Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Sonhamos com a final – pensa Rogério Balate, treinador do Palmeiras de Quelimane

SONHAMOS em estar na final. Penso que uma equipa que chegou às meias-finais tem a obrigação de sonhar, pelo menos, em apurar-se à final. É com esta ambição que vamos entrar em campo”, afirma Rogério Balate, treinador do Palmeiras de Quelimane.

 

Rogério Balate, mais conhecido por Zulu nos meandros desportivos, alerta aos seus pupilos para um jogo difícil em Tete, onde o Palmeiras de Quelimane terá que enfrentar para além do adversário, o intenso calor e ainda ter a frieza necessária para suportar o apoio infernal do público tetense.

 

Não há dúvidas que temos uma tarefa difícil. O Chingale é uma das equipas mais difíceis de defrontar no seu campo porque conta com o forte apoio dos seus adeptos. Um outro factor que teremos que nos confrontar é o intenso calor que se faz sentir nesta altura em Tete”.

 

 

No entanto, o técnico frisa que a sua equipa já provou ao eliminar o Ferroviário da Beira, nos quartos-de-final.

Para este desafio, Júlio diz estar moralizada para enfrentar os tetenses de igual para igual.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Jogo de risco - Arnaldo Salvado, treinador do Maxaquene

Arnaldo Salvado

PENSO que as duas equipas estão na mesma situação. Nesta altura estão a praticar um bom futebol e é seguro que assistiremos a uma agradável partida. Mas não há dúvidas que é um jogo de risco, onde só interessa ganhar e só uma equipa pode transitar para a final”, disse, Arnaldo Salvado, técnico do Maxaquene, analisando o “derby” de amanhã frente ao Ferroviário.

 

Arnaldo Salvado é de opinião que o favoritismo pode ser repartido em cinquenta porcento. “Ambas as formações têm bons valores individuais e em termos colectivos, conforme já me referi, estão em boa forma e têm estado a recuperar no Moçambola, por isso as possibilidades de vitória são repartidas.

 

 

Apesar de reconhecer o valor do adversário, o treinador assegura que os “tricolores” vão entrar em campo com um único objectivo: ganhar. “A nossa forma de abordamos os jogos é sempre a mesma e não vamos mudar. Queremos fazer um bom jogo e procurar vencê-lo. O Maxaquene é uma equipa que pauta por um futebol elaborado de construção de jogo, tem um ataque que marca muitos golos e uma defesa eficaz, por isso tem um conjunto bem estruturado”.

 

 

Salvado sublinha o facto de na Taça de Moçambique estarem em jogo valores monetários que são um incentivo extra para a equipa “tricolor” lutar pela vitória.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Calendário de jogos

HOJE

 


Pavilhão do Maxaquene

 

 

18.00 – Maxaquene-Desportivo

19.45 – Costa do Sol-Real Sociedade

 

 

Pavilhão do Desportivo

 

 

18.30 – A Politécnica-Aeroporto

20.00 – U. Pedagógica-Ferroviário

 

 

 

AMANHÃ

 


Pavilhão do Maxaquene

 

 

14.00 – A Politécnica-Real Sociedade

15.30 – A Politécnica B-Liga Muçulmana (Fem.)

17.00 – A Politécnica A-Maxaquene (Fem.)

18.30 – Maxaquene-Costa do Sol

 

 

Pavilhão do Desportivo

 

 

15.30 – Desportivo-Ferroviário (Fem.)

17.00 – Aeroporto-Ferroviário

18.30 – U. Pedagógica-Desportivo

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Maxaquene surpreendido nas vésperas do “derby”

Nandinho

QUEM diria? De facto, se numa competição desportiva houvesse lógica, certamente que o que aconteceu quarta-feira à noite, na “catedral”, não teria ocorrido. Porém, porque a lógica não existe, independentemente do peso dos contendores, a verdade manda dizer que o Maxaquene foi surpreendido pela modesta Real Sociedade, que ganhou pela marca de 59-56, no início da segunda volta do Campeonato de Basquetebol da Cidade do Maputo em Seniores Masculinos.

 

Já havíamos chamado a atenção para a emotividade que iria caracterizar a segunda etapa da prova, não somente entre o grupo da frente, isto é, aquele que se digladia pelo título, como também envolvendo os outros participantes no campeonato, que não pretendem ser meros figurantes. E logo na jornada inaugural (oitava da competição), a Real Sociedade travou-se de razões com o “colosso” e logrou conquistar uma vitória que “a priori” estava longe de quaisquer conjecturas.

 

 

Mesmo considerando a ausência do grande estratega Fernando Manjate (Nandinho), os “tricolores” têm razões de sobra para não se recordarem tão já daquilo que lhes aconteceu no seu recinto. Senão vejamos: chegaram a desfrutar de uma confortabilíssima vantagem de 28 pontos, mas deixaram-se adormecer à sombra da bananeira, enquanto a Real Sociedade se agigantava sem temor nenhum. E o resultado disso foi a igualdade ao cabo do tempo regulamentar, para, no prolongamento, a Real Sociedade sair vitoriosa por 59-56, para total perplexidade dos maxaquenenses.

 

 

E esta derrota acontece nas vésperas do “derby” com o seu vizinho Desportivo, marcado para esta noite, a partir das 18.00 horas, no pavilhão dos “tricolores”. Trata-se do desafio de maior cartel da nona jornada do campeonato e com transmissão em directo na Televisão de Moçambique.

 

 

Nos outros jogos de quarta-feira, destaque para a não conclusão do embate entre Desportivo e Ferroviário, interrompido quando decorriam 2.34 minutos do terceiro período, devido ao piso escorregadio no pavilhão do “alvi-negros”, em consequência da chuva que caiu na capital do país. Na altura da interrupção, os “locomotivas” venciam por 32-27. Já o Costa do Sol derrotou Aeroporto pela marca de 63-35 e Universidade Pedagógica bateu A Politécnica por 57-43.

 

 

Entretanto, em relação ao campeonato de seniores femininos, a previsível liderança da Liga Muçulmana no fecho da primeira volta acabou por se concretizar. Com efeito, a turma de Nazir Salé “esmagou” A Politécnica B por 84-17, passando a somar 10 pontos, contra nove de A Politécnica A.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Época de natação só abre em Novembro

natacao

A ABERTURA da época de natação na cidade do Maputo está refém da anunciada reabilitação da piscina da associação da modalidade a nível da capital (ANCM), em Julho último, mas que na verdade ainda não deu sequer um passo.

 

A piscina está num estado de abandono, com as águas a reclamarem tratamento, numa altura em que passam sensivelmente dois meses do período previsto para abertura da temporada.

 

 

A época de natação abre normalmente a 1 de Setembro e é durante este mês que se realiza o Torneio de Abertura, que marca o arranque da temporada.

 

 

Em contacto com a nossa Reportagem, o secretário-geral da Associação de Natação da Cidade do Maputo (ANCM), Caetano Ruben, assegurou que a reabilitação iniciaria segunda-feira última, o que não aconteceu até agora, e as competições arrancariam a 8 de Novembro. Justificou, na altura, que a demora devia-se à falta de fundos, mas havia antes dito que as obras tinham patrocínio garantido por várias empresas.

 

 

A verdade é que a piscina carece de meios de manutenção, porquanto a reabilitação por si anunciada visava dar uma nova roupagem ao recinto de competições e às instalações no geral.

 

 

Vamos reabilitar todas as instalações, desde a casa das máquinas, tanque da piscina, bloco de partida, sistema de esgotos, pintura geral das instalações e muro”, disse na altura, reiterando que a reabilitação seria garantida por várias empresas e aconteceria num prazo de um mês.

Enquanto isso, os clubes sem piscinas, como é o caso do Tubarões de Maputo, continuam sem treinar por falta de espaço. É também o caso do Ferroviário, cuja piscina reclama reabilitação.

 

 

Os únicos clubes filiados à ANCM que dispõem de piscinas mais para treinos do que para competições são Golfinhos de Maputo e Centro Cultural do Banco de Moçambique.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

CLUBES PROCURAM SOLUÇÕES JUNTO DA FMN

Gilberto Mendes

Gorada a expectativa em relação à ANCM, os clubes procuram soluções junto da Federação Moçambicana de Natação (FMN) liderada por Gilberto Mendes. Na pior situação está o Ferroviário, que não treina desde que a direcção do clube fechou a piscina para a reabilitação que, conforme soubemos de fontes próximas da colectividade, não está a conhecer passos assinaláveis.

 

 

O treinador do Ferroviário, Frederico dos Santos, mais conhecido por Russo, disse ter igualmente contactado Caetano Rúben sem sucesso e não havendo solução tem estado a privilegiar o treino físico. Esta foi uma das razões por que os “locomotivas”, bem como os Tubarões, não se fizeram presentes no IV Torneio Internacional “Golfinhos Sprint”, que se realizou há dias na Piscina do Zimpeto, envolvendo clubes nacionais, da Suazilândia e da África do Sul.     

 

 

Estamos à procura de uma alternativa, que seria a Piscina do Zimpeto. Mas isso acarreta despesas tais como transporte e outras. Aguardamos pela resposta da FMN, por enquanto ainda não tivemos contacto com água e isso vai prejudicar-nos por toda época”, lamentou.

De salientar que fora ao Torneio de Abertura, que devia ter decorrido em Setembro, está previsto o Campeonato da Cidade de Verão.  

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Selecções de vólei entram em acção

AS selecções nacionais de vólei de praia, masculina e feminina

AS selecções nacionais de vólei de praia, masculina e feminina, já se encontram na Nigéria e Argélia, respectivamente, para disputarem o acesso aos Jogos Olímpicos-Londres-2012.

 

A equipa feminina será a primeira a entrar em prova, hoje, num grupo em que terá pela frente Serra Leoa, Uganda, Argélia e Namíbia.

As irmãs Cumbi, Amélia e Rezia e Guilhermina Cossa (Guigui) e Marília Magaia serão as duplas que a partir de hoje até o próximo domingo representarão o país nesta prova.

 

 

A turma masculina, por sua vez, inicia amanhã o seu ciclo rumo à Londres-2012. Os adversários das duplas nacionais, formada por Délcio Soares e Justino Tovela e Carlos Acácio/Carlos Macamo serão Angola, Gâmbia, Burundi e Nigéria, selecção anfitriã.

 


Tanto o combinado feminino como o masculino defrontarão adversários sobejamente conhecidos dos Jogos Africanos casos da Argélia, Nigéria e Angola. 

 

 

Refira-se, que esta é a segunda e penúltima fase da zona africana de apuramento para os Jogos Olímpicos. Para a fase final, a decorrer no próximo ano, seguem os dois primeiros classificados.

 

 

Na primeira fase das eliminatórias (Zona Austral), realizada na capital do país, em Julho último, a selecção masculina ocupou o segundo lugar e a feminina o primeiro.

 

 

A preparação das equipas nacionais decorreu na Praia da Costa do Sol (Zona da Miramar) durante dois meses sob as ordens de Raul Romero, técnico cubano.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Calorosa busca do ouro perdido no Moçambola


Maxaquene vs Ferroviario

EMBORA ainda faltem três jornadas para o epílogo do Moçambola-2011, está claro que o título não escapará à Liga Muçulmana. Para o ainda matematicamente candidato Maxaquene, assim como para o Ferroviário, adversários este sábado, apostar na Taça de Moçambique é o melhor caminho para tentar o ouro perdido no campeonato.

 

A avaliar pela magnitude do desafio e, acima de tudo por aquilo que representa para os contendores, nomeadamente a qualificação para a sempre cobiçada final da Taça de Moçambique, é de perspectivar uma grande romaria em direcção ao Estádio Nacional do Zimpeto, local da contenda, este sábado, a partir das 18.30 horas. E, seguramente, não serão somente adeptos “tricolores” e “locomotivas” interessados em marcar presença nessa noite de sonho, como também de outros amantes do jogo da bola, pois o espectáculo realmente promete.

 

 

Para estas duas formações, uma temporada sem nenhum troféu é inegavelmente um ano perdido, tendo em conta os investimentos efectuados com o propósito de conquistar as principais provas futebolísticas nacionais. Para já, o campeonato está perdido. O Ferroviário, longe dos lugares do pódio, há muito que se desmobilizou em relação ao Moçambola. O Maxaquene, esse, ainda sonha com o impossível, isto é, fazer o pleno nos próximos três embates contra nenhum ponto do líder destacado Liga Muçulmana.

 

 

Neste sentido, a Taça de Moçambique, cujo vencedor representa o país nas Afrotaças, tem as portas abertas de par em par para os dois “colossos”, que, por aquilo que deles se conhece, prometem uma partida essencialmente ofensiva, considerando a irreverência dos seus jovens atacantes.

 

 

Do lado “tricolor”, Hélder Pelembe, Reginaldo, Betinho e Liberty serão setas venenosas apontadas para a baliza de Mahomed, ou então de Pinto, caso o técnico Nacir Armando mantenha este “keeper”. Pelo Ferroviário, a defesa maxaquenense deverá ter uma atenção especial à nova coqueluche Clésio, um moço batalhador e que escapa como uma enguia. Clésio veio dar mais vivacidade à frente atacante de uma equipa que tinha em Luís e Sonito as pedras mais perigosas.

 

 

E é com este cenário que Maxaquene e Ferroviário se apresentarão sábado à noite no Estádio Nacional do Zimpeto, depois de no primeiro encontro entre si na nova “catedral” futebolística moçambicana terem empatado 1-1, a contar para a segunda volta do campeonato. Desta vez, devido à natureza da prova, jogar-se-á até se achar o vencedor, nem que seja através de pontapés da marca de grande penalidade, segundo prevê o regulamento da competição.

 

 

Na busca da vaga para a final da Taça de Moçambique temos outros dois intervenientes que, apesar da sua pequenez, podem surpreender no dia do “juízo final”. Trata-se do Chingale e do Palmeiras de Quelimane, que também se defrontam no sábado, a partir das 14.30 horas, no campo do Desportivo de Tete.

 

 

A priori”, o Chingale é claramente favorito: por um lado, está mais rodado do ponto de vista competitivo, fruto de um campeonato muito bem conseguindo; e, por outro, o factor casa deverá ser determinante para conseguir a sua segunda presença na final da prova. No entanto, o Palmeiras, que perdeu o campeonato provincial a favor do novato Vila Pita, pode ser uma surpresa desagradável para os tetenses.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias