Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

Afrobásquete masculino poderá ser em Madagáscar

 

 

seleccao-basquete-masculinos

 

 

 

 

 

O Campeonato Africano de Basquetebol sénior masculino a nível de selecções poderá ser em Madagáscar, em Agosto. A prova qualifica o representante africano para os Jogos Olímpicos de Londres-2012.


A FIBA-África, órgão reitor do basquetebol africano, aponta Madagáscar  como novo país acolhedor do Campeonato Africano de Basquetebol sénior masculino deste ano, prova a qual o nosso país estará presente após ocupar a primeira posição nas eliminatórias da zona VI, havidas em Pretória, África do Sul.

 

Neste momento, a Fiba-África aguarda por uma informação oficial do governo malgaxe para assumir o país anfitrião do Afrobásquete, facto que deve acontecer até final deste mês. Caso não se efective a oficialização, a alternativa será Senegal, devendo o “ Africano” ter lugar entre os dias 18 e 28 de Agosto.

 

Lembre-se que, inicialmente, o Afrobásquete masculino estava marcado para ter lugar na Costa do Marfim, mas devido à crise político-social que atravessa, a organização da competição acabou sendo retirada.

 

É importante referir que caso a oficialização governamental por parte de Madagáscar, primeiro, e Senegal, em segundo lugar, não culmine em um desfecho favorável, a FIBA-África poderá recorrer ao Egipto, não por opção, mas por força regulamentar. Ou seja, o regulamento da FIBA-África diz que, entre outros pontos, no caso de desistência ou retirada à organização de uma prova sob a sua égide, a mesma passa automaticamente para o país onde está sedeada a agremiação, neste caso o Egipto. A informação foi confirmada ao “O País” pelo  presidente da Confederação Africana de Basquetebol da Zona VI, Aníbal Manave.

 

O facto de este certame apurar o único representante africano aos Jogos Olímpicos de Londres-2012, está a despertar muita atenção no seio dos principais candidatos ao título. Neste momento estão qualificados 14 dos 16 países que vão dar corpo à competição continental, nomeadamente, Moçambique, Angola, Costa do Marfim, Tunísia, Camarões, Senegal, Mali, Marrocos, Nigéria, Togo, República Centro Africana, Tchad, Egipto e Ruanda.

 

Os três países que completarão o número de participantes serão convidados do quarteto formado por RDC, Argélia, África do Sul e Cabo Verde, por sinal os segundos classificados das diferentes zonas de apuramento, que foram constituídas, nas quais só o vencedor é que ganhava qualificação directa.

 

ESPANHÓIS VÃO DIRIGIR SELECÇÕES


Para potenciar as selecções do basquetebol, quer nos Jogos Africanos de Maputo-2011, quer ainda para os “Afrobásquetes”,  dois técnicos espanhóis deverão chegar a Maputo nos próximos tempos para comandar as duas selecções. Trata-se de José Luís Fernadez, para a equipa feminina, e Inaki Garcia, para masculinos. Este último é actual bi-campeão nacional ao serviço do Maxaquene.

César Tique, vice-presidente da FMB, revelou que jogadores moçambicanos no estrangeiro, com destaque para os casos de Deolinda Ngulela, nos Estados Unidos, Clarisse Machanguana, na Itália, em femininos, entre outros casos irão integrar a selecção Nacional.

 

NOVAS REGRAS


A recente assembleia-geral da Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB) foi dominada pelo debate em torno da introdução das novas regras do basquetebol, de modo a que o país esteja harmonizado com o resto do mundo.

 

Assim, Moçambique vai, a partir da nova temporada, aplicar uma parte das novas regras, com destaque para a remarcação do campo, facto que poderá exigir algum investimento por parte dos clubes proprietários de campos de basquetebol. Tudo porque o garrafão passará a ter novas medidas, passando dos 6,25 para 6,75 metros. Por sua vez, o campo passará a apresentar dimensões máximas.

No cumprimento desta medida, o Clube Ferroviário de Maputo prepara-se para, ainda este mês, realizar algumas obras no seu campo, tendo como principal objectivo a pintura do novo desenho do campo.

 

Lembre-se que outros clubes proprietários de pavilhões, a medida veio mesmo a calhar, pois as novas adaptações  serão da responsabilidade dos organizadores dos X Jogos Africanos, no âmbito dos projectos de reabilitação em curso.

 

 

Fonte:O Pais