Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Envolvendo escolas secundária da cidade e província de Maputo: Emoções de básquete “show” de regresso

O TORNEIO interescolar mais conhecido por basquete show regressa no próximo sábado com o envolvimento de 16 equipas da província e cidade de Maputo.

 

Com efeito, durante a semana passada decorreu o clinic, uma palestra coordenada pelos organizadores da prova com vista a actualizar os técnicos as
novas regras de basquetebol.Este ano e pela primeira vez na história, haverá torneio feminino, o qual será disputado por apenas quatro equipas, nomeadamente Escolas Secundárias da Polana, da Matola, do Estrela Vermelha e da Avenida Eduardo Mondlane.

 

Já em masculinos, os participantes serão as Escolas Secundárias Eduardo Mondlane, Estrela Vermelha, Noroeste um e dois, Avenida Eduardo Mondlane, Colégio Kitabu, Polana, Josina Machel, Francisco Manyanga, Malhazine, Zona Verde e Matola, estas duas últimas da província de Maputo.

 

O torneio masculino arranca no dia 30, enquanto o feminino arranca no dia 28 de Julho. O encerramento está marcado para o dia 25 de Agosto.

Na edição deste ano, apenas os atletas nascidos entre 1996 e 1997 é que deverão tomar parte do evento, ou seja 16 anos é a idade limite.

 

O Basquete show foi instituído em 2007, ano em que a Escola Secundária Estrela Vermelha sagrou-se vencedora do torneio. Nas edições de 2008 e 2009, a Escola Secundária da Matola ganhou o evento, e em 2010 a Josina Machel é que cometeu a proeza, para em 2011, a Matola recuperar o título.

 

O torneio é organizado pelo Ministério da Educação em coordenação com as direcções provinciais de educação da cidade e província de Maputo.
 
 
 
Fonte:Jornal Noticias

“Mambas” no “Super 8” asiático

Zainadine, em esforço, tenta desarmar um vietnamita

A SELECÇÃO Nacional de Futebol foi convidada pela Federação do Vietname a participar na Copa Asiática “Top 8” a ter lugar em Outubro do próximo ano. O anúncio foi feito pelo presidente da Federação Moçambicana de Futebol (FMF), Feizal Sidat.

 

O dirigente afirmou ser mais uma oportunidade da equipa moçambicana ganhar ritmo competitivo e até experimentar novos jogadores à semelhança do que aconteceu na partida contra o Vietname no último sábado.Feizal Sidat mostrou-se honrado com o convite feito pelo seu homólogo da
federação vietnamita e disse ser um sinal de que os “Mambas” saíram valorizados na sua digressão naquele país asiático.

 

Participarão na prova denominada “Top 8” as melhores selecções asiáticas sendo de destacar a campeã do continente Coreia do Sul, Japão, Iraque, Irão, Emiratos Árabes Unidos. Vietname, anfitriã, e Moçambique, a única selecção convidada, completam o lote.

 

Ainda no âmbito das relações de cooperação entre as federações moçambicana e vietnamita equacionou-se a hipótese da selecção do Vietname vir jogar em Maputo no próximo ano. Neste sentido, Feizal Sidat vai manter contacto com os dirigentes daquele país.
 
 
Fonte:Jornal Noticias

Zainadine Júnior: Temos bons jogadores

GOSTEI de ver os novos jogadores que integraram a Selecçao Nacional. São muito bons. O defesa direito Sidique fez um grande jogo. O médio Naftal entrou muito bem e também fez uma excelente exibição. São jogadores que devem ser incentivados com mais chamadas à selecção, porque têm muito a dar”, disse Zainadine Júnior animado com a estreia de novos jogadores.

 

Zainadine Júnior não deu muita importância à derrota frente ao Vietname, considerando que a integração de novos jogadores foi mais proveitosa.

Perdemos porque na segunda parte estávamos em más condições físicas devido a viagem que foi muito cansativa. Demos muito na primeira parte, queríamos resolver o jogo cedo. Já na etapa complementar não conseguimos reagir.

 

 Mas é claro que em melhores condições físicas teríamos ganho”.Sobre o seu futuro, Zainadine manifestou a vontade de jogar fora do país na próxima época caso surja boa proposta. Sublinhe-se que o contrato que o liga ao Desportivo termina esta
temporada.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Jerry: Precisamos de trabalhar mais

Jerry

TEMOS que trabalhar mais para garantirmos melhores resultados para o país. A equipa que alinhou era muito jovem e praticamente só estavam três dos habituais titulares. Gostei do que vi. Penso que podíamos ter resolvido o jogo ainda na primeira parte, mas fomos perdulários e já na etapa complementar ressentimo-nos do cansaço das horas do voo”, disse Jerry agradado com a prestação dos
Mambas”.

 

O avançado, que tem sido a primeira aposta de Gert Engels no ataque da equipa moçambicana, ajuntou ser necessário apostar mais na renovação dos “Mambas” pois há muitos jogadores com qualidade.Temos bons jogadores dentro do país. Penso que é preciso dar oportunidade aos
mais novos. Acredito que desta forma vamos formar um conjunto forte capaz de obter melhores resultados”.

 

Falando sobre as suas ambições a nível de clubes, avançou estar de saída do futebol romeno para um outro país europeu sem avançar o nome. “Gostei da experiência no futebol romeno. Estive presente em 95 por cento dos jogos. Só falhei apenas um. Mas o clube está com problemas financeiros.

 

 Perdeu quase todos os jogadores titulares. O presidente abriu também espaço para a minha saída caso surgisse uma boa proposta. Assim anuncio que estou de saída para um outro clube de primeira divisão da Europa, mas decorrem ainda as negociações pelo que não posso dizer o nome”.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Hélder Pelembe: Apostar mais na “prata” da casa

Hélder Pelembe

É UM bom grupo. São os jogadores do Moçambola e de certa forma tem oferecido muita qualidade ao nosso campeonato. Fizeram por merecer. Estiverem todos muito bem e tem que ter mais oportunidades. É um incentivo para eles e outros que não foram convocados trabalharem mais seriamente para ganhar a confiança do treinador”, disse Hélder Pelembe.

 

 O avançado que vai ganhando espaço na equipa nacional e que começa a afirmar-se com um dos melhores executantes na linha da frente afirmou estar a atravessar um bom momento de forma. “Estou numa boa fase no meu clube e na selecção. As pessoas começam a exigir mais de mim e tenho que dar mais nos treinos e nos jogos para ter mais êxitos”.

 

 Falando sobre a derrota com o Vietname, Pelembe considerou que os “Mambas” saíram derrotados no capítulo físico devido à longa viagem. “Com mais tempo de descanso, tínhamos ganho. Não tenho dúvidas”. Questionado sobre se estava nas suas contas viver uma nova experiência no futebol europeu, Pelembe respondeu: “Não há nenhuma proposta por enquanto. Mas se houver vou colocar na balança e ver se vale a pena. Mas de uma coisa tenho a certeza, não quero dar passos inseguros como foi quando fui ao Portimonense. Quero sair para ter uma vida estável e organizada”.

 

 

 

 Fonte:Jornal Noticias

Governo aposta na gestão público-privada de qualidade

O GOVERNO lançou há dias o concurso público para a gestão do Complexo Desportivo do Zimpeto, designadamente o Estádio Nacional, a Piscina Olímpica e a Estação de Tratamento das Águias Residuais.

 

De acordo com José Pereira, afecto ao complexo, já foram elaborados os termos de referência e o caderno de encargos, ou seja, observados os procedimentos administrativos necessários para o concurso visando encontrar o melhor parceiro que, com o Fundo de Promoção Desportiva (FPD), irá gerir aquelas infra-estruturas.

 

Pereira assegurou que o vencedor do concurso poderá ser conhecido até finais do mês em curso, período depois do qual se elaborará o formato de gestão definitiva do Complexo Desportivo do Zimpeto. Afirmou que o concurso será feito por lotes, pelo que os concorrentes tanto podem candidatar-se para gerir as três componentes ou cada uma delas.

 

A fonte referiu que o Governo tem sido abordado por vários interessados nacionais e estrangeiros e espera que, no final, se consiga uma gestão
definitiva e de qualidade do Complexo Desportivo Zimpeto, ou seja que corresponda às expectativas em relação à sustentabilidade e manutenção daquelas infra-estruturas.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Movimento associativo será o maior privilegiado

piscina

Questionado se o movimento associativo desportivo, nomeadamente federações,
associações e clubes, podiam ou não concorrer para a gestão das infra-estruturas, partindo do exemplo da Federação Moçambicana de Natação (FMN)
que tem vindo a reivindicar a gestão das piscinas do Zimpeto, Pereira disse que qualquer que seja o interessado pode concorrer para se tornar parceiro do FPD.

 

Realçou que o mais importante é a observação dos procedimentos, designadamente os requisitos estabelecidos para o concurso.

 

Todos podem participar e, em função daquilo que o próprio processo vier a ditar, as federações podem igualmente vir a ser potenciais parceiros do FPD na gestão das infra-estruturas. No caso particular da natação, a federação está livre de concorrer para a gestão das piscinas do Zimpeto, mas há que reiterar um elemento muito particular e importante. É que independentemente de a Federação de Natação, outro agente ou associação desportiva da modalidade participar ou não na gestão das piscinas, seja ou não parceiro do FPD para administração das piscinas, nada lhe impedirá de usar as infra-estruturas, pois estes são os potenciais parceiros para a promoção do desporto, que é o associativismo desportivo na vertente natação.

 

 As portas estão abertas, estão ali as piscinas e são mesmo para serem utilizadas por todos os moçambicanos”, comentou Pereira.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Todos têm obrigações

José Pereira ressalvou que todos que quiserem fazer uso das infra-estruturas terão obrigações, incluindo as federações, associações ou clubes. Anotou que independentemente de a gestão for atribuída a parceiros que não sejam federações, associações ou clubes, o movimento associativo será igualmente sujeito a obrigações na utilização das infra-estruturas.

 

Salientou que já existe uma proposta do Regulamento de Utilização do Complexo
Desportivo do Zimpeto, mas que ainda carece de aprovação superior.

 

Vai certamente ser matéria de negociação com o candidato eleito e que vier estabelecer esta parceria com o FPD. O regulamento será tornado público para que todos os interessados possam respeitar os requisitos necessários para a utilização tanto do estádio, bem como das piscinas. Há obviamente obrigações de parte a parte, tanto dos utilizadores, bem como dos gestores.

 

 É preciso que as pessoas as conheçam e é importante referir que as piscinas não só serão utilizadas para a alta competição, isto é para as competições, mas também para o público em geral, para acções de formação, desde as camadas mais jovens.


Obviamente que será necessário que, em primeiro lugar, se criem condições de segurança para que as crianças, adolescentes, jovens e os próprios adultos possam frequentar e utilizar as piscinas com tranquilidade e, em caso de necessidade, haver pessoas prontas para eventuais socorros”, ajuntou.

 

 

Indagado sobre quais seriam as obrigações do movimento associativo em relação aos parceiros privados que provavelmente se associem ao FPD para gestão do complexo, Pereira não adiantou pormenores, limitando a dizer que Complexo de Zimpeto está neste momento a observar uma gestão provisória e, nesse quadro, o Governo estabeleceu obrigatoriedades parte a parte.

 

 

Quando qualquer agente desportivo pretende utilizar o campo de futebol do Estádio Nacional, por exemplo, tem obrigações específicas, que são algumas taxas a pagar. Tem de cuidar da organização do evento, desde o controlo do acesso do
público, questões de segurança, etc. Acontece o mesmo em relação à natação.

 

 Mas devo dizer que quando falamos de uma gestão definitiva, isso pressupõe a existência de um regulamento que carecerá de afinação no sentido de todas as taxas, práticas e requisitos ali integrados serem, por um lado, acessíveis aos utilizadores e, por outro lado, terem em conta a necessidade de rentabilização do património desportivo para garantir a sua sustentabilidade e manutenção.

 

Portanto, tem de haver aqui um equilíbrio sob pena se de pôr em prática taxas mais elevadas e não termos utilização e, por outro, ter taxas muito baixas e por consequência não haver a manutenção deste património, o que equivale dizer que a
breve trecho teremos aqui um património a desmoronar a olhos vistos”, explicou.

 

Frisou que é preciso salvaguardar o equilíbrio na gestão, facto que carece primeiro de negociação e contrato com os parceiros.

Quem sabe, o processo vai carecer, no processo de divulgação do próprio regulamento, da necessidade de se ouvir os próprios parceiros para poder buscar outras sensibilidades que eventualmente possam obrigar os actores principais da produção desse instrumento a fazerem algumas alterações ou correcções”, sublinhou.

 

Pereira reiterou que o movimento associativo será o maior beneficiário das
infra-estruturas, como principal actor e população objecto do património
desportivo.

 

Mas é importante sublinhar e clarificar que o Estádio Nacional do Zimpeto
não vai ser apenas palco para o movimento desportivo, mas também de muitas
outras actividades, nomeadamente eventos sociais e culturais, ou seja, outras
vertentes que possam garantir vitalidade e rentabilidade do recinto”,
concluiu.   

  • SALVADOR NHANTUMBO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Obras arrancam dentro de dois meses

ARRANCAM dentro dos próximos dois meses as obras de conversão  do campo polivalente do Ferroviário de Gondola em Centro de Excelência Desportiva Regional Centro. Localizada na região de mesmo nome, na província de Manica, a infra-estrutura será vocacionada para a formação de atletas para as diferentes modalidades praticadas no nosso país.

 

A garantia foi dada pelo Ministro da Juventude e Desportos, Padrito Caetano, na vila de Gôndola, após ter avaliado o estado das infra-estruturas do então Clube Ferroviário local, que se encontram em estado bastante avançada de
degradação, sobretudo a piscina.

 

Para tal, Caetano revelou que o empreiteiro que executará a empreitada será conhecido dentro de dias, uma vez que o concurso lançado recentemente, a respeitado,  está numa fase bastante avançada.  

     

“Estamos a falar de estudos feitos há sensivelmente dois anos. Mas não há dúvidas de que o projecto requer muito investimento. Estamos a falar de valores bastante altos que sairão dos cofres de Estado e de parceiros de diferentes níveis para que as obras possam avançar obedecendo três fases”, referiu o titular da pasta da Juventude e Desportos do nosso país.

 

Por seu turno, a administradora de Gongola, Ana Chapo, disse haver esforços locais para que o empresariado daquele distrito comparticipe no projecto de modo a garantir a celeridade do programa. Reconheceu.

 

O presidente do Conselho Municipal da Vila de Gondola, Eduardo Gimo, alinhou pelo mesmo diapasão referindo, no entanto, que a edilidade tem vindo a
desencadear acções com vista a persuadir o empresariado local e outros segmentos da sociedade a darem o seu contributo na concretização do projecto.

...

O PAÍS poderá passar a contar, ainda este ano, com o Estatuto do Praticante de Desporto de Alta Competição. A iniciativa é do Ministério da Juventude e Desportos e já está numa fase avançada de sua elaboração, podendo, brevemente, ser submetido ao Conselho de Ministros para a sua posterior aprovação.

 

O PAÍS poderá passar a contar, ainda este ano, com o Estatuto do Praticante de Desporto de AltaEsta informação foi revelada há dias pelo Ministro da Juventude e Desportos, Pedrito Caetano, num encontro que manteve com as associações juvenis e desportivas da província de Manica, cujo evento aconteceu na cidade de Chimoio, no âmbito da sua visita de trabalha àquela região do centro do país.

 

Pedrito Caetano reagia assim a uma questão colocada por um xadrezista local segundo a qual  os atletas da alta competição desta modalidade têm sido relegado para o último plano mesmo com os  bons resultados que trazem para o país.

 

Ainda a propósito, o xadrezista em alusão pediu ao ministro Caetano para que o seu pelouro olhasse com uma atenção especial tanto ao xadrez como outras modalidades que têm trazido glórias ao país sem que, no entanto, tenha havido uma contribuição plausível do Executivo, sobretudo no que tange à ajuda em termos materiais.

 

Diante disso, Caetano reconheceu que há atletas ou modalidades que têm trazido glórias ao país sem uma forte intervenção do Governo, mas aclarou que tal tem dias contados pelo facto de alegadamente já existir um instrumento em
preparação para que o praticante de alta competição tenha um estatuto especial.

 

Este não é só o problema do xadrez que clama por apoio material e insentivo aos atletas. Há muitos outros, só que o problema é a falta de instrumentos reguladores. Mas isso tem dias contados porque ainda este ano teremos o Estatuto do Praticante do Desporto para Alta Competição que trará muitas vantagens e resolverá de uma vez por todas estas questões”, assegurou Caetano.

 

Sobre o assunto, o ministro da Juventude e Desportos anunciou ainda que tal estatuto contempla, entre outras coisas, bolsas de estudos para bons atletas, pagamento de despesas ligadas ao treinamento e escolararidade, com o intuito de projeger os talentos e/ou craques nacionais.

 

Uma das coisas que queremos fazer é proteger cada vez mais os nossos talentos, por isso que passaremos a ter centros de excelência e a nossa província de Manica é a primeira a beneficiar disso e estará localizado em Gondola. Portanto, vamos transformar o campo polivante do clube Ferroviário nessas infra-estruturas de excelência. Outro passo será a aprovação deste Estatuto para o Praticante de Alta Competição”, realçou o ministro da Juventude e Desportos.
 
 
Fonte:Jornal Noticias