Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Irmão de Eto’o testado na 2.ª Divisão germânica

ETIENNE EtooETIENNE Eto’o, irmão mais novo do goleador Samuel Eto’o, encontra-se a fazer testes no Fürth, equipa da 2.ª Divisão alemã.

 
 

O atacante camaronês, de 21 anos, tem ainda contrato com uma equipa do 4.º escalão de Espanha, o Pobla de Mafumet.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Técnico marroquino melhor de África

Lhoucine AmmoutaO TÉCNICO Lhoucine Ammouta, do FUS Rabat, da I Divisão do campeonato marroquino de futebol, foi designado melhor treinador africano, no termo de uma sondagem anual efectuada pelo site futebolístico “Forum Koora”.

 
 

O segundo lugar foi atribuído ao ex-seleccionador argelina, Rabah Saâdane, enquanto os técnicos egípcio, Hassan Shehata, e do Gana, o sérvio Milovan Rajevac, ocuparam, respectivamente, os terceiro e quarto lugares.

 

O título de melhor jogador africano no estrangeiro foi atribuído ao camaronês Samuel Eto'o, seguido pelo argelino Majid Bougaraa e pelo ganês Asamoah Gyan, segundo a sondagem publicada no fim-de-semana, em Rabat.

 

O FUS Rabat, vencedor da edição de 2010 da Taça da Confederação Africana de Futebol (CAF), ocupou o terceiro lugar durante o voto para a designação do melhor clube africano, enquanto o primeiro lugar foi concedido ao clube congolês TP Mazembe, vitorioso na edição de 2010 da Liga Africana dos Campeões e segundo classificado no Mundial de Clubes, seguido pelo clube líbio Al Ittihad.

 

Fonte:Jornal Noticias

ORGANIZAÇÃO DO AFROBÁSQUETE-2011: Angola reticente

Logo Fiba AfricaO MINISTRO angolano da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, mostrou-se reticente quanto à organização pelo seu país do Campeonato Africano de Basquetebol de Seniores Masculinos de 2011, devido aos seus custos financeiros, afirmando estar alheio a esta pretensão.

 
 

São enormes responsabilidades administrativas, não é assim tão fácil, não é só por termos infra-estruturas, experiência (...) são encargos financeiros que é preciso ver quem é que vai assumir”, disse Gonçalves Muandumba, indicando não ter conhecimento oficial sobre a pretensão de Angola albergar a competição.

 

A possibilidade de Angola albergar pela quarta vez o Afrobásquete - depois das edições de 1989, 1999 e 2007 - foi aventada pelo secretário-geral da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Tony Sofrimento, como alternativa à Costa do Marfim face à situação de instabilidade neste país da África Ocidental.

 

O ministro da Juventude e Desportos adiantou que o Orçamento Geral do Estado (OGE) para este ano já foi aprovado, sublinhando que deve ser precisado quem assumirá as despesas para se poder avaliar e tomar uma decisão sobre a organização do evento.

No entanto, Gonçalves Muandumba considerou que uma excelente preparação da selecção, 10 vezes campeã africana em título, permitiria aos angolanos triunfar em qualquer parte do continente.

 

Nós temos de estar preparados física e psicologicamente e, quer seja na Costa do Marfim, na Nigéria, ou onde for, Angola vai ganhar”, garantiu o ministro da Juventude e Desportos.  

A sede do Afrobásquete será conhecida a 15 de Fevereiro próximo, durante uma reunião da Comissão Executiva da  FIBA-África.


Fonte:Jornal Noticias

Os melhores do Bebec

AntonioA edição deste ano do Bebec, que trouxe para além dos campeões Chamanculo e Ferroviário, respectivamente em masculinos e femininos, revelou também pequenos artistas que se notabilizaram individualmente, alguns dos quais terão algo a dizer no futuro do futebol moçambicano, se tiverem a sorte de serem bem acompanhados daqui para a frente.

 
 

O torneio destacou seis petizes, dos quais se destaca o avançado do Chamanculo, António Santos (o camisola 10), um dos obreiros do sucesso da equipa nesta edição. Santos foi o melhor jogador do evento. Foi este pequenito quem abriu o caminho para a vitória do Chamanculo, marcando o primeiro golo dos dois que ditaram o triunfo daquele bairro sobre a Malhangalene.


Enquanto isso, Nalves Edgar, do bairro George Dimitrov, é o melhor marcador, com sete golos ao longo do torneio, apesar de a sua equipa não ter chegado à fase final, que antecedeu as meias-finais e finais.

 

Por seu turno, Valdemiro Luís, do bairro Inhagóia, sagrou-se melhor guarda-redes. Não sofreu sequer um golo durante os sete jogos correspondentes à fase de grupos.

Em femininos, Isabel Mário, também do Inhagóia, foi destacada melhor jogadora e coube o prémio de melhor marcadora a Elsa Alberto (seis golos) do bairro Ferroviário. Por sua vez, Neta do Rosário, do bairro 3 de Fevereiro, arrecadou o prémio de melhor guarda-redes, com três golos sofridos ao longo da competição.

GUACHENE “FAIR PLAY”

 
 

Enquanto isso, a equipa do bairro do Guachene, no distrito municipal KaTembe, ganhou o troféu por ter sido a equipa masculina mais disciplinada do torneio. O “fair play” foi também para a Polana-Caniço, em femininos.


De salientar que ao nível da classificação colectiva, Inhagóia ficou em terceiro lugar em masculinos e femininos. Em masculinos, Inhagóia não precisou de disputar o jogo para o apuramento da terceira melhor equipa, isso na sequência da desqualificação da Mafalala.

Este, que seria o adversário de Chamanculo nas meias-finais, foi despromovido em virtude do uso indevido de um atleta.

 

Inhagóia perdeu a meia-final com Malhangalene, adversário de Chamanculo na final de sábado.  

Em femininos, Inhagóia conquistou o precioso terceiro lugar com a vitória sobre Chamanculo (auto-golo), por 1-0.

 

Fonte:Jornal Noticias

Estágio na RAS: Liga faz último teste frente ao Pirates

É ESTA tarde que Artur Semedo, técnico da Liga Muçulmana, campeã nacional, vai tirar as melhores ilações sobre o estado de forma da equipa que prepara para o embate de sábado frente a Zesco United da Zâmbia, em Lusaka, a contar para a primeira “Desportivomão” da pré-eliminatória da Liga dos Campeões Africanos, quando defrontar Orlando Pirates, no Joanesburgo Stadium, no prosseguimento do seu estágio na vizinha África do Sul.

 
 

A avaliação que se pode fazer até esta altura em relação ao conjunto reside no facto de Artur Semedo não ter ainda encontrado a linha ideal, apesar de estar a ficar claro que o seu objectivo é ter uma equipa forte mas com várias alternativas que lhe confiram também uma forte sustentabilidade.

 

Sendo assim, continuam ainda evidentes dificuldades próprias de um conjunto à busca de coesão, ao mesmo tempo que procura ganhar o ritmo que lhe permita competir ao alto nível. As adversidades que a Liga enfrenta neste momento têm exactamente a ver com as dificuldades próprias de um conjunto que se pretende sólido e se adapte rapidamente ao modelo do jogo que a equipa técnica impõe e que vai determinar a actuação da equipa no rectângulo de jogos.

DISPENSAS E NOVOS REFORÇOS

 
 

Enquanto a preparação evolui, a preocupação está nas opções certas no plantel e na equipa que se está a montar para o embate frente aos zambianos. Artur Semedo dispensou dos seus serviços dois estrangeiros, nomeadamente o nigeriano Ibrahimo e os zimbabweanos Massitara,  Tomy e Tafadzo Rusique. Em compensação, poderá contar com o médio ganês Maurius e o médio-ofensivo britânico Conrad Robert, ex-Britton e Eagles FC, que ainda esteve em experiência no Luton Town FC.

 

Semedo dispensou ainda Lamá, Chana e Aurito (ex-HCB de Songo).

O técnico tenta a todo custo acertar o plantel e, para o efeito, teve de reduzir o excessivo número de estrangeiros na equipa. A direcção da Liga quer um plantel de entre 26 e 28 jogadores no máximo.

DUAS EQUIPAS PARA UM ONZE

 
 

Duas equipas procuram preencher os 18 lugares disponíveis para o jogo com Zesco United. No início do estágio na África do Sul, a Liga defrontou Bidvest repartindo o seu plantel em duas partes, tendo a primeira equipa empatado com a sul-africana (1-1), no primeiro teste que durou 45 minutos.


A Liga alinhou com Gervásio; Cantoná, Mucuapere, Aguiar, Mayunda, Micas, Carlitos, Momed Hajy e Muandro; Nelson e Dário Monteiro.

 

No segundo, que também durou 45 minutos, a turma muçulmana actuou com Neco; Silvério, Fanuel, Narciso e Hassani; Telinho, Paíto, Mustafá e Micas I; Joaquim e Mauricio. Perdeu por 1-2 e agora tem o Orlando Pirates para acertar o passo.

Destes dois onzes, Artur Semedo deverá encontrar a equipa ideal e as respectivas opções para suplentes até na quinta-feira, data em que viajará para a Zâmbia.

 

Fonte:Jornal Noticias

Futebol – Preparação para 2011: Equipas da capital aprimoram-se

TreinoAS equipas da cidade de Maputo que irão participar no Moçambola no presente ano, nomeadamente Liga Muçulmana, Maxaquene, Ferroviário, Costa do Sol, Desportivo e Matchedje estão com os olhos na consolidação dos seus planteis para enfrentarem um ano futebolístico que se antevê ainda mais competitivo.

 
 

Os representantes nacionais, nas competições africanas, Liga Muçulmana e Maxaquene estão mais adiantados nas suas preparações se se atender que no final do mês se estreiam na Liga dos Campeões (frente Zesco United-Zâmbia) e Taça CAF (diante do AS Adema-Madagáscar), respectivamente.


A Liga está há mais de uma semana na cidade sul-africana de Joanesburgo, a realizar um estágio e hoje realiza o seu último jogo de controlo frente o Orlando Pirates, enquanto o Maxaquene, após ter cumprido parte da sua preparação na vila fronteiriça da Namaacha, já regressou à base e no sábado efectuou o jogo de apresentação no seu reduto frente aos suázis do Manzini Sundows, tendo ganho, por 2-0.

 

O Ferroviário também está a efectuar um estágio em Joanesburgo. A turma “locomotiva” está a ter uma prestação desastrosa. Na manhã de ontem, realizou mais uma partida tendo sido goleada pelo Moroka Swallows, por 0-3, depois de no sábado ter perdido com o Jomo Cosmos, por 2-5. Conforme era de prever, Chiquinho Conde terá muito trabalho para afinar a “máquina” sobretudo depois de terem saído duas pedras-chave: Momed Hagy e Jerry, ambos para a Liga.

 

Hoje, os verde-e-brancos medem forças com o Bidvest. Chiquinho terá mais uma oportunidade para tirar as devidas ilações sobre a condição do plantel nos aspectos técnico-táctico e físico.

 

O Costa do Sol realiza desde sexta-feira um estágio na Namaacha. No domingo reprovou no primeiro exame tendo saído derrotado com o Ferroviário da Beira por 1-3.

Os “canarinhos”, que procuram este ano limpar a má imagem deixada na época passada, ainda têm muito trabalho pela frente. O seu único golo foi apontado pelo sul-africano Chez, um dos reforços que já começa a mostrar serviço.

 

A equipa comandada pelo zimbabweano David Mandigora prevê realizar mais jogos amigáveis antes do regresso à casa.

O Desportivo, por sua vez, está a treinar no campo da Académica. Nos próximos dias é provável que a equipa “alvi-negra” se desloque à Catembe, onde dará sequência a sua preparação.

 

O “mister” Augusto Matine ainda está numa fase de triagem e definição do plantel. Aliás, este é um facto que se constata em quase todas as equipas.

Quem está mais atrasado na preparação é o Matchedje que apenas hoje abre as “oficinas” sob o comando de Filipe, antiga estrela da baliza dos “militares” e da Selecção Nacional.

Nacir Armando, treinador que orientou os “militares” na época passada, irá este ano comandar o Estrela Vermelha.

 

Fonte:Jornal Noticias

“Tricolores” em grande na sua apresentação

O MAXAQUENE esteve em grande na apresentação do seu plantel-2011 aos sócios, simpatizantes e adeptos. Em partida realizada sábado no seu relvado, na Machava, os “tricolores” derrotaram o Manzini Sundowns, da Suazilândia, por duas bolas sem resposta, golos da autoria do “capmaxaqueneitão” Macamito e do ponta-de-lança Tony.

 
 

Os vencedores da Taça de Moçambique, que no próximo fim-de-semana jogam em Antananarivo frente ao AS Adema, de Madagáscar, para a primeira “mão” da pré-eliminatória da Taça CAF, efectuaram uma série de jogos contra formações suázis durante o seu estágio na Namaacha, se

 

mana passada, e quis apresentar-se aos seus sócios também diante de um adversário deste país vizinho.

 

Os “tricolores” deram boas indicações e, sobretudo, a certeza de que poderão se sair bem na deslocação a terras malgaxes, de modo a vincar o seu favoritismo na presente eliminatória.


Já ontem, igualmente no seu campo, o Maxaquene jogou e bateu o Liberbool, do bairro da Liberdade, por 7-0, golos de Tony (dois), do sul-africano Mushiri (dois), do ugandês Michael, Manuelito e o sul-africano Themba.

 

Recorde-se que o Liberbool milita no Campeonato Provincial do Maputo.

 

Fonte:Jornal Noticias

PREPARAÇÃO PARA OS JOGOS AFRICANOS: Recintos escolares alternativa para selecções

António Munguambe e Salomone CossaOS recintos desportivos escolares são as principais alternativas encontradas pela Missão Moçambique para acomodar as necessidades de preparação das Selecções Nacionais de diversas modalidades para os Jogos Africanos Maputo-2011, que decorrerão de 3 a 18 de Setembro.


 

A opção por estes recintos deve-se à escassez de espaços para efeito na sequência da reabilitação que já decorre de várias infra-estruturas desportivas, que vão acolher o evento que acolherá 52 países do continente.

 

Mesmo assim, a Missão Moçambique, responsável pela preparação das selecções, ainda carece de soluções para acomodar parte considerável das modalidades, que aguardam pelo início de preparação, facto que ameaça as expectativas em relação aos objectivos traçados em termo de resultados.

 

A isto alia-se o facto de se ter reduzido o número de instalações inicialmente definidas, que seriam alvos de intervenções visando a sua reabilitação ou modernização devido os custos. O Comité Organizador dos Jogos Africanos (COJA) previa inicialmente reabilitar 46 recintos, mas o plano foi revisto devido ao défice orçamental, o que forçou a redução de intervenção nas infra-estruturas.

 

Como recurso, algumas modalidades serão instaladas nas escolas, o que implica  algumas intervenções para responder às exigências internacionais que se impõem, casos de judo e badminton, que estarão instaladas na Josina Machel.

 

Contra todas as expectativas, o atletismo, uma das principais apostas moçambicanas em grandes eventos internacionais, ressente-se da falta de espaços para uma preparação condigna, atendendo que a pista do Parque de Continuadores, que teve algumas mexidas insignificantes durante os Jogos da CPLP em Agosto do ano passado,  carece de uma reabilitação mais profunda.


O ténis de mesa e a ginástica rítmica, duas das modalidades emergentes, ainda não conheceram a sua sorte em termos de local para preparação.  No entanto, vão procurando a sua sorte nesta fase de preparação. O ténis de mesa poderá instalar-se nesta fase na Associação Chinesa, face aos custos impostos pelo Centro Cultural Islâmico, que era proposta inicial e ideal apresentada pela direcção da respectiva federação. A ginástica prepara-se na Faculdade de Educação Física e Desportos da Universidade Pedagógica e poderá partilhar o Pavilhão do Maxaquene com o basquetebol durante os Jogos.

 

Entretanto, algumas modalidades, sobretudo as colectivas, têm os locais definidos. O futebol evoluirá no Estádio Nacional (meias-finais e finais) – local de abertura e encerramento dos Jogos –, Estádio da Machava e os campos do Maxaquene, Costa do Sol e da Liga Muçulmana. O atletismo terá como palco a pista do Estádio Nacional.


O basquetebol será disputado no pavilhão do Maxaquene, boxe no do Estrela Vermelha, voleibol no Desportivo, andebol e karate no pavilhão da Universidade Académica, ténis no Jardim Tunduru, judo e taekwondo no campo da Fábrica de Refeições, xadrez no Centro Cultural do Banco de Moçambique, na Matola, e natação na piscina em construção na Vila Olímpica, no Zimpeto.

 

Outro problema tem a ver com o facto de maior parte das selecções não disporem ainda de equipamentos para a preparação, alguns aguardando despachos  aduaneiros e outros ainda por importar. Aliás, alguns equipamentos são doações de federações internacionais. Por exemplo o taekwondo e o ténis de mesa receberão um tapete e algumas mesas, respectivamente. O voleibol dispõe de um novo parquet.

 

A ginástica, por sua vez, só terá material disponível até Abril.

Contudo, há modalidades sem retornos em termos de material e equipamento, casos de vela, canoagem, entre outras. Mesmo assim, a organização aponta para um balanço positivo no âmbito do compromisso assumido pelas federações internacionais e confederações de apoiar os Jogos, apesar de algumas não terem ainda dado sinal. 

 

ESTREANTES NAS PRÓPRIAS INSTALAÇÕES

 

Uma das questões colocadas à Missão foi se o tempo entre o espaço que separa a reabilitação de infra-estruturas e a sua disponibilidade para a preparação e adaptação das selecções seria exequível. E na resposta, António Munguambe elucidou que é paradoxo que todos os países que organizaram este tipo de Jogos tenham passado da situação de serem estreantes dos seus próprios recintos.

 

Mas se quisermos novas infra-estruturas temos que dar tempo ao COJA para que dentro do seu plano possa disponibilizar as instalações que vão ser bastante úteis no futuro. Mas enquanto isso, vamos naturalmente como eu disse procurar alternativas. Quanto ao tempo, é um recurso bastante escasso, nós vamos ter que gerir, virar para uma planificação intensiva, para o aglutinar as actividades em função daquilo que são os objectivos. Por exemplo, se nós queremos ir aos lugares de pódio, em boxe, então temos que decidir que devemos colocar o boxe onde há condições para o efeito. Mas, por exemplo, não se pode colocar o problema de estágio em relação a modalidades como ténis de campo ou de mesa, porque o que se exige no fim dos Jogos é que efectivamente tenhamos estas disciplinas a serem praticadas com algum peso na cidade de Maputo e a serem divulgadas noutros pontos do país”, anotou.

 

Quanto ao material (equipamentos), afirmou que imperioso colocá-lo imediatamente. Porém, ao que tudo indica, as selecções só poderão estar em contacto com as instalações em reabilitação pouco tempo antes dos Jogos, o que pode complicar o processo de adaptação.  

   

SALVADOR NHANTUMBO

 

Fonte:Jornal Noticias

TORNEIO DE FUTEBOL INFANTO-JUVENIL – BEBEC: Chamanculo vinca hegemonia

capitaoO BAIRRO de Chamanculo conquistou, sábado, o sétimo título no Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo Bebec, vencendo Malhangalene por duas bolas sem resposta, no epílogo do maior evento que junta anualmente a pequenada da cidade do Maputo.

 
 

Este é o segundo título consecutivo que Chamanculo ganha e elevando cada vez mais a sua hegemonia, pois possui mais um troféu comparativamente ao bairro da Maxaquene.

A final entre Chamanculo e Malhangalene proporcionou, de algum modo, uma tarde exuberante aos amantes do futebol de palmo-e-meio. As duas formações exibiram-se a um nível aceitável e a vitória chamanculense foi merecida pela forma como se apresentou em campo, com uma estrutura sólida e determinada, mesmo nos momentos críticos.


Foi em duas ocasiões em que a defensiva foi encontrada em contrapé que o artilheiro António Santos e o meio-campista Basílio Carlos bateram o guarda-redes Edilson Pedro, respectivamente aos 11 minutos da primeira parte e 25 minutos da segunda.

 

Malhangalene teve uma excelente reacção, mas encontrou muitas dificuldades no reduto mais recuado do Chamanculo, que se defendeu em bloco nos momentos de aflição e, nalgumas vezes, foi o guarda-redes Manuel Vasco que evitou o perigo junto à sua baliza.

O golo de António Santos acabou afectando psicologicamente Malhangalene, razão pela qual lhe faltou alguma clarividência nos momentos cruciais, sobretudo na segunda parte, em que se esforçou à busca da igualdade, mas perdia o esférico a favor do adversário quando chegasse na zona de rigor.


E foi nessas descidas que acabou sendo encontrado em contrapé, quando António Santos, em contra-ataque rápido, venceu o último homem da Malhangalene e bateu categoricamente o guarda-redes Edilson Pedro.

 

 Aliás, teria sido ainda António Santos a elevar a vantagem para 2-0, quando, bem servido por Alexandre Adopelela, não conseguiu acertar a baliza, mesmo isolado, atirando ao lado.    

Malhangalene teria reduzido a vantagem aos 18 minutos da etapa complementar, mas o guarda-redes foi às alturas desviar o esférico para canto.

Já no período de compensação, o talentoso António Santos atirou para o poste em mais um contra-ataque rápido, falhando o terceiro tento para Chamanculo.

FESTA INVULGAR

 
 

AS finais masculina e feminina do Bebec foram acompanhadas por momentos invulgares. Ginástica massiva e actividades culturais, nomeadamente exibição de danças tradicionais pela pequenada deram um outro charme ao evento, que contou com a presença de figuras como o Vice-Ministro da Juventude e Desportos, Carlos de Sousa, governadora da cidade do Maputo, Lucília Hama, director da Juventude e Desportos da Cidade do Maputo, António Munguambe, e membros de direcção da Associação Bebec.

 

Lucília Hama foi quem dirigiu a cerimónia de premiação das equipas e dos atletas mais destacados, que, para além de troféus e medalhas, receberam “kits” de material escolar.

 

Fonte:Jornal Noticias

RAINHAS DO BEBEC SÃO DO FERROVIÁRIO

 

 
 

CAPITAA TURMA do bairro Ferroviário sagrou-se, pela primeira vez, campeã do Bebec em femininos, ao vencer 3 de Fevereiro por 3-2, no desempate através da marcação de grandes penalidades, depois de uma igualdade sem golos no fim do tempo regulamentar. Isabel, Adelina e Elsa marcaram para as “locomotivas”, enquanto Lónica e Ilda fizeram o mesmo para a formação adversária.

 

Com este desfecho, gorou-se a expectativa à volta do 3 de Fevereiro que, uma vez já finalista, queria concretizar o sonho ora adiado, depois de ter vencido o Grupo “B”.

De salientar que Zimpeto era o campeão em título, mas, contra todas as expectativas, foi o grande ausente na fase final da presente edição, ou seja, foi eliminado ainda na etapa preliminar.

 

 

Fonte:Jornal Noticias