Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: FALTAM 4 DIAS - Mesmo “a feijões”, redimam-se!

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423559446050630450" />

DEPOIS desta tarde já não haverá lugar para despiques a brincar ou meio-a-brincar.

Haverá isso sim, espaço para uma introspecção geral em relação àquilo que terá produzido todo este período de preparação e, acima de tudo, se perspectivar, objectivamente, o que será a participação da Selecção Nacional de Futebol na fase final da 27ª edição do Campeonato Africano das Nações Angola-2007, que arranca no próximo domingo, em Luanda. Por essa razão, no seu derradeiro desafio do estágio em Bloemfontein, na África do Sul, o que se pede aos “Mambas” é que, mesmo jogando “a feijões”, esta tarde, frente ao Gabão, pelo menos se redimam da sequência de três derrotas até aqui registadas, pois, à beira da grande competição continental, urge elevar a visão das tropas.

A turma moçambicana, que viaja amanhã ao fim do dia de Bloemfontein para Joanesburgo, para na sexta-feira rumar em direcção a Luanda, inicia a sua participação no CAN na próxima terça-feira, em Benguela, sede do Grupo “C”, defrontando o Benin. Significa isto que, após jogar com o Gabão, esta tarde, nenhuma outra partida amigável terá possibilidade de realizar, senão mesmo enfrentar os beninenses, já com uma dimensão transcendental e onde o mínimo erro pode ser fatal.

Deste modo, o seleccionador nacional, Mart Nooij, se bem que o vem fazendo, aproveitará este ensejo para, com mais rigor, ensaiar todos os aspectos tácticos que pretende implementar em terras angolanas, numa prova em que, na fase de grupos, ganhar é como o pão à boca, na perspectiva de transição para os quartos-de-final.

Com todos os 23 jogadores convocados para o CAN já às suas ordens, o técnico holandês vê no confronto com os gaboneses uma grande plataforma para, inclusive, ver quem é quem no que diz respeito ao onze a utilizar. Mesmo considerando que não se vislumbram alterações estruturais bastante profundas, o facto de, por exemplo, na retaguarda não se poder contar definitivamente com o central Mano, exige do treinador uma alternativa à altura dos acontecimentos, de forma a não se quebrar a qualidade da equipa.

Entretanto, face à proximidade do CAN Angola-2010 – faltam somente quatro dias para o pontapé de saída – iniciamos hoje a apresentação das 16 selecções participantes, por cada grupo. Para começar, a primazia vai para o Grupo “C”, do qual faz parte o nosso país, juntamente com Egipto, Nigéria e Benin.

MOÇAMBIQUE: A META É CHEGAR À FASE SEGUINTE

Com alguma afinidade com o anfitrião, por se tratar de dois países de língua de expressão portuguesa, Moçambique vai a Angola para apagar a má imagem deixada nas três participações anteriores em Campeonatos Africanos das Nações (CAN).

Depois de terminarem duas vezes na última posição (1986, 1998), na penúltima em 1996, os “Mambas”, com um grupo mais experiente que os anteriores, vão tentar aproveitar o factor “casa” para, pela primeira vez, passarem à fase seguinte ou no mínimo ter boa prestação.

Sem tradição futebolística no continente, Moçambique viu nascer jogadores que se tornaram figuras mundiais, com destaque para Eusébio que representou o Sport Lisboa e Benfica e a selecção portuguesa, tornando-se na principal referência dos “tugas” no mundo.

Dos que vestiram a camisola dos “Mambas”, o avançado Chiquinho Conde, que brilhou em alguns clubes portugueses, é o que teve maior relevo. Actualmente, Dário Monteiro (Supersport/África do Sul) apresenta-se como a principal referência num conjunto que conta ainda com o experiente Tico-Tico.

A estes junta-se o médio Dominguez (Mamelodi Sundowns/África do Sul) para furar as defesas adversárias. Mesmo não sendo a principal “estrela” dos moçambicanos além fronteiras, internamente o atleta goza da empatia dos adeptos por se tratar de um driblador que empresta “magia” ao futebol dos “Mambas”.

A qualificação moçambicana para o CAN foi garantida na última jornada do torneio de apuramento, num grupo ao lado da Tunísia, Nigéria, os principais candidatos à passagem, e o Quénia.

Sem qualquer hipótese de lutar por uma vaga no Mundial, os moçambicanos receberam na última ronda os tunisinos e venceram por 1-0, garantindo a presença na 27ª edição da prova.

Num jogo em que a Tunísia precisava vencer para marcar presença na África do Sul, os “Mambas” foram premiados pelo empenho e entrega com uma vitória, garantindo a quarta presença numa fase final.

Na primeira participação no CAN, em 1986, Moçambique efectuou três jogos e teve igual número de derrotas. Sem grande experiência, perdeu na jornada inaugural com Costa do Marfim (3-0) e nas seguintes com Senegal e Egipto por idêntico resultado (2-0).

Na África do Sul, dez anos depois, a prestação dos “Mambas” não foi por aí além. Conquistaram mais um ponto que na estreia, fruto do empate com a Tunísia (1-1), mas não passaram da fase de grupos e ficaram na penúltima posição da geral, após derrotas com Costa do Marfim (1-0) e Gana (2-0).

Em 1998, em Burkina Faso, foi repetição da primeira presença, três jogos e igual número de derrotas (2-0, 3-0 e 3-1 diante do Egipto, Marrocos e Zâmbia, respectivamente) e último lugar entre as 16 selecções.
06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: FALTAM 4 DIAS - Mesmo “a feijões”, redimam-se!

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423559446050630450" />

DEPOIS desta tarde já não haverá lugar para despiques a brincar ou meio-a-brincar.

Haverá isso sim, espaço para uma introspecção geral em relação àquilo que terá produzido todo este período de preparação e, acima de tudo, se perspectivar, objectivamente, o que será a participação da Selecção Nacional de Futebol na fase final da 27ª edição do Campeonato Africano das Nações Angola-2007, que arranca no próximo domingo, em Luanda. Por essa razão, no seu derradeiro desafio do estágio em Bloemfontein, na África do Sul, o que se pede aos “Mambas” é que, mesmo jogando “a feijões”, esta tarde, frente ao Gabão, pelo menos se redimam da sequência de três derrotas até aqui registadas, pois, à beira da grande competição continental, urge elevar a visão das tropas.

A turma moçambicana, que viaja amanhã ao fim do dia de Bloemfontein para Joanesburgo, para na sexta-feira rumar em direcção a Luanda, inicia a sua participação no CAN na próxima terça-feira, em Benguela, sede do Grupo “C”, defrontando o Benin. Significa isto que, após jogar com o Gabão, esta tarde, nenhuma outra partida amigável terá possibilidade de realizar, senão mesmo enfrentar os beninenses, já com uma dimensão transcendental e onde o mínimo erro pode ser fatal.

Deste modo, o seleccionador nacional, Mart Nooij, se bem que o vem fazendo, aproveitará este ensejo para, com mais rigor, ensaiar todos os aspectos tácticos que pretende implementar em terras angolanas, numa prova em que, na fase de grupos, ganhar é como o pão à boca, na perspectiva de transição para os quartos-de-final.

Com todos os 23 jogadores convocados para o CAN já às suas ordens, o técnico holandês vê no confronto com os gaboneses uma grande plataforma para, inclusive, ver quem é quem no que diz respeito ao onze a utilizar. Mesmo considerando que não se vislumbram alterações estruturais bastante profundas, o facto de, por exemplo, na retaguarda não se poder contar definitivamente com o central Mano, exige do treinador uma alternativa à altura dos acontecimentos, de forma a não se quebrar a qualidade da equipa.

Entretanto, face à proximidade do CAN Angola-2010 – faltam somente quatro dias para o pontapé de saída – iniciamos hoje a apresentação das 16 selecções participantes, por cada grupo. Para começar, a primazia vai para o Grupo “C”, do qual faz parte o nosso país, juntamente com Egipto, Nigéria e Benin.

MOÇAMBIQUE: A META É CHEGAR À FASE SEGUINTE

Com alguma afinidade com o anfitrião, por se tratar de dois países de língua de expressão portuguesa, Moçambique vai a Angola para apagar a má imagem deixada nas três participações anteriores em Campeonatos Africanos das Nações (CAN).

Depois de terminarem duas vezes na última posição (1986, 1998), na penúltima em 1996, os “Mambas”, com um grupo mais experiente que os anteriores, vão tentar aproveitar o factor “casa” para, pela primeira vez, passarem à fase seguinte ou no mínimo ter boa prestação.

Sem tradição futebolística no continente, Moçambique viu nascer jogadores que se tornaram figuras mundiais, com destaque para Eusébio que representou o Sport Lisboa e Benfica e a selecção portuguesa, tornando-se na principal referência dos “tugas” no mundo.

Dos que vestiram a camisola dos “Mambas”, o avançado Chiquinho Conde, que brilhou em alguns clubes portugueses, é o que teve maior relevo. Actualmente, Dário Monteiro (Supersport/África do Sul) apresenta-se como a principal referência num conjunto que conta ainda com o experiente Tico-Tico.

A estes junta-se o médio Dominguez (Mamelodi Sundowns/África do Sul) para furar as defesas adversárias. Mesmo não sendo a principal “estrela” dos moçambicanos além fronteiras, internamente o atleta goza da empatia dos adeptos por se tratar de um driblador que empresta “magia” ao futebol dos “Mambas”.

A qualificação moçambicana para o CAN foi garantida na última jornada do torneio de apuramento, num grupo ao lado da Tunísia, Nigéria, os principais candidatos à passagem, e o Quénia.

Sem qualquer hipótese de lutar por uma vaga no Mundial, os moçambicanos receberam na última ronda os tunisinos e venceram por 1-0, garantindo a presença na 27ª edição da prova.

Num jogo em que a Tunísia precisava vencer para marcar presença na África do Sul, os “Mambas” foram premiados pelo empenho e entrega com uma vitória, garantindo a quarta presença numa fase final.

Na primeira participação no CAN, em 1986, Moçambique efectuou três jogos e teve igual número de derrotas. Sem grande experiência, perdeu na jornada inaugural com Costa do Marfim (3-0) e nas seguintes com Senegal e Egipto por idêntico resultado (2-0).

Na África do Sul, dez anos depois, a prestação dos “Mambas” não foi por aí além. Conquistaram mais um ponto que na estreia, fruto do empate com a Tunísia (1-1), mas não passaram da fase de grupos e ficaram na penúltima posição da geral, após derrotas com Costa do Marfim (1-0) e Gana (2-0).

Em 1998, em Burkina Faso, foi repetição da primeira presença, três jogos e igual número de derrotas (2-0, 3-0 e 3-1 diante do Egipto, Marrocos e Zâmbia, respectivamente) e último lugar entre as 16 selecções.
06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: Benin entre o histórico e a realidade

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423556066938113570" />
COM apenas duas presenças no CAN, sem passar da primeira fase, o Benin apresenta-se em Angola para a sua terceira participação com referências que se distanciam do seu “histórico”.

Na última actualização do “ranking” da FIFA, a selecção beninense aparece como a 59ª selecção mundial e a 11ª melhor de África.

Esta ascensão no “ranking” deve-se aos resultados conseguidos durante a fase de qualificação, sobretudo a vitória sobre o Gana (1-0), 38ª selecção melhor cotada no mundo e o sexto conjunto mais forte em África, vencedor do grupo e apurado para o Mundial.

Nesta subida, os “Esquilos” (designação da selecção do Benin) também beneficiaram do empate diante do Mali (1-1), 51º do mundo e 8º no continente. Esta colheita permitiu-lhes terminar o apuramento em segundo com 10 pontos, superando o Mali (9) e Sudão (1).

Apesar de não ter qualquer posição relevante nesta prova, o crescimento gradual dos números das edições em que participou, associados a estes, podem constituir-se em factor motivacional para uma prestação mais marcante em Angola.

Em 2004 o Benin estreia-se no CAN num grupo onde estavam Marrocos, Nigéria e África do Sul. O saldo foi de um golo marcado e oito sofridos, e com uma goleada de 0-4 aplicada pelos marroquinos.

Quatro anos depois regressa e de novo cai no meio de “feras”: Costa do Marfim (1-4), Nigéria (0-2) e Mali (0-1). Apesar de novamente sair sem pontos e outra goleada, já sofrera menos um golo (7) - mas só apontara um também.

Assim, o CAN-2010 servirá de teste à sua capacidade de crescer competitivamente, ou seja, poderá confirmar o ascendente competitivo ou manter a “tradição” de mero animador.

Os seis golos concretizados na fase de qualificação e os triunfos sobre equipas mais cotadas podem ter sido um sinal.

Para este desafio o técnico francês Michel Dussuyer tem como principal referência o goleador Razak Omotoyossi, que marcou quase metade dos golos do conjunto, oito num total de 18. Na equipa base pontificam ainda Yoann Djidonou, Jocelyn Ahoueya, Khaled Adenon, Damien Chrysostome e Romuald Boco.
06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: Benin entre o histórico e a realidade

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423556066938113570" />
COM apenas duas presenças no CAN, sem passar da primeira fase, o Benin apresenta-se em Angola para a sua terceira participação com referências que se distanciam do seu “histórico”.

Na última actualização do “ranking” da FIFA, a selecção beninense aparece como a 59ª selecção mundial e a 11ª melhor de África.

Esta ascensão no “ranking” deve-se aos resultados conseguidos durante a fase de qualificação, sobretudo a vitória sobre o Gana (1-0), 38ª selecção melhor cotada no mundo e o sexto conjunto mais forte em África, vencedor do grupo e apurado para o Mundial.

Nesta subida, os “Esquilos” (designação da selecção do Benin) também beneficiaram do empate diante do Mali (1-1), 51º do mundo e 8º no continente. Esta colheita permitiu-lhes terminar o apuramento em segundo com 10 pontos, superando o Mali (9) e Sudão (1).

Apesar de não ter qualquer posição relevante nesta prova, o crescimento gradual dos números das edições em que participou, associados a estes, podem constituir-se em factor motivacional para uma prestação mais marcante em Angola.

Em 2004 o Benin estreia-se no CAN num grupo onde estavam Marrocos, Nigéria e África do Sul. O saldo foi de um golo marcado e oito sofridos, e com uma goleada de 0-4 aplicada pelos marroquinos.

Quatro anos depois regressa e de novo cai no meio de “feras”: Costa do Marfim (1-4), Nigéria (0-2) e Mali (0-1). Apesar de novamente sair sem pontos e outra goleada, já sofrera menos um golo (7) - mas só apontara um também.

Assim, o CAN-2010 servirá de teste à sua capacidade de crescer competitivamente, ou seja, poderá confirmar o ascendente competitivo ou manter a “tradição” de mero animador.

Os seis golos concretizados na fase de qualificação e os triunfos sobre equipas mais cotadas podem ter sido um sinal.

Para este desafio o técnico francês Michel Dussuyer tem como principal referência o goleador Razak Omotoyossi, que marcou quase metade dos golos do conjunto, oito num total de 18. Na equipa base pontificam ainda Yoann Djidonou, Jocelyn Ahoueya, Khaled Adenon, Damien Chrysostome e Romuald Boco.
06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: Egipto busca o “hepta”

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423553732083208530" />

VENCEDORA das duas primeiras edições do Campeonato Africano das Nações, a selecção egípcia conquistou seis vezes a competição e estará em Angola para defender a “coroa”.

É a recordista em presenças nas fases finais do CAN-2010, tendo falhado apenas quatro das 26 edições já disputadas e teve 14 vezes consecutivas.

Os “faraós”, como são alcunhados no futebol continental, participaram de três Mundiais, designadamente em 1934, 1938 e 1990, sendo a primeira selecção africana a marcar um golo nesta competição da FIFA.

Em Junho do ano passado, na Taça das Confederações, disputada na África do Sul, os egípcios venceram a temida campeã do mundo (Itália), por 1-0, com golo de Homos. Com esse resultado, tornaram-se na primeira equipa africana a derrotar a tetracampeã Itália.

Actualmente, seus principais jogadores são Essam El-Hadary, do FC Sion da Suíça, Mido, do Middlesbrough da Inglaterra, Mohamed Zidan (Borussia Dortmund da Alemanha), Mohamed Aboutrika (Al Ahly do Egipto) e Amr Zaki, do Wigan Athletic da Inglaterra.

No Campeonato Africano das Nações (CAN), disputado no Gana em 2008, o Egipto foi o responsável pelo afastamento de Angola, nos quartos-de-final, em Kumasi, a 4 de Fevereiro, por 2-1. Ganhou na final os Camarões por 1-0, em Accra.

Conquistou os CAN de 1957, no Sudão, Egipto-1959, Egipto-1986, Burquina Faso-1998, Egipto-2006 e Gana-2008. Em 1965, apesar de se ter qualificado, na prova disputada na Tunísia, a equipa faraónica retirou-se, tendo repetido a atitude na Etiópia em 1968. Falhou as edições de 1972 (Camarões), 1978 (Gana) e voltou a retirar-se em 1982 (Líbia) tal como em anos anteriores por razões políticas.
06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: Egipto busca o “hepta”

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423553732083208530" />

VENCEDORA das duas primeiras edições do Campeonato Africano das Nações, a selecção egípcia conquistou seis vezes a competição e estará em Angola para defender a “coroa”.

É a recordista em presenças nas fases finais do CAN-2010, tendo falhado apenas quatro das 26 edições já disputadas e teve 14 vezes consecutivas.

Os “faraós”, como são alcunhados no futebol continental, participaram de três Mundiais, designadamente em 1934, 1938 e 1990, sendo a primeira selecção africana a marcar um golo nesta competição da FIFA.

Em Junho do ano passado, na Taça das Confederações, disputada na África do Sul, os egípcios venceram a temida campeã do mundo (Itália), por 1-0, com golo de Homos. Com esse resultado, tornaram-se na primeira equipa africana a derrotar a tetracampeã Itália.

Actualmente, seus principais jogadores são Essam El-Hadary, do FC Sion da Suíça, Mido, do Middlesbrough da Inglaterra, Mohamed Zidan (Borussia Dortmund da Alemanha), Mohamed Aboutrika (Al Ahly do Egipto) e Amr Zaki, do Wigan Athletic da Inglaterra.

No Campeonato Africano das Nações (CAN), disputado no Gana em 2008, o Egipto foi o responsável pelo afastamento de Angola, nos quartos-de-final, em Kumasi, a 4 de Fevereiro, por 2-1. Ganhou na final os Camarões por 1-0, em Accra.

Conquistou os CAN de 1957, no Sudão, Egipto-1959, Egipto-1986, Burquina Faso-1998, Egipto-2006 e Gana-2008. Em 1965, apesar de se ter qualificado, na prova disputada na Tunísia, a equipa faraónica retirou-se, tendo repetido a atitude na Etiópia em 1968. Falhou as edições de 1972 (Camarões), 1978 (Gana) e voltou a retirar-se em 1982 (Líbia) tal como em anos anteriores por razões políticas.
06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: Nigerianos tentam afastar “fantasmas”

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423552138078797202" />

DEPOIS de Angola ter sido responsável pelo afastamento do Mundial de 2006 e também “roubado” a organização do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2010, a Nigéria, um dos gigantes do futebol continental, estará em prova com a missão de superar os "fantasmas" do passado.

As “Super Águias”, como é designada a selecção de futebol, têm uma história cheia de suspense, mas rica de valores individuais, sua principal fortaleza, já que colectivamente pecam no que à organização diz respeito. Venceram dois CAN (1980 e 1994), quatro finais, 12 presenças nas meias-finais.

Conseguiram chegar ao Mundial pela primeira vez em 1994 e desde então apareceram mais duas vezes e só não atingiram ao Alemanha-2006 por culpa dos “Palancas Negras”. Porém, este ano estarão na África do Sul, prova da qual Angola foi eliminada ainda na primeira etapa.

Além disso, a equipa nigeriana ganhou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atlanta, Estados Unidos da América, quando venceu o Brasil nas meias-finais e a Argentina na final. Com Rashidi Yekini, seu maior artilheiro de todos os tempos (37), as “Super Águias” deixaram registos dourados também nos Jogos Panafricanos, em 1973, duas medalhas de prata (1978, 2003) e duas de bronze (1991, 1995).

As selecções de base da Nigéria ganharam o título do Campeonato Mundial de Sub-17, em 1985, 1993 e 2007. Também venceram a Taça das Nações Afro-Asiáticas e da CEDEAO. Nos Mundiais de 1994, nos Estados Unidos da América, e de 1998, em França, o "gigante" africano caiu nos oitavos-de-final, mas na Coreia do Sul e Japão, em 2002, ficou logo na primeira fase.

Nos Campeonatos Africanos os nigerianos ficaram na fase inicial em 1982, porém em 1984 subiram ao pódio, tendo perdido a final para os Camarões (1-3). Por ser uma selecção de oscilações, fazendo grandes exibições e na mesma proporção também péssimas actuações, da Nigéria tudo se espera.

Um recuo no tempo mostra as “Super Águias” com estatuto no continente, evidenciado no segundo lugar na Costa do Marfim, em 1984, mas a decepção seguiu-os depois com o afastamento no Egipto1986. A Nigéria não disputou as edições inaugurais (1957, 1959) e desistiu na de 1962, para regressar e ficar na primeira fase em 1963.

A irregularidade com que se apresenta em competições torna esta selecção na mais imprevisível de todas as candidatas, presentes no CAN de Angola entre 10 e 31 de Janeiro corrente, apesar de ter dois títulos.

Não disputou a prova de 1965, falhou apuramento em 1968, desistiu em 1970 e foi eliminada em 1972 e 1974, mas no retorno em 1976 e 1978 conquistou o terceiro lugar e em 1980 sagrou-se pela primeira vez campeã africana. Em 1982 ficou na primeira fase. Em 1984 sagrou-se vice-campeã e para confirmar a oscilação foi afastada na fase preliminar em 1986.

Entre 1988 e 1990, ganhou a medalha de prata e em 1992 bronze, para acordar em 1994, com o título e brilharete no Mundial-94, com figuras destacáveis como Amunike e Yekini. Sendo uma selecção que promete muito no início mas acaba mal, pela desorganização, a Nigéria desistiu depois de ter se classificado em 1996.

Por essa atitude, a Confederação Africana de Futebol baniu as “Super Águias” na edição de 1998, no Burquina Faso. Para consolidar o estatuto das incertezas, voltou em 2000, com a conquista do segundo lugar, tendo depois repetido o terceiro posto de 2002 a 2006.

Sem Ikpeba, Amunike, Amokachi, Yekini, Jay-Jay Okocha, Taribo West, Sunday Oliseh da geração mais gloriosa dos nigerianos, agora constrói-se uma equipa, que mescla veterania e juventude, destacando-se os Nwankwo Kanu, Victor Obinna, Yakubu Aiyegbeni, Obafemi Martins, Vincent Enyeama, Joseph Yobo e Obi Mikel.

Com estes e outros jogadores, na maioria a militar em grandes ligas europeias, as Águias da Nigéria querem voar alto na sua 16ª participação em CAN, mas deixam no ar a velha questão da equipa eliminada nos quartos-de-final pelo Gana (1-2) em 2008: o gigante vai acordar?
06.Jan.10

CAN ANGOLA-2010: Nigerianos tentam afastar “fantasmas”

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423552138078797202" />

DEPOIS de Angola ter sido responsável pelo afastamento do Mundial de 2006 e também “roubado” a organização do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2010, a Nigéria, um dos gigantes do futebol continental, estará em prova com a missão de superar os "fantasmas" do passado.

As “Super Águias”, como é designada a selecção de futebol, têm uma história cheia de suspense, mas rica de valores individuais, sua principal fortaleza, já que colectivamente pecam no que à organização diz respeito. Venceram dois CAN (1980 e 1994), quatro finais, 12 presenças nas meias-finais.

Conseguiram chegar ao Mundial pela primeira vez em 1994 e desde então apareceram mais duas vezes e só não atingiram ao Alemanha-2006 por culpa dos “Palancas Negras”. Porém, este ano estarão na África do Sul, prova da qual Angola foi eliminada ainda na primeira etapa.

Além disso, a equipa nigeriana ganhou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atlanta, Estados Unidos da América, quando venceu o Brasil nas meias-finais e a Argentina na final. Com Rashidi Yekini, seu maior artilheiro de todos os tempos (37), as “Super Águias” deixaram registos dourados também nos Jogos Panafricanos, em 1973, duas medalhas de prata (1978, 2003) e duas de bronze (1991, 1995).

As selecções de base da Nigéria ganharam o título do Campeonato Mundial de Sub-17, em 1985, 1993 e 2007. Também venceram a Taça das Nações Afro-Asiáticas e da CEDEAO. Nos Mundiais de 1994, nos Estados Unidos da América, e de 1998, em França, o "gigante" africano caiu nos oitavos-de-final, mas na Coreia do Sul e Japão, em 2002, ficou logo na primeira fase.

Nos Campeonatos Africanos os nigerianos ficaram na fase inicial em 1982, porém em 1984 subiram ao pódio, tendo perdido a final para os Camarões (1-3). Por ser uma selecção de oscilações, fazendo grandes exibições e na mesma proporção também péssimas actuações, da Nigéria tudo se espera.

Um recuo no tempo mostra as “Super Águias” com estatuto no continente, evidenciado no segundo lugar na Costa do Marfim, em 1984, mas a decepção seguiu-os depois com o afastamento no Egipto1986. A Nigéria não disputou as edições inaugurais (1957, 1959) e desistiu na de 1962, para regressar e ficar na primeira fase em 1963.

A irregularidade com que se apresenta em competições torna esta selecção na mais imprevisível de todas as candidatas, presentes no CAN de Angola entre 10 e 31 de Janeiro corrente, apesar de ter dois títulos.

Não disputou a prova de 1965, falhou apuramento em 1968, desistiu em 1970 e foi eliminada em 1972 e 1974, mas no retorno em 1976 e 1978 conquistou o terceiro lugar e em 1980 sagrou-se pela primeira vez campeã africana. Em 1982 ficou na primeira fase. Em 1984 sagrou-se vice-campeã e para confirmar a oscilação foi afastada na fase preliminar em 1986.

Entre 1988 e 1990, ganhou a medalha de prata e em 1992 bronze, para acordar em 1994, com o título e brilharete no Mundial-94, com figuras destacáveis como Amunike e Yekini. Sendo uma selecção que promete muito no início mas acaba mal, pela desorganização, a Nigéria desistiu depois de ter se classificado em 1996.

Por essa atitude, a Confederação Africana de Futebol baniu as “Super Águias” na edição de 1998, no Burquina Faso. Para consolidar o estatuto das incertezas, voltou em 2000, com a conquista do segundo lugar, tendo depois repetido o terceiro posto de 2002 a 2006.

Sem Ikpeba, Amunike, Amokachi, Yekini, Jay-Jay Okocha, Taribo West, Sunday Oliseh da geração mais gloriosa dos nigerianos, agora constrói-se uma equipa, que mescla veterania e juventude, destacando-se os Nwankwo Kanu, Victor Obinna, Yakubu Aiyegbeni, Obafemi Martins, Vincent Enyeama, Joseph Yobo e Obi Mikel.

Com estes e outros jogadores, na maioria a militar em grandes ligas europeias, as Águias da Nigéria querem voar alto na sua 16ª participação em CAN, mas deixam no ar a velha questão da equipa eliminada nos quartos-de-final pelo Gana (1-2) em 2008: o gigante vai acordar?
06.Jan.10

Obafemi Martins na lista dos 23 convocados para o CAN-2010

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423546002460860882" />

Adeptos nigerianos estarao em peso no CAN.A selecção nacional de futebol da Nigéria já escolheu os vinte três jogadores para o CAN-2010, que inicia no dia 10 deste mês em Luanda, Angola, destacando-se seis avançados.

Obafemi Martins, que actua no Wolfsburgo da Alemanha, está na lista de convocados da Nigéria para a CAN-2010, apesar de estar a recuperar de uma lesão que contraiu em Novembro do ano passado.

O jogador, que tem uma lesão na tíbia, fez um exames médicos em Durban, África do Sul, país onde as “Super Águias” estão a estagiar, tendo os resultados dado o jogador como apto para competir. Aliás, o perigosíssimo avançado substituiu Michael Eneramo na segunda parte do jogo amigável entre a Nigéria e o Thanda FC da África do Sul (1-0), no pretérito fim-de-semana.

Chinedu Obasi, que foi excluído da lista da equipa para permitir a entrada de Martins, marcou o único golo do jogo disputado domingo à noite.

ADEPTOS NIGERIANOS EM PESO NO CAN

Durante a 27ª edição do Campeonato Africano das Nações, “as Super Águias” vão contar com o apoio de cinco mil e 300 membros do Clube dos Adeptos do Futebol Nigeriano (NFSC. ). segundo Samuel Ikpea, secretário do NFSC, apenas 300 membros partirão da Nigéria, enquanto os outros cinco mil outros vão juntar- se a eles a partir de países da África Austral.

Os membros do NFSC, geralmente trajados com roupas das cores dos seus patrocinadores ou da bandeira nigeriana, são reputados pelo seu forte apoio à selecção com as suas músicas, canções e danças durante os jogos no país e no exterior.

Neste certame, os nigerianos vão procurar fazer melhor do que nas eliminatórias combinadas para o CAN e Mundial-2010.

Eis a lista de convocados:

Guarda-redes: Dele Aiyenugba (Bnei Yehuda/ISRSR), Austin Ejide (Hapoel Petah Tikva/ISRSR) e Vincent Enyeama (Hapoel Tel-Aviv/ISRSR).

Defesas: Onyekachi Apam (Nice/FRFRA), Elderson Echiejile (Rennes/FRFRA), Obinna Nwaneri (Sion/SUI), Yusuf Mohammed (Sion/SUI), Chidi Odiah (CSKA /RUS), Danny Shittu (Bolton/ING), Taye Taiwo (Marselha/FRFRA) e Joseph Yobo (Everton/ING).

Médios: Youssouf Ayila (Dínamo Kiev/UCR), Dickson Etuhu (Fulham/ING), Sani Kaita (Lokomotiv Moscovo/RUS), John Obi Mikel (Chelsea/ING), Seyi Olofinjana (Hull City/ING) e Kalu Uche (Almeria/ESESP).

Avançados: Yakubu Aiyegbeni (Everton/ING), Michael Eneramo (Espérance Tunis/TUN), Nwankwo Kanu (Portsmouth/ING), Obafemi Martins (Wolfsburgo/ALE), Victor Obinna (Malaga/ESESP), Peter Odemwingie (Lokomotiv Moscovo/RUS).
06.Jan.10

Obafemi Martins na lista dos 23 convocados para o CAN-2010

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423546002460860882" />

Adeptos nigerianos estarao em peso no CAN.A selecção nacional de futebol da Nigéria já escolheu os vinte três jogadores para o CAN-2010, que inicia no dia 10 deste mês em Luanda, Angola, destacando-se seis avançados.

Obafemi Martins, que actua no Wolfsburgo da Alemanha, está na lista de convocados da Nigéria para a CAN-2010, apesar de estar a recuperar de uma lesão que contraiu em Novembro do ano passado.

O jogador, que tem uma lesão na tíbia, fez um exames médicos em Durban, África do Sul, país onde as “Super Águias” estão a estagiar, tendo os resultados dado o jogador como apto para competir. Aliás, o perigosíssimo avançado substituiu Michael Eneramo na segunda parte do jogo amigável entre a Nigéria e o Thanda FC da África do Sul (1-0), no pretérito fim-de-semana.

Chinedu Obasi, que foi excluído da lista da equipa para permitir a entrada de Martins, marcou o único golo do jogo disputado domingo à noite.

ADEPTOS NIGERIANOS EM PESO NO CAN

Durante a 27ª edição do Campeonato Africano das Nações, “as Super Águias” vão contar com o apoio de cinco mil e 300 membros do Clube dos Adeptos do Futebol Nigeriano (NFSC. ). segundo Samuel Ikpea, secretário do NFSC, apenas 300 membros partirão da Nigéria, enquanto os outros cinco mil outros vão juntar- se a eles a partir de países da África Austral.

Os membros do NFSC, geralmente trajados com roupas das cores dos seus patrocinadores ou da bandeira nigeriana, são reputados pelo seu forte apoio à selecção com as suas músicas, canções e danças durante os jogos no país e no exterior.

Neste certame, os nigerianos vão procurar fazer melhor do que nas eliminatórias combinadas para o CAN e Mundial-2010.

Eis a lista de convocados:

Guarda-redes: Dele Aiyenugba (Bnei Yehuda/ISRSR), Austin Ejide (Hapoel Petah Tikva/ISRSR) e Vincent Enyeama (Hapoel Tel-Aviv/ISRSR).

Defesas: Onyekachi Apam (Nice/FRFRA), Elderson Echiejile (Rennes/FRFRA), Obinna Nwaneri (Sion/SUI), Yusuf Mohammed (Sion/SUI), Chidi Odiah (CSKA /RUS), Danny Shittu (Bolton/ING), Taye Taiwo (Marselha/FRFRA) e Joseph Yobo (Everton/ING).

Médios: Youssouf Ayila (Dínamo Kiev/UCR), Dickson Etuhu (Fulham/ING), Sani Kaita (Lokomotiv Moscovo/RUS), John Obi Mikel (Chelsea/ING), Seyi Olofinjana (Hull City/ING) e Kalu Uche (Almeria/ESESP).

Avançados: Yakubu Aiyegbeni (Everton/ING), Michael Eneramo (Espérance Tunis/TUN), Nwankwo Kanu (Portsmouth/ING), Obafemi Martins (Wolfsburgo/ALE), Victor Obinna (Malaga/ESESP), Peter Odemwingie (Lokomotiv Moscovo/RUS).
06.Jan.10

Maxaquene adia apresentação de reforços e anuncia Eládio como 110 recruta para nova época

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423538686122855842" />

“Tricolores” reiteram contratação do defesa-central internacional Fanuel, desmentida pela Liga Muçulmana e apresentam Pascoal Loforte como director do Departamento de Futebol

O Clube de Desportos da Maxaquene, CDM, adiou ontem a apresentação dos reforços da sua equipa profissional de futebol para uma data a anunciar, em virtude da morte, na segunda-feira, de José Arnaldo Salvado, pai do seu novo técnico, Arnaldo José Salvado. Em entrevista ao “O País”, Imtiaz Aly Amugy, que responde pelo pelouro desportivo na Comissão de Gestão do Clube, referiu que “em respeito ao nosso treinador, e em memória ao seu pai, um grande homem do futebol (foi um dos melhores árbitros antes e no pós -independência), decidimos adiar hoje (ontem) a cerimónia de apresentação dos reforços”.

ELÁDIO TROCA HCB PELO MAXAQUENE

Na senda dos reforços para este ano, a direcção do Maxaquene anunciou, para além dos dez nomes avançados pelo nosso diário na sua edição de ontem, a contratação do experiente médio-centro Eládio, que na última época foi uma mais valia no então recém promovido HCB de Songo.

O jogador que já antes representara o Costa do Sol, para além de no começo da década passada ter “espreitado” o profissionalismo português, chegou a acordo com a equipa de Arnaldo Salvado, tendo assinado por duas épocas.

“É verdade, o Eládio é mais um dos reforços que já garantimos para esta época. Os outros são conhecidos”, disse Imtiaz Amugy, referindo-se a Tony, ex-Ferroviário da Beira, Zuma, ex-Ferroviário de Nampula, Eboh, Dércio e Samito, ex-Atlético Muçulmano, Kito, João e Alvarito, ex-Costa do Sol, Aníbal, ex-Desportivo e Fanuel, ex-Liga Muçulmana.

E sobre Fanuel, jogador que a Liga Muçulmana reclama ter ainda um vínculo contratual com ele, Amugy decipou todas as dúvidas. “O jogador é nosso, é bom que fique claro, ele vai representar o Maxaquene esta época”.

O nosso jornal soube de fontes seguras que na mira do Maxaquene está, também, o avançado Tó, do Costa do Sol. Imtiaz confirmou que o seu clube está em negociações com o jogador e dentro de dias ficar-se-à a saber se o camisola nove passará a jogar de azul, branco e vermelho.

Refira-se que Arnaldo Salvado ainda não divulgou a lista dos dispensados, pese embora já existam duas certezas: o zimbabweano Steven e o avançado Mustafá II, pouco utilizados na última temporada, foram cedidos ao Vilankulos FC, representante da província de Inhambane no Moçambola-2010.

“Estes são por enquanto os nomes que podemos avançar. Tivemos um acordo de cedência com aquele clube. É também um dado adquirido que Jumisse não vai fazer parte do plantel esta época. O jogador decidiu mudar de ares e nós não podemos prendê-lo. É livre de ir para onde bem quiser.”

PASCOAL LOFORTE CHEFIA DEPARTAMENTO DE FUTEBOL

No âmbito da restruturação em curso no Maxaquene, visando dar um novo rumo ao clube, a direcção desta colectividade reforçou-se a nível administrativo. Com efeito, os “tricolores” con-trataram Pascoal Loforte, antigo árbitro de futebol e, actualmente, a desempenhar as funções de seleccionador nacional de futebol de praia, que passa a ser o homem forte do futebol, onde assume a pasta de director do Departamento de Futebol.

“É uma missão gratificante para mim. Sei que não é tarefa fácil dirigir um departamento de futebol, mas com profissionalismo, acima de tudo, procurarei dar o meu máximo para que as nossas equipas de futebol, em particular o clube, conquiste o seu espaço”, concluiu.

Refira-se que esta não é a primeira vez que Loforte assume um cargo directivo num clube, pois na temporada 2006-2007 foi director do Departamento de Futebol do Clube dos Desportos do Costa do Sol.
06.Jan.10

Maxaquene adia apresentação de reforços e anuncia Eládio como 110 recruta para nova época

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423538686122855842" />

“Tricolores” reiteram contratação do defesa-central internacional Fanuel, desmentida pela Liga Muçulmana e apresentam Pascoal Loforte como director do Departamento de Futebol

O Clube de Desportos da Maxaquene, CDM, adiou ontem a apresentação dos reforços da sua equipa profissional de futebol para uma data a anunciar, em virtude da morte, na segunda-feira, de José Arnaldo Salvado, pai do seu novo técnico, Arnaldo José Salvado. Em entrevista ao “O País”, Imtiaz Aly Amugy, que responde pelo pelouro desportivo na Comissão de Gestão do Clube, referiu que “em respeito ao nosso treinador, e em memória ao seu pai, um grande homem do futebol (foi um dos melhores árbitros antes e no pós -independência), decidimos adiar hoje (ontem) a cerimónia de apresentação dos reforços”.

ELÁDIO TROCA HCB PELO MAXAQUENE

Na senda dos reforços para este ano, a direcção do Maxaquene anunciou, para além dos dez nomes avançados pelo nosso diário na sua edição de ontem, a contratação do experiente médio-centro Eládio, que na última época foi uma mais valia no então recém promovido HCB de Songo.

O jogador que já antes representara o Costa do Sol, para além de no começo da década passada ter “espreitado” o profissionalismo português, chegou a acordo com a equipa de Arnaldo Salvado, tendo assinado por duas épocas.

“É verdade, o Eládio é mais um dos reforços que já garantimos para esta época. Os outros são conhecidos”, disse Imtiaz Amugy, referindo-se a Tony, ex-Ferroviário da Beira, Zuma, ex-Ferroviário de Nampula, Eboh, Dércio e Samito, ex-Atlético Muçulmano, Kito, João e Alvarito, ex-Costa do Sol, Aníbal, ex-Desportivo e Fanuel, ex-Liga Muçulmana.

E sobre Fanuel, jogador que a Liga Muçulmana reclama ter ainda um vínculo contratual com ele, Amugy decipou todas as dúvidas. “O jogador é nosso, é bom que fique claro, ele vai representar o Maxaquene esta época”.

O nosso jornal soube de fontes seguras que na mira do Maxaquene está, também, o avançado Tó, do Costa do Sol. Imtiaz confirmou que o seu clube está em negociações com o jogador e dentro de dias ficar-se-à a saber se o camisola nove passará a jogar de azul, branco e vermelho.

Refira-se que Arnaldo Salvado ainda não divulgou a lista dos dispensados, pese embora já existam duas certezas: o zimbabweano Steven e o avançado Mustafá II, pouco utilizados na última temporada, foram cedidos ao Vilankulos FC, representante da província de Inhambane no Moçambola-2010.

“Estes são por enquanto os nomes que podemos avançar. Tivemos um acordo de cedência com aquele clube. É também um dado adquirido que Jumisse não vai fazer parte do plantel esta época. O jogador decidiu mudar de ares e nós não podemos prendê-lo. É livre de ir para onde bem quiser.”

PASCOAL LOFORTE CHEFIA DEPARTAMENTO DE FUTEBOL

No âmbito da restruturação em curso no Maxaquene, visando dar um novo rumo ao clube, a direcção desta colectividade reforçou-se a nível administrativo. Com efeito, os “tricolores” con-trataram Pascoal Loforte, antigo árbitro de futebol e, actualmente, a desempenhar as funções de seleccionador nacional de futebol de praia, que passa a ser o homem forte do futebol, onde assume a pasta de director do Departamento de Futebol.

“É uma missão gratificante para mim. Sei que não é tarefa fácil dirigir um departamento de futebol, mas com profissionalismo, acima de tudo, procurarei dar o meu máximo para que as nossas equipas de futebol, em particular o clube, conquiste o seu espaço”, concluiu.

Refira-se que esta não é a primeira vez que Loforte assume um cargo directivo num clube, pois na temporada 2006-2007 foi director do Departamento de Futebol do Clube dos Desportos do Costa do Sol.
06.Jan.10

Vilankulos FC precisa de 12 reforços para o Moçambola- 2010

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423536730217615074" />
A preparação para época inicia no próximo dia 18 do corrente mês
De acordo com Eflim da Graça, treinador principal da equipa de Vilankulos Fc, a sua equipa precisa de um total de 12 jogadores para reforçar o elenco.

“Para atingirmos os nosso objectivos, nesta prova que, por sinal, é a primeira do país, precisamos de 10 a 12 jogadores que vão se juntar aos antigos 13, cuja sua missão será de garantir a manutenção. estamos à procura de 12 reforços, mas neste momento já consegui entrar em conversações com pelo menos 8 atletas, que não vou revelar os nomes e os seus respectivos clubes por questões de segurança.

Num outro desenvolvimento, o nosso interlocutor referiu que “quanto à prestação da minha equipa no Moçambola, estou confiante, porque acredito muito nos meus jogadores, eles provaram que sabem estar dentro das quatro linhas, em fim eles darão alegria ao público de Inhambane que tanto quer ver o seu desporto a crescer”, afirmou.

Para finalizar, apelou a todos para apoiarem a sua equipa para o bem do desporto daquele ponto do país. “primeiro, agradecer a todos que directa ou indirectamente contribuíram para que esta equipa se apurasse ao Moçambola e, segundo, pedir que continuem a nos apoiar para termos mais forças para trabalhar. Agora, a nossa grande preocupação é a situação do campo que não apresenta as condições exigidas para acolher os jogos do Moçambola, mas já estamos a trabalhar no sentido de recondicionar a relva”.

O Vilankulos Fc inicia a sua preparação no próximo dia 18 do corrente mês.recorde-se que o Vilankulos Fc é o único representante da província de Inhambane no Moçambola-2010.
06.Jan.10

Vilankulos FC precisa de 12 reforços para o Moçambola- 2010

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423536730217615074" />
A preparação para época inicia no próximo dia 18 do corrente mês
De acordo com Eflim da Graça, treinador principal da equipa de Vilankulos Fc, a sua equipa precisa de um total de 12 jogadores para reforçar o elenco.

“Para atingirmos os nosso objectivos, nesta prova que, por sinal, é a primeira do país, precisamos de 10 a 12 jogadores que vão se juntar aos antigos 13, cuja sua missão será de garantir a manutenção. estamos à procura de 12 reforços, mas neste momento já consegui entrar em conversações com pelo menos 8 atletas, que não vou revelar os nomes e os seus respectivos clubes por questões de segurança.

Num outro desenvolvimento, o nosso interlocutor referiu que “quanto à prestação da minha equipa no Moçambola, estou confiante, porque acredito muito nos meus jogadores, eles provaram que sabem estar dentro das quatro linhas, em fim eles darão alegria ao público de Inhambane que tanto quer ver o seu desporto a crescer”, afirmou.

Para finalizar, apelou a todos para apoiarem a sua equipa para o bem do desporto daquele ponto do país. “primeiro, agradecer a todos que directa ou indirectamente contribuíram para que esta equipa se apurasse ao Moçambola e, segundo, pedir que continuem a nos apoiar para termos mais forças para trabalhar. Agora, a nossa grande preocupação é a situação do campo que não apresenta as condições exigidas para acolher os jogos do Moçambola, mas já estamos a trabalhar no sentido de recondicionar a relva”.

O Vilankulos Fc inicia a sua preparação no próximo dia 18 do corrente mês.recorde-se que o Vilankulos Fc é o único representante da província de Inhambane no Moçambola-2010.
06.Jan.10

Adeptos do Osasuna ameaçam CR9

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423535351696617122" />

Durante o jogo Osasuna-Real Madrid, uma frase ecoou nos ouvidos de Ronaldo de forma particularmente incómoda.

"Cristiano, morre", gritavam os adeptos da claque Indar Gorri, indefectíveis da turma de Pamplona.

O fenómeno não é novo: já desde os tempos do Manchester United que o CR9 é um dos alvos preferidos das claques adversárias.

Foi após uma quezília verbal com Wayne Rooney, no Mundial-2006, que os adeptos ingleses começaram a tomar de ponta o futebolista luso. Sempre que os “red devils” jogavam fora, Ronaldo era o principal visado nos insultos, constantemente invectivado por tudo e todos.

Agora, no Real Madrid, a história não demorou a repetir-se. Nos exercícios de aquecimento da partida de domingo, os Indar Gorri não o deixaram sossegado. O jogador virou-se à direcção dos adeptos hostis e respondeu-lhes de imediato. A atitude, no entanto, não acalmou os adversários, pelo contrário, acicatou-lhes os ânimos. Ao longo do jogo, pelo menos mais três vezes foi alvo dos cânticos, sobretudo na jogada em que parece mergulhar em plena área do Osasuna após um ligeiro toque de Patxi Puñal.

Mas, mais do que pessoais, as razões desta aversão passam sobretudo pela rivalidade histórica entre os dois clubes. O Real Madrid é um clube que desperta paixões, mas também grandes ódios, e, sem dúvida, na cidade de Pamplona é o emblema que mais repulsa gera.

David Beckham e Guti também já viram as suas famílias insultadas naquele estádio. Há igualmente raízes políticas na base de tal aversão, tendo em conta que os Indar Gorri são independentistas bascos e, sempre que podem, manifestam a sua raiva diante do clube que mais simboliza a união do reino espanhol.

Ronaldo pode, porém, encarar a questão numa perspectiva positiva: se é ele o escolhido para vítima dos insultos, isso significa também que já se transformou no principal símbolo actual do madridismo.
06.Jan.10

Adeptos do Osasuna ameaçam CR9

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423535351696617122" />

Durante o jogo Osasuna-Real Madrid, uma frase ecoou nos ouvidos de Ronaldo de forma particularmente incómoda.

"Cristiano, morre", gritavam os adeptos da claque Indar Gorri, indefectíveis da turma de Pamplona.

O fenómeno não é novo: já desde os tempos do Manchester United que o CR9 é um dos alvos preferidos das claques adversárias.

Foi após uma quezília verbal com Wayne Rooney, no Mundial-2006, que os adeptos ingleses começaram a tomar de ponta o futebolista luso. Sempre que os “red devils” jogavam fora, Ronaldo era o principal visado nos insultos, constantemente invectivado por tudo e todos.

Agora, no Real Madrid, a história não demorou a repetir-se. Nos exercícios de aquecimento da partida de domingo, os Indar Gorri não o deixaram sossegado. O jogador virou-se à direcção dos adeptos hostis e respondeu-lhes de imediato. A atitude, no entanto, não acalmou os adversários, pelo contrário, acicatou-lhes os ânimos. Ao longo do jogo, pelo menos mais três vezes foi alvo dos cânticos, sobretudo na jogada em que parece mergulhar em plena área do Osasuna após um ligeiro toque de Patxi Puñal.

Mas, mais do que pessoais, as razões desta aversão passam sobretudo pela rivalidade histórica entre os dois clubes. O Real Madrid é um clube que desperta paixões, mas também grandes ódios, e, sem dúvida, na cidade de Pamplona é o emblema que mais repulsa gera.

David Beckham e Guti também já viram as suas famílias insultadas naquele estádio. Há igualmente raízes políticas na base de tal aversão, tendo em conta que os Indar Gorri são independentistas bascos e, sempre que podem, manifestam a sua raiva diante do clube que mais simboliza a união do reino espanhol.

Ronaldo pode, porém, encarar a questão numa perspectiva positiva: se é ele o escolhido para vítima dos insultos, isso significa também que já se transformou no principal símbolo actual do madridismo.
06.Jan.10

FMF apresenta proposta de novo contrato a Mart Nooij

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423533777105400530" />

A FMF está a negociar com o agente do técnico holandês e, segundo António Chambal, Mart Nooij mostrou-se disponível em continuar a orientar a selecção nacional de futebol.

Mart Nooij poderá continuar no comando técnico dos Mambas, mesmo depois do Campeonato Africano das Nações (CAN-2010), período em que termina o contrato por objectivo, assinado entre o holandês e a Federação Moçambicana de Futebol, em 2007.

É que, numa altura em que os Mambas se preparam para o CAN-2010, a FMF avançou com uma proposta de um novo contrato de trabalho ao seleccionador nacional, na perspectiva do mesmo coordenar e supervisionar ainda as camadas de formação, de modo a que haja um trabalho de continuidade na selecção nacional.

“Nós não podemos pensar que os Mambas vão manter o meu status-selecção melhor classificada no ranking da FIFA ao nível da África Austral e uma das 16 melhores de África- sem uma base séria ao nível da formação”, disse António Chambal, vice-presidente da Federação Moçambicana de Futetebol para Área da Alta Competição. Daí que os homens do prédio Fonte Azul querem aproveitar o know how do técnico holandês para transmitir às selecções nacionais sub-17, sub-20 e sub-23.

NEGOCIAÇÕES DECORREM A CONTENTO

Chambal revelou, por outro lado, que a FMF está a trabalhar para encontrar um financiador para assegurar a permanência do holandês. “Ele (Mart Nooij) tinha um contrato com dois objectivos que consistiam em Moçambique qualificar-se para o Mundial e, consequentemente, para o CAN. Este contrato terminaria em Julho de 2010. Mas, Nooij apenas conseguiu levar o nosso país ao CAN, pelo que o seu contrato termina no final desta prova”, começou por dizer Chambal.

O vice-presidente da FMF acresceu que “tendo em conta a sua prestação nos últimos anos, estamos em conversações no sentido de vermos a viabilidade de continuarmos com ele. Tudo depende dele”, referiu a nossa fonte.

Por outro lado, asseverou que, pelo rumo das conversações, “tudo indica que Nooij também está interessado. O resto é acertar as condições para chegarmos a um consenso. Há reciprocidade nas correspondências que temos trocado. Estamos, por outro lado, a negociar com o seu agente. É preciso que fique claro, será um novo contrato e não renovação. O objectivo é diferente”, esclareceu.

Mais adiante, Chambal recordou que quando o técnico holandês veio a Moçambique no âmbito da cooperação entre os dois países tinha indicações claras para trabalhar nas camadas de formação: “Mas, porque na altura estávamos sem treinador, convencemó-lo a assinar um contrato individual para trabalhar na selecção principal. Foi o que aconteceu. E, nesse contrato, havia uma cláusula que dizia que ele devia coordenar as camadas de formação. No entanto, a excelente campanha dos Mambas nas eliminatórias distraiu-nos.

Portanto, queremos rentabilizar o investimento, porque é importante que o seu know how seja aproveitado para mantermos a filosofia da escola holandesa”, explicou o nosso entrevistado. Actualmente, Nooij aufere um salário de 15 mil dólares norte-americanos, valor pago pelo Ministério da Juventude e Desportos, através dos seus parceiros do projecto FUT-21.

Questionado se a eventual contratação não implicaria um desembolso adicional, o dirigente da FMF respondeu nos seguintes termos: “ Não podemos olhar as coisas neste sentido. Até porque no contrato que assinámos com ele em 2007 já existia uma cláusula que diz que ele deve supervisionar as camadas de formação”.

2010: UM ANO COM POUCAS ACTIVIDADES

Em 2010, os Mambas vão entrar em cena em Março para as eliminatórias para o CAN interno e, no final do ano, na primeira fase de apuramento para o Campeonato Africano das Nações de 2012. Portanto, é um ano em que os Mambas não vão estar muito tempo em acção nas provas africanas. “É preciso que nos tempos em que o Mart Nooij não está a trabalhar com a selecção troque experiências com outros treinadores. Se, por exemplo, contratamos alguém para trabalhar por um período de 12 meses, é preciso que trabalhe durante este período, mas, claro, respeitando-se as suas férias.

Não pôde trabalhar um mês!”, referiu. Em Novembro do ano passado, a Federação Moçambicana de Futebol apresentou um treinador alemão que vai trabalhar com os escalões de formação. Chambal, com a voz embargada, esclareceu que o mesmo “vai simplesmente trabalhar na pesquisa de talentos nos jogos escolares, Bebec, entre outros certames das selecções nacionais”.
06.Jan.10

FMF apresenta proposta de novo contrato a Mart Nooij

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423533777105400530" />

A FMF está a negociar com o agente do técnico holandês e, segundo António Chambal, Mart Nooij mostrou-se disponível em continuar a orientar a selecção nacional de futebol.

Mart Nooij poderá continuar no comando técnico dos Mambas, mesmo depois do Campeonato Africano das Nações (CAN-2010), período em que termina o contrato por objectivo, assinado entre o holandês e a Federação Moçambicana de Futebol, em 2007.

É que, numa altura em que os Mambas se preparam para o CAN-2010, a FMF avançou com uma proposta de um novo contrato de trabalho ao seleccionador nacional, na perspectiva do mesmo coordenar e supervisionar ainda as camadas de formação, de modo a que haja um trabalho de continuidade na selecção nacional.

“Nós não podemos pensar que os Mambas vão manter o meu status-selecção melhor classificada no ranking da FIFA ao nível da África Austral e uma das 16 melhores de África- sem uma base séria ao nível da formação”, disse António Chambal, vice-presidente da Federação Moçambicana de Futetebol para Área da Alta Competição. Daí que os homens do prédio Fonte Azul querem aproveitar o know how do técnico holandês para transmitir às selecções nacionais sub-17, sub-20 e sub-23.

NEGOCIAÇÕES DECORREM A CONTENTO

Chambal revelou, por outro lado, que a FMF está a trabalhar para encontrar um financiador para assegurar a permanência do holandês. “Ele (Mart Nooij) tinha um contrato com dois objectivos que consistiam em Moçambique qualificar-se para o Mundial e, consequentemente, para o CAN. Este contrato terminaria em Julho de 2010. Mas, Nooij apenas conseguiu levar o nosso país ao CAN, pelo que o seu contrato termina no final desta prova”, começou por dizer Chambal.

O vice-presidente da FMF acresceu que “tendo em conta a sua prestação nos últimos anos, estamos em conversações no sentido de vermos a viabilidade de continuarmos com ele. Tudo depende dele”, referiu a nossa fonte.

Por outro lado, asseverou que, pelo rumo das conversações, “tudo indica que Nooij também está interessado. O resto é acertar as condições para chegarmos a um consenso. Há reciprocidade nas correspondências que temos trocado. Estamos, por outro lado, a negociar com o seu agente. É preciso que fique claro, será um novo contrato e não renovação. O objectivo é diferente”, esclareceu.

Mais adiante, Chambal recordou que quando o técnico holandês veio a Moçambique no âmbito da cooperação entre os dois países tinha indicações claras para trabalhar nas camadas de formação: “Mas, porque na altura estávamos sem treinador, convencemó-lo a assinar um contrato individual para trabalhar na selecção principal. Foi o que aconteceu. E, nesse contrato, havia uma cláusula que dizia que ele devia coordenar as camadas de formação. No entanto, a excelente campanha dos Mambas nas eliminatórias distraiu-nos.

Portanto, queremos rentabilizar o investimento, porque é importante que o seu know how seja aproveitado para mantermos a filosofia da escola holandesa”, explicou o nosso entrevistado. Actualmente, Nooij aufere um salário de 15 mil dólares norte-americanos, valor pago pelo Ministério da Juventude e Desportos, através dos seus parceiros do projecto FUT-21.

Questionado se a eventual contratação não implicaria um desembolso adicional, o dirigente da FMF respondeu nos seguintes termos: “ Não podemos olhar as coisas neste sentido. Até porque no contrato que assinámos com ele em 2007 já existia uma cláusula que diz que ele deve supervisionar as camadas de formação”.

2010: UM ANO COM POUCAS ACTIVIDADES

Em 2010, os Mambas vão entrar em cena em Março para as eliminatórias para o CAN interno e, no final do ano, na primeira fase de apuramento para o Campeonato Africano das Nações de 2012. Portanto, é um ano em que os Mambas não vão estar muito tempo em acção nas provas africanas. “É preciso que nos tempos em que o Mart Nooij não está a trabalhar com a selecção troque experiências com outros treinadores. Se, por exemplo, contratamos alguém para trabalhar por um período de 12 meses, é preciso que trabalhe durante este período, mas, claro, respeitando-se as suas férias.

Não pôde trabalhar um mês!”, referiu. Em Novembro do ano passado, a Federação Moçambicana de Futebol apresentou um treinador alemão que vai trabalhar com os escalões de formação. Chambal, com a voz embargada, esclareceu que o mesmo “vai simplesmente trabalhar na pesquisa de talentos nos jogos escolares, Bebec, entre outros certames das selecções nacionais”.
06.Jan.10

Arnaldo José Salvado: Morreu um embondeiro da arbitragem nacional

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423529915366261874" />

SUBITAMENTE, os desportistas moçambicanos, em particular a tribo do futebol, foram acolhidos, segunda-feira, com a chocante notícia da morte de um dos embondeiros da arbitragem nacional: Arnaldo José Salvado, pai de um dos maiores ícones da classe de treinadores moçambicanos, José Arnaldo Salvado.

Salvado-pai, como era carinhosamente tratado, há muito que não gozava de boa saúde, tendo inclusive chegado a estar em Portugal em tratamento médico. Nos primeiros dias deste novo ano de 2010 a sua saúde se deteriorou, levando-o ao internamento no Hospital Central de Maputo, onde viria a perder a vida na manhã de segunda-feira.

O seu funeral realiza-se hoje, pelas 11.00 horas, no Cemitério de Lhanguene, antecedido de missa de corpo presente na Capela do HCM, às 10.00 horas.

Arnaldo José Salvado, contemporâneo de grandes nomes da arbitragem nacional, como o falecido Freitas Branco, Gil Milando, José Ferreira Garrincha, Issufo Costa, entre outros, notabilizou-se pela sua correcção, alto sentido de responsabilidade e um relacionamento pedagógico com os jogadores, particularmente os das camadas mais jovens, atributos que lhe permitiram granjear extraordinária simpatia junto dos dirigentes, treinadores, atletas e adeptos de futebol.

No plano internacional, Arnaldo Salvado foi o único árbitro moçambicano a marcar presença numa fase final do Campeonato Africano das Nações, facto que sucedeu no CAN de 1982, na Líbia, na qualidade de juiz auxiliar.

Neste momento de luto, não somente os árbitros e o futebol choram esta partida para sempre do grande senhor do apito, como também todos os desportistas moçambicanos, pois as qualidades de Salvado-pai entanto que desportista foram francamente exemplares.

Profundamente chocados com a triste ocorrência, os jornalistas do “Notícias”, que durante vários anos conviveram com Arnaldo Salvado no quotidiano do nosso futebol, apresentam à família enlutada as suas mais sentidas condolências.
06.Jan.10

Arnaldo José Salvado: Morreu um embondeiro da arbitragem nacional

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423529915366261874" />

SUBITAMENTE, os desportistas moçambicanos, em particular a tribo do futebol, foram acolhidos, segunda-feira, com a chocante notícia da morte de um dos embondeiros da arbitragem nacional: Arnaldo José Salvado, pai de um dos maiores ícones da classe de treinadores moçambicanos, José Arnaldo Salvado.

Salvado-pai, como era carinhosamente tratado, há muito que não gozava de boa saúde, tendo inclusive chegado a estar em Portugal em tratamento médico. Nos primeiros dias deste novo ano de 2010 a sua saúde se deteriorou, levando-o ao internamento no Hospital Central de Maputo, onde viria a perder a vida na manhã de segunda-feira.

O seu funeral realiza-se hoje, pelas 11.00 horas, no Cemitério de Lhanguene, antecedido de missa de corpo presente na Capela do HCM, às 10.00 horas.

Arnaldo José Salvado, contemporâneo de grandes nomes da arbitragem nacional, como o falecido Freitas Branco, Gil Milando, José Ferreira Garrincha, Issufo Costa, entre outros, notabilizou-se pela sua correcção, alto sentido de responsabilidade e um relacionamento pedagógico com os jogadores, particularmente os das camadas mais jovens, atributos que lhe permitiram granjear extraordinária simpatia junto dos dirigentes, treinadores, atletas e adeptos de futebol.

No plano internacional, Arnaldo Salvado foi o único árbitro moçambicano a marcar presença numa fase final do Campeonato Africano das Nações, facto que sucedeu no CAN de 1982, na Líbia, na qualidade de juiz auxiliar.

Neste momento de luto, não somente os árbitros e o futebol choram esta partida para sempre do grande senhor do apito, como também todos os desportistas moçambicanos, pois as qualidades de Salvado-pai entanto que desportista foram francamente exemplares.

Profundamente chocados com a triste ocorrência, os jornalistas do “Notícias”, que durante vários anos conviveram com Arnaldo Salvado no quotidiano do nosso futebol, apresentam à família enlutada as suas mais sentidas condolências.
06.Jan.10

Fase final do Bebec: Chuva provoca adiamentos na capital e na província

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423526664270428946" />

A TERCEIRA jornada da fase final da XXI edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo Bebec, foi cancelada devido à chuva que caiu com muita intensidade na amanhã de ontem na cidade de Maputo.

Esta ronda terá lugar hoje, data que estava reservada para o descanso das equipas, sendo que a primeira volta deveria ter encerrado ontem se os campos não tivessem sido alagados pela chuva.

Entretanto, a equipa de Inguide da Catembe será substituída por Chamissava, que entrará em acção hoje. Inguide desistiu da prova devido à falta de dinheiro para assegurar a transição diária da Catembe para a cidade de Maputo, visto que é um dos bairros que se localiza um pouco distante da bacia e que precisa de transporte até à terminal do ferry-boat.

Assim sendo, a organização admitiu Chamissava e numa altura que acaba igualmente de alcançar um acordo com a Transmarítima para a travessia gratuita das equipas da Catembe, sendo a outra a de Inkassane.

Entretanto, o chefe da Comissão Técnica do Bebec, Júlio Matavele, informou que os jogos em atraso terão lugar em data a anunciar.

Enquanto isso, o Bebec na província do Maputo não foi completamente afectado pelas chuvas. Apenas três jogos da segunda jornada, realizada ontem, foram adiados devido à chuva, nomeadamente Namaacha-Boane, respectivamente em masculinos e femininos, e Matutuíne-Moamba (femininos). Os jogos adiados em femininos estão inseridos na série B, enquanto a partida masculina está integrada na Zona Sul.

Entretanto, todas as partidas adiadas ontem terão lugar hoje, dia que estava reservado para o descanso das equipas.

JOGOS DA TERCEIRA JORNADA

Campo do Cape-Cape

Série A

Masculinos

14.00h – G. Dimitrov-Chamanculo

17.00h – Urbanização-Zimpeto

Femininos

9.00h – Inhagóia – 25 de Junho

15.00h – Zimpeto-Munhuana

16.00h – Aeroporto-Unidade 7

Série B

Masculinos

8.00h – Xipamanine-Inhagóia

10.00 – Mahlazine – Mavalane

Campo do Estrela Vermelha

Série C

Masculinos

14.00h – Inkassane-Malhangalene

17.00h – Polana-Caniço-Costa do Sol

Série B

Femininos

9.00h – Polana-Caniço-3 de Fevereiro

15.00h – Fer. das Mahotas-Maxaquene

16.00h – Mavalane-Hulene

Série D

Masculinos

8.00h – Sommerschield-Inhaca

10.00h – Chamissava-3 de Fevereiro

RESULTADOS DE ONTEM NA PROVÍNCIA

ZONA NORTE

Masculinos

Magude B-Xinavane (0-7)

Manhiça-Magude A (3-0)

ZONA CENTRO

Infulene-Machava (1-1)

Matutuíne-Matola-Rio (3-1)

ZONA SUL

Ressano Garcia-Moamba (2-1)

Femininos

Manhiça-Matola (0-1)

Magude-Marracuene (2-0)
06.Jan.10

Fase final do Bebec: Chuva provoca adiamentos na capital e na província

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423526664270428946" />

A TERCEIRA jornada da fase final da XXI edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo Bebec, foi cancelada devido à chuva que caiu com muita intensidade na amanhã de ontem na cidade de Maputo.

Esta ronda terá lugar hoje, data que estava reservada para o descanso das equipas, sendo que a primeira volta deveria ter encerrado ontem se os campos não tivessem sido alagados pela chuva.

Entretanto, a equipa de Inguide da Catembe será substituída por Chamissava, que entrará em acção hoje. Inguide desistiu da prova devido à falta de dinheiro para assegurar a transição diária da Catembe para a cidade de Maputo, visto que é um dos bairros que se localiza um pouco distante da bacia e que precisa de transporte até à terminal do ferry-boat.

Assim sendo, a organização admitiu Chamissava e numa altura que acaba igualmente de alcançar um acordo com a Transmarítima para a travessia gratuita das equipas da Catembe, sendo a outra a de Inkassane.

Entretanto, o chefe da Comissão Técnica do Bebec, Júlio Matavele, informou que os jogos em atraso terão lugar em data a anunciar.

Enquanto isso, o Bebec na província do Maputo não foi completamente afectado pelas chuvas. Apenas três jogos da segunda jornada, realizada ontem, foram adiados devido à chuva, nomeadamente Namaacha-Boane, respectivamente em masculinos e femininos, e Matutuíne-Moamba (femininos). Os jogos adiados em femininos estão inseridos na série B, enquanto a partida masculina está integrada na Zona Sul.

Entretanto, todas as partidas adiadas ontem terão lugar hoje, dia que estava reservado para o descanso das equipas.

JOGOS DA TERCEIRA JORNADA

Campo do Cape-Cape

Série A

Masculinos

14.00h – G. Dimitrov-Chamanculo

17.00h – Urbanização-Zimpeto

Femininos

9.00h – Inhagóia – 25 de Junho

15.00h – Zimpeto-Munhuana

16.00h – Aeroporto-Unidade 7

Série B

Masculinos

8.00h – Xipamanine-Inhagóia

10.00 – Mahlazine – Mavalane

Campo do Estrela Vermelha

Série C

Masculinos

14.00h – Inkassane-Malhangalene

17.00h – Polana-Caniço-Costa do Sol

Série B

Femininos

9.00h – Polana-Caniço-3 de Fevereiro

15.00h – Fer. das Mahotas-Maxaquene

16.00h – Mavalane-Hulene

Série D

Masculinos

8.00h – Sommerschield-Inhaca

10.00h – Chamissava-3 de Fevereiro

RESULTADOS DE ONTEM NA PROVÍNCIA

ZONA NORTE

Masculinos

Magude B-Xinavane (0-7)

Manhiça-Magude A (3-0)

ZONA CENTRO

Infulene-Machava (1-1)

Matutuíne-Matola-Rio (3-1)

ZONA SUL

Ressano Garcia-Moamba (2-1)

Femininos

Manhiça-Matola (0-1)

Magude-Marracuene (2-0)
06.Jan.10

Touré melhor jogador da Costa do Marfim

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423523390785700498" />

YAYA Touré foi considerado o melhor jogador da Costa do Marfim em 2009, numa eleição promovida pelo jornal “Supersport”.

O jogador do Barcelona levou a melhor sobre Didier Drogba, a grande figura da selecção marfinense, adversária de Portugal, Brasil e Coreia do Norte no Mundial 2010.

O médio, que viveu um ano de sonho com a camisola do Barcelona, onde participou na conquista de seis troféus, somou 142 pontos, contra 110 do avançado do Chelsea e 65 de Gervinho, do Lille.

O anterior vencedor da eleição, em que participaram 17 órgãos de comunicação social da Costa do Marfim, foi Bakari Koné, do Marselha, este ano apenas oitavo na votação final.
06.Jan.10

Touré melhor jogador da Costa do Marfim

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5423523390785700498" />

YAYA Touré foi considerado o melhor jogador da Costa do Marfim em 2009, numa eleição promovida pelo jornal “Supersport”.

O jogador do Barcelona levou a melhor sobre Didier Drogba, a grande figura da selecção marfinense, adversária de Portugal, Brasil e Coreia do Norte no Mundial 2010.

O médio, que viveu um ano de sonho com a camisola do Barcelona, onde participou na conquista de seis troféus, somou 142 pontos, contra 110 do avançado do Chelsea e 65 de Gervinho, do Lille.

O anterior vencedor da eleição, em que participaram 17 órgãos de comunicação social da Costa do Marfim, foi Bakari Koné, do Marselha, este ano apenas oitavo na votação final.