Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

18.Jul.11

ELEIÇÕES NA FMF - Feizal goleia Jeque e Bonzo

AUTÊNTICA goleada é como se pode resumir as eleições do passado sábado que reconduziram Feizal Sidat a mais um mandato de quatro anos. É que, contra todas as previsões, Sidat acabou por ganhar por uma esmagadora maioria. Amealhou 10 dos 11 votos, deixando Baptista Bonzo com apenas um e Carlos Jeque sem nenhum.

 

O ambiente que antecedeu esta Assembleia Geral foi um tanto ou quanto turbulento. O candidato Carlos Jeque, a dois dias do acto eleitoral, convocou uma conferência de Imprensa para denunciar aquilo que considerou de atropelo aos estatutos pelo facto da magma reunião ser extraordinária. Mas, esta fundamentação foi chumbada pelos 11 associados, por considerarem que a assembleia de sábado era a continuação da do dia anterior.

 

 

Carlos Jeque, mesmo ciente das irregularidades não retirou a sua candidatura. Tentou ainda impugnar as eleições. Mas a Assembleia Geral entendeu que a fundamentação de Carlos Jeque não tinha espaço e acabou por ir às urnas.

O ambiente na sala não era dos melhores. O presidente da mesa Assembleia Geral chegou a exaltar-se com o candidato Jeque, por considerar que este, na qualidade de candidato, não tinha direito à palavra.

 

 

Porém tudo terminou bem, porque o próprio candidato Jeque acabou por se aperceber que tinha poucas hipóteses de chegar ao mais cobiçado cargo do futebol nacional. Já era visível que a tendência de voto era para Feizal Sidat.

 

 

Aliás, na sessão anterior que serviu para a apreciação dos relatórios das actividades e contas do exercício de 2010, apenas a cidade do Maputo é que apresentou protestos em relação aos documentos que eram analisados.

 

 

A Associação de Futebol da Cidade do Maputo, por não concordar com o relatório de contas, chegou a aventar a hipótese deste documento ser auditado por algumas instituições vocacionadas para a área.

Porém, o presidente do Conselho Fiscal da FMF esclareceu que o parecer da sua instituição só em si era suficiente para legitimar o relatório de contas.

 

 

A questão da aquisição das instalações da FMF também constituiu uma inquietação para a Associação de Futebol da Cidade do Maputo, mas acabou sendo o próprio presidente da Mesa da Assembleia Geral a sossegar Victor Miguel e seus acompanhantes ao afirmar que o processo da compra obedeceu a trâmites legais e que os filiados da Federação deveriam sentir-se congratulados por poderem contar no futuro com uma casa do futebol no país.

O MOMENTO DA DECISÃO!

ESTE foi o momento de suspense. A sala estava cheia. Todos aguardavam ansiosamente pela decisão final. Foram estes 11 homens que acabaram por decidir quem iria conduzir os destinos do futebol moçambicano nos próximos quatro anos.

 

À excepção da cidade do Maputo que votou – tudo indica – em Baptista Bonzo, as restantes 10 associações acabaram por escolher Feizal Sidat. Se a opção é certa e justa ou não, a verdade é que foram eles que acabaram por depositar o voto. Oxalá a escolha tenha sido acertada.

 

 

Fonte:Jornal Noticias