Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

AFROBÁSQUETE MALI 2011 - Esperança e Aurélia na gala das estrelas

Esperança Sambo

O cinquentenário da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA-África), que se comemora ao longo deste ano, está a ser motivo de recordação dos grandes feitos da bola-ao-cesto continental, assim como de junção e homenagem às estrelas que ao longo deste meio século se impuseram em África, e não só.

 

Deste modo, e na sequência do seu jubileu, a FIBA-África, após ter galardoado os jogadores da categoria de masculinos no decorrer do Afrobásquete que teve lugar em Agosto em Madagáscar, desta vez, no Mali, a vez cabe aos femininos, numa cerimónia a ter lugar esta noite, em Bamako.

 

 

Duas grandes estrelas moçambicanas serão justamente homenageadas num jantar que contará com a presença de ilustres convidados do basquetebol continental e do Governo maliano. Trata-se de Esperança Sambo e de Aurélia Manave, que se encontram em Bamako desde ontem, juntando-se, igualmente, à festa de uma competição que tem sido bastante interessante.

 

 

Esperança e Aurélia, duas das melhores, senão mesmo as melhores basquetebolistas moçambicanas, marcaram aquela que foi conhecida como a geração de ouro da nossa bola-ao-cesto, tendo conquistado África e o próprio país. Foram medalha de prata no Afrobásquete de 1986, realizado no Maputo, e medalha de ouro nos Jogos Africanos de 1991, no Cairo. A nível de clubes, conquistaram pelo Maxaquene a Taça dos Campeões Africanos, em 1991, numa final em que a “catedral” quase desabava.

 

 

Apesar de terem sido colegas no Maxaquene, Esperança e Aurélia começaram por ser adversárias e grandes rivais na discussão do título de melhor do país. Enquanto Aurélia sempre envergou a camisola “tricolor”, tal como o seu irmão Aníbal Manave, Esperança iniciou-se no Malhangalene, mais tarde Estrela Vermelha. A seguir, representou o Costa do Sol, antes de se mudar para o Maxaquene.

Na década de noventa, as “tricolores” tinham a melhor formação do país, disputando com frequência competições africanas.
Fonte:Jornal Noticias