Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

“Canário” sem asas atropelado pela “locomotiva”

Costa do Sol perde em casa (0-1) diante do Ferroviário de Nampula

Com a derrota, o Costa do Sol perdeu a oportunidade de se distanciar ainda mais na liderança do Moçambola-2009 e afastar-se dos mais directos perseguidores

Jogo do Ferroviário de Maputo contra o Costa do Sol

O Ferroviário de Nam­pula entrou para esta partida com intenções claras de vingar a derrota do seu mano, na jornada anterior, diante do mesmo adversário, e procurar a segunda vitória na prova, enquanto o Costa do Sol procurava cimentar a liderança.

Mas foram os “locomotivas” de Nampula que chegaram primei­ro à baliza contrária, num rema­te forte de Zé, quando os “cana­rinhos” já tinham o domínio da partida.

Aos 16 minutos, num livre cobrado na esquerda do ataque canarinho, Kito saltou mais alto que toda a gente e introduziu a bola no fundo das malhas con­trária, com ajuda da mão, o que obrigou João Armando a anular o golo e a mostrar cartão amare­lo ao defesa canarinho.

Os donos da casa encurrala­ram o adversário na sua zona mais recuada, tentando surpre­ender Zacarias com remates de longe, mas sem sucesso.

Só nos minutos finais da pri­meira parte o Ferroviário de Nampula equilibrou a partida, chegando mesmo a criar peri­go com o remate de Elídio, que passou ao lado da baliza de An­toninho.

Na segunda parte, o Ferroviá­rio de Nampula entrou melhor e logo nos minutos inicias chegou ao golo. Contra-ataque da esquerda do seu ataque com a bola a ser cruzada para o coração da área, onde aparece Leonel, solto de marcação, a rematar sem hipóte­ses de defesa para Antoninho. A defesa canarinha foi mal batida.

Mas o golo não inibiu os “loco­motivas” de Nampula, que volta­ram a incomodar o reduto mais recuado “canarinho” com um cabeceamento de Leonel, por cima da baliza.

Quase no final do jogo, o Cos­ta do Sol podia ter empatado, primeiro por Ruben, num cabe­ceamento para a defesa atenta de Zacarias, após cruzamento de Artur Comboio, e depois numa jogada confusa dentro da área “locomotiva”, após cobran­ça de um canto, com a bola a ser devolvida quase na linha de golo.

Até ao final do jogo, só dava Costa do Sol, mas as suas incur­sões não logravam os objectivos finais, pecando sempre na fina­lização, e terminando a partida com a derrota, em casa

Elísio Uamusse

“Canário” sem asas atropelado pela “locomotiva”

Costa do Sol perde em casa (0-1) diante do Ferroviário de Nampula

Com a derrota, o Costa do Sol perdeu a oportunidade de se distanciar ainda mais na liderança do Moçambola-2009 e afastar-se dos mais directos perseguidores

Jogo do Ferroviário de Maputo contra o Costa do Sol

O Ferroviário de Nam­pula entrou para esta partida com intenções claras de vingar a derrota do seu mano, na jornada anterior, diante do mesmo adversário, e procurar a segunda vitória na prova, enquanto o Costa do Sol procurava cimentar a liderança.

Mas foram os “locomotivas” de Nampula que chegaram primei­ro à baliza contrária, num rema­te forte de Zé, quando os “cana­rinhos” já tinham o domínio da partida.

Aos 16 minutos, num livre cobrado na esquerda do ataque canarinho, Kito saltou mais alto que toda a gente e introduziu a bola no fundo das malhas con­trária, com ajuda da mão, o que obrigou João Armando a anular o golo e a mostrar cartão amare­lo ao defesa canarinho.

Os donos da casa encurrala­ram o adversário na sua zona mais recuada, tentando surpre­ender Zacarias com remates de longe, mas sem sucesso.

Só nos minutos finais da pri­meira parte o Ferroviário de Nampula equilibrou a partida, chegando mesmo a criar peri­go com o remate de Elídio, que passou ao lado da baliza de An­toninho.

Na segunda parte, o Ferroviá­rio de Nampula entrou melhor e logo nos minutos inicias chegou ao golo. Contra-ataque da esquerda do seu ataque com a bola a ser cruzada para o coração da área, onde aparece Leonel, solto de marcação, a rematar sem hipóte­ses de defesa para Antoninho. A defesa canarinha foi mal batida.

Mas o golo não inibiu os “loco­motivas” de Nampula, que volta­ram a incomodar o reduto mais recuado “canarinho” com um cabeceamento de Leonel, por cima da baliza.

Quase no final do jogo, o Cos­ta do Sol podia ter empatado, primeiro por Ruben, num cabe­ceamento para a defesa atenta de Zacarias, após cruzamento de Artur Comboio, e depois numa jogada confusa dentro da área “locomotiva”, após cobran­ça de um canto, com a bola a ser devolvida quase na linha de golo.

Até ao final do jogo, só dava Costa do Sol, mas as suas incur­sões não logravam os objectivos finais, pecando sempre na fina­lização, e terminando a partida com a derrota, em casa

Elísio Uamusse

Sadomba carregou “muçulmanos” nas costas

Com maior posse de bola e melhores lances de pe­rigo, a equipa orientada pelo professor Neca poderia ter construído um resultado “gordo” na primeira parte, num jogo em que Sadomba voltou a estar em evidência, tanto a jo­gar, como a fazer jogar os seus colegas.

Sadomba numa jogada renhida

A meio da primeira parte, o Zimbabweano encarregou-se pela execução de um pontapé livre, tendo obrigado o guar­da-redes dos “fabris” da Soalpo a efectuar uma defesa incom­pleta, deixando a bola escapar -se-lhe das mãos e ir parar nos pés de Edgar, que fuzila a ba­liza contrária. Mas, para o seu desespero, o árbitro da partida Ainad Ussene anulou o golo por considerar que este estava fora de jogo.

Em resposta à pressão dos “muçulmanos”, o Textáfrica re­agiu e quase pregou um susto à equipa da capital do país, decor­ria o minuto 40 quando Mitó, de fora da área, atirou forte e colocado, levando a bola a sair muito perto do poste da baliza de Binó.


Mas estava escrito que a equi­pa do professor Neca sairia da primeira parte em vantagem, e foi o que aconteceu, pois quan­do se jogava o primeiro minuto da compensação, Vling, na mar­cação de um pontapé de canto, na esquerda, colocou a bola no coração da área, onde apareceu Sadomba a fazer o golo.

Na eta­pa complementar do jogo, os donos da casa de tudo fizeram para dilatar o marcador, peran­te um adversário que a todo o custo procurava chegar ao tento de empate, o que não aconteceu até ao apito final do árbitro, que quanto a nós esteve bem .

Virginia Olga

Sadomba carregou “muçulmanos” nas costas

Com maior posse de bola e melhores lances de pe­rigo, a equipa orientada pelo professor Neca poderia ter construído um resultado “gordo” na primeira parte, num jogo em que Sadomba voltou a estar em evidência, tanto a jo­gar, como a fazer jogar os seus colegas.

Sadomba numa jogada renhida

A meio da primeira parte, o Zimbabweano encarregou-se pela execução de um pontapé livre, tendo obrigado o guar­da-redes dos “fabris” da Soalpo a efectuar uma defesa incom­pleta, deixando a bola escapar -se-lhe das mãos e ir parar nos pés de Edgar, que fuzila a ba­liza contrária. Mas, para o seu desespero, o árbitro da partida Ainad Ussene anulou o golo por considerar que este estava fora de jogo.

Em resposta à pressão dos “muçulmanos”, o Textáfrica re­agiu e quase pregou um susto à equipa da capital do país, decor­ria o minuto 40 quando Mitó, de fora da área, atirou forte e colocado, levando a bola a sair muito perto do poste da baliza de Binó.


Mas estava escrito que a equi­pa do professor Neca sairia da primeira parte em vantagem, e foi o que aconteceu, pois quan­do se jogava o primeiro minuto da compensação, Vling, na mar­cação de um pontapé de canto, na esquerda, colocou a bola no coração da área, onde apareceu Sadomba a fazer o golo.

Na eta­pa complementar do jogo, os donos da casa de tudo fizeram para dilatar o marcador, peran­te um adversário que a todo o custo procurava chegar ao tento de empate, o que não aconteceu até ao apito final do árbitro, que quanto a nós esteve bem .

Virginia Olga

Guebuza encoraja selecção moçambicana de futebol

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, endereçou hoje uma mensagem de encorajamento à selecção nacional de futebol, os Mambas, que partiu esta tarde para Tripoli, na Líbia, para um estágio preparatório da partida frente a Tunísia a ter lugar, no próximo Sábado, em Tunis.

Presidente Armando Guebuza
Trata-se da partida da segunda jornada de qualificação para o Campeonato Africano das Nações e Mundial 2010.

“Nesta hora de partida para mais esta prova, queremos desejar-vos os maiores sucessos. Formulamos votos para que nos tragam de volta um resultado que mantenha e faça crescer o nosso orgulho de sermos filhos e donos desta pátria de heróis”, refere a mensagem presidencial.

“Mambas” falham Taça Cosafa
“O povo moçambicano é testemunha da vossa bravura. Sabe do que são capazes e estará, ainda que a distância, a lançar toda a sua energia positiva e a torcer para que os Mambas votem a brilhar e a mostrar a sua bravura, criatividade e capacidade de concretização”, acrescenta.

Os Mambas irão chegar à Tunis depois de cumprir um estágio pré-competitivo de quatro dias, em Tripoli.

Compõem a selecção moçambicana os atletas Francisco Massinga (Wiski), Momed Hagi (Hagi), Carlos Parruque (Danito), Josimar Machaisse, Marcelino Cumbane, Samuel Campira, Hélder Pelembe, Mustafa Ismael, Famuel Massingue (Fanuel), Carlos Chimomole (Carlitos) e Albino Cossa.

Do exterior, o técnico dos Mambas, Mart Nooij, convocou Gonçalves Fumo (Fumo), Manuel Bucuane (Tico-Tico), Almiro Lobo (Miro), Simão Mate Júnior, Celso Abdul (Mano), Dário Khan, João Rafael (Kampango), Dário Monteiro, Martinho Mucana (Paíto), Eugénio Bila (Genito), e Luís Pereira Vaz.

Guebuza encoraja selecção moçambicana de futebol

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, endereçou hoje uma mensagem de encorajamento à selecção nacional de futebol, os Mambas, que partiu esta tarde para Tripoli, na Líbia, para um estágio preparatório da partida frente a Tunísia a ter lugar, no próximo Sábado, em Tunis.

Presidente Armando Guebuza
Trata-se da partida da segunda jornada de qualificação para o Campeonato Africano das Nações e Mundial 2010.

“Nesta hora de partida para mais esta prova, queremos desejar-vos os maiores sucessos. Formulamos votos para que nos tragam de volta um resultado que mantenha e faça crescer o nosso orgulho de sermos filhos e donos desta pátria de heróis”, refere a mensagem presidencial.

“Mambas” falham Taça Cosafa
“O povo moçambicano é testemunha da vossa bravura. Sabe do que são capazes e estará, ainda que a distância, a lançar toda a sua energia positiva e a torcer para que os Mambas votem a brilhar e a mostrar a sua bravura, criatividade e capacidade de concretização”, acrescenta.

Os Mambas irão chegar à Tunis depois de cumprir um estágio pré-competitivo de quatro dias, em Tripoli.

Compõem a selecção moçambicana os atletas Francisco Massinga (Wiski), Momed Hagi (Hagi), Carlos Parruque (Danito), Josimar Machaisse, Marcelino Cumbane, Samuel Campira, Hélder Pelembe, Mustafa Ismael, Famuel Massingue (Fanuel), Carlos Chimomole (Carlitos) e Albino Cossa.

Do exterior, o técnico dos Mambas, Mart Nooij, convocou Gonçalves Fumo (Fumo), Manuel Bucuane (Tico-Tico), Almiro Lobo (Miro), Simão Mate Júnior, Celso Abdul (Mano), Dário Khan, João Rafael (Kampango), Dário Monteiro, Martinho Mucana (Paíto), Eugénio Bila (Genito), e Luís Pereira Vaz.

Pág. 22/22