Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

FIFA suspende membros envolvidos em escândalos de corrupção

A FIFA decidiu na última quarta-feira suspender temporariamente dois dos seus membros executivos, nomeadamente Amos Adamu, presidente da Federação da Nigéria, e Reynald Temarii, presidente da Confederação de Futebol da Oceânia, de toda e qualquer actividade relacionada ao futebol, seja administrativa, desportiva ou outra.



A decisão, que tem efeito imediato, foi tomada após o exame do envolvimento de ambos, suspeitos de corrupção no processo de escolha dos países-sede dos Mundiais de 2018 e 2022.

Depois de ouvir Adamu e Temarii, o Comité de Ética considerou necessária a suspensão temporária enquanto a investigação estiver em andamento, levando em conta a gravidade do caso e a probabilidade de que haja havido violação dos Estatutos, do Código de Ética e do Código de Disciplina da FIFA. Além disso, o Comité de Ética analisou o caso de quatro dirigentes — Slim Aloulou, Amadou Diakite, Ahongalu Fusimalohi e Ismael Bhamjee — suspeitos de terem violado os Estatutos, o Código de Ética e o Código de Disciplina da FIFA no processo de candidatura aos Mundiais de 2018 e 2022. Eles também foram suspensos temporariamente de participar de toda e qualquer actividade relacionada ao futebol.

A FIFA abriu processo contra os dois membros do Comité Executivo no último dia 18 e solicitou ao Comité de Ética que conduzisse uma investigação independente e minuciosa sobre as denúncias. O Comité de Ética voltará a se reunir em meados do próximo mês para tomar uma decisão final sobre o caso, depois que tenham sido reunidas mais informações e provas sobre os seis acusados
.

A decisão de suspender temporariamente esses dirigentes é plenamente justificada e não deve ser questionada", disse o presidente do Comité de Ética da FIFA, Claudio Sulser. "As provas apresentadas hoje (quarta-feira) convenceram-nos a adoptar essa medida cautelar, pois julgamos que as condições para tal foram satisfeitas e que ela será fundamental para proteger a integridade do processo de candidatura às edições de 2018 e 2022 da Copa do Mundo da FIFA. Estamos determinados a manter a política de tolerância zero em todos os casos de violação do Código de Ética."

Também a pedido da FIFA, o Comité de Ética decidiu abrir investigação sobre os supostos acordos entre federações filiadas à entidade e os seus respectivos comités de candidatura envolvendo a escolha das sedes da Copa do Mundo em 2018 e 2022. A conduta configuraria violação do documento de registro de candidatura e do Código de Ética. A decisão sobre o caso também será tomada na reunião do Comité de Ética no próximo mês, após investigação cuidadosa.