Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Não é como se começa mas como se termina

Deolinda Ngulela
DEOLINDA Ngulela e Leia Dongue, duas das basquetistas imprescindíveis da nossa selecção, são o espelho fiel do ambiente de confiança e determinação que se vive no seio do grupo, na véspera do encontro que decidirá, positiva ou negativamente, o futuro da turma nacional.

 Neste terceiro frente-a-frente com as nigerianas, Deolinda frisa que não será nada fácil, sugerindo a busca das imagens gravadas na retina de cada uma da forma como se perdeu o último embate para se efectuarem as devidas correcções.

 

 

Nigéria é uma equipa perfeitamente ao nosso alcance, o que se quer é sermos nós mesmas. Não temos que recear absolutamente nada, embora elas sejam comparativamente mais fortes na posição de poste e tenham uma extremo que também desequilibra. Porém, no global, temos oportunidade de ganhar”, referencia a base moçambicana.

 

 

Deolinda recua um pouco na carreira da selecção para dizer que esta não ficou muito abalada com a derrota diante das malianas, reconhecendo que elas foram claramente superiores. “Não temos que estar abaladas por nada porque o campeonato ainda não acabou e não é a primeira fase que decide tudo, mas sim a etapa que agora vamos iniciar. Portanto, como dizem os outros, não é como se começa, mas sim como se termina, daí que os nossos objectivos de chegar ao pódio se mantêm em absoluto”, concluiu.

 

 

Por seu turno, Leia Dongue, Tanucha na bola-ao-cesto, refere ser importante encarar o desafio de logo à noite com muita humildade e respeito, independentemente de se conhecer o adversário. “Não devemos temer seja o que for, mas sim olhar para as nigerianas da mesma forma como olhamos e encaramos as outras selecções, apesar de, neste caso, se tratar de uma partida com características especiais, uma vez que é a eliminar e qualquer erro pode ser fatal”, observou Tanucha, a craque do momento na equipa.

 

 

Afirmando-se com moral em cima, a jovem jogadora espera colocar em campo toda a sua inteligência e determinação, “de modo a ajudar o grupo e o país a festejarem mais uma vitória.

Programa de jogos

 

Quartos-de-final

 


Pavilhão 26 de Março

 

 

 

16.00 – Nigéria-Moçambique

18.00 – RD Congo-Senegal

20.00 – Camarões-Mali

22.00 – Costa do Marfim-Angola

 

 

Classificativas

 

 

 

Pavilhão Modibo Keita

16.00 – Guiné-Tunísia

18.00 – Gana-Ruanda

  • Alexandre Zandamela, em Bamako
Fonte:Jornal Noticias