, em Doa, no Qatar.

 

Por seu turno, Manuel Tomé manifestou orgulho pelo facto de a natação estar a demonstrar vitalidade comparativamente aos últimos 20 anos durante os quais a modalidade era só movimentada ao nível da cidade de Maputo.

 

Depois de Sofala (Beira) regozija-nos o facto de estarem aqui representados quatro províncias das três regiões do país. Isto significa que a natação atingiu avanços e com o privilégio de ter atletas mais novos, o que nos leva a crer que teremos melhores nadadores no futuro. Boa sorte a todos e que haja fair-play”, elucidou, realçando que a natação é a melhor modalidade, pois permite o desenvolvimento físico e mental equilibrados.

 

Recordar que os “Nacionais” em curso substituem os campeonatos de piscina longa (50 metros), isto em virtude da indisponibilidade da Piscina Olímpica do Zimpeto, que sofreu avaria no seu sistema de funcionamento devido às enxurradas. Esforços para tornar a piscina operacional decorrem e tudo indica que o problema seja resolvido nos próximos dias.

 

Aliás, o presidente da FMN lamentou o facto durante a cerimónia de abertura, frisando que a sua direcção se viu obrigada a realizar os “Nacionais” em piscina curta, do que adiar para os próximos dias, para não prejudicar os atletas, dada a aproximação do arranque do ano lectivo.

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

Fonte:Jornal Noticias

 

 

 

Queremos conquistar o Moçambola e a Taça

O PRESIDENTE do Clube dos Desportos da Costa do Sol, Amosse Chicualacuala, aguarda com enorme expectativa a época futebolística 2015 prestes a iniciar, vaticinando uma boa campanha para o emblema que dirige, embora com cautelas.

 

Chicualacuala diz estar muito confiante numa boa campanha, depois da desilusão da época passada, na qual a equipa teve uma prestação e classificação muitos furos abaixo do esperado.

 

De acordo com o líder dos “canarinhos” não há outra saída senão a equipa principal de futebol lutar pelos títulos, até porque a matéria-primeira está lá com muitas caras novas e valiosas que foram contratadas.

 

A exigência é máxima no clube, pois todos estamos com ânsia de títulos. A equipa não ganha já faz tempo e este ano esperamos que as coisas mudem. Queremos conquistar o Moçambola e a Taça de Moçambique”, deseja.

 

Chicualacuala disse, por outro lado, que se falharem os títulos, no mínimo a equipa deve terminar entre os três primeiros classificados, e para conseguir essa proeza terá de fazer um campeonato regular, sobretudo na primeira volta.

 

Lembram-se do ano passado que tivemos uma má primeira volta. Perdemos muitos pontos na fase inicial, daí que até a nona jornada tivemos que fazer mudanças no xadrez técnico. O campeonato ganha-se jogo a jogo e se não fizermos isso nada iremos conseguir”, avisou.

 

ANO ESPECIAL PARA OS “CANARINHOS”

 

Num outro desenvolvimento, Chicualacuala revelou que a conquista de um troféu seria um balão de oxigénio para o Costa do Sol, num ano em que o clube completa 60 anos de existência.

 

Queremos festejar os 60 anos do clube com um troféu, seja do Moçambola ou da Taça de Moçambique. Este é um ano especial para nós. Já reunimos com todos os jogadores e estão cientes disso”, revelou.

 

O Costa do Sol que não vence qualquer título há oito anos, voltou a apostar em Nélson Santos para o comando técnico, uma decisão justificada pelo presidente do clube nos seguintes termos.

 

É um jovem experiente e com formação na área desportiva. Tem nível mais alto da UEFA e isso transmite mais confiança nele. O seu adjunto, Rui Évora, é uma pessoa que dispensa qualquer tipo de apresentações, pois já foi nosso treinador e qualificou-nos para a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, para além de ter sido um grande guarda-redes deste país”, justificou.

 

A finalizar salientou que caso não se consiga nenhum título, a desilusão e tristeza serão maiores.

 

 HÁ SABOTAGENS NO CLUBE?

 

Não tenho conhecimento disso. No ano passado falou-se muito desse assunto, e relacionou-se o nosso fracasso com sabotagens e descontentamento de alguns elementos no seio do clube, mas não confirmo”, sublinhou.

 

Entretanto, afiançou que na reunião com o grupo de trabalho, a direcção fez questão de advertir aos jogadores e o restante “staff” que cenas de uma possível sabotagem não seriam toleradas.

 

Incutimos neles um espírito de grupo, união e disciplina. Fomos claros para com eles e disse que seriamos implacáveis a qualquer tipo de sabotagem. Aliás, só por uma suspeita afastamos o visado sem contemplações”, advertiu.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

 

Beirenses derrotados no estágio na RAS

 

 

NÃO está a correr na melhor forma o estágio que o Ferroviário da Beira realiza, desde segunda-feira, em Joanesburgo, África do Sul. Nos dois primeiros jogos amigáveis perdeu com o BidvestWits local, por 1-0, e diante do Zesco United da Zâmbia, por 2-1.

 

Frente à equipa zambiana, que curiosamente eliminou os beirenses no ano passado na primeira eliminatória de acesso aos grupos da Taça CAF, Maninho foi o autor do tento de honra que respondeu da melhor maneira a um passe de Dayo.

 

Lucas Barrarijo fez alinhar nesse jogo: Willard; Elísio, Cufa, Mambucho e Edson; Paíto, Ricardo, Reinildo e Maninho; Jacob e Nelito. Registaram-se em relação à época passada duas entradas; Ricardo, um júnior e Jacob (ex-HCB). De resto toda a equipa se manteve com destaque para o sector defensivo a partir do guarda-redes Willard, figura preponderante no bom desempenho dos “locomotivas” na temporada transacta.

 

Hoje a equipa orientada por Lucas Barrarijo prossegue a sua preparação com um desafio frente ao Jomo Cosmos da África do Sul.

 

O último teste está agendado para sábado, e no domingo, ao final do dia, a turma moçambicana regressa ao país para a partir de segunda-feira começar a preparar, na cidade de Maputo, o embate de 8 de Fevereiro com a Liga Desportiva de Maputo inserido na Supertaça.

 

A Supertaça é uma prova disputada num final entre o campeão nacional, no caso da Liga, e o vencedor da Taça de Moçambique, o Ferroviário da Beira.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Nkutumula e Azinheira já estão no terreno

 

DEPOIS de terem tomado posse na segunda-feira, perante o Presidente da República, Filipe Nyusi, o Ministro e a vice-Ministra da Juventude e Desporto já estão no terreno. Alberto Nkutumula e Ana Flávia Azinheira apresentaram-se ontem na sua nova casa, receberam as pastas dos seus predecessores, Fernando Sumbana Júnior e Carlos de Sousa, visitaram as instalações do ministério e reuniram-se com os membros do conselho consultivo, bem como com todos os funcionários, para uma primeira abordagem sobre o trabalho que têm pela frente.

 

Na sua intervenção, o novo titular da pasta da Juventude e Desporto destacou que, para se lograrem os objectivos preconizados neste novo quinquénio, é imperioso o trabalho de equipa, primeiro, dentro do próprio ministério; e, depois, entre o ministério e os diferentes actores do movimento associativo juvenil e desportivo.

 

Aliás, segundo referiu Alberto Nkutumula, será também importante se aproveitar e dar-se continuidade ao trabalho levado a cabo nos mandatos anteriores, sobretudo porque, sublinhou, nota-se no Ministério da Juventude e Desporto uma grande preocupação de satisfazer os anseios dos jovens e dos desportistas em relação àquilo que é o programa do Governo para estas duas áreas.

 

Por seu turno, Fernando Sumbana Júnior, na hora da despedida, também se referiu ao empenho colectivo de todos os funcionários para que os desafios emanados no Programa Quinquenal do Governo fossem vencidos, tendo realçado como exemplo as múltiplas conquistas dos nossos desportistas nas competições internacionais, assim como a participação cada vez maior da juventude na construção do país rumo ao progresso.

 

Fonte:Jornal Noticias

Jogam-se meias-finais no Estrela Vermelha

 

 

JOGAM-SE hoje, no campo anexo ao pavilhão do Estrela Vermelha, as meias-finais do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo Bebec, isto ao nível da cidade de Maputo.

Na luta pelo acesso à final, em masculinos, desfilarão as formações dos bairros George Dimitrov, Malhazine, FPLM e Polana Caniço, que asseguraram a presença nesta fase depois de afastarem nos quartos-de-final, disputados segunda-feira e ontem, Munhuana (3-0), Inhagóia (3-1), Ferroviário das Mahotas (3-0) e Sommerschild (4-0), respectivamente.

 

 

Assim sendo, Malhazine defronta FPLP às 8.45 horas, enquanto George Dimitrov, forçado pelo Munhuana à lotaria de grandes penalidades, depois do nulo no tempo regulamentar e no prolongamento, mede forças, logo à tarde (15.30 horas), com Polana Caniço.

 

 

Enquanto isso, Inhagóia, Polana Caniço, Chamanculo e Laulane vão desfilar nas meias-finais, em femininos, depois de afastarem respectivamente Polana Cimento (1-0), Bagamoyo (1-0), Costa do Sol (1-0) e Aeroporto (2-1). A começar, Polana Caniço defronta Chamanculo às 7.45 horas, para de seguida Inhagóia medir forças com Laulane, às 13.45 horas.Recordar que as finais do Bebec se realizam no sábado, no campo do Ferroviário da Baixa.

 

 

MATOLA H E MUSSUMBULUCO SOMAM E SEGUEM

 

 

AS equipas da Matola H e do Mussumbuluco A estão em bom plano no Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo BEBEC, na província de Maputo, e somam e seguem com vitórias nesta etapa conclusiva da competição.

 

 

Na segunda-feira Matola H derrotou Mussumbuluco B, por 3-1. Mussumbuluco A bateu, por sua vez, Matola F, por tangente 3-2.As duas equipas somam duas vitórias em outras tantas partidas e têm desde já caminho aberto rumo às meias-finais.

 

 

Em femininos, apenas se realizou uma partida, com Malhampsene a levar a melhor sobre o vizinho bairro de Tsalala, por 2-1.A competição prossegue amanhã com Matola F a bater-se com Mussumbuluco B, antes do jogo de cartaz entre Matola e Mussumbuluco A, que irá decidir a liderança da série.Em femininos, Liberdade defronta Tsalala.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Uma boa preparação é sempre a alma do sucesso - defendem hoquistas

REAGINDO ao sorteio que colocou Inglaterra, Suíça e Argentina (por ordem de jogos) como adversários da Selecção Nacional de hóquei em patins no “Mundial” que decorrerá de 20 a 27 de Junho próximo na vila de LaRoche-sur- Yon, localizada na cidade Nantes, França, os hoquistas são unânimes em afirmar que com uma boa preparação é mais fácil atingir o sucesso.

 

 

Falando ao “Notícias, o capitão da equipa, Spiros “Kiko”, e Nelson Miquessene, dois integrantes habituais nas convocatórias para o Campeonatos do Mundo”, mostram-se satisfeitos por fazerem o primeiro jogo com a Inglaterra, por esta ser teoricamente a mais acessível do Grupo “B”, no entanto, referem que ao mais alto nível não há equipas fracas. È necessário muito trabalho de conjunto que se deve cingir numa intensa preparação interna e num estágio mais competitivo e alargado fora do país.

 

 

ENTROSAMENTO DO GRUPO É IMPORTANTE - segundo Spiros Esculudes “Kiko

 

 

 

 

JOGAR com a Inglaterra penso que é uma boa forma de iniciarmos o campeonato, pois o facto de ser o adversário mais acessível do grupo dá-nos mais chances de nos estrearmos com uma vitória. Mas para vencermos a Inglaterra, ou qualquer outro adversário, será preciso uma boa preparação”, disse Spiros “Kiko”, capitão da selecção.

 

 

Para Kiko, o estágio, que habitualmente a selecção tem feito fora do país, terá que ser mais alargado. “Vamos precisar de um bom tempo de preparação. Aumentar o volume de treinos e jogos durante o estágio. Isso irá permitir um maior entrosamento dos jogadores, maior entendimento com o treinador e o espírito de grupo ficará mais fortalecido”, afirmou.

 

 

O capitão afirma que será necessário um trabalho minucioso por parte da federação. “Acima de tudo a federação tem de trabalhar muito no sentido de proporcionar cada vez melhores condições de trabalho. Moçambique conquistou por direito o estatuto de melhor selecção africana e a partir dai as nossas responsabilidades são outras. Acredito que com apoio de todos não vamos decepcionar o povo moçambicano”, arrematou.

 

 

 

TEMOS DE DAR DURO NOS TREINOS – revela Nelson Miquessene

 

 

 

 

O facto de o “Mundial” começar mais cedo que o previsto obriga-nos a ter que iniciar a preparação já. Não podemos perder muito tempo. Todos teremos de dar o máximo nos treinos, os mais velhos, os mais novos, teremos de estar unidos. Assim saímos a ganhar todos”, palavras de Nelson Miquessene.

 

 

Reagindo aos jogos da equipa moçambicana, disse: “O calendário é bom para nós. Começar com a Inglaterra, a selecção mais acessível do grupo, depois jogar com a Suíça, uma selecção que vem melhorando muito, e que é nosso directo adversário na luta pelo apuramento, isso irá permitir que observemos a forma de actuar dos suíços. E por último Argentina, que é clara candidata a vencer o grupo e até o título”.Referiu-se ainda ao facto de a preparação, sobretudo a fase de estágio, ter que ser alargada.

 

 

A fase de estágio deve ser maior. Quanto mais jogos tivermos com equipas seja portuguesas, seja espanholas é muito bom, já que chegaremos ao “Mundial” em boas condições”, disse.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

AG para revitalizar Clube de Gaza

 

 

O CLUBE de Gaza estará sábado reunido em Assembleia-Geral para a designação de novos corpos gerentes para os próximos cinco anos, onde deverão ser definidas estratégias visando a recondução daquela agremiação desportiva aos lugares cimeiros no panorama futebolístico nacional.

 

 

A informação foi dada ao nosso Jornal por Mansur Daúde, presidente da mesa da Assembleia-Geral, que nos disse que a decisão resultava do facto de aquele clube estar a funcionar sem o seu líder Nuno Fonseca, que por razões profissionais teve de se ausentar a pouco mais de dois anos para o norte do país.

 

 

Para se assegurar o dia-a-dia da colectividade tem estado a trabalhar no clube uma comissão administrativa sem poderes para tomar decisões de grande relevância para a vida daquela agremiação desportiva.

 

 

Apelamos a presença em massa dos nossos sócios, para que em sede própria possam dar o seu contributo para que em conjunto revitalizemos o nosso Clube de Gaza. Para isso precisamos de uma direcção forte, com objectivos claros para recuperarmos o nosso estatuto de um dos protagonistas no futebol nacional”, disse Mansur Daúde.A nossa fonte reiterou que o Clube de Gaza não é e nunca foi propriedade de um grupo restrito de pessoas, mas sim de todos aqueles que se identificam com os seus ideais desportivos e não só.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Desportivo e Fer. Nacala vão partilhar o “Bela-Vista”

 

 

O DESPORTIVO e Ferroviário de Nacala vão partilhar o campo da Bela-Vista, pertencente ao primeiro clube, durante a edição 2015 do Campeonato Nacional de futebol, o Moçambola.

 

 

A garantia foi dada por Munir Cassam, presidente do Desportivo de Nacala, numa entrevista que concedeu recentemente ao “Notícias”, na qual falou igualmente da sua continuidade na direcção do clube e do contributo dos adeptos para o sucesso dos “canarinhos” no Moçambola.

 

 

O Ferroviário de Nacala já manifestou a vontade de usar o nosso campo para jogos e para treinos. Respondemos positivamente e estamos neste momento em troca de correspondência para alcançar o consenso quanto aos valores a pagar”.

 

 

A fonte explicou, por outro lado, o destino do dinheiro a ser cobrado aos “locomotivas” da cidade portuária. “Esse valor tem em vista a manutenção e melhoramento do próprio campo. Aquele monstro (o campo) precisa de manutenção para não desmoronar. Veja que a chuva que tem vindo a cair criou alguns estragos”, lamentou.Munir detalhou o tipo de danos provocados pelas chuvas.“Não são grandes os estragos. Foram abertas algumas crateras fora do rectângulo e algumas tampas do sistema de escoamento das águas partiram-se. Precisamos atacar o assunto de imediato para evitar que o assunto se agrave”.

 

 

Num outro desenvolvimento, Munir falou das camadas jovens do seu clube, lamentando o facto de não existir competições destes escalões, nem em Nacala e muito menos no resto da província.

 

 

Nós temos uma equipa de juniores e este ano alguns jogadores vão subir para a equipa de seniores. O problema é que não temos campeonato de juniores. Para que os nossos juniores não possam ficar sem competir, integramos num campeonato recreativo. Competem com jogadores muito mais velhos, e não é isso que nós queremos. Para as camadas mais jovens pior ainda. Não há nada nem ao nível de Nacala nem da província, o que é de lamentar”, rematou.

 

 

A terminar agradeceu aos adeptos pela sua cumplicidade com a equipa de futebol, pois estes sempre lotaram o campo nos jogos caseiros, conferindo ao clube mais receita. Sobre a sua continuidade, disse que os adeptos é que fazem não largar a colectividade mesmo nas vezes que abdicou do cargo.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

Ferroviário de Nampula apresenta-se hoje

 

 

O FERROVIÁRIO de Nampula abre na manhã de hoje as suas “oficinas” com vista à preparação da época futebolística referente a 2015, tendo em vista particularmente à sua participação condigna no Moçambola deste ano.

 

 

Na cerimónia que vai acontecer no novo Estádio Municipal da cidade de Nampula, ainda em obras de construção, será apresentada a equipa técnica encabeçada por Rogério Gonçalves e o plantel que inicialmente terá um total de 30 jogadores, entre nacionais e estrangeiros.O secretário-geral do Clube Ferroviário de Nampula, José Mausse, disse à nossa Reportagem que o plantel definitivo da equipa será composto por 25 ou 27 jogadores, que se espera constituam um colectivo coeso, forte e sobretudo competitivo durante o Moçambola.

 

 

No que concerne aos reforços, Mausse indicou que na próxima temporada futebolística os “locomotivas” de Nampula vão contar com os reforços de Carvalho, que no ano passado esteve no Desportivo de Nacala, Xirico (ex-Têxtil de Púnguè), Idónio (ex-Incomáti) e Paiva (ex-Estrela Vermelha da Beira).

 

 

Todavia, e segundo o nosso entrevistado, o Ferroviário de Nampula já recebeu, via cedência do seu homónimo de Maputo, os jogadores Pinto, Aurito e Nito. Neste momento decorrem negociações com vista à contratação dos jogadores Innocent e Buramo, que na época passada representaram o Ferroviário de Maputo e Maxaquene, respectivamente.

 

 

Portanto, estes reforços estão em função ou foram feitos em função dos objectivos do clube e perfil competitivo da equipa. Pensamos que vão corresponder o perfil competitivo da equipa”, frisou Mausse.

 

 

Num outro desenvolvimento o secretário-geral do Ferroviário de Nampula referiu que apesar de terem sido feitas as contratações de novos jogadores, a espinha dorsal da equipa será constituída por jogadores que fizeram parte da temporada futebolística passada.

 

 

No que se refere aos objectivos do Ferroviário de Nampula no Moçambola referente à edição deste ano, José Mausse afirmou que os mesmos fundamentalmente passam pela luta de manutenção, classificação à altura da dimensão da equipa bem como melhorar a obtida no ano passado.

 

 

De acordo ainda com José Mausse, um outro objectivo considerado não menos importante para o período futebolístico que se aproxima é o que ele chamou de “ataque” à Taça de Moçambique, segunda prova mais importante do futebol moçambicano.No campeonato nacional de futebol da primeira divisão do ano passado, vulgo Moçambola, que foi ganho pela Liga Desportiva de Maputo, o Ferroviário de Nampula ocupou o segundo lugar.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

Nampula quer representação condigna

O GOVERNO de Nampula apelou os três clubes que vão representar a província no Moçambola do presente ano, nomeadamente os ferroviários de Nampula e Nacala e o Desportivo de Nacala, para observarem com rigor a respectiva legislação bem como realizarem um grande trabalho educativo junto dos seus associados, adeptos e simpatizantes, por forma a se controlar os seus ânimos, evitando a ocorrência de actos de violência nos recintos desportivos.

 

 

Tal apelo foi feito sábado passado, na cidade de Nampula, pela directora provincial da Juventude e Desportos, Ângela Reane, na cerimónia de tomada de posse do novo elenco directivo da Associação Provincial de Futebol de Nampula (APFN), a qual salientou que só assim é que aqueles clubes vão representar condignamente a província nesse Moçambola.

 

 

Segundo Reane, o facto de a província ter três equipas no Campeonato Nacional deste ano, que constitui um acontecimento ímpar na história do futebol ao nível da zona norte do país, é uma responsabilidade acrescida para Nampula, que deve ser dignificada.

 

 

Na província de Nampula é onde se reportam muitos casos de violência nos recintos desportivos ao nível do país. Por causa disso o Ferroviário de Nampula já foi obrigado a fazer jogos do Moçambola em casa à porta fechada na sequência de uma penalização aplicada pela Liga Moçambicana de Futebol, situação que o Governo da província não quer que se repita a bem do desenvolvimento do futebol na região.

 

 

Para fazer face a essa questão e outros conflitos desnecessários que surgem no futebol nampulense, Ângela Reane entende que os novos órgãos sociais que acabam de ser instituídos devem também observar com rigor a Lei e o Regulamento do Desporto, garantindo assim a eficácia dos seus actos. 

 

 

Para ela, um dos grandes desafios do novo elenco directivo da APFN é a necessidade de as suas actividades terem uma planificação rigorosa e cuidada, focalizada nos escalões de formação, como forma de garantir a criação de premissas para uma alta competição sustentável na modalidade de futebol ao nível da província de Nampula.

 

 

Por seu turno, o novo presidente da Associação Provincial de Futebol de Nampula, João Silva, disse depois de ter sido empossado que os novos corpos gerentes do futebol nampulense tudo farão durante o cumprimento do seu mandato de quatro anos, em prol do desenvolvimento da modalidade na província.

 

 

João Silva reiterou que “a ideia é de trabalharmos com a estreita ligação com os clubes, estabelecendo o diálogo permanente com eles, melhorarmos o relacionamento com as entidades que superintendem o futebol em Nampula. Queremos também apostar na formação nas camadas jovens, na perspectiva de massificar o futebol na nossa província”.

 

 

 

Silva acrescentou que o novo elenco directivo que encabeça a Associação Provincial de Nampula vai trabalhar na perspectiva de credibilizar as instituições de futebol ao nível da região bem assim melhorar a sua posição desportiva no país, contribuindo para o seu desenvolvimento nesta área.Na nova presidência da APFN, João Silva tem como vice Bento Muchanga, Felicidade da Costa continuou como presidente da Mesa da Assembleia Geral, tendo como vice o presidente cessante da APFN, Tomás Narciso.

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias