Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Gaza e Cabo Delgado regressam ao Moçambola

Gaza

FESTA! Festa verdadeiramente rija foi ontem vivida nas cidades de Chibuto, Beira e Pemba, na sequência da qualificação das suas equipas para a edição-2012 do Campeonato Nacional de Futebol. Trata-se do Clube do Chibuto, da província de Gaza; do Têxtil do Púnguè, de Sofala; e do Ferroviário de Pemba, de Cabo Delgado, vencedores da “Poule” de apuramento nas respectivas zonas.

 

Especificamente, para a província de Gaza, trata-se do regresso ao convívio dos grandes do futebol nacional quase duas décadas depois, no período áureo do Clube de Gaza, que, inclusive, chegou a representar o país nas competições africanas. Para Cabo Delgado, a província volta para o Moçambola após ter descido de divisão há dois anos, enquanto Sofala, apesar de sempre representado na prova, o Têxtil do Púnguè havia sido despromovido há quatro temporadas.

 

 

À excepção da zona centro, em que a qualificação do Têxtil do Púnguè já era conhecida, a partir do momento em que o Vila Pita, de Quelimane, faltou ao desafio de conclusão de 10 minutos, terça-feira transacta, em Chimoio, o sul e o norte tinham realmente que esperar pela última jornada para se conhecer o vencedor, com particular ênfase para a região norte, onde a expectativa era muito grande, pois todas as quatro formações tinham chance de alcançar o primeiro lugar.

 

 

No Chibuto, para onde convergiram adeptos gazenses idos doutros pontos da província, casos de Xai-Xai, Chókwè, Guijá e Manjacaze, com a finalidade de testemunhar “in loco” o “jogo do ano”, diante do Djuba FC, da província do Maputo, a turma local não quis brincar em serviço. Pôs em campo toda a sua sabedoria e o reflexo disso foi a goleada por quatro bolas sem resposta, a selar uma meritória qualificação de um clube que tem no seu presidente, Simião Cossa, o seu principal artífice.

 

 

Na capital do país, mais concretamente no Estádio da Machava, de nada valeu o triunfo do Estrela Vermelha sobre a Associação Desportiva da Maxixe por 3-2, pois o Chibuto fazia a sua festa.

 

 

Na classificação final, o Clube de Chibuto somou 14 pontos, Estrela Vermelha 13, AD Maxixe cinco e Djuba FC apenas um.

 

 

Em tarde de consagração, no campo do Ferroviário da Manga, o Têxtil do Púnguè não deixou os seus créditos por mãos alheias, ante o seu rival Textáfrica. Venceu por 1-0 e confirmou o seu apuramento, debaixo de um ambiente de grande euforia popular, já que, como se sabe, os “fabris” da Manga são o “clube do povo”.

 

 

Em Tete, o Desportivo local bateu o Vila Pita também por uma bola sem resposta.

Classificação final: Têxtil do Púnguè 15 pontos, Desportivo de Tete 10, Textáfrica seis e Vila Pita quatro.

 

 

Numa jornada em que tudo estava em aberto e qualquer dos times intervenientes podia ser proclamado vencedoro, a festa do regresso ao Moçambola pertenceu aos adeptos de Cabo Delgado, com o feito protagonizado pelo Ferroviário de Pemba, mercê do triunfo sobre o Ferroviário de Nacala por 2-0.

 

 

No campo da Bela-Vista, em Nacala, ainda se acreditava num milagre, no entanto, a vitória do Desportivo local sobre Águias do Planalto, do Niassa, foi insuficiente para tão almejada qualificação.

 

 

Classificação final: Ferroviário de Pemba 10 pontos, Desportivo de Nacala nove, Águias do Planalto sete e Ferroviário de Nacala também sete pontos.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias