Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

27.Jan.10

CAN-2010 - Egipto-Argélia "fervilha" Benguela

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431384248586983858" />

A POLÍCIA angolana, mais concretamente a de Benguela, deve por estas alturas estar a preparar um dispositivo de segurança reforçado para o decisivo jogo das meias-finais entre o Egipto e a Argélia do Campeonato Africano das Nações – Angola-2010.

É que depois de uma série de incidentes que aumentaram a rivalidade entre os dois países, aquando da fase de apuramento o Mundial da África do Sul, o desafio entre os egípcios e os argelinos ganhou proporções de alto risco. Quis o destino, por sorte ou azar, que os dois países da dita “África branca” voltassem a cruzar-se amanhã a partir das 21.30 de Maputo, menos uma hora em Benguela, para a discussão do acesso à final.

Os triunfos nas finais de 2006 e 2008, diante dos colossos Costa do Marfim e Camarões, respectivamente, cimentam o estatuto de favoritos da turma egípcia.

Comandados por Hassan Shehata, apelidado de “Mestre do Nilo”, e que é conhecido pelo seu feitio disciplinador, a maioria da selecção é composta por jogadores que actuam nos principais clubes do país, Zamalek e Al-Ahly. Mohammed Zidan (Borussia Dormund, Alemanha) e Ahmed Hassan (Al-Ahly) são os principais destaques da selecção, principalmente com as ausências por lesão de Amr Zaki (Wigan, Inglaterra) e Mohamed Aboutrika (Al-Ahly).

Zidan, avançado de 28 anos, rápido e tecnicista, foi um dos principais responsáveis pela conquista do último CAN, no Gana, em 2008, diante dos Camarões. Hassan, médio experiente de 35 anos que alinha no Al-Ahly, é o “capitão” da selecção e o jogador com mais internacionalizações (170). É o patrão da equipa, o que pensa todo o jogo dos “Faraós” e ao marcar dois golos aos Camarões nos quartos-de-final notabilizou-se como o principal artilheiro da equipa com quatro golos.

De resto, o Egipto com seis títulos conquistados (número recorde), é o principal candidato a erguer o troféu mais cobiçado de África e tem o demonstrado em Angola na medida em que é a única selecção que soma por vitória todos os jogos realizados (4), um dos quais frente à selecção nacional na fase de grupos.

ARGÉLIA UMA ESPINHA ENTALADA NA GARGANTA

Mas no meio desse todo poderio, o Egipto tem uma espinha entalada na garganta. Chama-se Argélia, que cometeu a proeza de colocar os bicampeões africanos fora do Mundial.

Apesar de ser uma potência em África, nunca passou da fase de grupos do Campeonato do Mundo e jamais venceu um jogo nessa prova. O Egipto já não marca presença num Mundial desde 1990 e esteve muito perto de carimbar o passaporte para África do Sul, se não tivesse enfrentado uma Argélia tão afoita e determinada a lutar pelos seus intentos.

As “Raposas do Deserto” registaram um 2009 em cheio com o regresso à prova maior do Continente Africano e o badalado apuramento para o Mundial, eliminando como já foi referido o rival Egipto.

Não será fácil repetir o feito de 1990, onde conquistaram o título, mas a Argélia apresenta uma selecção quase equiparada àquela que fez sucesso durante praticamente toda a década de 80, numa altura em que Madjer (figura histórica do FC Porto, nomeadamente após o famoso golo de calcanhar na final da Taça dos Campeões Europeus perante os alemães do Bayern Munique) era um jogador com cartel em todo o planeta.

Mesmo sem contar com nenhum nome do “top” mundial, seria injusto dizer que a Argélia não é uma força a ter em conta na luta pelo ceptro, até porque depois de ter eliminado os galácticos da Costa do Marfim a sua fasquia está em alta.

A nova geração de futebolistas da Argélia é vista como uma espécie de fim da “travessia do deserto”, já que depois de uma década de 80 em grande, foi perdendo força nos últimos 20 anos. Halliche, Yebda e Bouazzou são alguns dos bons executantes das “Raposas do Deserto”.

GANA-NIGÉRIA ENCONTRO DE CAMPEÕES


Gana e Nigéria já conquistaram por três e duas vezes, respectivamente a maior prova africana de selecções. Por isso, são equipas que jogam sempre com o objectivo de juntar mais um título à sua vitrina. Amanhã

Hoje, a partir das 18.00 horas, esse espírito ganhador fará se sentir dentro das quatro linhas.

A selecção do Gana surgiu neste CAN desfalcada de alguns jogadores nucleares na zona do meio-campo, nomeadamente Appiah, Muntari e Mensah. A equipa ficou mais partida com a lesão da estrela do conjunto Michael Essien. No entanto, a equipa auto-superou-se por força das boas exibições de Gyan Asamoah, autor do golo solitário que deixou pelo caminho a Angola nos quartos-de-final.

A turma ganesa, quatro vezes campeã africana (1963, 65, 78 e 82), vem de uma aspiral ascendente, como comprovam os últimos resultados a nível internacional – esteve, pela primeira vez, num Campeonato do Mundo, em 2006, e conseguiu o terceiro lugar no último CAN –, e tem em Angola a oportunidade de voltar a conquistar o seu quarto título, frente a uma Nigéria que está longe de ser um osso duro de roer.

As “Super Águias” venceram o último título africano de 1994. Um feito que já vai longe. Os nigerianos devem ter saudades dos tempos do Okocha, Amokachi e Ikpeba alguns dos craques que compunham aquela geração de ouro. Actualmente a Nigéria é uma equipa com poucas soluções. Procura formar um conjunto forte e vive (sobrevive) graças à experiência de alguns dos seus jogadores e do virtuosismo de Peter Odemwingie e Obi Mikel. O bilhete para as meias-finais foi arrancado a “ferro”, nos penaltes (5-4), frente à Zâmbia.

A selecção nigeriana ainda não realizou uma exibição convincente que se pudesse dizer que se está perante de um sério candidato ao tiítulo. A prestação mais bem conseguida terá sido (infelizmente) frente a Moçambique, tendo alcançado, até ao momento, a vitória mais volumosa da prova (3-0)

As "Super Águias", eliminadas nos "quartos" em 2008, já não têm a equipa que maravilhou o mundo na década de 90, altura em que, para além da conquista do CAN, a Nigéria alcançou também o ouro olímpico em 96, frente à Argentina. Um conjunto onde pontificavam Amokachi, Jay-Jay Okocha, George Finidi, Ikpeba e um jovem de nome Nwankwo Kanu.

Actualmente, Kanu, com 33 anos, o avançado do Portsmouth é o atleta mais veterano da equipa e tenta conquistar pela primeira vez esta competição. Nos últimos 10 anos, a Nigéria terminou sempre nos lugares cimeiros - medalha de prata em 2000 e bronze em 2002, 2004 e 2006 -, nunca conseguindo atingir o brilhantismo da geração de ouro, de quem Kanu é o único sobrevivente.

No conjunto orientado por Shaibu Amodu, técnico que esteve com a equipa nos Mundiais de 1994, 1998 e 2002 (falharam a qualificação para 2006).

A Nigéria não tem nenhum jogador a actuar no campeonato nacional, todos os convocados alinham em clubes europeus. A “Premier League” (Liga inglesa) é o campeonato que mais jogadores empresta (7).

JOGOS DAS MEIAS-FINAIS


18:00 h - Gana-Nigéria (Luanda)
21:30 h - Argélia-Egipto (Benguela)
27.Jan.10

CAN-2010 - Egipto-Argélia "fervilha" Benguela

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431384248586983858" />

A POLÍCIA angolana, mais concretamente a de Benguela, deve por estas alturas estar a preparar um dispositivo de segurança reforçado para o decisivo jogo das meias-finais entre o Egipto e a Argélia do Campeonato Africano das Nações – Angola-2010.

É que depois de uma série de incidentes que aumentaram a rivalidade entre os dois países, aquando da fase de apuramento o Mundial da África do Sul, o desafio entre os egípcios e os argelinos ganhou proporções de alto risco. Quis o destino, por sorte ou azar, que os dois países da dita “África branca” voltassem a cruzar-se amanhã a partir das 21.30 de Maputo, menos uma hora em Benguela, para a discussão do acesso à final.

Os triunfos nas finais de 2006 e 2008, diante dos colossos Costa do Marfim e Camarões, respectivamente, cimentam o estatuto de favoritos da turma egípcia.

Comandados por Hassan Shehata, apelidado de “Mestre do Nilo”, e que é conhecido pelo seu feitio disciplinador, a maioria da selecção é composta por jogadores que actuam nos principais clubes do país, Zamalek e Al-Ahly. Mohammed Zidan (Borussia Dormund, Alemanha) e Ahmed Hassan (Al-Ahly) são os principais destaques da selecção, principalmente com as ausências por lesão de Amr Zaki (Wigan, Inglaterra) e Mohamed Aboutrika (Al-Ahly).

Zidan, avançado de 28 anos, rápido e tecnicista, foi um dos principais responsáveis pela conquista do último CAN, no Gana, em 2008, diante dos Camarões. Hassan, médio experiente de 35 anos que alinha no Al-Ahly, é o “capitão” da selecção e o jogador com mais internacionalizações (170). É o patrão da equipa, o que pensa todo o jogo dos “Faraós” e ao marcar dois golos aos Camarões nos quartos-de-final notabilizou-se como o principal artilheiro da equipa com quatro golos.

De resto, o Egipto com seis títulos conquistados (número recorde), é o principal candidato a erguer o troféu mais cobiçado de África e tem o demonstrado em Angola na medida em que é a única selecção que soma por vitória todos os jogos realizados (4), um dos quais frente à selecção nacional na fase de grupos.

ARGÉLIA UMA ESPINHA ENTALADA NA GARGANTA

Mas no meio desse todo poderio, o Egipto tem uma espinha entalada na garganta. Chama-se Argélia, que cometeu a proeza de colocar os bicampeões africanos fora do Mundial.

Apesar de ser uma potência em África, nunca passou da fase de grupos do Campeonato do Mundo e jamais venceu um jogo nessa prova. O Egipto já não marca presença num Mundial desde 1990 e esteve muito perto de carimbar o passaporte para África do Sul, se não tivesse enfrentado uma Argélia tão afoita e determinada a lutar pelos seus intentos.

As “Raposas do Deserto” registaram um 2009 em cheio com o regresso à prova maior do Continente Africano e o badalado apuramento para o Mundial, eliminando como já foi referido o rival Egipto.

Não será fácil repetir o feito de 1990, onde conquistaram o título, mas a Argélia apresenta uma selecção quase equiparada àquela que fez sucesso durante praticamente toda a década de 80, numa altura em que Madjer (figura histórica do FC Porto, nomeadamente após o famoso golo de calcanhar na final da Taça dos Campeões Europeus perante os alemães do Bayern Munique) era um jogador com cartel em todo o planeta.

Mesmo sem contar com nenhum nome do “top” mundial, seria injusto dizer que a Argélia não é uma força a ter em conta na luta pelo ceptro, até porque depois de ter eliminado os galácticos da Costa do Marfim a sua fasquia está em alta.

A nova geração de futebolistas da Argélia é vista como uma espécie de fim da “travessia do deserto”, já que depois de uma década de 80 em grande, foi perdendo força nos últimos 20 anos. Halliche, Yebda e Bouazzou são alguns dos bons executantes das “Raposas do Deserto”.

GANA-NIGÉRIA ENCONTRO DE CAMPEÕES


Gana e Nigéria já conquistaram por três e duas vezes, respectivamente a maior prova africana de selecções. Por isso, são equipas que jogam sempre com o objectivo de juntar mais um título à sua vitrina. Amanhã

Hoje, a partir das 18.00 horas, esse espírito ganhador fará se sentir dentro das quatro linhas.

A selecção do Gana surgiu neste CAN desfalcada de alguns jogadores nucleares na zona do meio-campo, nomeadamente Appiah, Muntari e Mensah. A equipa ficou mais partida com a lesão da estrela do conjunto Michael Essien. No entanto, a equipa auto-superou-se por força das boas exibições de Gyan Asamoah, autor do golo solitário que deixou pelo caminho a Angola nos quartos-de-final.

A turma ganesa, quatro vezes campeã africana (1963, 65, 78 e 82), vem de uma aspiral ascendente, como comprovam os últimos resultados a nível internacional – esteve, pela primeira vez, num Campeonato do Mundo, em 2006, e conseguiu o terceiro lugar no último CAN –, e tem em Angola a oportunidade de voltar a conquistar o seu quarto título, frente a uma Nigéria que está longe de ser um osso duro de roer.

As “Super Águias” venceram o último título africano de 1994. Um feito que já vai longe. Os nigerianos devem ter saudades dos tempos do Okocha, Amokachi e Ikpeba alguns dos craques que compunham aquela geração de ouro. Actualmente a Nigéria é uma equipa com poucas soluções. Procura formar um conjunto forte e vive (sobrevive) graças à experiência de alguns dos seus jogadores e do virtuosismo de Peter Odemwingie e Obi Mikel. O bilhete para as meias-finais foi arrancado a “ferro”, nos penaltes (5-4), frente à Zâmbia.

A selecção nigeriana ainda não realizou uma exibição convincente que se pudesse dizer que se está perante de um sério candidato ao tiítulo. A prestação mais bem conseguida terá sido (infelizmente) frente a Moçambique, tendo alcançado, até ao momento, a vitória mais volumosa da prova (3-0)

As "Super Águias", eliminadas nos "quartos" em 2008, já não têm a equipa que maravilhou o mundo na década de 90, altura em que, para além da conquista do CAN, a Nigéria alcançou também o ouro olímpico em 96, frente à Argentina. Um conjunto onde pontificavam Amokachi, Jay-Jay Okocha, George Finidi, Ikpeba e um jovem de nome Nwankwo Kanu.

Actualmente, Kanu, com 33 anos, o avançado do Portsmouth é o atleta mais veterano da equipa e tenta conquistar pela primeira vez esta competição. Nos últimos 10 anos, a Nigéria terminou sempre nos lugares cimeiros - medalha de prata em 2000 e bronze em 2002, 2004 e 2006 -, nunca conseguindo atingir o brilhantismo da geração de ouro, de quem Kanu é o único sobrevivente.

No conjunto orientado por Shaibu Amodu, técnico que esteve com a equipa nos Mundiais de 1994, 1998 e 2002 (falharam a qualificação para 2006).

A Nigéria não tem nenhum jogador a actuar no campeonato nacional, todos os convocados alinham em clubes europeus. A “Premier League” (Liga inglesa) é o campeonato que mais jogadores empresta (7).

JOGOS DAS MEIAS-FINAIS


18:00 h - Gana-Nigéria (Luanda)
21:30 h - Argélia-Egipto (Benguela)
27.Jan.10

CAN-2010 - Palamarés dos semi-finalistas

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431359609993421426" />
EGIPTO

1957 – Campeão; 1959 – Campeão; 1962 - 2.º lugar; 1963 - 3.º lugar; 1965 – Desistiu; 1968 – Desistiu; 1970 - 3.º lugar; 1972 - Não apurado; 1974 - 3.º lugar; 1976 - 4.º lugar;

A selecção egípcia conquistou seis vezes a competição e estará em Angola
1978 - Não apurado; 1980 - 4.º lugar; 1982 – Desistiu; 1984 - 4.º lugar; 1986 – Campeão;

1988 - Fase de grupos; 1990 - Fase de grupos; 1992 - Fase de grupos; 1994 - Quartos-de-final; 1996 - Quartos-de-final; 1998 – Campeão; 2000 - Quartos-de-final; 2002 - Quartos-de-final; 2004 - Fase de grupos; 2006 – Campeão e 2008 – Campeão.

ARGÉLIA

Seleção Argelina de Futebol
1957- Não apurada; 1959 - Não apurada; 1962 - Não apurada; 1963 - Não apurada;1965 - Não apurada; 1968 - Fase de grupos; 1970 - Não apurada; 1972 - Não apurada;

1974 - Não apurada; 1976 - Não apurada; 1978 - Não apurada; 1980 - 2.º lugar; 1982 - 4.º lugar; 1984 - 3.º lugar; 1986 - Fase de grupos; 1988 - 3.º lugar; 1990 – Campeã; 1992 - Fase de grupos; 1994 – Desqualificada; 1996 - Quartos-de-final; 1998 - Fase de grupos

2000 - Quartos-de-final; 2002 - Fase de grupos; 2004 - Quartos-de-final; 2006 - Não apurada e

NIGÉRIA


As “Super Águias”, como é designada a selecção de futebol, da Nigeria
1957 - Não apurada; 1959 - Não apurada; 1962 - Não apurada; 1963 - Fase de grupos; 1965 - Não apurada; 1968 - Não apurada; 1970 - Não apurada; 1972 - Não apurada;

1974 - Não apurada; 1976 - 3.º lugar; 1978 - 3.º lugar; 1980 – Campeão; 1982 - Fase de grupos; 1984 - 2.º lugar; 1986 - Não apurada; 1988 - 2.º lugar; 1990 - 2.º lugar; 1992 - 3.º lugar; 1994 – Campeão; 1996 – Desistiu; 1998 – Desqualificada; 2000 - 2.º lugar

2002 - 3.º lugar; 2004 - 3.º lugar; 2006 - 3.º lugar e 2008 - Quartos-de-final.

GANA


Seleção de Gana
1957 - Não participou; 1959 - Não participou; 1962 - Não apurado; 1963 – Campeão;

1965 – Campeão; 1968 - 2.º lugar; 1970 - 2.º lugar; 1972 - Não apurado; 1974 - Não apurado; 1976 - Não apurado; 1978 – Campeão; 1980 - Fase de grupos; 1982 – Campeão;
1984 - Fase de grupos; 1986 - Não apurado; 1988 - Não apurado; 1990 - Não apurado; 1992 - 2.º lugar; 1994 - 4.º lugar; 1996 - 4.º lugar; 1998 - Fase de grupos; 2000 - Quartos-de-final; 2002 - Quartos-de-final; 2004 - Não apurado; 2006 - Fase de grupos e 2008 - 3.º lugar.
27.Jan.10

CAN-2010 - Palamarés dos semi-finalistas

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431359609993421426" />
EGIPTO

1957 – Campeão; 1959 – Campeão; 1962 - 2.º lugar; 1963 - 3.º lugar; 1965 – Desistiu; 1968 – Desistiu; 1970 - 3.º lugar; 1972 - Não apurado; 1974 - 3.º lugar; 1976 - 4.º lugar;

A selecção egípcia conquistou seis vezes a competição e estará em Angola
1978 - Não apurado; 1980 - 4.º lugar; 1982 – Desistiu; 1984 - 4.º lugar; 1986 – Campeão;

1988 - Fase de grupos; 1990 - Fase de grupos; 1992 - Fase de grupos; 1994 - Quartos-de-final; 1996 - Quartos-de-final; 1998 – Campeão; 2000 - Quartos-de-final; 2002 - Quartos-de-final; 2004 - Fase de grupos; 2006 – Campeão e 2008 – Campeão.

ARGÉLIA

Seleção Argelina de Futebol
1957- Não apurada; 1959 - Não apurada; 1962 - Não apurada; 1963 - Não apurada;1965 - Não apurada; 1968 - Fase de grupos; 1970 - Não apurada; 1972 - Não apurada;

1974 - Não apurada; 1976 - Não apurada; 1978 - Não apurada; 1980 - 2.º lugar; 1982 - 4.º lugar; 1984 - 3.º lugar; 1986 - Fase de grupos; 1988 - 3.º lugar; 1990 – Campeã; 1992 - Fase de grupos; 1994 – Desqualificada; 1996 - Quartos-de-final; 1998 - Fase de grupos

2000 - Quartos-de-final; 2002 - Fase de grupos; 2004 - Quartos-de-final; 2006 - Não apurada e

NIGÉRIA


As “Super Águias”, como é designada a selecção de futebol, da Nigeria
1957 - Não apurada; 1959 - Não apurada; 1962 - Não apurada; 1963 - Fase de grupos; 1965 - Não apurada; 1968 - Não apurada; 1970 - Não apurada; 1972 - Não apurada;

1974 - Não apurada; 1976 - 3.º lugar; 1978 - 3.º lugar; 1980 – Campeão; 1982 - Fase de grupos; 1984 - 2.º lugar; 1986 - Não apurada; 1988 - 2.º lugar; 1990 - 2.º lugar; 1992 - 3.º lugar; 1994 – Campeão; 1996 – Desistiu; 1998 – Desqualificada; 2000 - 2.º lugar

2002 - 3.º lugar; 2004 - 3.º lugar; 2006 - 3.º lugar e 2008 - Quartos-de-final.

GANA


Seleção de Gana
1957 - Não participou; 1959 - Não participou; 1962 - Não apurado; 1963 – Campeão;

1965 – Campeão; 1968 - 2.º lugar; 1970 - 2.º lugar; 1972 - Não apurado; 1974 - Não apurado; 1976 - Não apurado; 1978 – Campeão; 1980 - Fase de grupos; 1982 – Campeão;
1984 - Fase de grupos; 1986 - Não apurado; 1988 - Não apurado; 1990 - Não apurado; 1992 - 2.º lugar; 1994 - 4.º lugar; 1996 - 4.º lugar; 1998 - Fase de grupos; 2000 - Quartos-de-final; 2002 - Quartos-de-final; 2004 - Não apurado; 2006 - Fase de grupos e 2008 - 3.º lugar.
27.Jan.10

CAN-2010 - Vamos surpreender - Yakubu, avançado nigeriano

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431354805202001010" />

O ATACANTE da selecção nigeriana Ayegbeni Yakubu disse, segunda-feira, no Estádio da Tundavala, no Lubango, que a sua selecção vai continuar a lutar, para chegar à final, prometendo surpresas aos adversários.

“Chegamos à meia-final. Temos uma curta, mas dura caminhada pela frente”, reconheceu o jogador quando falava a jornalistas, à saída do jogo Zâmbia-Nigéria em que os nigerianos venceram na marcação de grandes penalidades por 5-4.

Reconheceu que a sua equipa enfrentou muitas dificuldades para vencer os zambianos, que na sua óptica tiveram uma boa prestação, assim como manifestou a sua satisfação pela qualificação às meias-finais.

O “capitão” nigeriano disse esperar que as “Super Águias” continuem de cabeça erguida na prova, considerando o facto de a formação ter alcançado as meias-finais, como o mais importante neste momento.

Ayegbeni Yakubu recusou-se a fazer comentários sobre o Gana, adversário da Nigéria nas meias-finais.
27.Jan.10

CAN-2010 - Vamos surpreender - Yakubu, avançado nigeriano

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431354805202001010" />

O ATACANTE da selecção nigeriana Ayegbeni Yakubu disse, segunda-feira, no Estádio da Tundavala, no Lubango, que a sua selecção vai continuar a lutar, para chegar à final, prometendo surpresas aos adversários.

“Chegamos à meia-final. Temos uma curta, mas dura caminhada pela frente”, reconheceu o jogador quando falava a jornalistas, à saída do jogo Zâmbia-Nigéria em que os nigerianos venceram na marcação de grandes penalidades por 5-4.

Reconheceu que a sua equipa enfrentou muitas dificuldades para vencer os zambianos, que na sua óptica tiveram uma boa prestação, assim como manifestou a sua satisfação pela qualificação às meias-finais.

O “capitão” nigeriano disse esperar que as “Super Águias” continuem de cabeça erguida na prova, considerando o facto de a formação ter alcançado as meias-finais, como o mais importante neste momento.

Ayegbeni Yakubu recusou-se a fazer comentários sobre o Gana, adversário da Nigéria nas meias-finais.
27.Jan.10

CAN-2010 - Quarteto reparte “artilharia”

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431353448516711250" />
FLÁVIO Amado (Angola), Seydou Keita (Mali), Ahmed Hassan e Gedo (ambos do Egipto), todos com quatro golos, lideram a lista dos melhores marcadores do torneio.

Mas o angolano e o maliano estão em desvantagem em relação aos egípcios, visto que as suas selecções já foram eliminadas, enquanto o Egipto ainda está em prova e disputa hoje uma das partidas das meias-finais frente à Argélia.


A “vice-artilharia” é constituída por oito atletas, mas apenas Emad Moteab (Egipto), Peter Odemwingie (Nigéria) e Asamoah Gyan (Gana), equipas que se qualificaram para as meias-finais, podem ainda chegar ao almejado troféu. O angolano Manucho Gonçalves e o camaronês Samuel Eto’o são os outros jogadores que aparecem na segunda posição, mas que já estão fora-de-jogo.
27.Jan.10

CAN-2010 - Quarteto reparte “artilharia”

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431353448516711250" />
FLÁVIO Amado (Angola), Seydou Keita (Mali), Ahmed Hassan e Gedo (ambos do Egipto), todos com quatro golos, lideram a lista dos melhores marcadores do torneio.

Mas o angolano e o maliano estão em desvantagem em relação aos egípcios, visto que as suas selecções já foram eliminadas, enquanto o Egipto ainda está em prova e disputa hoje uma das partidas das meias-finais frente à Argélia.


A “vice-artilharia” é constituída por oito atletas, mas apenas Emad Moteab (Egipto), Peter Odemwingie (Nigéria) e Asamoah Gyan (Gana), equipas que se qualificaram para as meias-finais, podem ainda chegar ao almejado troféu. O angolano Manucho Gonçalves e o camaronês Samuel Eto’o são os outros jogadores que aparecem na segunda posição, mas que já estão fora-de-jogo.
27.Jan.10

CAN-2010 - Ahamed Hassan corre para melhor marcador e jogador

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431350710262912674" />

HÁ dias assim, que ficam na memória para contar aos netos. E Ahamed Hassan irá guardar para sempre, no seu álbum de recordações, o dia 25 de Janeiro de 2010.

Na segunda-feira era, por si só, uma data especial, já que o experiente médio de 34 anos iria assinalar a 170ª internacionalização, tornando-se o futebolista com mais jogos internacionais pelo Egipto.

Mas, se a isso juntarmos três golos, um dos quais na própria baliza e outro "fantasma", na vitória por 3-1 frente aos Camarões, que valeu a qualificação para as meias-finais CAN, então, o quadro não podia ser mais “louco” para este egípcio que é de facto um sério candidato a melhor jogador e marcador da prova. Ahamed Hassan soma três golos, os mesmos que Flávio, de Angola e Keita, do Mali, já eliminados.

O início de jogo até não parecia nada prometedor para o Egipto e para Hassan, que aos 25 minutos, ao tentar cortar o lance após um pontapé de canto (um dos muitos que os Camarões beneficiaram ao longo da partida), cabeceou a bola para a sua própria baliza, colocando o adversário em vantagem. Aos 37, no entanto, o médio do Al-Ahly penitenciou-se ao marcar o golo do empate, resultado que não sofreu alterações até ao final dos 90 minutos.

Veio o prolongamento e com ele o segundo golo do Egipto, desta vez apontado por Mohamed Nagui (91 minutoos). Mas o agora jogador egípcio mais internacional (ultrapassou Hossan Hassan, que tem 169 jogos pela selecção) não quis dar por encerrado o seu recital sem mais um golo. Ou melhor, um “golo-fantasma”: Hassan marcou um livre directo aos 94 e o guarda-redes camaronês desviou a bola para a barra, sem que esta ultrapasse a linha de golo.

Após o final da partida, Ahmed Hassan, que fora substituído aos 118 minutos para receber os aplausos dos adeptos, numa altura em que os Camarões jogavam com dez por expulsão de Chedjou, foi “aclamado” herói pelos companheiros de equipa e vestiu a camisola com o número 170.

O jogador egípcio está agora a 11 internacionalizações dos recordistas mundiais Al-Deayea, da Arábia Saudita, e Claudio Suárez, do México.
27.Jan.10

CAN-2010 - Ahamed Hassan corre para melhor marcador e jogador

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431350710262912674" />

HÁ dias assim, que ficam na memória para contar aos netos. E Ahamed Hassan irá guardar para sempre, no seu álbum de recordações, o dia 25 de Janeiro de 2010.

Na segunda-feira era, por si só, uma data especial, já que o experiente médio de 34 anos iria assinalar a 170ª internacionalização, tornando-se o futebolista com mais jogos internacionais pelo Egipto.

Mas, se a isso juntarmos três golos, um dos quais na própria baliza e outro "fantasma", na vitória por 3-1 frente aos Camarões, que valeu a qualificação para as meias-finais CAN, então, o quadro não podia ser mais “louco” para este egípcio que é de facto um sério candidato a melhor jogador e marcador da prova. Ahamed Hassan soma três golos, os mesmos que Flávio, de Angola e Keita, do Mali, já eliminados.

O início de jogo até não parecia nada prometedor para o Egipto e para Hassan, que aos 25 minutos, ao tentar cortar o lance após um pontapé de canto (um dos muitos que os Camarões beneficiaram ao longo da partida), cabeceou a bola para a sua própria baliza, colocando o adversário em vantagem. Aos 37, no entanto, o médio do Al-Ahly penitenciou-se ao marcar o golo do empate, resultado que não sofreu alterações até ao final dos 90 minutos.

Veio o prolongamento e com ele o segundo golo do Egipto, desta vez apontado por Mohamed Nagui (91 minutoos). Mas o agora jogador egípcio mais internacional (ultrapassou Hossan Hassan, que tem 169 jogos pela selecção) não quis dar por encerrado o seu recital sem mais um golo. Ou melhor, um “golo-fantasma”: Hassan marcou um livre directo aos 94 e o guarda-redes camaronês desviou a bola para a barra, sem que esta ultrapasse a linha de golo.

Após o final da partida, Ahmed Hassan, que fora substituído aos 118 minutos para receber os aplausos dos adeptos, numa altura em que os Camarões jogavam com dez por expulsão de Chedjou, foi “aclamado” herói pelos companheiros de equipa e vestiu a camisola com o número 170.

O jogador egípcio está agora a 11 internacionalizações dos recordistas mundiais Al-Deayea, da Arábia Saudita, e Claudio Suárez, do México.
27.Jan.10

CAN-2010 - O árbitro deu uma ajudinha - Eto’o

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431345499990517490" />
SAMUEL Eto'o, “capitão” da selecção dos Camarões, estava naturalmente triste com a derrota frente ao Egipto e consequente eliminação do CAN, até por entender que a sua equipa não merecia perder.

E salienta a influência do árbitro sul-africano Jerome Damon, nomeadamente ao validar um golo (o terceiro dos egípcios) em que a bola não entrou na baliza.

“O árbitro deu uma ajudinha...”, disse o avançado do Inter, não querendo, no entanto, retirar valor aos egípcios, que, realçou, “têm uma excelente equipa”.

“Jogámos melhor do que o Egipto e não merecíamos ter perdido. Mas o futebol é mesmo assim e temos de aceitar”.
27.Jan.10

CAN-2010 - O árbitro deu uma ajudinha - Eto’o

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431345499990517490" />
SAMUEL Eto'o, “capitão” da selecção dos Camarões, estava naturalmente triste com a derrota frente ao Egipto e consequente eliminação do CAN, até por entender que a sua equipa não merecia perder.

E salienta a influência do árbitro sul-africano Jerome Damon, nomeadamente ao validar um golo (o terceiro dos egípcios) em que a bola não entrou na baliza.

“O árbitro deu uma ajudinha...”, disse o avançado do Inter, não querendo, no entanto, retirar valor aos egípcios, que, realçou, “têm uma excelente equipa”.

“Jogámos melhor do que o Egipto e não merecíamos ter perdido. Mas o futebol é mesmo assim e temos de aceitar”.
27.Jan.10

CAN 2010 - Kali em negociações com o 1.º de Agosto

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431343345157410114" />
O INTERNACIONAL angolano Kali confirmou segunda-feira que está em negociações com vista à transferência para o 1.º de Agosto, agora orientado pelo sérvio Ljubink Drulovic.

O central de 31 anos afirmou que existe um acordo verbal, mas nada está ainda oficializado.

“O certo é que gostaria de jogar pela primeira vez no meu país”, referiu o jogador que representa actualmente o Arles-Avignon, do segundo escalão francês, e que iniciou a carreira no Barreirense e que conta ainda com uma passagem pelo Santa Clara.

O 1.º de Agosto encontra-se em Portugal a preparar a próxima época.
27.Jan.10

CAN 2010 - Kali em negociações com o 1.º de Agosto

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431343345157410114" />
O INTERNACIONAL angolano Kali confirmou segunda-feira que está em negociações com vista à transferência para o 1.º de Agosto, agora orientado pelo sérvio Ljubink Drulovic.

O central de 31 anos afirmou que existe um acordo verbal, mas nada está ainda oficializado.

“O certo é que gostaria de jogar pela primeira vez no meu país”, referiu o jogador que representa actualmente o Arles-Avignon, do segundo escalão francês, e que iniciou a carreira no Barreirense e que conta ainda com uma passagem pelo Santa Clara.

O 1.º de Agosto encontra-se em Portugal a preparar a próxima época.
27.Jan.10

Envolvendo quatro equipas do Moçambola: Torneio O Treinador arranca sábado

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431342088395284098" />
INICIA-SE este sábado a disputa do Torneio O Treinador envolvendo quatro equipas do Moçambola da cidade de Maputo, nomeadamente Ferroviário, Desportivo, Maxaquene e Matchedje.

O torneio, promovido pela Associação dos Treinadores da Cidade de Maputo, será disputado num sistema de todos contra todos em três jornadas numa única volta, tendo o seu epílogo previsto para quarta-feira.

A jornada inaugural tem como jogo de fundo o Ferroviário e Desportivo, às 16-00 horas, no campo do Maxaquene (baixa). Aliás, todos os jogos terão lugar no recinto dos “tricolores” e visam a rodagem destas equipas para as competições que se avizinham. A anteceder a este embate, o Maxaquene terá pela frente a formação do Matchedje, às 14.00 horas.

O próximo encontro mais interessante realiza-se domingo, portanto dia seguinte, e colocará frente-a-frente o Desportivo e o Maxaquene, também quando forem 16.00 horas. Duas horas antes, o Matchedje defrontará o Ferroviário.

A concluir a prova, na próxima quarta-feira, o Ferroviário medirá forças com o Maxaquene, enquanto o Matchedje terá pela frente o Desportivo.
27.Jan.10

Envolvendo quatro equipas do Moçambola: Torneio O Treinador arranca sábado

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431342088395284098" />
INICIA-SE este sábado a disputa do Torneio O Treinador envolvendo quatro equipas do Moçambola da cidade de Maputo, nomeadamente Ferroviário, Desportivo, Maxaquene e Matchedje.

O torneio, promovido pela Associação dos Treinadores da Cidade de Maputo, será disputado num sistema de todos contra todos em três jornadas numa única volta, tendo o seu epílogo previsto para quarta-feira.

A jornada inaugural tem como jogo de fundo o Ferroviário e Desportivo, às 16-00 horas, no campo do Maxaquene (baixa). Aliás, todos os jogos terão lugar no recinto dos “tricolores” e visam a rodagem destas equipas para as competições que se avizinham. A anteceder a este embate, o Maxaquene terá pela frente a formação do Matchedje, às 14.00 horas.

O próximo encontro mais interessante realiza-se domingo, portanto dia seguinte, e colocará frente-a-frente o Desportivo e o Maxaquene, também quando forem 16.00 horas. Duas horas antes, o Matchedje defrontará o Ferroviário.

A concluir a prova, na próxima quarta-feira, o Ferroviário medirá forças com o Maxaquene, enquanto o Matchedje terá pela frente o Desportivo.
27.Jan.10

“Quadrangular” de futebol na Suazilândia: Chuva ensombra estágio das equipas moçambicanas

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431340763264302146" />
A CHUVA acompanhada de fortes ventos criou constrangimentos no intercâmbio futebolístico organizado no pretérito fim-de-semana na cidade de Manzini, Suazilândia, envolvendo equipas locais e de Maputo, nomeadamente Ferroviário, Desportivo e Maxaquene.

O Costa do Sol, que se prepara para as Afrotaças, defrontou e derrotou o Mbabane Highlanders, por 1-0. O encontro foi interrompido antes do intervalo devido à chuva, no sábado, quando a turma “canarinha” já havia marcado o golo da vitória e prosseguiu domingo, mas o resultado não se alterou.

A partida mais esperada colocou frente-a-frente o Desportivo e o campeão Mbabane Swallows, que igualmente se prepara para as Afrotaças. As duas formações não foram apara além de uma igualdade sem abertura de contagem.

Entretanto, o Maxaquene não se fez ao torneio devido à avaria do mini-“bus” em que seguia viagem, no sábado, para Manzini, ido da Namaacha, onde está a cumprir com um estágio de pré-época. Os “tricolores” tinham agendado um encontro com Manzini Sundwons.
27.Jan.10

“Quadrangular” de futebol na Suazilândia: Chuva ensombra estágio das equipas moçambicanas

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431340763264302146" />
A CHUVA acompanhada de fortes ventos criou constrangimentos no intercâmbio futebolístico organizado no pretérito fim-de-semana na cidade de Manzini, Suazilândia, envolvendo equipas locais e de Maputo, nomeadamente Ferroviário, Desportivo e Maxaquene.

O Costa do Sol, que se prepara para as Afrotaças, defrontou e derrotou o Mbabane Highlanders, por 1-0. O encontro foi interrompido antes do intervalo devido à chuva, no sábado, quando a turma “canarinha” já havia marcado o golo da vitória e prosseguiu domingo, mas o resultado não se alterou.

A partida mais esperada colocou frente-a-frente o Desportivo e o campeão Mbabane Swallows, que igualmente se prepara para as Afrotaças. As duas formações não foram apara além de uma igualdade sem abertura de contagem.

Entretanto, o Maxaquene não se fez ao torneio devido à avaria do mini-“bus” em que seguia viagem, no sábado, para Manzini, ido da Namaacha, onde está a cumprir com um estágio de pré-época. Os “tricolores” tinham agendado um encontro com Manzini Sundwons.
27.Jan.10

Portugal : “Derby” de Lisboa na Taça da Liga

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431339254062782978" />
O SORTEIO das meias-finais da Taça da Liga, ontem realizado, ditou o encontro entre Sporting e Benfica, no Estádio de Alvalade. Na outra partida, o FC Porto receberá a Académica.

Reedição da final do ano passado, marcada por grande polémica, com a vitória do Benfica. Já o Sporting, que tinha a certeza de jogar em Alvalade nestas meias-finais, visto ter tido o melhor registo da fase de grupos, terá assim mais um jogo duro em Fevereiro, uma vez que também vai encontrar o FC Porto no dia 3(?), para os quartos-de-final da Taça de Portugal.

Os jogos destas meias-finais estão marcados para dia 10, mas o Sporting já propôs a antecipação para o dia anterior, ficando agora o Benfica e a própria Liga de dar a resposta.

Na outra meia-final, o FC Porto vai receber a Académica, equipas que se defrontaram na fase anterior da prova(empate em Coimbra a zero). Os “estudantes” tinham agora também como certeza que iriam visitar um dos “grandes”, visto terem sido apurados entre os segundos melhores classificados da fase de grupos.
27.Jan.10

Portugal : “Derby” de Lisboa na Taça da Liga

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5431339254062782978" />
O SORTEIO das meias-finais da Taça da Liga, ontem realizado, ditou o encontro entre Sporting e Benfica, no Estádio de Alvalade. Na outra partida, o FC Porto receberá a Académica.

Reedição da final do ano passado, marcada por grande polémica, com a vitória do Benfica. Já o Sporting, que tinha a certeza de jogar em Alvalade nestas meias-finais, visto ter tido o melhor registo da fase de grupos, terá assim mais um jogo duro em Fevereiro, uma vez que também vai encontrar o FC Porto no dia 3(?), para os quartos-de-final da Taça de Portugal.

Os jogos destas meias-finais estão marcados para dia 10, mas o Sporting já propôs a antecipação para o dia anterior, ficando agora o Benfica e a própria Liga de dar a resposta.

Na outra meia-final, o FC Porto vai receber a Académica, equipas que se defrontaram na fase anterior da prova(empate em Coimbra a zero). Os “estudantes” tinham agora também como certeza que iriam visitar um dos “grandes”, visto terem sido apurados entre os segundos melhores classificados da fase de grupos.