Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Madagáscar já “ferve” com o Afrobásquete

maxaquene vs Desportivo

O CAMPEONATO Africano de Basquetebol de Seniores Masculinos, a realizar-se em Agosto, em Madagáscar, com a participação da nossa selecção, já está a mudar o quotidiano deste país. Os malgaxes encarnaram a competição e, no sábado, dia aprazado para o sorteio, prevê-se um invulgar movimento popular de recepção da prova.

 

O Afrobásquete-2011, a decorrer entre os dias 17 e 28 de Agosto, conheceu momentos de verdadeira incerteza, tendo, inclusive, colocado a Federação Internacional de Basquetebol (FIBA-África) numa situação de desespero. Inicialmente marcado para ter lugar na Costa do Marfim, viria depois a ser mudado devido à crise política e social que se viveu naquele país, na sequência das conturbadas eleições de Novembro do ano transacto.

 

 

Seguiu-se, posteriormente, uma incessante e desesperada procura dos sucessores da Costa do Marfim, numa campanha muito condicionada pela exiguidade do tempo. Vários países manifestaram a sua candidatura, nomeadamente Angola, Tunísia, Marrocos e Senegal, porém, nada de consistente apresentavam, chegando, alguns deles, a propor a disputa da competição numa outra altura.

 

 

Os angolanos, que estavam em melhores condições, pois possuem infra-estruturas novas, construídas para o campeonato de 2007, viram a sua pretensão insatisfeita pelo facto de não ter tido o suporte do Governo, condição “sine qua non” para a atribuição de um evento de tamanha envergadura a um país, não bastando, por isso, a simples manifestação da Federação.

 

 

Madagáscar, que até era um “outsider”, tanto do ponto de vista de peso no panorama basquetebolístico continental como no capítulo das infra-estruturas, acabou, no entanto, por merecer a confiança da FIBA-África, que atribuiu à Grande Ilha do Oceano Índico a organização do Afrobásquete-2011 de Seniores Masculinos.

 

 

Os malgaxes são pouco experientes nesta matéria, e tal foi vincado em 2009, quando acolheram o Campeonato Africano de Seniores Femininos. Mesmo assim, a força e o impulso dados pelo Governo, bem como o entusiasmo e o envolvimento popular à volta da prova acabaram por constituir um argumento inquestionável no seio da entidade basquetebolística do continente.

 

 

Com a atribuição definitiva efectuada agora em Maio, na sequência de um acordo entre o Governo e Federação malgaxes e FIBA-África, já nada faz inquietar os amantes africanos da bola-ao-cesto sobre a concretização da competição, até porque foi já constituído o COCAN (Comité Organizador do Campeonato Africano das Nações) e os desembolsos financeiros começaram a fluir.

 

 

Em princípio, de acordo com as deliberações da FIBA-África, a partir do momento em que o Afrobásquete de Seniores Masculinos passou a ser disputado por 16 selecções, o país organizador deve apresentar quatro pavilhões modernos em outras tantas cidades. Contudo, no caso de Madagáscar, o campeonato decorrerá somente em Antananarivo, a capital, onde existem dois pavilhões: Palácio dos Desportos, que é o principal, e Ginásio de Mahamasina.

SORTEIO FESTIVO

 

O sorteio do Afrobásquete-2011 de Seniores Masculinos será um momento verdadeiramente festivo. Os malgaxes prepararam para sábado diversas manifestações populares viradas, sobretudo, para a divulgação do evento, tendo em conta que somente agora lhes foi atribuído. Trata-se, pois, de um pré-teste à capacidade de organização e de resposta dos insulares face a um evento desta natureza e que se aproxima a passos largos.

 

Dezasseis selecções disputarão a prova, e este número ficou completo após a repescagem do Egipto e da África do Sul. Entre os participantes, estará Moçambique, que obteve o passaporte depois de conquistar o torneio de apuramento da Zona VI, realizado em Janeiro, em Pretória.

As 16 equipas, que serão repartidas em quatro grupos de igual número de selecções cada, são as seguintes: Madagáscar (país organizador), Angola (campeão em título), Costa do Marfim, Tunísia, Camarões, Marrocos, Senegal, Mali, Nigéria, Togo, República Centro-Africana, Chade, Ruanda, Moçambique, Egipto e África do Sul.

 

Refira-se que, após o Afrobásquete, em Agosto, grande parte destas selecções voltará a encontrar-se no mês seguinte, em Setembro, por ocasião dos Jogos Africanos de Maputo-2011.

 

Em relação ao Afrobásquete-2011 de Seniores Femininos, marcado para o Mali, entre 22 de Setembro e 2 de Outubro, foi repescada a RD Congo, completando-se assim o lote das seguintes 12 formações: Mali (anfitrião), Senegal (detentor do título), Angola, Costa do Marfim, Nigéria, Tunísia, Guiné, Gana, Camarões, Ruanda, Moçambique e RD Congo.
Fonte:Jornal Noticias