Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Ela já foi ele!


HOJE é Natália, mas já foi Josep... Natália Parés é a grande figura do xadrez espanhol no momento.

Com 52 anos, a transsexual regressou aos tabuleiros e é agora um símbolo de igualdade no desporto, assim como da luta pelos direitos dos transsexuais.



Natália estava afastada desde 1998, altura em que deixou o xadrez para se preparar para a grande mudança da sua vida. Josep, na altura, contava já com inúmeros feitos, entre os quais uma vitória a Kasparov.

Quase dez anos depois, Natália voltou a dedicar-se ao xadrez e já começou a coleccionar vitórias. A transsexual tem uma legião de adeptos que a qualifica como a melhor jogadora de xadrez em Espanha. Certo é que Natália não está sempre a pensar em mudar opiniões e mentalidades na sociedade espanhola. Com o tabuleiro à frente só pensa: xeque-mate.

Ela já foi ele!


HOJE é Natália, mas já foi Josep... Natália Parés é a grande figura do xadrez espanhol no momento.

Com 52 anos, a transsexual regressou aos tabuleiros e é agora um símbolo de igualdade no desporto, assim como da luta pelos direitos dos transsexuais.



Natália estava afastada desde 1998, altura em que deixou o xadrez para se preparar para a grande mudança da sua vida. Josep, na altura, contava já com inúmeros feitos, entre os quais uma vitória a Kasparov.

Quase dez anos depois, Natália voltou a dedicar-se ao xadrez e já começou a coleccionar vitórias. A transsexual tem uma legião de adeptos que a qualifica como a melhor jogadora de xadrez em Espanha. Certo é que Natália não está sempre a pensar em mudar opiniões e mentalidades na sociedade espanhola. Com o tabuleiro à frente só pensa: xeque-mate.

Equipa zimbabweana mergulha em rio de crocodilos para afastar azar... correu mal

A EQUIPA do Midland Portland Cement não andava a portar-se nada bem na segunda divisão do campeonato de futebol do Zimbabwe.

Derrota atrás de derrota parecia perseguição. Especialistas no assunto descobriram então que se tratava de mau-olhado. A solução era mergulhar no rio Zambeze para afastar de vez a maldição que lhe tinha sido lançada por
alguém.

Conta a Gazzetta dello Sport que os jogadores nem queriam mergulhar no rio, mas não tiveram escolha. Obrigados pela direcção do clube, lançaram-se mesmo às águas e durante alguns minutos tiveram que nadar para deixar o mau-olhado nas correntes fortes. O problema é que a zona do Zambeze onde mergulharam, perto da fronteira com a Zâmbia, é habitada por crocodilos.


Aliás, o rio naquela zona até está interdito: é mesmo proibido mergulhar nas águas. Ora talvez por isso é que entraram dezasseis jogadores e só regressaram à terra quinze: um deles continua desaparecido. As buscas prolongaram-se por um par de dias, mas não tiveram qualquer sucesso. As probabilidades de encontrar o jogador são praticamente nulas, diz Peter Rodzi, oficial da Polícia local.

Equipa zimbabweana mergulha em rio de crocodilos para afastar azar... correu mal

A EQUIPA do Midland Portland Cement não andava a portar-se nada bem na segunda divisão do campeonato de futebol do Zimbabwe.

Derrota atrás de derrota parecia perseguição. Especialistas no assunto descobriram então que se tratava de mau-olhado. A solução era mergulhar no rio Zambeze para afastar de vez a maldição que lhe tinha sido lançada por
alguém.

Conta a Gazzetta dello Sport que os jogadores nem queriam mergulhar no rio, mas não tiveram escolha. Obrigados pela direcção do clube, lançaram-se mesmo às águas e durante alguns minutos tiveram que nadar para deixar o mau-olhado nas correntes fortes. O problema é que a zona do Zambeze onde mergulharam, perto da fronteira com a Zâmbia, é habitada por crocodilos.


Aliás, o rio naquela zona até está interdito: é mesmo proibido mergulhar nas águas. Ora talvez por isso é que entraram dezasseis jogadores e só regressaram à terra quinze: um deles continua desaparecido. As buscas prolongaram-se por um par de dias, mas não tiveram qualquer sucesso. As probabilidades de encontrar o jogador são praticamente nulas, diz Peter Rodzi, oficial da Polícia local.

De treinadores: Campo do 1º de Maio acolhe curso de nível III

O CAMPO do 1º de Maio acolhe desde ontem um curso de treinadores de futebol de nível III promovido pela Federação
Moçambicana da modalidade (FMF) e Ministério da Juventude e Desportos (MJD)

O curso, que decorrerá até 20 do corrente mês, é orientado por técnicos holandeses que se encontram em Maputo há dias. Nele participam 30 técnicos de diversos quadrantes do país, maioritariamente treinadores de equipas da Divisão de Honra. Alguns ainda técnicos adjuntos de equipas que actuam no Moçambola.

Para além da preparação teórica e prática sobre futebol, serão abordadas durante a formação outras matérias complementares, nomeadamente primeiros socorros e HIV/SIDA.

De treinadores: Campo do 1º de Maio acolhe curso de nível III

O CAMPO do 1º de Maio acolhe desde ontem um curso de treinadores de futebol de nível III promovido pela Federação
Moçambicana da modalidade (FMF) e Ministério da Juventude e Desportos (MJD)

O curso, que decorrerá até 20 do corrente mês, é orientado por técnicos holandeses que se encontram em Maputo há dias. Nele participam 30 técnicos de diversos quadrantes do país, maioritariamente treinadores de equipas da Divisão de Honra. Alguns ainda técnicos adjuntos de equipas que actuam no Moçambola.

Para além da preparação teórica e prática sobre futebol, serão abordadas durante a formação outras matérias complementares, nomeadamente primeiros socorros e HIV/SIDA.

Pág. 20/20