Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

FER. MAPUTO, 2-MATCHEDJE, 1 - Golaço de Diogo

UM homem verdadeiramente aliviado! Sim, foi como se sentiu Victor Urbano quando aos 76 minutos na boca da área “militar”, Diogo fez um golaço que permitiu ao Ferroviário dar cambalhota ao resultado que até ao intervalo lhe era desfavorável.

 

Aliás, o primeiro tempo foi marcado pelo golo de Eka na cobrança de um livre directo descaído á direita, num lance em que se exigia mais do guarda-redes Pinto. Após o golo os “militares” entregaram-se de forma ousada á luta e conseguiram criar muitos dissabores aos “locomotivas”, que só responderam muito tempo depois de terem sofrido o golo.

 

 

Foi David que em resposta a um cruzamento vindo da direita atirou por cima, mas Wisky é que esteve perto do empate quando viu o seu remate a roçar o poste esquerdo da baliza de Valério e perdendo para lá da linha final.

 

 

Um Ferroviário num incomum sistema táctico de 4X1X3X1X1, com Luís como homem mais adiantado, era a equipa que mais circulava a bola, porém sem criar jogadas dignas de realce junto à baliza de um Matchedje que jogava na expectativa.

 

 

A equipa jogava sem nexo e, acima de tudo, desnorteada, sem fio de jogo e sem “maestro”, daí que as jogadas eram perdidas de forma infantil. E por outro lado, o Matchedje fazia o seu jogo sem pressa e no erro do adversário, embora sem jogadores com arte suficiente para aproveitarem as fragilidades “locomotivas”.

 

 

Nas bancadas os adeptos (do Ferroviário) não gostavam, impropérios são dirigidos aos jogadores e a Victor Urbano e até a “cabeça” do presidente da colectividade chegou a ser demanda pela massa associativa no final do primeiro tempo.

 

 

O segundo tempo inicia-se com o golo do empate a ser apontado por Wisky aos 53 minutos, numa grande desatenção da defensiva “militar”. Depois do golo, o Ferroviário cresceu, adeptos reconciliaram-se com a equipa e foi que nem um balão de oxigénio o golaço de Diogo a 14 minutos do fim.

 

 

Há um cruzamento pela esquerda, Valério, guardão “militar” sai dos postes para socar a bola e na recarga Diogo, posicionado no “coração” da área, desferiu um portentoso remate que entrou junto à quina superior da baliza do Matchedje.

 

 

Era 2-1 para os “locomotivas”, mais um triunfo cinco jornadas depois e que deixa o português Victor Urbano desafogado e Matchedje cada vez mais no fundo da tabela sem qualquer ponto. Afonso Xavier, árbitro do encontro esteve bem.

 

 

FICHA TÉCNICA


ÁRBITRO: Afonso Xavier, auxiliado por Gimo Patrício, Dias Sigaúque. Paiva Dias foi quarto árbitro.

 

FERROVIÁRIO DE MAPUTO: Pinto; Cândido, Chico, Zabula, Wisky, Barigana, David (Paíto), Burramo (Andro), Inocent, Diogo e Luís (Calton).

 

 

MATCHEDJE: Valério, Bele, Zola, Bila, Nito, Sissé, Eka (Mangunhuta), Mangonga (Caíque), Acácio, João (Edgar), e Jamal.

 

DISCIPLINA: Cartões amarelos para Valério, Sissé e Nito (Matchedje) e para Inocent do Ferroviário.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.